Lei Áurea

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Lei Áurea é um diploma legal de 13 de maio de 1888, também conhecida como a Lei Liberta, DJ e lei do este trecho foi censurado pelo Conselho de Proteção a Moral da Família Soviética com base na resolução nº 133/23


A Lei Áurea foi sancionada na terceira regência da Princesa Maria Isabel de Bourbon Bragança e Aragão, sob o nome de Lei Imperial nº 3333, sob forte influência de políticos da época. Foi sua sansão que ocasionou a queda do Império Brasileiro em 1889.

Segundo fontes filedignas (que por motivos óbvios não incluem a Wikipédia), tal queda teria sido motivada pelo fato de a corte, lotada de abutres que possuíam a propriedade de escravos "libertos" por tal lei não gostaram nada de serem barrados no Baile da Ilha Fiscal tendo suas demandas por vultosas indenizações de um conto e quinhentos mil-réis por cabeça (num tempo em que mil-réis era mais que suficiente pra comprar um quilo de carne bovina) sendo denegadas pelos então mandatários do Império.

A Escravidão no Império[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Escravidão no Brasil.

A escravidão no Império do Brasil foi prática herdada da época do Brasil colônia, com a política escravocrata, o Brasil tornara-se potência mundial no produção de insumos de cana-de-açúcar além de ser o primeiro polo da América do Sul a refinar técnicas de ensino aos negros.

Durante os anos do Império, diversos movimentos abolicionistas foram criados, visando a libertação dos negros, e sua total independência para realizar trabalhos diversificados em troca de remuneração, tais movimentos foram duramente reprimidos durante os anos, mas, mesmo com tais entraves conseguiram vitórias pontuais, com a aprovação de leis que levariam à abolição da escravatura.

Os empecilhos da Lei Áurea[editar]

Resumo da ópera.

Com o advento da Lei Áurea, os negros optaram por levar uma vida mais fácil, uma vida de conforto e regalias, típicos de homens livres. Isso ocasionou uma forte crise na Agricultura brasileira, atrapalhando que a locomotiva do país andasse à pleno vapor, causando um crescimento pífio ao País, levando então a um processo de crise aguda.

Tal crise econômica tem solução dada pelo brilhante, magnífico e ilustríssimo Dom Pedro II com a ideia de iniciar um processo de imigração em massa para o Brasil. Trazendo a primeira leva de trabalhadores importados que o país viria a conhecer.

O processo de imigração teve por início a tentativa de cooptar trabalhadores portugueses, tendo falhado. Tentou-se então a imigração de chineses e tivemos então a primeira leva de pastelarias em terras Tupiniquins. A seguir, o processo de imigração trouxe alemães, espanhóis e mais outras três nacionalidades a sua escolha.

Consequências[editar]

Com o fim da escravidão na Terra do Pequi, restou uma dívida com os fazendeiros que perderam sua mão de obra gratuita e foram obrigados a contratar profissionais remunerados para o trabalho árduo em suas fazendas. Dom Pedro II, do alto de sua sapiência ofereceu títulos de dívida do governo do Império para estes fazendeiros terem sua reparação de danos, porém, com a queda do Império, os títulos perderam sua validade e todos tomaram noku saíram prejudicados.