Koushiro Izumi

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Nerd.jpg >Este artigo é coisa de NERD, portanto, seja bem-vindo._

>Aqui se aborda coisas as quais você pode se interessar, como RPG e computador. Caso você seja um valentão, não leia este artigo!_


Izumi azarando uma gatinha.

Cquote1.png Você quis dizer: Izzy Cquote2.png
Google sobre Koushiro Izumi
Cquote1.png Experimente também: Brock Cquote2.png
Sugestão do Google para Koushiro Izumi
Cquote1.png Sai desse PC, moleque! Cquote2.png
Mimi Tachikawa sobre Koushiro Izumi.
Cquote1.png Sai desse PC, moleque! Cquote2.png
Sora Takenouchi sobre Koushiro Izumi.
Cquote1.png Seu símbolo é o conhecimento, o melhor! Cquote2.png
Nerd sobre seu ídolo em Digimon, Koushiro Izumi.
Cquote1.png Meu filho? Cquote2.png
Brock sobre Koushiro Izumi.

Koushiro Izumi é um moleque da geração inicial da série de alienação infantil mundial Digimon, isso com direito a rima involuntária. É o nerd que não pode faltar em um desenho para que ele seja aceito em todas as comunidades possíveis, desde as gurias retardadas até os seguidores de Bill Gates.

O guri[editar]

Ele e seu inseparável miguxo artrópode.

Koushiro Izumi, ou Ozzy Izzy (na boa e velha versão brasileira Herbert Richers - odiada pelos Otakus), é como foi dito o membro nerd computeiro dessa primeira aventura de uma turminha do barulho no digimundo. O garoto é baixinho, fracote, submisso, sempre anda com seu notebook McIntosh e tem a função de explicar aos seus digiamigos burros a putaria confusão em que se meteram. Na verdade, nosso onanista não enfrenta sequer dificuldades em se adaptar ao Digimundo, que nada mais era que uma suruba de Pokémon com Matrix com MMORPG, três asssuntos ridiculamente batidos para um nerd. Com seus conhecimentos de computação finalmente servindo para alguma merda, passa a ser o escravo sexual braço direito de Tai, o odiado tirano da pivetada. Como todo bom nerd, utiliza-se desse status para poder suprir sua própria autoestima e acha que com isso os outros brothers pirralhos passarão a ter algum respeito por ele.

O garoto possui um digimon que é na verdade uma mistura de joaninha de jardim com o Pikachu, virando um Ledyba elétrico, o mais interessante de tudo isso é que o insetinho consegue ter a mesma personalidade que seu treinador companheiro, num balanço final chega-se a conclusão de que ambos são ridiculamente sem graça, um por ser nerd, e o outro por ser uma barata gigante.

Izumi na segunda temporada em um encontro com a figurante da Mina, a garota só topou sair com esse virgem porque ela é estrangeira.

Origem[editar]

Ninguém sabe donde ele surgiu, já que um casal nerd o adotou (casais nerds são virgens). Várias hipóteses foram criadas por fãs gordinhas que a-do-ram fazer cosplay do moleque e yaoístas que imaginam tudo que há de mais improvável com guris de 10 anos, sendo essas história obviamente nenhuma racional, sendo todas envolvendo sodomizações, raposas com variados instrumentos fálicos e aliens estranhos, algo do nível Bible Black.

No entanto, após árdua pesquisa de um grupo de otakus virando noites, sobrevivendo apenas com mupy, analisando toda uma árvore genealógica chega-se a várias conclusões, incluindo geração de matéria espontânea e tantos outros clichês referentes a animações japonesas.

A teoria mais aceita é a de que Koushiro Izumi seja filho de Brock, visto que os cabelos são iguais e eles são igualmente secundários em suas respectivas tramas. Brock, em algum dia de sua vida deve ter conseguido uma daquelas enfermeiras, ou uma guardinha bêbada e como diria o Dante:

Cquote1.png Jackpot! Cquote2.png


Como ele esqueceu que devia ter ensacolado o instrumento, acabou ganhando um guri para tomar conta. Assustado, o homem o mandou para um lugar bem distante, o mundo plágio do dele, a série Digimon, o menino foi adotado e o resto você já sabe.

Izzy fazendo cosplay de Tentomon, WTF?

Na história[editar]

Koushiro Izumi acaba indo para o Digimundo, uma espécie de RPG para crianças, junto com seus amigos de uma forma totalmente inesperada e completamente animística. Assim ele cai naquele mundo digital dos contos-de-fada-dos-nerds de infinitas combinações binárias só que repleto de bichos gigantescos falantes e que não veriam problema algum em comer guri de café-da-manhã. Lá ele conhece seu mais novo brinquedo, o Tentomon, não, ele não tem tentáculos, a menos nas evoluções oficiais, o que não inclui alguns tentacle monster hentais...

A história rola naquele blá-blá-blá de salvar o mundo e mais um pouco e depois voltar pra casa. Seu digimon vai melhorando e eles vão evoluindo seus níveis de força, isso como em qualquer anime de rinha que se apegou a essa fórmula já desgastada iniciada em Pokémon e em Hamtaro, que ultimamente está fora de moda devido à atuação do Ibama. Seu digimon vai evoluindo para insetos cada vez mais feios, inicialmente um Kabuterimon e depois para um AtlurKabuterimon e futuramente para HerculesKabuterimon, e por aí vai, AgamenonKabuterimon, PegasusKabuterimon, até onde for a imaginação dos autores que só estão interessados em vender os bonequinhos desses bichos feiosos.

A participação de Koushiro Izumi é relevante para a falta de história de Digimon, afinal só ele sabe todo os cheats para passarem até a próxima fase, salvar e encerrar essa aventura diabólica. Quando não estão fazendo nada de importante, não faz nada além de mexer em seu computador, seja jogando Tibia, seja suprindo a sua carência com vídeos pornôs envolvendo todo tipo de suruba entre humanos e digimons (facilmente encontrados naquele seu site hentai favorito), típico comportamento de nerd punheteiro. Uma de suas atividades favoritas era ir ao chuveiro e oferecer um tributo à Mimi Tachikawa, a patricinha-gostosinha-sonho-de-consumo-de-todo-nerd. Sabendo disso, Tai, em um certo episódio leva sua putinha seu amigo para perder a virgindade. Ao ver Mimi pelada tomando banho, o órgão do garoto digivolveu ali mesmo. E Mimi, guria retardada e cowgirl puro-sangue, cavalgou no garoto, e, dizem, que o rodeio acabou em menos de 8 segundos, o que desclassificou a guria, mas que a partir daí iniciou sua carreira de sucesso no Show business e passou a ter gosto pela coisa.

Futuro[editar]

Cquote1.png Ops,achou esse vibrador que está na tua mão no meu quarto,é!?!Ah mãe, sabe o que é,isso não é meu não. Cquote2.png

Koushiro Izumi, como todo bom e honrado nerd, fez uma faculdade de exatas e ganhou muito dinheiro, o suficiente para fazer alguma mulher topar casar com ele. Faz uma aparição na segunda temporada de Digimon, onde aparece menos repugnante, sendo mais alto e menos nerd e um pouco mais humano, apesar de ser o presidente do Clube de Informática. Com isso, conseguiu atrair um número maior de nerds feias que o consideram kawaii. Ele literalmente não faz porra nenhuma nessa temporada, já que a época dele já passara.

Enfim, isto foi na temporada dois, porque 25 anos depois o Izumi tornou-se um Bill Gates da vida e monopolizou todo o saber acerca do Digimundo, eliminando os Digimons do tipo Vírus criando a invenção mais adorada pelos nerds tetudos, o LINUX. Boatos dizem que a filha do Izumi é na verdade um clone dele disfrçado, pois de acordo com as meninas da série, ele curtia mais seu notebook do que trepar, assim como os outros boiolas meninos do desenho.

Ver também os nerds de outros animes[editar]