Leque

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Leque
Lequean.jpg
Onde surgiu: Compartimento rosa do inferno.
Data de aparição: Tempo das cavernas.
Utilidade Quando fechado, enfiar na bunda.

Cquote1.png Ahh lek lek lek lek lek Cquote2.png
Trocadilho
Cquote1.png Ah! moleque! Cquote2.png
Kuzco,... ou Henriquepédia... ou um noiado sobre leque.

Leque é um ventinho que, até onde se acredita, sai de uma espécie de calda de Pavão artificial, criada justamente para se refrescar do calor. Sim, o arzinho provocado se chama leque, o objeto só se chama leque por falta de um nome melhor... em todo caso o artigo é mais sobre esse objeto.

Frescura[editar]

Perceba a imponência da figura abichalhada no leque.

O leque, como não podia deixar de ser, é um objeto mais velho que andar pra frente, e existem lendas e mais lendas acerca de sua arreganhável figura. Embora até hoje em alguns países os homens usem leque, ele é a coisa mais de fresco que se possa imaginar, o caso é que homens heterossexuais utilizam, e muito disso tem a ver com as tais lendas... bem as lendas chinesas, japonesas e afins, tem fantasia mas, também miolo, daí aquelas com putinhas de véu, do oriente médio são até lendas boazinhas... já o restante é aquela merdaceira de sempre. O leque mais descompromissado com qualquer coisa... é abaitolado.

Ninguém poderia imaginar que o leque seria usado para sempre e estendido aos outros planetas inclusive, quando foi criado na mãe Terra. Nas outras esferas, o leque passou a fazer co que os extraterrestres vissem que tinha o lado bom da alma fresca e até mesmo eles saíram do armário. Quando você acha que já viu o leque mais fresco e enfeitado do mundo, aparece um mais ainda. Tudo bem se fosse apenas para mulheres mas, já que o troço se tornou pra homens poderia se fazer algo menos fruta... pensando melhor, até o formato dele é uma coisa que já não combina com macho, deste modo, sobre a aparência do leque nada mais a declarar... e se ele refresca pode ser, que ele é fresco é certeza absoluta.

Tentativa de desafrescalhar o leque[editar]

Que tipo de leque combinaria com esse lindo Tengu?
Isso é um leque ou uma raquete de de ping-pong com penas?

O leque é o que é, e isso significa um mais delicado e pomposamente florido do que o outro. Se houver tentativa de tornar ele menos abichalhado, ele deixa de ser leque e vira qualquer outra coisa. O probeminha é que em muitos lugares, por tradição, ele é unissex. Alguns homens desses lugares, que observam melhor as coisas, notaram que aquilo era coisa de mulher e que um macho usando aquilo era ridículo, ou não era macho.

Não querendo contrariar as tradições, houveram inúmeras tentativas de fazer um leque mais adequado para um ser masculino, sem que os femininos deixarem de ser usados por quem quisesse, claro, e conseguiram... uma espécie de raquete de ping-pong. Foi o máximo que conseguiram mas, teve que se fazer de conta que aquilo continuava sendo um leque, para o bem da reputação dos homens desses lugares com costume de leque. Pra se ter uma idéia de como ficou, olhe a imagem dessa sessão e avalie se pode se chamar isso de leque. Deve-se admitir que ao menos é melhor do que ver barbado (embora mongóis não tenham barba, mesmo machos), usando aquela calopsita artificial para se abanar.

Manuseio e lendas[editar]

Belo exemplar de leque da franga preta.

Para que ele seja manuseado com elegância deve ser segurado com o polegar para o lado de fora, os outros dedos virados para o possuidor do leque. Reconheça o rabo avesso dele, que também deve estar voltado para o manuseador. Daí faça aquela cara de pura fidalguia e chacoalhe vagarosamente, mas se quiser passar imagem de nervosismo e/ou muito fogo no rabo calor, pode agitá-lo rapidamente, só cuidado para ele não gozar bater em seu rosto. Não é preciso perder a frescura elegância por sacudí-lo rapidamente.

Tessenzinho básico se arreganhando timidamente.

Uma das lendas acerca de leque é que um mandarim de muito senso prático, estava com um sério problema para xavecar uma gueixa que tinha um dono e, então arrancou a cauda de sua bichinha de estimação e se escondeu atrás dessas penas para fazer gestos obcenos com a língua para sua amada, que entendeu na hora, sem que ninguém visse, e retribuiu disfarçadamente, o cara ficou com calor e se abanou com as penas, e isso muitos notaram e gostaram da idéia. A bichinha de estimação reclamou mas, logo sua plumagem renasceu com toda escência da bicha.

Outra lenda, seria que outro mandarim (de novo), que queria um objeto pra bater em sua amada que sim, era muito amada mas, ele era muito pervertido perdeu a paciência por ela ter espirado, então foi em busca de um objeto que machucasse bastante adequado. Se deparou com a mesma bichinha de estimação (não a mesma, mas a mesma espécie) que havia trocado as penas, pegou o objeto e notou que ele era bom pra refrescar e quando ele chegou até sua amada já estava de cabeça fria, ao invés de dá-lhe umas porrada (ou lecadas), deu o leque de presente à ela, que adorou.

O tessen do samurai impiedoso[editar]

O fatídico tessem do samurai impiedoso.

Todas as lendas da sessão anterior não superam essa aqui: É sobre um samurai que não aguentava mais ver em sua aldeia aquele monte de marmanjos usando leques. Não que ele invocasse com a forma deles se refrescarem mas, era por causa da forma dos leques, que, como já dito, as melhores delas são as mais femininas mesmo e, os não femininos até existem e são usados, mas não superam os convencionais porque há coisas que devem ser de um certo jeito mesmo.

Leque de sua então amada, que o samurai pegou para molde... pegou o tessen e a moça.

Achando as formas não-femininas do tessen ridículas e, para os barbados (até o ponto em que mongóis têm barba), mais ridículo ainda era usar a forma feminina, ele era invocado com isso e se refrescava de qualquer forma mas, não usava o leque. Não passava de invocação mas, teve um dia em que ele estava sem nada para defender, sem ninguém para comer, sem nada na cabeça e, foi esse o auge de sua ira contra os tessens. Para não falar que ele estava com a cara também vazia, a encheu de saquê e, disse que já que aquilo não saía do gosto das pessoas ele iria criar um leque (ou tessen) bem diferente. Pegou um leque como molde, foi até a oficina de seu tio engraçadão (tem isso em todo mundo) e, começou a montar o leque... com suas kunais. Claro que aquilo se transformou em uma arma e, era ba para afugentar os invasores mas, tinha dias em que ele brigava com seus compatriotas e, por poucos motivos e, claro fazia um estrago com o tessem assassino.

Tentaram proibir por um tempo e, o samurai nem usava mais porque estava doente do estômago, com úlceras de tanto ter raiva gratuita mas, outros haviam apreciado aquele tessen arma. Quem usou-o mais depois da morte do samurai foi a Kitana e depois dela uma personagem de mangá aí, e mais alguns, para ver como o leque/arma se imortalizou... e o Kiko? Ora, o Kiko não usa leque mas, ele também gosta de reinventar coisas que já existem, tipo a bola quadrada.

Galeria refrescante[editar]

Ver também[editar]

Sealand
Armas do Japão
v d e h

Bajozutsu | Bo | Chigiriki | Eku | Facas Ginsu | Fukimi-Bari | Fukiya | Jitte | Kama | Kanabo | Katana | Kawanaga | Kubotan | Kunai | Kusari-Gama |Kusari-Fundo | Kyoketsu-shoge | Kuwa | Makibishi | Naginata | Nagamaki | Neko-Te | Ninja-To | Nunchaku | Odachi | Ono | Otsuchi | Oyumi | Ozutsu | Sai | Sansetsukon | Sakabatou | Sasumata | Sodegarami | Shikomi-Zue | Shuriken | Suntetsu | Surujin | Tanegashima | Tekko | Tessen | Tinbe-rochin | Tonfa | Uchigatana | Wakizashi | Yawara | Yari | Yubi-bo | Yumiya | Zanbatou