Lajedo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Cquote1.png Eu tenho uma filial da minha empresa lá! Cquote2.png
Edir Macedo sobre Lajedo
Cquote1.png Haha, eu tenho muito mais!! Cquote2.png
Papa sobre a citação acima
Cquote1.png Tirem os olhos, que eu vou botar meu negócio lá também! Cquote2.png
Igreja Renascer sobre Lajedo
Cquote1.png Abrirei um putero lá também! Cquote2.png
Quenga sobre Lajedo
Cquote1.png Ah sei onde é, é perto da cidade dos cornos! Cquote2.png
Reginaldo Rossi sobre Lajedo

Lajedo é apenas um grande puteiro no agreste de Pernambuco. Lajedo é uma das cidades mais fudidas conceituadas do agreste pernambucano por abrigar uma imensa quantidade de bandidos, ladrões, catimbozeiros, macubeiros, raparigas e homossexuais.

História[editar]

O núcleo urbano de Lajedo surgiu em algum momento do século XIX, quando fazendeiros por falta de terras melhores foram criar fazendas perto da Puta que Pariu, levando escravos, miseráveis e raparigas para que houvesse uma certa procriação. Em 1900 passou a ser considerado distrito de Canhotinho, que nunca reconheceu Lajedo por não saber onde ficava, tanto que após um jegue levar uma carta para Brasília, que nem existia ainda, foi oficializada a criação do município de Lajedo só em 1948.

Economia[editar]

A principal fonte de renda local é se aliar aos políticos que roubam e te dão uma pequena parte pra você comprar os votos do povo. A outra fonte de renda (para as mulheres) é virar prostituta engravidar de um homem rico e viver de pensão.

A principal moeda da cidade é o cheque sem fundo. O principal banco da cidade é a Igreja Universal do Reino de Deus, onde tudo boa parte dos bens dos cidadãos então penhorados.

Em Lajedo enriquecer é a coisa mais fácil do mundo, apenas ponha uma casa funerária para fornecer caixões todos os dias. O povo da cidade é extremamente econômico à ponto de você ligar pra chamar a polícia e ter que colocar o combustível na viatura senão não tem como chegar ao local.

Política[editar]

Lajedo é uma cidade respeitada pois foi uma das únicas que conseguiu eleger 2 ladrões como deputados estaduais e 1 bandido como secretário do presidente, isso mostra a garra e a força do povo da cidade!

Segurança[editar]

A cidade é privilegiada por ter o presídio de segurança máxima para abrigar as pessoas carentes que roubam pra ter o que comer, pois o índice de desemprego e de desocupados é altíssimo.

Existem duas viaturas da polícia para atender 56.357 habitantes. Em caso de várias ocorrências, como: "As raparigas batendo nos maridos, bêbados dando o cu em locais públicos, raparigas se comendo em praça pública e etc..." são colocadas na fila, até que dê tempo de resolver uma ocorrência de cada vez.

Cultura[editar]

A cultura lajeadense é composta de várias festas. Todas horríveis e de mal gosto, mas é o que tem para ser considerado "cultura".

Uma das principais festas de Lajedo é a Festa do Socorro, que pode ser resumida em um aglomerado de gente feia e sem dente andando na rua com um mini parque de diversões (que sobrecarrega a energia da cidade) e um maravilhoso cheiro de gordura de gato queimada na brasa. E o melhor de tudo é ser acordado no outro dia dia as 6 da madrugada pelos estouros dos tiros fogos de artifício distribuidos pelo padre da cidade.

Existe também a Feira da Pitomba. Reza a lenda que na terça feira da semana santa antes do feriado tem um flashmob onde acontece uma guerra com armas que vão de pitombas e dentes podres até abacaxi e galinhas. A ideia é simples: curtir o luau na praça enquanto as pessoas bêbadas de refrigerante Jatobá com vodka (bebida típica) jogam pedras caroços de manga em você. Afinal, comer a fruta é para os fracos.

Lazer[editar]

As principais atividades dos cidadãos são a de olhar a rua a ver aquele montão de velhas fofocando da vida dos outros, as raparigas abanando o cu pra cima e pra baixo, um matando o outro, um roubando o outro. E não podemos esquecer daquelas putinhas novas que são viciadas em engravidar... já virou um hobby.

Turismo[editar]

O Monumento da Piroca Torta, um marco da cidade.

A cidade conta com um grande ponto turístico, o famoso cabaré da Muriçoca, uma das maiores escolas de infectologia da cidade, o lugar onde os turistas aprendem todo tipo de doença sexualmente transmissível. Além disso a cidade conta com famosos bares (esses bares deveriam ser fechados e nunca mais serem abertos porque o nosso planeta vai se encher de doenças sexualmente transmissíveis) e aquelas tocas de índios que os habitantes chamam de "praça de alimentação", frequentada por raparigas e gays que tomam pitú no canudinho com o dedo mindinho pra cima chamado os homens para fuder conversar.

Outro grande ponto turístico da cidade é a favela do bairro novo, o lugar tem uma vista maravilhosa com direito a furadinha de bala de .38, de AR15, de 12, é realmente a morada do capeta.