Kazan

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.

Nota: Esta página é sobre a cidade russa. Se procura o imperador japonês, consulte Imperador Kazan.

Kazan (transl.: Cazã) é a capital do Tartaristão com 1,1 milhões de tártaros, esqueceu de se tornar uma nação independente após a dissolução da União Soviética, e acabou parte da Federação Russa mesmo.

História[editar]

A invasão de Ivan, o Terrível sobre Kazan no século XVI.

Kazan foi fundada na Idade Média pelos búlgaros... O que búlgaros estavam fazendo naquele fim de mundo nenhum historiador conseguiu explicar, esse povo comumente apelidados de "acreanos da Europa", afinal, quem se lembra dos búlgaros? Por algum motivo bizarro fundaram esta aldeia nos confins da Rússia numa tentativas frustrada de aumentar o império.

Kazan era a única cidade na Rota Volga-Pérsia. O detalhe é que só usavam essa rota mercadores de bacalhau norueguês, então não era aquela coisa mais movimentada do mundo.

No século XIII os tártaros conquistaram a cidade, que estava deserta (os búlgaros tiveram que voltar para a Bulgária para defender a nação de ataques de vampiros da Transilvânia). Fazia parte da Horda de Ouro, uma campanha liderada por Batu Khan que visou conquistar todas as minúsculas aldeias que fabricavam peles de cordeiros em todas estepes asiáticas. Os tártaros na falta de uma nação, acabaram gostando daquele lugar.

Não meu querido(a) amigo(a)! O tema desse artigo não é sobre este cara.

A felicidade tártara não durou muito tempo. No século XVI foi a vez Ivan, o Terrível conquistar Kazan, com seu exército de robôs não teve dificuldades em massacrar Kazan com seus detroyers imperiais como parte de seu plano de unificar a Rússia. Já sob domínio russo, em 1708 Pedro, o Grande transformou Kazan num imenso estaleiro de produção de armamentos e perseguiu qualquer prática espiritual que não fosse o cristianismo ortodoxo. Anos depois Catarina, a Grande liberou a prática da macumba na cidade, mas o preconceito ainda existia.

Os tártaros foram perseguidos durante a Revolução Russa, mas como a cidade fica lá onde Judas perdeu as botas, os revolucionários querendo evitar a fadiga, acabavam ficando mais só por Moscou mesmo.

Durante a Segunda Guerra Mundial Kazan foi transformada em um imenso centro da indústria militar, porque os adversários jamais chegariam tão longe. Qualquer avião bombardeio que saísse da Europa acabaria seu combustível antes de chegar em Kazan.

Em 1990, com a dissolução da União Soviética Kazan passou a ser a capital da República Autônoma Popular do Tartaristão, e atualmente é o maior centro cultural da cultura mongol na Rússia.

Economia[editar]

A economia de Kazan baseia-se sobretudo nas exportações de molho tártaro e gás natural, ambos fundamentais para a sobrevivência do povo russo. O molho tártaro para acompanhar os aperitivos e vodka e o gás natural para manter o aquecimento de todas residências do país.

Esportes[editar]

O Kremlin de Kazan. É um duro danado fazer a manutenção desse treco para ele aparecer bem na foto assim...

O esporte mais tradicional de Kazan é o futebol e a dança folclórica tártara (muito similar às quadrilhas de festa junina no Brasil). Destaca-se o FC Rubin Kazan, representante local no futebol e na dança folclórica tártara.

Cultura[editar]

Em Kazan ninguém se comporta como russos, ninguém veste aquela tanguinha do Zangief, ninguém bebe vodka, não neva constantemente. Ninguém sabe como lá é a Rússia, parece mais uma cidade de um Cazaquistão da vida.

Kremlin de Kazan[editar]

O Kremlin de Kazan foi construído por Ivan, o Terrível para tentar se sentir mais em casa. Erguido sobre o castelo tártaro que foi queimado durante a conquista da cidade, o Kremlin foi a primeira construção de tijolos russa fora de Moscou. Ivan era tão terrível que ordenou que o Kremlin fosse pintado de branco, só para dar trabalho a mais nos serviços de manutenção do Kremlin que precisa ser pintado e limpo quase todo mês.

Atualmente é a moradia do rei do Tartaristão, que tem que se contentar em viver numa porra de castelinho de típica arquitetura russa em meio a uma cidade tártara.

O complexo arquitetônico do kremlin de Kazan foi incluído como patrimônio mundial pela UNESCO por representar um dos maiores desrespeitos culturais na Rússia.