Lambada

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


Placa70.png

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 70's!
Se você pertenceu àquela época, vê SE TENTA fazer alguma coisa útil, seu velho!


Placa80.svg

Este artigo discute coisas intrínsecas aos Anos 80's!
E provavelmente achava que a Gretchen era a rainha do rebolado.

Wikisplode.gif
A nossa sátira autorizada, a Wikipédia, tem um artigo sobre: Lambada.

Cquote1.png Você quis dizer: Lambda? Cquote2.png
Google sobre Lambada
Cquote1.png Você quis dizer: Lambida? Cquote2.png
Google sobre Lambada
Cquote1.png TENHO! Cquote2.png
Sidney Magal sobre Lambada
Cquote1.png Chorando se foi né... Cquote2.png
Grupo Erva Doce sobre Lambada
Cquote1.png Mas que porra é essa? Cquote2.png
Qualquer pessoa com menos de 20 anos sobre Lambada
Cquote1.png Mãe! Queima essa porra desse VHS! Cquote2.png
Você sobre gravação que sua mãe tem de você com 4 anos dançando Lambada
Cquote1.png É tao proibida que ninguem nunca mais dançou... Cquote2.png
Carla Rodrigues sobre o Filme "Lambada! A Dança Proibida"
Cquote1.png Minha mãe dançava...Até proibirem Cquote2.png
Carla Rodrigues sobre o Filme "Lambada! A Dança Proibida"


Lambada, também conhecida como A Dança Proibida é uma invenção latina, surgida no Pará, considerada pelos historiadores mãe do Funk Carioca e do Axé.

Origens[editar]

Diversos relatos de paraenses contam que uma emissora local chamava de "Lambadas" os tapas que os pais davam em suas filhas que dançavam de forma sacana. O uso pegou, batizando todo ritmo que gera crianças em mulheres que não sabem quem é o pai, já que surgiu no carnaval. Porém, é fato que o "músico" e "compositor" de carimbó Pinduca lançou, em 1976, uma música intitulada "Lambada é pra viada", faixa número 6 do LP "No embalo do carimbó e sirimbó vol. 165". É a primeira gravação de uma música sob o rótulo de "Lambada" na história da chamada música popular brasileira. Há quem sustente a versão que o guitarrista de capoeira e compositor paraense Mestre Vieira, o inventor da guitarrada, ritmo que inspirou o personagem El Cabong, alter ego de Pepe Legal, seria também o criador da lambada, do Tango e do Futebol de botão. Seu primeiro disco oficial, "Lambadão 78", foi gravado em 1976, mas lançado oficialmente dois anos depois, em 1978.

Concurso de Lambada

O novo nome e a mistura do carimbó com a música do Metallica e eletrônica do Caribe caiu no gosto popular, conquistou o público e se estendeu, numa primeira fase, até o Nordeste (não sei porquê, mas é óbvio). O grande sucesso, no entanto, só aconteceu após a entrada de empresários franceses no negócio.

Como acontece com certa freqüência em outras situações, a valorização do produto só se deu após reconhecimento no exterior e da inclusão de dançarinas semi-nuas ao lado dos cantores. Seguiu um período intenso de composições e gravações de lambadas tanto no mercado interno quanto externo. Os franceses, por exemplo, compraram de uma só vez os direitos autorais de centenas de músicas. Dezenas de grupos e diversos cantores pegaram carona no sucesso do ritmo, como Beto Barbosa, Márcia Ferreira, Manezinho do Sax, outros ainda incrementando suas carreiras, como foi o caso de Sidney Magal, Sandy e Júnior, Fafá de Belém e o grupo Trem da Alegria.

Depois dessa fase de superexposição, como acontece com quase todo fenômeno midiático, deu-se um natural desgaste com a conseqüente queda nas vendas até cessar a produção e entrar um novo ritmo que é praticamente igual, mas ao invés de amor fala de putaria. O axé.

A lambada: uma outra versão[editar]

Já outras fontes afirmam que lambada surgiu entre os cabuçus semianalfabetos de Belém do Pará. Nos anos 80, dois grupos de dançarinos de carimbó decidiram se reunir no tranquilo Bairro do Jurunas para dançar o carimbó. Um dos grupos de dança queria dar uma modernizada na dança, juntando ao carimbó a música caribenha e a sensualidade que só a caboca mulher paraense tem. Mas o outro grupo não gostou nem um pouco, então os dois grupos foram pra porrada, só na base da terçadada. Estando no Jurunas, não podia dar outra. Então, o grupo "modernizante" ganhou o porradal e se autointitulou Kaoma, fazendo muitos shows no bairro, mas como a malacagem era muito grande nas festas, ela foi proibida no bairro (daí ser "a dança proibida"). O Kaoma se mudou, então para o Morro da Providência, no Rio, em busca de novos mercados, e lá foram descobertos e lançaram o clássico da escrotice MPB "Chorando Se Foi".

O outro grupo, que tinha vencido, não se abateu e se mudou para o também muito tranquilo bairro de Sacramenta, onde depois de muitos anos e de muitas pessoas esfaqueadas se desenvolveu a mais recente bosta do Pará, o brega ou tecnobrega ou melody ou tecnomelody, que primeiramente se popularizou entre os peidados mentais de Belém e os cabuçus do cu do mundo de Macapá, até ser popularizado por grandes nomes da MPB como Banda Calypso, Beyoncé do Pará, Wanderley Andrade e Banda AR-15.

Proibida...Para menores

Encontramos lambaterias e professores de lambada em diversos pontos do planeta e ainda que a chamem de zouk, muitos viveram e vivem dela até hoje.

Ver Também[editar]


Estilos Musicais
Arband.jpg
CHIMBINHATHEMASTER.gif

Arrocha | Axé Music | Axé Sueco | Blues | Bossa Nova | Brega | Celtic Punk | Country | Cumbia | Dance Music | Dark Psytrance | Deathcore | Disco | Dubstep | Emocore | Emogore | Flashback | Forró | Forró Russo | Frevo | Funk Americano | Funk Carioca | Gospel | Grindcore | Hardcore | Hip-Hop | House | Indie | Jazz | J-Rock | J-Pop | Kuduro | Lambada | Mambo | Mangue Beat | Maracatu | Metal | Música Celta | Música Industrial | Música Erudita | Música Pop | Música psicadélica | MPB | New Age | Pagode | Pagode Norueguês | Punk | Punk Acreano | Pop Punk | Psy | Rap | R&B | Reggae | Reggae Finlandês | Reggae Nazista | Rock | Samba | Salsa | Satanejo | Sertanejo | Sertanejo Romântico | Sertanejo Universitário | Swingueira | Tango | Techno | Tecnobrega | Trance | Trap