Leona, a Assassina Vingativa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa



Cquote1.png Você quis dizer: Soraya Montenegro? Cquote2.png
Google sobre Leona, a Assassina Vingativa
Cquote1.png Experimente também: Paola Bracho Cquote2.png
Sugestão do Google para Leona, a Assassina Vingativa
Cquote1.png Alô Geraldo ? Geraldo, atende ..! Mi dix ... ela mi denuncio ou não ? Só me diz isso.. ELA MI DENUNCIO ? NAcredito ... Essa alejada HIPÓCRITA.. Ela me denuncio na frente de tu ?!. Prepara o tacsi que eu to ino pra Parix A-GORA! Eu vo agora aox meiu dia la-la nu aeroporto.. prepara o tacsi Cquote2.png
Leona sobre sua conurbada vida
Cquote1.png Muita inveja! Queria ser uma diva como Leona. Cquote2.png
Stefhany sobre Leona
Cquote1.png Um dia serei tão má quanto ela! Cquote2.png
Soraya Montenegro sobre Leona

Leona prestes a descontar sua fúria mortal em sua pior inimiga, a Aleijada.

Leona, A Assassina Vingativa, é um dos longa-metragens mais bem-investidos e caros da história do cinema online, com um investimento de aproximadamente R$1 bilhão de centavos dólares por hora gravada (incluindo os lanches e aperitivos entre as gravações e cachê do cinegrafista amador diretor).

Com um enredo emocionante e de tirar o fôlego, atores altamente capacitados, diálogos fortes e cenários caríssimos, a trilogia (sim, boas histórias sempre surgem em Trilogias de três) conseguiu cativar a todo o mundo, além de ganhar absolutamente todos os Oscars por dois anos consecutivos em todas as catigurias.

Foi considerado como o terceiro melhor filme da história, perdendo apenas para Desciclopédia, o Filme e o Filme do Batimã, os mais clássicos da telona. Com uma trama envolvente e um elenco de peso (menos no caso da Leona, já que ela é uma Diva e Divas não engordam), a mais nova produção cinematográfica paraense brasileira promete. Assista. Emocione-se. Apaixone-se. Leona vai se vingar!

A Primeira aparição[editar]

Toda a turma de Leona, a Assassina Vingativa.

Leona é um garoto uma jovem muito conhecida pela sociedade das terras paraenses, no Norte do Brasil, principalmente no bairro de nome Jurunas, o mais perigoso antigo e memorável de Belém. Lá ela não é só reconhecida pela sua graça, sorriso de Miss Universo e carisma envolvente (apesar de ninguém ter visto esse lado bondoso dela em lugar nenhum, mas tudo bem), mas principalmente pelo seu jeito malévolo e cruel de ser, principalmente em se tratando de ex-maridos ricos.

Sua primeira aparição na mídia foi quando fez muito sucesso na Parada Gay de 2008, quando mostrou, a quem quisesse ver, a sua performance em uma árvore, tal qual fazem as profissionais do séquiço dançarinas de Pole dance em um cano. Nessa época, Leona ficou conhecida como como Mulher Manga, já que essa fruta é a mais abundante de todo o Estado do Pará e a que dá para qualquer um e em qualquer lugar.

Poucas pessoas, porém, imaginariam que tal revelação da Parada Gay seria, mais tarde, reconhecida localmente mundialmente como a mais procurada mulher de todo o mundo, a assassina de maridos, fria e calculista, Leona, a Assassina Vingativa.

Integrantes da Trama[editar]

Imagem Quem é? O que faz?
LeonaCartaz.jpg Leona A protagonista da trama, Leona é aquilo que se pode chamar de mulher perigosa, garota fatal e todos esses adjetivos que combinem charme e periculosidade em um só lugar, em um único corpo. Teve a ousadia de matar à sangue frio o seu marido, sem falar que ainda ficou rindo dele quando o via agonizado. Tem como maior inimiga a Aleijada, a quem ela carinhosamente chama de "Aleijada Hipócrita", por ela ter descoberto os seus segredos.
Aleijadahipocrita.jpg Aleijada A Aleijada, é uma PNE e, quase, antagonista da trama toda. Ela é a única testemunha da crueldade de Leona perante à morte do marido. Quando descobre a verdade, tenta coagir a jovem, prometendo denunciá-la, gravando toda a conversa com o seu aparelho de escuta que funciona com um filme de máquina fotográfica daqueles antigos. Apesar de aleijada, trata-se de uma ninja da arte do revide defensivo, conseguindo utilizar-se de seu membro inválido para atacar Leona, quando a mesma tenta machucá-la, usando de uma Losango Aberto Invertido de uma perna só.

A História[editar]

Parte 1 - A Aleijada Hipócrita[editar]

“Nathy Nathiny Natili Lohane Savic de Albuquerque Pampic de La Tustuane de Bolda, mais conhecida como Danusa Deise Medly Leona Meiry Sibelly de Bolda de Gasparie, a mulher jamais falada, a menina jamais igualada.Conhecidíssima como a noite de Paris... Poderosíssima como a espada de um samurai. Eu sou apertada como uma bacia, eu sou enxuta como uma melancia. Tenho dois filhozinho, um zoiudinho outro barrigudinho. Casei com o dono da Parmalat, virei mamífera, só mamo. Pertenço a família imperial brasileira Orleans Bragança, penetração difícil.” ou simplesmente Leona é uma jovem transexual de Belém descendente da família imperial brasileira, da casa dos Orleans Bragança, conhecida por seu instinto assassino, o que lhe rendeu a fama de Leona, a assassina vingativa. Não se sabe ao certo a origem de Leona, provavelmente sua árvore genealógica leva ao Arqueduque do Grão-Pará, mas sabe-se que seus pais eram aristocratas que se suicidaram após a falência de suas empresas, Leona órfã não se conformou com a pobreza e ainda muito jovem se casou com o dono da Parmalat, que ela supostamente assassinou para herdar todo o seu dinheiro, que apesar da falência da Parmalat ele ainda tinha alguma coisa. A ex-governanta de sua casa, Aleijada Acidentada de Oliveira, que havia sido contratada pelo marido de Leona foi demitida, mas mesmo assim se presenciou o assassinato, se tornando assim a arquirrival de Leona. Não se sabe ao certo o porque de Aleijada tentar incriminar Leona, alguns dizem que ela era apaixonada pelo marido de Leona, outros dizem que Aleijada e Leona planejavam a morte de seu marido, mas Aleijada desistiu e por remorso tenta incriminar Leona, por isso sendo chamada por Leona de Aleijada Hipócrita. Mesmo assim Leona tenta a todo custo não ser incriminada, pois isso implicaria na sua prisão e na perda de sua herança, assim Leona procura aliança com personalidades importantes da cidade como a delegada Daffine e Geraldo, o seu escravo pessoal, juntos tentam destruir Aleijada Hipócrita e sua empregada.

SINOPSE: Leona volta de seu sucesso na Parada Gay como assassina de seu marido. Ela é uma mulher de sangue frio, que não mede esforços para conseguir o que quer e não tem medo de ninguém, mas, por “Nathy Nathiny Nathyelo Lohane Sabique de Albuquerque Pampa que de la Tuche Tuane de Boda mais conhecida como Danusa Daisy Medley Leona Mary Sibelly de Boda de Gasparie, a mulher jamais falada, a menina jamais igualada.Conhecidíssima como a noite de Paris... Poderosíssima como a espada de um samurai. Eu sou apertada como uma bacia, eu sou enxuta como uma melancia. Tenho dois filhozinho, um zoiudinho outro barrigudinho. Casei com o dono da Parmalat, virei mamífera, só mamo. Pertenço a família imperial brasileira Orleans Bragança, penetração difícil.” ou simplesmente Leona é uma jovem transexual de Belém descendente da família imperial brasileira, da casa dos Orleans Bragança, conhecida por seu instinto assassino, o que lhe rendeu a fama de Leona, a assassina vingativa. Não se sabe ao certo a origem de Leona, provavelmente sua árvore genealógica leva ao Arqueduque do Grão-Pará, mas sabe-se que seus pais eram aristocratas que se suicidaram após a falência de suas empresas, Leona órfã não se conformou com a pobreza e ainda muito jovem se casou com o dono da Parmalat, que ela supostamente assassinou para herdar todo o seu dinheiro, que apesar da falência da Parmalat ele ainda tinha alguma coisa. A ex-governanta de sua casa, Aleijada Acidentada de Oliveira, que havia sido contratada pelo marido de Leona foi demitida, mas mesmo assim se presenciou o assassinato, se tornando assim a arquirrival de Leona. Não se sabe ao certo o porque de Aleijada tentar incriminar Leona, alguns dizem que ela era apaixonada pelo marido de Leona, outros dizem que Aleijada e Leona planejavam a morte de seu marido, mas Aleijada desistiu e por remorso tenta incriminar Leona, por isso sendo chamada por Leona de Aleijada Hipócrita. Mesmo assim Leona tenta a todo custo não ser incriminada, pois isso implicaria na sua prisão e na perda de sua herança, assim Leona procura aliança com personalidades importantes da cidade como a delegada Daffine e Geraldo, o seu escravo pessoal, juntos tentam destruir Aleijada Hipócrita e sua empregada.ironia do destino, a Aleijada Hipócrita quer destruir seus planos malignos e denunciá-la à polícia depois que ela comete o assassinato de seu próprio marido.


Leona, a Assassina Vingativa! Breve em todos os cinemas.

Ao bater na cadeira porta da casa da Aleijada, Leona entra (em toda sua imponência, trajando um belíssimo lençol verde-desbotado casaco de pele verde claro) e pergunta o que a Aleijada queria. Para o seu azar, ela é desmascarada, pois a PNE já havia sacado todo o assassinado do marido dela, no dia em que viu Leona jogando-o da escada e ainda teve a coragem de ficar rindo dele espatifado no chão. Leona então confessa tudo, dizendo que pouco se importava, já que ela não não tinha prova alguma do caso. Pior foi a sua cara quando descobriu que estava sendo filmada por uma filmadora digital disfarçada de grampeador e que a Aleijada segurava.

Leona utilizando-se de sua agilidade para se proteger dos Sapatos Air Lines da Aleijada.

Em um ataque tão rápido quanto a de Pai Mei, Leona consegue roubar o filme da máquina (que era digital) sem nem pegar na máquina (como ela fez isso pouco importa ninguém sabe). Ao tentar destruir a prova de tudo que foi jeito, Leona teve que apelar até para uma banda de sapato, para dar cabo da fita, já que nem mesmo queimando ela conseguiu dar um fim nas provas. Foi então que ela decidiu defenestrar a prova, arremessando-a do quinto andar de seu AP no Jurunas.

Com medo por estar no mesmo quarto que uma assassina, a Aleijada quer saber o que Leona fará com ela, mas a Diva fala que não fará nada, pois o seu pior destino será ficar sofrendo às custas dos risos de Leona, que conseguiu vencê-la. É nesse momento então que Leona solta o seu melhor bordão o "Aleijada Hipócrita... você quer me acabar com a minha vida... sua vagabunda-piranha...". Não satisfeita, a Aleijada (agora, Hipócrita) ainda tenta dizer que o que Leona tem é inveja dela, por ela ser feliz e bonita (onde, sabe lá Deus). Mas Leona revida, dizendo que não teria inveja de "uma aleijada ignorante" que nem ela.

Depois de ainda apanhar na perna em que era o seu ponto fraco, a Aleijada mostrou-se uma grande mestre na arte do revide com uma perna só, nocauteando a nossa musa com um golpe conhecido hoje como "Rasteira do Saci". Com o tempo da filmagem acabando, Leona finaliza essa primeira parte dizendo que a próxima vítima de sua crueldade seria a Aleijada, caso ela não "se aquietasse". Finalizando assim a primeira parte do vídeo.

Parte 2 - A Denúncia da Aleijada[editar]

SINOPSE: Depois de ser denunciada, Leona tenta viajar para Paris, mas acaba sendo pega pela polícia, tendo de ir depor na delegacia. No segundo capítulo da saga, ela volta toda trabalhada, no melhor estilo Paola Bracho e com novos personagens. Agora, tendo muito cuidado para não borrar o rímel.


Leona de malas prontas para ir para Paris. Pena que o negócio não rolou.

Leona fez cursos intensivos de Vilã-chique-que-gosta-de-vermelho-com-piteira-na-mão com Paola Bracho (de A Usurpadora), Soraya Montenegro (de Maria do Bairro), Angélica Santibañez (de Marimar), Tia Alba (de A Madrasta), e por aí vai... Querendo sempre destruir a Aleijada e sua trupe que lutam pela "Justiça".

Depois de destruir as provas de seu crime, como as fitas de vídeo queimadas sem fogo, bate na "Aleijada que tem o movimento da perna" (WTF?) e introduz capangas em hospitais para monitorar a Inimiga, apelando até pra centro de Macumba pra ver a aquela hipócrita, como ela mesma insiste em dizer que a outra é, na Sarjeta. Infelizmente, nessa segunda parte, Leona acaba sendo prejudicada pela FDP PNE do mal, tendo de ir depor na delegacia.

Mesmo falando com o seu fiel escudeiro, Geraldo, que aparece na trama tanto quanto o Narrador da Sessão da Tarde ou o Lombardi em vida, Leona não consegue a sua viagem de Belém para Paris, por causa dos problemas do tráfego aéreo.

Por esse bendito contratempo, ela é obrigada a depor na delegacia mais próxima, mas claro, tentando se defender ao máximo que pode das acusações, não só da Aleijada que, mesmo em cadeiras de rodas, resolveu aparecer só para ver a sua cruel inimiga atrás das grades.

A História em vídeos[editar]