Lamborghini American Challenge

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Lamborghini American Challenge é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Herobrine assusta outro player de Minecraft

Cvania-nes phantombat fly.gif
Lamborghini American Challenge é da época da Velha Guarda dos Games

Porra! Aqui sim que é jogo bodybuilder, caralho!


Lamborghini American Challenge
Lamborghini American Challenge Capa.jpg

Lamborghini é pra quem pode

Informações
Desenvolvedor Tits Titus
Publicador Tits Titus
Ano 1992
Gênero Corrida e Estratégia
Plataformas Super Nintendo e Game Boy
Avaliação 100%
Idade para jogar Do que adianta impor uma idade se vai todo mundo jogar mesmo?

Cquote1.png Você quis dizer: Corrida Maluca com Lamborghinis Cquote2.png
Google sobre Lamborghini American Challenge
Cquote1.png Só tem Lamborghini nisso? Cquote2.png
Retardado sobre Lamborghini American Challenge
Cquote1.png Que porra de pista apertada do caralho é essa! Cquote2.png
Dercy Gonçalves sobre as pistas de Miami
Cquote1.png Nem a acho tão difícil assim! Cquote2.png
Ciro Bottini pra Dercy Gonçalves sobre as ístas de Miami
Cquote1.png Concordo com o Bottini! Cquote2.png
AAA reforçando o comentário do Bottini
Cquote1.png Tirar racha com Lamborghinis? Só na ficção mesmo... Cquote2.png
Sensato sobre Lamborghini American Challenge
Cquote1.png Jogo ruim... Cquote2.png
Criança mimada que acha que Playstation 3 é o melhor videogame do mundo sobre Lamborghini American Challenge
Cquote1.png Uma merda! Cquote2.png
Seguista sobre Lamborghini American Challenge
Cquote1.png Que carros são esses? Isso não é Lamborghini! Cquote2.png
Guri retardado que acha que os únicos carros da Lamborghini são Murciélago e Gallardo sobre Lamborghini American Challenge
Cquote1.png Esses playboyzinhos aprontarão altas confusões com a polícia tirando racha com super carros esportivos! Cquote2.png
Narrador da Sessão da Tarde sobre Lamborghini American Challenge

LAMBORGHINI AMERICAN CHALLENGE foi o começo do império da Lamborghini nos Estados Unidos. Queriam vender carros por lá, e, resolveram escolher os games como sua propaganda, pois o presidente do grupo na época e o Ferruccio Lamborghini, o caipira que inventou os carros eram nerds confessos. Sim, se você vê todos esses clipes de Hip Hop que os mostra se achando os fodões por terem uma Lamborghini na garagem, saiba que por isso é esse jogo. Também o culpe pelo fato de ser o pioneiro nessa utopia de botar superesportivos pra tirar racha.

História:[editar]

Tudo começa quando a Lamborghini contrata Bill France JR. pra montar um campeonato de Lamborghinis, mas, o cara entendeu errado, no que resultou nesses rachas do jogo. Grandes nomes da humanidade como Bozo, Spencer Tunick, Blue Mary e Sammy Hagar, que acabaram de comprar as suas, se inscreveram, e se ferraram, mas, não tanto. Nunca foram presos. A boataria diz que a polícia do jogo é liderada por Sargento Cross, o que explica a relativa facilidade em vencê-la.

Como Jogar:[editar]

Não esperaria outras marcas nesse jogo
Jogo em Live-Action

Só se resume a alguns rachas nas menos esburacadas estradas do Grande Satã, onde dá pra tunar o carro, naquela época que o processo de tuning não era tão afeminado, torrar uma grana pra consertá-lo, apostar dinheiro, a casa, o carro, a mulher, a dignidade e o cu nas corridas. O sistema anti-noobs não é lá essas coisas, mas, ainda sim muito eficiente nas pistas em Miami, onde a pista só dá pra um carro (sem duplo sentido) passar, com os carros de populares trabalhadores honestos que farão de tudo pra te atrapalhar, morrendo de inveja da sua Lamborghini. O modo carreira nada mais é que: o jogador começa com uma Lamborghini não-Diablo e, compra uma depois. A polícia pode ser fácil, mas os noobs gostam de ser presos, pra ver se conseguem dar a cagada de ficar com mais de $6 milhões na conta graças a um bug. Há 3 modos de corrida: Amateur, pros noobs, com corridas fáceis e pouco dinehiro na mesa, Average, pros meros mortais que nem eu, e Good, pra Bottinis e AAAs da vida. Pra avançar de nível, você tem que participar de uma corrida suicida (ou não), onde, em 60 segundos, você tem que foder numa corrida praticamente só usando uma mão, já que na outras, caminhões da BRINKS fazem o racha deles. E, se você perder, você se fode: vai a falência, perde o carro, a dignidade, a esposa mercenária que vai procurar outro otário rico, e o cu, caso você o tenha apostado. E vale registrar que, todos os seus rivais correm em carros vermelhos porque frequentaram a mesma seita pra tentar acabar contigo nas pistas.

Personagens:[editar]

  • Pam: Emo travesti que usa uma Lamborghini amarela. Acredita-se que ele(a) é um(a) ícone emo nos anos 90, e que Lady GaGa copiou seu visual;
  • Sly: Um roqueiro que pilota uma Lamborghini cinza. Representante Indie no jogo;
  • Mr. T Joey: Representante do Jesus Negão no jogo. Originalmente se chamaria Mr. T, mas, pro questões legais, não pode usar o nome. Tem uma uma Lamborghini vermelha

Seus Rivais:[editar]

Joey Correndo
Pam pamssando (entnederam?) vergonha

Só peça rara: conheça as bizarrices:

  • Hagar: Queria se divertir um pouco aproveitando sua fama no Van Halen. Então, entrou nessa doideira;
  • Spencer: Fotógrafo que ficou de saco cheio de fotografar gente nua em surubas e, entrou no campeonato;
  • Bozo: Desistiu da vida de ficar fazendo palhaçada e entrou na disputa;
  • Scott: O ninja da corrida maluca;
  • Clint: O único piloto com prudência suficiente pra usar capacete;
  • Mad Max: Pagando de Rambo;
  • Felícia: Aquela garota que tocava o terror em Tiny Toons e com Pinky & Cérebro cresceu. Na sua foto, parece que está de 4;
  • James: Um legítimo homem de “famiglia”;
  • Kurt: Clint Eastwood mais jovem. Por que ele não se chama Clint?;
  • Fabio: Caubói que foi lembrado em Brokeback Mountain;
  • Otomo: Lutador de Sumô que consegue a proeza de entrar numa Lamborghini apertada;
  • Frankie: Esse Don’t Go To Hollywood;
  • Cooper: O Punk do jogo. Dizem que ele jamais trairia o movimento, mas, alguns acreditam que ele traiu no simples gesto de dividir um grid com um emo (Pam), o que mostra que é um jogo que abrange várias tribos: Já vimos um Emo, um Indie e um Punk até agora;
  • Mike: Soldado que lutou na Guerra do Golfo, e, vê nos rachas a sua penitência;
  • Henry: Quando criança, sonhava em tocar no KISS: o sexo, as drogas, a fama, o dinheiro, os pedidos de “Toca Raul” dos brasileiros... mas ele não conseguiu, e, por isso, só se veste como um integrante;
  • Kaled: Antes de fazer sucesso na música, era um andróide que andava com um rastreador daqueles do Dragon Ball Z;
  • Mary: Antes de se tornar uma das Hentai Girls mais requeridas do mundo, tirava rachas;
  • Brett: Greaser do grid. Emos (Pam), Indies (Sly), Punks (Cooper) e Greasers juntos. Preconceito passa longe...