Tikara e Keika

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Keika)
Ir para: navegação, pesquisa
Brjapan.png Made in Japan BRASIL!!

Este é um artigo com tecnologia do sol nascente Burajiro né.
E já tentou ganhar dinheiro como dekasegi.
Se vandalizar, vai levar carrinho do Marcus Túlio Tanaka.

250px-Wario WWare.gif Este artigo é sobre um personagem secundário!

Quase ninguém sabe da existência deste zé ruela que só serve pra encher linguiça na trama e provavelmente está morto. Se bobear, nem no Google tá!

Clique aqui para ver gente que só fãs alienados conhecem.

Os novos personagens secundários, Tikara e Keika.

Cquote1.png Você quis dizer: Personagens comemorativos? Cquote2.png
Google sobre Tikara e Keika
Cquote1.png Você quis dizer: Xícara da Encrenca? Cquote2.png
Google sobre Tikara e Keika
Cquote1.png Experimente também: Japonês Cquote2.png
Sugestão do Google para Tikara e Keika
Cquote1.png Mais uns tloca-letlas! Assim eu pelco o meu plestígio! Cquote2.png
Cebolinha sobre Tikara e Keika

Apresentação[editar]

Lembra que no ano de 2008 ocorreu o Centenário da Migração dos Japas para o Brasil? Não lembra disso? Vai estudar então, seu burro! Pois isso ocorreu de verdade e foi um marco histórico para a nossa nação (ou não)! Consistia na vinda dos japoneses para as Terras brasilis em busca de fama, fortuna, riquezas, putaria e o caralho a quatro, da mesma forma que os europeus vinham para cá nos tempos dos grandes latifúndios do Sudeste, para trabalhar nas plantações de café, com o mesmo sonho, e, ao chegar aqui, viam que a realidade não era tão bonita quanto se pintavam. Não demorou muito para que os nossos parceiros da Terra do Sol Nascente notassem que tinham caído em uma verdadeira cilada Bino, que aqui não tinha riquezas, terras para eles próprios morassem com a sua gangue família, ou mesmo fama para eles alcançarem, se bem que, no âmbito da putaria, eles se esbaldaram, pois, somente o fato deles virem para o Brasil, todos apertados naquelas caravelas do tempo de Cabral, já era uma verdadeira sacanagem.

Homenagem Maurício de Souza Produções[editar]

Presidente Molusto aprova a falta de originalidade de Maurício de Souza.

Maurício de Souza é o criador das revistinhas mal feitas da Turma da Mônica, que começaram primeiramente com as histórias de um cachorro azul falante com o seu dono nerd, sendo que estas histórias eram são totalmente sem graças e com um esboço totalmente escroto (típico dos desenhos do Maurício), sendo que, hoje, todos os dois não passam de personagens secundários (e bem merecidos à segunda colocação), que perderam status para o quarteto fantástico do humor Mônica, Cebolinha, Magali e Cascão, um grupo de personagens com muitos todos alguns defeitos singelos e mudanças bruscas de humor, e o criador ainda acha que é isso que o nosso público infanto-juvenil tem que ler. Com o passar do tempo, as criações de Maurício foram crescendo, sendo que ele começou a trabalhar com a criação de "personagens-homenagens", que seriam alguns rabiscos para representar alguma gente, ou para simplesmente puxar saco de alguém importante, como uma celebridade, ou somente encher linguíça.

Mais japas nos gibis? OMG! Não!

Para homenagear os baianos, Maurício criou Chico Bento, sem falar que ele também homenageia os personagens do interior de São Paulo; para os futebolístas ele criou o Pelezinho e o Ronaldinho só para puxar saco, sem falar que TODOS os personagens meninos adoram bater uma bola; para os gays, ele criou o Caio, amigo da Tina; para os paraplégicos e cegos portadores de necessidades especiais ele criou dois, a Dorinha e o Luca. Fora o Chico Bento, todos os outros, personagens que foram criados com o intuíto de homenagear alguém sempre foram (e sempre serão) personagens secundários, ou seja, daqueles que somente aparecem alí para tapar uma lacuna deixada por algum personagem principal que resolveu tirar férias de uma hora para outra. Mesmo já tendo um núcleo japa em suas histórias, Maurício quis puxar mais um pouquinho do saco dos nipônicos que vieram para o Brasil a cem anos atrás, por isso ele resolveu criar mais dois japinhas kawaiis para integrar a trupe de personagens, mas, claro, a dos secundários (ou você acha que esses noobs entrariam no Clã Principal?).

Tikara e Keika[editar]

Tikara e Keika tentando se passar por brasileiros.

A trupe de japoneses de Maurício de Souza já contava com Nimbus, Do Contra (sem falar dos pais desses dois que também são nipônicos), Hiro e Massaro (percebeu como todos eles são secundários?). Como se já não fosse suficiente um bando de gente de olho puxado que tomando conta desse gibi brasileiro, o bendito do criador, em um total estado de falta do que fazer (sem falar da falta de criatividade) resolveu criar mais dois personagens das bandas do Japão, bem mais japoneses tradicionais do que esses primeiramente citados, haja visto que, pelo menos os três primeiros, de japonês só tem a cara (ou não). Seus nomes são bem estranhos diferentes dos outros como todo nome de japonês, sendo eles comumente chamados (ou somente chamados) de Tikara e Keika. O que eles fazem nas histórias? Porra nenhuma Nada de especial que um personagem como o Hiro, Nimbus ou mesmo o esquizofrênico do Do Contra não poderiam fazer com as mãos nas costas (sendo que o Do Contra tentaria com os pés nas costas, só para ser mais diferente dos outros).

Tikara, mais um troca-letras, além de um possível membro da Yakuza.

Tiara Tikara é um menino que comumente é visto usando bermuda branca, um kimono vermelho e tênis Nike com certeza fabricados clandestinamente e com o trabalho infantil incluso. Assim como o personagem Cebolinha, vire trocando letras (para mostrar a originalidade de Maurício), somente para se sentir o mais próximo de um personagem principal (coisa que NUNCA irá acontecer, MWAHAHAHAHAHA!). Usando um brinco na orelha e com cara de marginal, acredita-se que, por baixo do kimono, ele seja cheio de tatuagens, provando assim ser um membro da Yakuza, a máfia japonesa. Seria ele então a simbolização da participação desse grupo de mafiosos nos últimos cem anos do Brasil, coisa que não duvido que seja verdade. Tikara vive em companhia de Keika, sendo que poucos sabem qual é realmente a relação entre um e outro. Muitos pensam que são irmãos, primos, namorados ou mesmo marido e mulher (já que a questão de maturidade e maior idade no Japão não é a mesma da do Brasil), mas ainda está-se tentando saber o que eles são afinal.

Keika, a hentai nipo-brasileira.

Seika é a irmã perdida de Seiya de Pégasus Keika é a irmã, namorada, puta paga, esposa, amante ou qualquer outra coisa que seja até descobrir-se a relação entre ela e Tikara. Não é troca letras e pode passar despercebidamente na multidão como uma nipo-brasileira, haja visto que gosta de andar de mini-saia, blusinha curta mostrando o piercing na barriga, tênis e, principalmente, mudar de roupa de vez em quando (bem diferente da Mônica ou mesmo da Magali, que usam os mesmos vestidos mais do que batidos a anos), mostrando-se uma verdadeira piriguete. Mas quando ela tem que usar suas roupas de japa, sempre é pra humilhar, usando vestimentas que nem o São Paulo Fashion Week consegue reproduzir (ou tem coragem de fabricar). Vive na companhia de Tikara, o que aumenta ainda mais as suspeitas de que não sejam somente irmãos, pois, se fossem, poderiam muito bem seguir histórias separadas, tal qual o Nimbus realiza longe do Do Contra, ou mesmo o Cebolinha, longe da Maria Cebolinha.

Ver também[editar]