LEGO Pirates of the Caribbean: The Video Game

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Nota: Cuidado, este jogo não é recomendável para menores de 3 anos por conter peças pequenas que podem ser ingeridas


Virtualgame.jpg LEGO Pirates of the Caribbean: The Video Game é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Reimu Hakurei sela mais uma youkai para convidar no outro dia para o chá da tarde.


LEGO piratas do Caribe
Lego piratas.jpg

Capa do jogo, tão genérica quanto os filmes

Informações
Desenvolvedor Traveller's Tales
Publicador Disney Quer seu Dinheiro
Ano 2011
Gênero Lego
Plataformas Pra tudo
Avaliação 5%
Idade para jogar Para criancinhas

LEGO Pirates of the Caribbean: The Video Game é mais um jogo pé-no-saco da Lego, desenvolvido para criancinhas retardadas em geral que sejam criadas aleite com pera cortadinha pela avó, devido à facilidade extrema do jogo, convencendo assim que seus pais abastados gastem verdadeiras fortunas para comprar o lego de verdade dos piratas de natal, cujas cada caravela custavam no mínimo uns 1000 reais. Assim, desse modo, as crianças crescem pensando que os piratas eram caras legais e não assassinos imundos com escorbuto, tornando-se todos mais um bando de mauricinhos abitolados na sociedade quando adultos.

História[editar]

O jogo resume os quatro primeiros filmes da série Piratas do Caribe em apenas 20 fases (5 para cada filme) que podem ser completadas em menos de 3 minutos cada, o que totalizaria uns 15 minutos por filme, evidenciando assim a ausência total de profundidade e complexidade dos filmes da saga, típicos de tudo da Disney, declaradamente considerados numa categoria denominada de "for dummies" ou simplesmente "blockbuster genérico".

Sendo assim, não há muita história, o jogador apenas vai passando de fases, destruindo cenários para coletar aquelas moedinhas e não vendo o menor sentido no contexto das fases, a menos que tenha-se assistido os quatro filmes com bastante atenção, porque caso o contrário, não dá para entender nada dali.

Jogabilidade[editar]

LEGO Pirates of the Caribbean traz a mesma jogabilidade de todo jogo da LEGO, que consiste em resolver puzzles óbvios, matar inimigos com uma facilidade de deixar uma criança de 5 anos envergonhada e concluir fases em menos de 3 minutos de jogabilidade séria, sem obstáculos, sem desafios, um jogo ideal para crianças retardadas, ou seja, os típicos fãs de lego que obrigam os pais a comprar os brinquedos da marca que valem uma fortuna absurda nas lojas.

De diferente dos outros jogos, quase nada, somente que em algumas partes (uma parte só, na verdade, na primeira fase) você entra em barris para caminhar sob a água, e também que dá para pegar tochas para atirar com canhões em alvos extremamente fáceis de se acertar, sendo um jogo diversão garantida para crianças bobocas e adultos com atraso mental.

Personagens e suas habilidades[editar]

O jogo já não fazia muito sentido de existir, a começar pelas fases que vão acontecendo sem dar contexto e nenhuma explicação, deixando qualquer um que não assistiu aos filmes completamente perdido, sendo a história por completo uma grande forçação de barra, mas os personagens e suas habilidades então terminam de sacramentar o quão péssimo é o jogo, conferindo habilidades aos personagens de coisas que nunca aconteceram nos filmes:

  • Jack Sparrow - Tem a habilidade de usar a bússola para procurar itens escondidos, sempre relevantes, como peixes, maçãs, pás... Como o orçamento não estava lá tão alto, ao invés de contratarem o Johnny Depp para dublar o personagem, contrataram o Mr. Bean, o que explica os estranhos grunhidos de Jack Sparrow.
  • Will Turner - Tão inútil quanto o Orlando Bloom, a sua habilidade especial é a de arremessar machados, mesmo que ele quase nunca tenha feito isso nos filmes, em mais uma demonstração de como os criadores do jogo não estavam com a mínima ideia do que fazer.
  • Elizabeth Swann - Ela tem a habilidade de desafiar as leis da física, coisa que nunca fez em nenhum dos filmes, pois no jogo tem a capacidade de dar duplos pulos. E se isso já não foi mamata o bastante, o jogo aina deixa uma marca no chão de florzinha avisando para os noobs que devem dar o duplo pulo naquele local.
  • Davy Jones - A tripulação do pérola negra e os caranguejos ambulantes de Davy Jones todos tem a capacidade de andar submersos na água, para resolver puzzles subaquáticos quando necessário
  • Barba Negra - Como ele faz porra nenhuma em seu filme, e as ideias estavam acabando para habilidades dos bonecos, decidiram que o Barba Negra seria o dono de uma espada que solta um choque avermelhado que abre baús vermelhos. Nada a ver também.
  • Martyn - Nos filmes é apenas um anão extremamente secundário e quase figurante, mas no jogo é de longe o melhor dos personagens, dono de uma shotgun apelona
  • Sereia - Se o quarto filme da franquia já é ruim de doer a alma, imagina os personagens tirados dele para o jogo lego? Principalmente a sereia interpretada por Àstrid Bergès-Frisbey, expulsa de todas escolas de teatro por onde passou por ser tão inexpressiva. Ela não tem o menor propósito, então inventaram pra ela a habilidade de gritar e quebrar vidros, proibindo de tais vidros serem quebrados por bombas e tiros para a sereia não ficar totalmente inútil, vai entender.
  • Cachorro - O personagem mais sábio do jogo, serve para cavar buracos, sendo sempre o mais útil de todos.

O jogo traz ainda mais uns 40 personagens reunindo todos figurantes possíveis dos quatro primeiros filmes.