Lado afro da força

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Cquote1.png Desconta nos judeus! Cquote2.png
o emo Adolfinhu Hitler sobre a humilhação que sofreu de Jesse Owens

Cquote1.png Fuckin' nigger! Cquote2.png
Charlton Heston sobre o lado afro da força
Cquote1.png Vamos acabar com essa raça! Cquote2.png
Herman Goring Jorge Bornhausen sobre o lado petista afro da força
Cquote1.png É, faz sentido...petista quando não faz na entrada, faz na saída. Cquote2.png
Renan Calheiros sobre a declaração acima
Cquote1.png E você faz, mas não sai! Cquote2.png
Heloísa Helena sobre Renan Calheiros
Cquote1.png Cala a boca, Magda! Cquote2.png
Todo mundo sobre declarações da Heloísa Helena

Lado Afro da Força

É composta por cavalheiros Jedi enviados para combater o império dos branquelos. São guerreiros poderosos e superdotados,capazes de impor ampla dominação nos campos de batalha em que foram designados para lutar.

[editar] História

Os primeiros guerreiros eram feitos artesanalmente e levavam tempo para serem produzidos, mas com a evolução passaram a ser produzidos em quantidades maiores, até que os avanços da ciência permitirem que sejam clonados em série e adaptados para diferentes funções, como o piloto de fórmula 1, Lewis Hamilton, e o recentemente eleito Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a partir da mesma matriz.

[editar] Guerreiros

Os primeiros guerreiros do lado afro da força eram heróis solitários como Jesse Owens, o primeiro do mundo à maltratar um emo, ao humilhar Hitler na frente de todos em sua própria casa. Visando aprimorar as técnicas de lutas e o aprimoramento físico, os primeiros guerreiros do lado afro da força foram para o boxe e o atletismo, onde uma dominação bem sucedida foi implantada. Os guerreiros do lado afro da força mais famosos são:

-Jesse Owens -Leônidas da Silva -Cassius "Mohammed Ali" Clay -Pelé -Michael Jordan

Alguns guerreiros tiveram problemas em seu treinamento e por isso usavam técnicas de combate heterodoxas, mas nem por isso deixaram de ser bem sucedidos em suas missões, como Mussum, Jorge Lafond e seu clone Ru Paul, Grande Otelo e Gloria Maria

[editar] Terroristas do lado afro da força

Guerreiros menos talentosos do lado afro da força preferem se valer do terrorismo no lugar do combate corpo-a-corpo. São cruéis em seus métodos, impondo grande medo e sofrimento à sociedades, se valendo de métodos aterrorizantes como o pagode, o funk e o time do Flamengo.

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas