Língua assamesa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Língua assamesa é mais uma das 200 e bizarras variantes da língua hindi, sendo considerada por qualquer ocidental que olhar de fora como a mesma coisa incompreensível vindo no devanágari. É a língua oficial de Assam, aquele pedaço da Índia que está mais para a Conchinchina e portanto isolado demais, isolado o bastante para que seus habitantes começassem a sofrer de fortíssimas câimbras toda vez que tentassem escrever em hindi, e assim tivessem que desenvolver o idioma próprio.

História[editar]

Aqui vemos um excelente exemplo de texto em assamês feito por um português de Goa.

O assamês surge por volta do século VII, quando um grupo de 20 milhões de assameses (não confundir com siameses) cansados de escrever em hindi, decidiram que deveria ter uma cultura própria para se separarem e criarem assim a nação de Assam. A primeira tentativa foi criar um esporte típico que consistia em usar os pés para chutar uma cabeça decapitada de bode até que marcasse o ponto fazendo o crânio do animal cruzar a linha imaginária formada por dois chinelos... mas a prática não pegou muito e decidiram criar um instrumento típico então, assim inventaram um chocalho chamado caxirola, que obviamente foi um novo tremendo fracasso pois o povo assamês achou que deveria usar o instrumento como papel higiênico para lavar o esfíncter após seu uso, que convenhamos é a utilidade natural do instrumento. Foi então que um gênio chamado Tunak Shalamalahk Lec Lec criou um plano infalível: Ele baniu todo tipo de canetas, penas com tinteiro, giz de cera e lápis bons de Assam, permitindo apenas a existência de Lápis apontado muitas vezes, cujo uso causou LER em todos assameses e inicialmente elevou a taxa de analfabetismo, e posteriormente, dos garranchos incompreensíveis de hindi, viria a surgir a língua assamesa, oficializada em 1925 pela Universidade Massachussetiana de Línguas.

Gramática[editar]

O que torna a língua assamesa tão difícil é que ela não passa de um sânscrito escrito de maneira absurdamente porca e errada, e se aprender sânscrito já é um martírio pior que massagear as varizes de sua avó, aprender assamês compara-se a assistir o programa do Faustão inteiro sem mudar de canal nem nos intervalos, é um esforço que frita mais neurônios que fumar maconha.

A única característica morfológica que se entende desta língua é a sua peculiaridade de não diferenciar gêneros, uma vez que a quantidade de travestis assameses é muito grande e essa diferenciação se faz desnecessária.

Alfabeto[editar]

O idioma assamês usa um alfabeto próprio chamado de rabiscos, ou mais oficialmente de alfabeto assamês, um tipo de alfabeto rúnico inspirado na escrita estúpida e inscrições alienígenas encontradas no Santuário de Fauna de Manas.