Kobato

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Kawaii!!^^
Nyaaa!!!
Kobato é algo relacionado a Shoujo

Esse artigo contém altas doses diabéticas de romances ou idiotices que podem te levar a morte
P.S.: Não tente vandalizar, ou Suzumiya Haruhi vai te perturbar em seus sonhos.
Maria-sama5.jpg
Este artigo é relacionado à Yuri!

Isso significa que ele se trata de um personagem de anime, mangá e
outras formas de alienação que joga no outro time.

Aprovado por Temari.


Kobato
小波渡
Kobato anime.png
"Que coisa Kawaii *-*"
Gênero Muito Shojo
Mangá
Autor CLAMP
Divulgação CLAMP
Onde sai Em vários países
Primeira publicação 2005
N° de volumes 0
Anime
Dirigido por ???
Estúdio ???
Onde passa Na internet
Primeira exibição 2005
N° de episódios 8
Filmes 0
OVAs 0

Cquote1.png Você quis dizer: Sakura Card Captors? Cquote2.png
Google sobre Kobato
Cquote1.png Experimente também: Mokona Cquote2.png
Sugestão do Google para Kobato
Cquote1.png Que Kawaii *-*! Cquote2.png
Qualquer guria retardada sobre Kobato

Apresentação[editar]

Cenas típicas de um anime produzida pela CLAMP, quanto mais fofinho melhor

Kobato, assim como todo anime organizado pela seita "Organização Secreta CLAMP" conta a história de alguma guria retardada e é louvada pelas mesmas criaturas que a assistem. Conta a história de vida de Kobato Hanato, uma garota que não se sabe ao certo de onde ela veio realmente (talvez do Inferno, pelo jeito mala que ela é), ou como chegou por essas bandas, mas que está na Terra para cumprir uma missão de recolher alguma coisa espalhada pela localidade (assim como as missões de Sakura Card Captors em recolher Cartas Clow, ou seja, o anime não passa de um plágio de um desenho bem mais antigo). Ela conta com a ajuda nesse trabalho de Ioryogi, um cachorrinho azul muito dos seus Kawaiis (não ter coisa Kawaii em um anime da CLAMP, então não é um anime da CLAMP), mas com um temperamento forte e mente diabólica (assim como o Kero de Sakura), que trabalha com ela como guia espiritual (???).

Prólogo do Anime[editar]

Essa é a imagem que aparece antes do anime entrar em comercial (não é enjoativo lindo?)
Primeiro Kobato precisa conseguir esse vidrinho de recolher corações partidos da Polishop!

Kobato Hanato chega a terra junto com Ioryogi, um cachorro que parece de pelúcia, mas que solta fogo pela boca, acompanhado de um bando de palavrõs, para realizar uma missão, coletar os vários corações partidos existentes no mundo, transformá-los em corações sem partidos, e trancafiar os partidos em um vidrinho gay e transparente (que coisa fofa!). Caso ela consiga realizar tal merda dificílima missão tem o direito de fazer qualquer pedido que quiser, como um milhão de reais em barras de ouro, que valem mais do que dinheiro é dinheiro ou não é?, ser a dona do mundo, ter o macho que quiser em sua cama ou simplesmente conseguir uma simples bexiga azul, ou uma boneca de pano. Mas para tal coisa ele primeiro tem que conseguir o vidro em que ela irá colocar os corações partidos (afinal, não tem como ela ficar andando com um monte de coração partido na mão, não é gente? Vamos pensar um pouco pelo lado dela).

Personagens (os principais pelo menos)[editar]

Imagem Quem é? O que faz?
Kobato.JPG Kobato Hanato Guria retardada protagonista do anime (assim como toda personagem da CLAMP), tem a missão na terra de recolher os corações partidos existentes no mundo até juntar um número suficiente para encher um frasquinho (sendo que antes de sair consertando corações precisa primeiro conseguir o frasco). Seu sonho que quer realizar é ir para um lugar que deseja muito (sendo que provavelmente seja o Acre).
Ioryogi.JPG Ioryogi É o cachorrinho azul, super kawaii, dos Infernos, responsável por avaliar as atitudes de Kobato na Terra. Não vai muito com a cara da garota, pegando muito duro (ui!) com a noob garota. Não gosta de ser intimidado, podendo soltar uma bola de fogo da boca em cima do fudido de quem o desafiar. Pode até negar, mas no fundo, bem no fundo, tem um grande amor por Kobato, mas como zoofilia é proibido no anime, evita demonstrar isso ao máximo. Antigamente foi um grande lutador, mas por desacato, foi transformado nessa coisa fofuxa e que todo mundo ama, um bichinho de pelúcia.
Fugimotolutador.JPG Kiyokazu Fujimoto É o vendedor de lanches na praça e defensor de gurias retardadas contra molestadores de menores, sendo um lutador de última primeira catiguria. Quando conhece Kobato dá uns esporros na menina, falando para a mesma deixar de ser oferecida e ser mais durona com os outros. É meigo, gentil e, por isso, provavelmente torçe para o Lado Rosa da Força. Ajuda na mesmo creche em que Kobato trabalha, fazendo o papel de faz-tudo, como consertar uma pia, trocar uma lâmpada e coisas do tipo que mulheres não fazem.
Sayakasensei.JPG Sayaka Okiura É a dona da Escolinha Acarajé Feliz, uma creche para mães que não tem tempo para seus filhos, localizada nos subúrbios do japão. É quem convida Kobato para trabalhar escravocratamente para ela, mesmo sabendo que não tem um tostão furado para dar a menina, convencendo-a a trabalhar por caridade. Sabe-se que herdou o orfanato de seu pai, sendo que o mesmo lhe deixou uma dívida enorme com a máfia japonesa, que agora a persegue para que ela quite as suas dívidas.

Episódios[editar]

1 - O desejo da garota[editar]

Kobato fazendo um rango em uma de suas missões para conseguir o frasco, pelo visto a cara não agradou!

Kobato Hanato desce do Céu (WTF?) acompanhada de seu "querido amigo", o cachorrinho azul e falante de merda Ioryogi. Sua missão é recolher corações partidos na terra e juntá-los em um vidro, caso consiga preencher todo o fresco frasco tem o direito de realizar um pedido, sendo que o que deseja realmente é ir para um lugar que ela tem em mente (sendo que você só vai conhecer ele no final do desenho - ou não). Mas antes de sair por aí fazendo a sua boa ação, precisa conseguir o frasco e, para isso, precisa mostrar que está apta a viver na terra como uma humana (ou seja, ela não é uma humana), sem despertar olhares contrários. Ioryogi só está alí para avaliá-la, dando-lhe uns cascudos de vez em quando. Ela tenta ser útil de todas as formas possíveis, mas acaba sempre fracassando. Quando aceita o convite para tomar um chá de pica de dois rapazes, é salva por Fujimoto, um vendedor de lanches e lutador nas horas vagas, que lhe dá umas cagadas para deixar de ser besta.

Kobato soltando a voz em Rehab, de Amy Winehouse (a tradução em japonês está em cima)!

Chegando na praça da cidade, acaba se candidatando a garçonete da lanchonete em que Fujimoto trampa (mas que estava ausente de lá por um tempo). Quando convocada para fazer uma refeição aos clientes, misturou tanta coisa que fez surgir uma gororoba, mas que acabou ficando bom no final. Quando já era de noite, no final de sua missão para obter o frasco, encontra uma velhinha com uma criança que não parava de berrar. Afim de acalantar o baby, começa a cantar "Rehab de Amy Winehouse", o que fez a criança dormir de vez. Ao escutarem a sua voz, todos da praça, pensando que fosse a própria Amy a aplaudem, pedindo bis. No final do dia, Ioryogi diz para ela que ela NÃO passou no teste, pois nada do que tinha feito valeu a pena para alguém. Foi então que surge a velhinha da criança e vem (finalmente) agradecer a Kobato pela sua ajuda com o pentelho. Como alguém agradeceu a ela por alguma coisa que tinha feito, sua missão foi completada e Kobato recebe o seu vidrinho kawaii, onde já pode começar a recolher corações partidos desesperadamente.

2 - O confeito brilhante[editar]

O amor entre Kobato e Ioryogi. Não é a coisa mais linda já presenciada por alguém?

Kobato está (mais) boba por ter ganho o seu fresquinho frasquinho, mas ainda não sabe como curar os corações partidos. Ioryogi a todo o momento enche o saco conversa com ela de que somente ela pode descobrir como ajudar as pessoas. Assim, Kobato sai pelas ruas perguntando as pessoas "quem está com o coração partido e que precisa ser curado?". Mesmo com os mais variados foras, ela ainda não se tocou que nem sempre alguém demonstra na cara o que sente por dentro (ui!). Ela então decide começar a fazer favores, até que acaba encontrando o seu salvador passado, Kiyokazu Fujimoto, sendo que ele dá uma cagada pra ela quando ela tenta puxar assunto. Mesmo com toda a sua boa vontade, não consegue sequer um coraçãozinho em seu frasco, até que encontra alguém que realmente precisa de ajuda. Trata-se da professora Sayaka, da Escolinha Acarajé Feliz, uma creche para crianças malas, onde seus pais as deixam até de noite, quando voltam para buscá-las (ou não), sendo que nesse mesmo lugar trabalha (coincidentemente) Fujimoto. Sayaka precisa de ajuda, pois são muitos pirralhos para somente duas pessoas e Kobato decide ajudá-los, esquecendo até mesmo a sua bolsa com Ioryogi dentro, que não gosta nada da ideia de ser esquecido. Kobato ajuda da maneira que pode, mesmo se humilhando ao dançar que nem um boneco de posto, mas Fujimoto não gosta da ideia dela colaborando alí, afinal era uma desconhecida, além de muito fácil.

O primeiro coração partido mamona Confeito conseguido por Kobato, ao ajudar um moleque que chorava pela mão negligente

Mesmo assim, Kobato fica até o final do dia, quando promete retornar de manhã cedo, mesmo Fujimoto se opondo, falando que não era bom que ela voltasse se estivesse com pena deles (menino mala!), mesmo com toda a sua ajuda, nenhum coração partido foi ajudado. Durante seu retorno à praça onde dorme, encontra um dos pestinhas que estavam na creche, calmamente no balanço. Ao ser indagado do que fazia, ele responde que esperava a mãe, que trabalhava até tarde e pouco ficava do lado dele, o que despertava a raiva de outras mães, que achavam aquilo tudo uma negligência da progenitora com o seu filho. Kobato porém aplaude a mãe do menino afinal só mesmo ela pra ficar longe tempo o bastante daquela praga ela só demorava por causa do emprego de puta que tinha, isso tudo para dar (ui!) uma vida melhor ao filho. Ao ver que finalmente alguém defendia a sua mãe negligente, o menino chora e agradece a Kobato pela força. Finalmente, no final do anime, Kobato vê uma mamona dentro de seu frasco, que significava que algum coração havia sido curado e ela descobriu que foi do pentelho que ela tinha conversado na praça, aumentando assim a sua vontade de ajudar as pessoas e começou a chamar cada coração curado de "Confeito" (nada mais kawaii *-*).

3 - Origem[editar]

Mutsumi dando um trato no cachorrinho de pelúcia de Kobato. Mal ela sabe que isso é mal que só o diabo

A chuva estava demais nesse episódio, São Pedro não devia estar contente. Mas Kobato não pode parar, afinal, ainda tem que reconher os coraçõeszinhos partidos em seu frasquinho kawaii. Durante uma das suas brigas conversas com Ioryogi, Sayara aparece e a convida para começar a morar me uma casa de verdade, ao invés de um brinquedo de parque, levando-a para o cortiço de Chitose Mihara, um plágio adulto da Tomoyo, melhor amiga da Sakura. Depois de se alojar no local com nada (afinal ela não tem nada mesmo, já que está na terra de passagem), ela ruma em direção à creche em que virou escrava ajudante. Durante o trajeto, por está indo rápida demais, acaba se batendo com uma garotinha chamada Mutsumi Takodoro, que vinha na direção contrária, derrubando Ioryogi. Mutsumi pega o "bichinho de pelúcia" e o limpa, para se desculpar (sendo que quem deveria pedir desculpa era Kobato). Começa o seu trabalho na creche, mas a chuva continua a cair, sendo que ela esquece o seu guarda chuva. Ao passar por um restaurante, o dono de lá oferece o dos clientes emprestados para ela, contanto que a mesma o entregasse no dia seguinte, Kobato aceita mas não pensa em devolver. Ela então continua o seu percurso até se encontrar de novo com Mutsumi, que saia de uma loja de doces, porém Kobato acaba tendo o guarda chuva surrupiado, e Mutsumi a empresta o dela, já que ela iria junto com o seu fica.

Depois de meter a colher na briga do casal, Kobato ganha a sua segunda mamona seu confeito

No dia seguinte, ela o entrega para a garota na escola dela e, mais tarde, a encontra de novo na loja de doces, onde Mutsumi vê, tristemente, o seu fica dividindo o guarda chuva com uma outra garota, morrendo de ciúme, e desejando um Death Note naquele exato momento. Kobato presencia a cena de ciúme e decide enfiar a colher na briga do casal. No dia seguinte a todo o lance, Kobato encontra o rapaz Katsuragi (que beleza de nome! ¬¬) e pede (simplesmente) para que ele divida o guarda chuva com Mutsumi, que tinha ficado triste. Mas o menino está mais é interessado na nova garota que foi falar com ele do que com Mutsumi, sendo que, nesse momento, aparece a menina, pensando que Kobato fosse alguma outra oferecida que viesse dar em cima dele. Ao ouvir o pedido que Kobato fez em nome dela, fica toda emcabulada, dizendo que não era nada daquilo, que com certeza Kobato havia cheirado gatinhos e estava tendo alucinações. Katsuragi entendeu o não dito e se prontificou a dividir o guarda chuva com Mutsumi, antes que a mesma fizesse mais alguma vergonha por aí. No dia seguinte, mais um confeito aparece no vidrinho de Kobato, mostrando que ela conseguiu de novo curar um coração partido. Porém, alguém sente a presença de Kobato de longe, será que é a nova inimiga da protagonista?

4 - Quando as folhas verdes florescem[editar]

Kohaku mostrando que pode usar jutsus de água, enquanto Kobato nem sequer sabe curar um coração partido

Kobato acorda bem disposta para mais um dia de coleta de corações partidos, sendo que, na velocidade com que ela vai, serão necessários mais de oito mil anos para ela conseguir encher todo o frasco kawaii dela. Ao sair de casa, encontra uma menina que chora ao ver as folhas de uma árvore (WTF?), e começa a admirá-la em silêncio, mas antes que você pense que vai rolar algum yuri, ela somente quer descobrir o porquê dela chorar ao ver as folhas. A menina se apresenta como Kohaku e Ioryogi percebe que ela era (também) uma menina vinda do Céu, assim como Kobato, mas menos idiota que não estava alí para consertar corações (ou não). Ela era uma menina que morava com um cara chamado Shuichiro, bem mais velho que ela, levando para um lado pedófilo típico dos animes da CLAMP. Ao vê-la ir embora, Kobato ainda fica encucada com as lágrimas da menina e, pensando que ela tivesse com problemas, resolve tentar ajudá-la (quem sabe assim conseguia mais um confeito). Mesmo que Kohaku não tenha convidado, ela ruma para a casa da menina (que ela descobriu onde ficava ao seguí-la) e lá a vê se utilizando de um jutsu Suiton para molhar as plantas do jardim.

O mensageiro celestial mais Kawaii de todos os animes, o Coelhinho do Comercial

Indagando-a sobre se ela tinha algum problema que pudesse ser resolvido, a menina somente responde que gostaria que se macho tivesse mais tempo com ela, levando-a ao parque. Kobato então resolve arrumar algumas entradas para os dois, mas como fazer isso se era mais pobre que um mendigo? Foi então que resolve participar de um sorteio, mas (ao invés de ganhar os ingressos para o parque) ganha um jacaré de pelúcia. Ao implorar para Fugimoto lhe dar os ingressos que tinha, o mesmo somente aceita se ela lhe fizer um agrado, entregando alguns jornais para ele. Ao final do dia, entrega os ingressos para Kohaku, que não os aceita, pois sabia que Shuichiro não poderia ir, já que era muito ocupado. Nesse momento o homem aparece e diz que a levaria ao parque sem problema. Mesmo com a menina feliz, Kobato não ganha nenhum confeito, pois Kohaku nunca esteve com o coração partido para ser curado. Ao invés disso, Kobato ganha uma advertência divina, vindo do Coelho que aparece em seu comercial (que é um mensageiro kawaii do Céu), de que ela deveria terminar a sua missão em um ano, se não, ela não poderia mais realizar o seu sonho de ir para o Inferno algum lugar (que só ela sabe aonde fica).

5 - A promessa dos Vaga-lumes[editar]

O livro que atormentou Kobato até o fim do episódio, isso tudo é culpa da Marina

Kobato finalmente chega na creche sem se atrasar. Durante as suas brincadeiras sadias de sempre, Marina (a criança mais péssima de todas) pede para que ela leia um livro chato sobre um vaga-lume emo, que se isolou e, somente quando encontrou uma vaga-lume cabra-fêmea, voltou para o Lado Azul da Força e a piscar como antigamente. Apesar de tentar, Kobato é uma negação em leitura, frustrando as crianças que esperavam um show pirotécnica da garota. Kobato então resolve roubar emprestar o livro, afim de tornar as suas leituras mais agradáveis. Durante a sua leitura, um velhoa aparece e fala para que ela pare de ler o livro. Não entendendo o porquê do pedido e, como sempre achando que existisse um problema de coração partido no meio, resolveu falar com ele, mas ele não gostava de falar com estranhos e foi embora. Voltando para a escola mais tarde, Kobato encontra com três homens mal encarados que estavam judiando das pestes crianças e procuravam por Sayaka. Depois de quase uma briga rolar, que contou até mesmo com a ajuda de Ioryogi, eles vão embora, prometendo voltar (ou não). Ao chegar em casa, Kobato descobre que é visinha de porta de Fujimoto, ela então fala para ele que conheceu um cara no parque que implicou com ela e com o livro, descobre-se então que ele era o autor do livro, Sotaro Mori. Ao saber disso o procura no dia seguinte.

Um quantidade de vaga-lumes assim, somente no Japão que rola isso

Assim que o encontrou, Kobato falou que o esperava a noite para uma orgia caçar vaga-lumes. O velho demora, mas a noita acaba aparecendo, ele então se abre (ui!) e fala para Kobato que tinha uma menina que ele gostava quando era mais novo e que ela amava vaga-lumes. Uma vez ela o convidou para caçar alguns, mas devido a coisas realmente importantes não apareceu, ela então desenhou a imagem que hoje é a capa do livro dele; no dia seguinte eles remarcaram a caçada, mas quem não apareceu foi ela, que sofreu um acidente no caminho. Suas ultimas palavras foi de que gostaria que ele caçasse vaga-lumes. Ele então escreveu o livro em memória dela e nunca mais escreveu de novo. Foi então que ele percebeu que o local em que ele estava com Kobato era o mesmo em que Naoko havia feito o desenho da capa. Foi então que surgiu vários vaga-lumes naquele local e o homem entendeu que era aquilo que Naoko queria dele. Ele então ficou feliz, voltou a escrever e Kobato recebeu mais um confeito (grande coisa!). Fim do episódio.

6 - Uma brincadeira de esconde-esconde[editar]

Ioryogi encontrando um velho companheiro, Ginsei, o amor é visível entre eles

Um passeio é arranjado pela professora Sayaka, e Kobato volta para a sala da professora para buscar a sua bolsa onde estava Ioryogi, nesse momento o telefone toca e Kobato descobre que é o cobrador que tinha enviado os capangas no dia anterior e ele somente pede para que Kobato avise a Sayaka que a creche será fechada, já que ela não lhe pagou a dívida. Ioryogi, que escutou tudo, recusa o convite de Kobato para o passeio e diz que tem coisa mais importantes para fazer, partindo pela janela. Ao voltar para onde todos a esperavam, a menina fala para Fujimoto da ligação, mas ele pede para que Kobato não diga nada a Sayaka. Durante o passeio, Kobato está sempre distraída, com cara de morte, sendo que Marina é quem mais se preocupa com ela. Ioryogi, por sua vez, resolve visitar um velho amigo em outra dimensão, chamado Genko que, assim como ele, tinha sido um grande guerreiro mas, por seu temperamento, foi punido e teve que viver como um boleiro pelo resto da vida, sendo que a pena de Ioryogi tinha sido muito pior, pois foi transformado em bichinho de pelúcia e ainda tinha que aturar Kobato na Terra. Ele pede para que Genko investigue o passado da creche, indo embora depois. Já de volta a terra, encontra com um outro bichinho, mas dessa vez é seu inimigo Ginsei, que acaba lutando com ele, mas sendo ownado pelo cachorrinho azul. Ao fugir, ele disse que voltaria a encontrar com Ioryogi, mas o mesmo avisa para ele não aparecer e ficar longe de Kobato.

A foto do dia de passeio foi parar direto no Orkut e no Twitter da creche

No passeio das crianças, ela convidam Kobato para brincar de esconde-esconde. Por ser uma idiota novata, Kobato acaba sendo a "sortuda" que tem que encontrar as doze crianças, sendo que isso demora tanto que chega a hora de todos irem embora (sim, Kobato não achou nenhuma). Antes de partirem, percebem que falta uma criança e que é exatamente a mala da Marina. Fujimoto e Kobato partem que nem uns desesperados pelo parque, gritando o nome da garota. Depois de muito vasculharem, a acham puxando um ronco debaixo de uma árvore. Mais aliviados, Marina fala que estava alí procurando um trevo-de-quatro-folhas para dar a Kobato para assim ela ficar feliz e ainda ter boa sorte, mas não tinha encontrado nenhum. Eles resolvem então aproveitar o local para bater punheta uma foto para o orkut da creche, sendo que Kobato se mexe bem na hora do "flash" ao ver que Marina tinha um trevo preso em seu cabelo ruim. É então que todos percebem que estavam em um campo repleto de trevos e cada um pega um para sí e Kobato volta para casa, onde descobre que Ioryogi ainda não chegou. Não demora muito e o cachorro azul volta, mas trás consigo uma notícia que resolve não contar para ela, Zuisho, o mensageiro de Genko, disse que descobriu que o falecido pai de Sayaka havia pedido um empréstimo de um milhão de reais em barras de ouro que valem mais do que dinheiro para a Yakuza e, como morreu, não pagou a dívida, que passou para o nome da sua filha. Agora, toda a creche estava na mão dessa organização, que queria de algum modo acabar com a felicidade de todos dalí.

7 - ...Alguém doce[editar]

Fujimoto discutindo a relação com seu namorado amigo Takashi, só Kobato e Ioryogi veem essa sacanagem!

Amanhece mais um dia na creche e Kobato (pra variar) chega caindo. Vendo Fujimoko trabalhando com a pintura de cadeiras, ela se oferece para ajudar, apesar de pintar que nem uma troglodita. Ela então pergunta a ele o porquê dela não poder contar para a Sayaka sobre a ligação do dia anterior, recebendo como resposta de que aquilo somente traria mais problemas para a teacher. Kobato continua a sua pintura, mas derrama toda a tinta no chão, deixando Fujimoto puto da vida e a expulsando de onde ele tava. Ao voltar para peguir desculpas, Kobato não o encontra, mas no lugar acha um trabalho dele da faculdade, resolvendo (com o apoio de Sayaka) devolver para ele na facul. Chegando lá, se depera com algo tão grande quanto a USP, sem saber por onde começar. Depois de muito procurar e não achar "bulhunfas", ela o encontra discutindo a relação com Takashi Domoto, seu amigo de classe. Indo para onde ele estaria, dá de encontro com Takashi, que resolve se unir à Kobato para encontrá-lo, já que ele não estava mais onde ela o havia visto. Durante a busca dos dois, Kobato vê que várias pessoas pedem ajuda de Takashi para tudo, como ajudar em trabalhos, pedir reavaliações e tudo mais, sendo que o cara ajuda a todos, bem diferente de Fujimoto, que nunca deixou que ninguém o ajudasse e muito menos deu ajuda a alguém (além disso, na faculdade todos tinham medo de Fujimoto). Ela se adimira com isso, enquanto Ioryogi acha que ela está é dando em cima do bonitão. Na creche, Sayaka tem que se virar sozinha para cuidar dos pirralhos, até que aparece Chitose (a dona do cortiço onde Kobato mora) e suas filhas gêmeas Chiho e Chise.

O quarto confeito que Kobato conseguiu e isso foi só por ouvir as lamúrias de um cara (grande coisa)!

Chitose resolve ajudar a amiga Sayaka, tentando conseguir algum empréstimo para ela com outra gangue japonesa, mas não por pena, mas pela creche ser um local onde todas frequentavam corriqueiramente. Finalmente Takashi e Kobato encontram Fujimoto, sendo que, quando o encontram, ele está dando uns esporros em duas garotas que tinham pedido a ajuda dele em um trabalho e ele se negou, pois elas era duas aproveitadoras que viviam matando aula. Kobato ao ver isso vai tirar satisfações com ele, falando que Domoto é diferente, que ele ajuda e todos sem nenhum problema, ela então entrega o trabalho dele e vai embora. Lá fora, Takashi conversa com Kobato e fala que tem inveja dela, pois nunca ele (que o conhecia a vários carnavais) tinha tratado ele daquela forma grossa e mal educada, sendo que, por ele sempre ajudar os outros, todos viviam pedindo a ajuda dele, se aproveitando do coitado. Ela fala que não há mal nenhum em ajudar os outros, pois o que Fujimoto fazia não era legal, pois só o afastava das pessoas. Ao escultar Kobato e ver que estava certo (bem diferente de Fujimoto), Takashi agradece a ela (já viu no que isso vai dar, né?) e vai embora. Ao chegar em casa, Kobato vê que tem mais um "confeito" em seu fresco frasco, significando que ajudou mais uma pessoa. No dia seguinte, Fujimoto vai, da forma mais seca possível, dizer o seu "obrigado" para a pentelha, pela entrega do seu trabalho no dia anterior, descobrindo assim que o diabo não era tão feio quanto se pintavam.

8 - A canção de ninar do gatinho[editar]

Gatos e sua mania de trazer problemas a seus donos, não foi a toa que abandonaram esse aí.

A história toda começou com o surgimento de um fulano felino abandonado por alguém no meio da praça onde Kobato sempre caminha. Ioryogi (que não gosta nenhum pouco de gatos) logo fala para ela deixar ele, mas como a menina é tonta boa acaba levando ele para o seu apê. Chegando lá, Kobato lembra que é tão pobre quando Kobato e pede ajuda às gêmeas, Chiho e Chise, para arranjar algo pro bicho comer. As gêmeas então ajudam a garota, já que o gato era a coisa mais kawaii que já tinha aparecido naquele local, mas avisam a ela que ele não poderia ficar alí, pois "nesse apê são proibidos os animais". Aproveitando que o gato estava por alí mesmo, eles dão o nome a ele de Milk por ele se parecer com porra leite. No dia seguinte, Kobato resolve abrigá-lo na creche, sendo que todas as crianças adoram a ideia, porém uma delas é alérgica e Fujimoto fala para que o gato saia dalí. Kobato então decide, junto com as gêmeas, a encontrar um local para o bichinho, mas parece que todos querem o animal tanto quanto o dono que o abandonou. Kobato então decide apelar para os seus amigos de episódios passados, vai na doceria em que roubou o guarda-chuva no episódio 3, na casa de Mutsumi, de Kohaku, mas não encontrou ninguém, foi então que viu Takashi, que não podia cuidar do gato, mas que tentaria ajudá-la também. Fujimoto acompanha a tentativa frustada das garotas de longe e vê que em nada adiantaria elas tentando bater de porta em porta, não é assim tão fácil pegar um animal da rua para cuidar.

E a velhinha leva Milk, para a tristeza das gêmeas Chiho e Chise

Quando todas voltam para casa, ainda com o gato, a velhinha do primeiro episódio (a que estava com o bebê chorão, quando Kobato resolveu cantar) aparece e disse que Fujimoto havia ido na casa dela, pedir para ela se não queria comprar ficar com um gato, coisa que a velhinha (viciada em cheiramento de gatinhos) topou na hora, indo até o apê de Kobato. Quando ela estava a ponto de levar o bichano, Chise e Chiho falam que irá visitá-lo sempre que puder (mesmo sem terem sido convidadas pela velha). As duas gêmeas ficam muito triste e Kobato tenta ajudá-las conversando um pouco sobre coisas sem sentido algum. Foi então que a menina fala como conheceu a velhinha que comprou pegou Milk, explicitando a sua canção, sendo que as meninas pedem para que ela cante para elas também. Kobato (mais uma vez) repete o "Rehab" de Amy Winehouse, mas a música foi tão chata que as duas dormiram, sendo amparados por Chitose (a mãe delas). Voltando para o seu quarto, Kobato agradece a Fujimoto pela ajuda e pede para fazer uma ligação a cobrar do celular dele para Takashi, que tinha ficado de ajudá-la. Quando chega em casa, Kobato vê que tem mais dois confeitos em seu fresco frasco e descobre (por Ioryogi) que era o coração partido das gêmeas, que tinham sido curados por ela durante a música, já que as duas estavam trixtuxas depois da ida de Milk. Bom, pelo menos a música da menina ajudou em alguma coisa (de novo!).

9 - ... Lembranças de um verão[editar]

As duas amigas, Yukiho (na direita) e Natsuki, trocando pingentes.

O episódio dessa vez se passa com duas amigas que não se falavam mais Natsuki Mizuhashi e Yukino Morikawa, que estudavam em uma escola só de lolicons mulheres. Kobato conheceu Natsuki durante as férias de verão, quando a menina lhe emprestou um lenço para ela enxugar as mãos. Para não se passar por ladra, Kobato resolveu devolver o lenço, recebendo a ajuda de Fujimoto para descobrir onde a menina estudava. Assim que soube, foi direto para lá, onde descobre o nome da menina (quando ela recebeu um prêmio da escola por seu uma nerd) e de sua melhor amiga Yukino (que só pensa em bater foto, que nem o Petter Parke). Durante a conversa com a menina, depois da aula, Kobato percebe que as duas não se falam, sendo que Yukino vive junto com outras duas meninas do Clube de Fotografia e pouco fala com a Natsuki. Afim de ajudar a relação das duas, Kobato conversa com Natsuki e descobre que no passado as duas eram muito amigas, mas a partido do momento que Yukino começou a se envolver com dorgas fotografia a deixou de lado como um cachorro vira-latas. Kobato então resolve "meter a colher" na relação delas e falar com Yukino, sendo bem recebida pela menina, que conta a história das duas. No passado ambas era praticamente namoradas irmãs, e até tinha trocado entre sí uns pigentes de celular, mas com o tempo elas foram se afastando e tanto Natsuki quando Yukino trocaram os seus pingente, sendo que Natsuki ainda o mantinha em seu quarto e Yukino o havia trocado por um outro. O anime todo se baseia nessas coisas de R$ 1,99.

Sim, por mais que o tempo passasse Yukino ainda tinha o seu pingente também

Depois de muito trabalhar, Yukino comprou uma câmera profissional, mas Natsuki falou que ela era somente uma amadora e nunca seria boa o suficiente (aka. Natsuki é amiga de Yukino). Ao escultar isso a outra foge e Natsuki, ao chegar em casa, descobre que seu pingente de celular sumiu e se desespera. Kobato vai na casa de Natsuki para tirar satisfação com a menina do porquê dela ter dito aquilo, porém, quando chega lá, encontra a menina desesperada, revirando lixo em busca de seu pingente. Ela chora e fala que foi muito mal com Yukino e que o pingente só sumiu por causa do que ela disse. Kobato então a ajuda a procurar até que encontra o bendito pingente em forma de um boneco de neve e, tendo uma ideia, pede emprestado o celular da menina. Yukino, que estava na praça, chorando as suas mágoas, recebe uma mensagem de Natsuki e, ao abrir, lê que a menina pede desculpas e lhe enviou uma foto. Ao descompactar o arquivo vê, para a sua surpresa, o pingente que ambas tinham trocado quando pequenas. Natsuki e Kobato então aparecem na praça e Natsuki pede desculpas, dizendo que o que ela tinha era inveja da amiga (ORLY?). Yukino então retira de dentro da camisa o cordão e mostra que, mesmo com o tempo, ainda tinha o pingente (em forma de melancia) que Natsuki a havia dado também e que nunca o tinha tirado. As duas finalmente se entendem no final e Kobato (como sempre) recebe mais dois confeitos em seu fresco frasco. Ioryogi durante todo o anime tenta chamar a atenção da garota, mas como ele sempre está distraída com algo nada haver, acaba recebendo uma "pequena" bola de fogo no toba.

10 - Um Orgão e dias de Juventude[editar]

Professor Sayaka ainda tentou apagar o valor da dívida da creche, mas não foi muito rápida (a creche deve muito, hein?)

Kobato aproveita o sol escaldante (tanto quanto o de Macapá) para colocar o seu colchão para ventilar um pouco, cantando uma horrível doce canção, que trás lembranças para Fujimoto que, infelizmente, mora no apê do lado dela. Depois de acordar ao som estridente da voz da garota, Fujimoto sai de casa e vai para mais um dos seus mais de oito mil empregos, sendo que o dessa vez era como vendedor de cerveja. Kobato então decide colocar os cochões da creche também para pegar sol, apesar da mesma nem abrir em dia de domingo, mas ela foi mesmo assim. Sayaka estava calculando as suas várias dívidas, mas deixa elas um pouco de lado para ajudar a menina e aproveitar enquanto ela está afim de trabalhar. Durante uma conversa, o tema "Fujimoto" acaba caindo na boca delas e ambas começam a fofocar sobre o cara e sobre o seu jeito explosivo de lhe dar com as pessoas. Sayaka aproveita e trás para Kobato um álbum de foto que mostra Fujimoto ainda pequeno, no dia em que chegou à creche. É então que Kobato (e Iuryogi) descobrem que o menino era órfão e tinha sido adotado pelo pai de Sayaka. Apesar de ter um teto aonde morar agora, Fujimoto desde pequeno era arrogante, não falando com ninguém, coisa que só fazia com que todos da creche se afastassem dele (era muito mala mesmo). Todo o dia, quando chegava da escola, nem um "cheguei" ele falava, nem um sorriso esboçava, um total "bicho-do-mato", o que o fazia ficar ainda mais sozinho, apesar das tentativas de Sayaka em conversar com ele, apesar disso nunca dar certo e ele somente seguir em frente sem nem dar um "oi" para qualquer um.

Fujimoto dando uma de Mozart somente para fazer a alegria da molecada.

Em um dia do passado, uma das crianças acabou sendo atingida por uma bola que veio dos pés de um perna-de-pau, que sem querer (ou não) a chutou para dentro da creche. Dois rapazes aparecem para recuperar a bola e fazem a maior confusão. Sayaka fica muito puta com eles, pois além de não quase machucarem sério a menina, também pisaram nas plantas do jardim. Ele então, ameaçando-os com um cabo de vassoura, feito de bambú, manda-os pedirem desculpas, coisas que ele prontamente fazem. Fujimoto, ao ver a Sayaka protegendo a creche, acaba se admirando com tal atitude e começa a mudar. Primeiro, ele aprende a tocar piano para os pentelhos e depois fala as suas primeiras palavras para com todos. Terminado o flashback, Sayaka fala que hoje o tanto que Fujimoto trabalha é para conseguir dinheiro para pagar as dívidas da creche, sem falar que ele estuda mais do que nerd em véspera de vestibular para se formar adevogado e sair dessa vida de pobre. Kobato então percebe que ele não é tão ruim assim e, ao sair da escola, encontra com Kahaku, sua amiga de episódios passados, que a convida para beber uma cerveja (sim, uma cerveja, ela comprou na barraca do Fujimoto) e lá elas conversam até tarde sobre nada de importante. Ao voltar para casa, Kobato espalha para todos a fofoca de que Fujimoto é um pianista profissional e que era muito kawaii quando pequeno, apesar das pernas finas de sabiá, que mal conseguiam alcançar os pedais do instrumento musical, o que desperta a curiosidades de todas as pessoas, que também querem ver essa bizarrisse foto.

Ver também[editar]


v d e h
Este artigo fala sobre um anime.