Língua bodo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Língua bodo é um dialeto do esperanto com vários traços de influência do paulistês (que faz com que seus falantes pareçam maloqueiros) e do tibetano, sendo uma das 13 línguas oficiais de Assam, um pedaço de terra menor que Alagoas, mas mais habitado que uma favela carioca, e portanto ninguém se entende por lá.

História[editar]

Bozo tentando falar em bodo algum rito macabro.

O bodo é um idioma inventado em 1913 pelo povo bodo para que seus monges pudessem secretamente recitar seus feitiços macabros sem que pessoas forasteiras de outros idiomas pudessem compreender o que balbuciavam. A ideia deu tão certo que hoje o bodo é até uma língua oficial. Para entender o surgimento do bodo é necessário você primeiro imaginar um povo sádico, pervertido e desequilibrado o bastante para ter a brilhante ideia de misturar hindi com nepali de maneira a torná-lo absolutamente incompreensível até para si próprios.

A Pontífice Nirvana Budista Universidade de Guwahati guarda em seus calabouços o primeiro exemplar de um rascunho feito em bodo, transliterado lado a lado de um texto em klingon que acredita-se ser a base da origem do bom bodo.

Atualmente é muito usado por monges tibetanos que se perderam e hoje vivem em Assam.

Gramática[editar]

Para aprender bodo é muito fácil: Primeiro entre num curso de hindi, estude este belo idioma e seus caracteres por árduos 5 anos, e uma vez que se torne especialista na língua, desaprenda tudo e tenta escrevê-la em alfabeto latino, pronto, você aprendeu o bodo.

Possui ainda as variantes dos dialetos lalunga que é uma versão carioquesa do bodo, e o bore que é o internetês do bodo, visto que não existem caracteres bodos nos computadores, eles tem que improvisar usando símbolos como "@, #, $, %".

Alfabeto[editar]

O bodo uma versão errada e porca do Devanágari, e portanto comumente escrito em alfabeto latino também apenas para esporcalhar tudo ainda mais