Konqueror

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Computeiros.jpg Este artigo é uma piada de computeiro!

Roses are #FF0000, violets are #0000FF,
all my base are belong to you!

Está tendo muitos problemas? Corte o mal pela /root!

Konqueror faliu!
Cows1.jpg Nem o Silvio Santos quita suas dívidas!

Outros que ficaram no vermelho.


Logotipo mais nada a ver com o nome do programa, o planeta Terra sendo comido por um buraco negro.

Konqueror era um navegador de internet que vinha no pacote do KDE (imitação barata do Office), mas que sumiu da existência rapidinho devido ao facto de ser menos usado que camisinha por maiores de 70 anos de idade. Apesar do nome pomposo, não foi conquistador nem dos nerds mais alternativões anti-Microsoft, anti-Google, anti-Apple ou anti-anti. Foi substituído atualmente pelo navegador Dolphin, tendo durado bravamente quase 18 anos, entre 1996 e 2013, quando a KDE cansou dele e criou o Dolphin, achando que com um golfinho poderia conquistar melhor as pessoas, indo na onda do Firefox (tolinhos).

Teoricamente feito pro Linux, mas quase ninguém lembra que ele ecsiste.

Foi o first navegador (pelo menos segundo eles) a usar a técnica das abas para visualizar vários sites numa só janelinha, mas há controvérsias. Independente disso, ninguém se importa muito mesmo porque ninguém usou esse troço, então pra qualquer um foi o Mozilla e Ôdace quem disser que não.

Gostaria de ter mais o que falar desse programa, mas eu nunca usei, e como você também não, vamos encerrar juntinhos esse artigo e ver o nu frontal da Anna Kournikova que ganhamos mais, de preferência usando um Konqueror.

Ah é, esqueci que você nem eu usamos Konqueror.

Este artigo é um esboço de Stálin.
Stálin pede que esse artigo seja ampliado. Ou será mandado para um Gulag