Lester

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Mantenha distância... ALLAHU AKBAR!!!!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Bombaatomica.gif
Bush-besta.jpg "Que burro! Dá zero pra ele!"

Este artigo é sobre algo ou alguém burro ou completamente imbecil.

Provavelmente usa Oi Velox e digita "kkk"...
Lester, o grande! o gênio!!

Cquote1.png Você quis dizer: Ratazana Gigante Cquote2.png
Google sobre Lester
Cquote1.png Caramba Lester! Como você soube de tudo isso? Cquote2.png
Beakman sobre Breve momento de genialidade de Lester
Cquote1.png Eu não sei. Resolvi ler a sua fala para falar algo inteligente para variar. Cquote2.png
Lester sobre Pergunta acima
Cquote1.png Caramba, eu tenho voz de mulher, presa no corpo de um homem, vestida numa roupa de rato. Cquote2.png
Lester após ouvir sua voz alterada por seu chefinho no gravador
Cquote1.png Isso não é nada, pior tá a gente presa com você. Cquote2.png
Liza sobre Frase acima

Lester é um raríssimo exemplar da espécie giganturratus fantasiatus, espécie essa mais conhecida como "homem usando fantasia de rato gigante". Lester ficou conhecido por atuar como cobaia no laboratório de seu grande amigo Beakman, que sempre o usava para carregar coisas pesadas, fazer trabalhos de limpeza e testar materiais tóxicos e radioativos.

Lester também é conhecido como um dos maiores heróis da humanidade, criador de fórmulas e respostas geniais sobre vários assuntos, além de ser o pai biológico de uma estranha galinha que mais parece a mão dele.

História[editar]

Tudo começou há mais de 8000 anos quando Lester nasceu. Sua família vivia escondida nos aposentos do faraó, usando as roupas e fezes dele como alimento. A mãe de Lester era famosa por possuir a maior calda do mundo (calda com "l" veja bem, não confunda com o rabo) e ela costumava dar essa calda dela em troca de dinheiro (de novo, não confunda!). Apesar deles viverem bem lá, Lester não gostava de seu estilo de vida e queria mais. Ele queria ser rico, ele queria ser inteligente, mas é óbvio que em toda a sua vida ele jamais conseguiu isso.

Então Lester fugiu, ficou vagando por aí durante os séculos seguintes até ter início o Império Romano, que atraiu Lester quando este percebeu que o imperador era podre de rico e que ele podia fazer algumas chantagens com o cara devido a uma foto que ele tinha dele com a Cleópatra.

O Imperador, entretanto, foi tolo e achou que Lester estava blefando, mandou que marcassem o coitado com uma tatuagem ridícula no braço e que o jogassem no mesmo rio onde despejavam suas fezes e o resto da maquiagem da Dercy Gonçalves. Ainda assim Lester sobreviveu e, de fato, a mistura de fezes com essências que entraram em contato com a Dercy causaram uma estranha radiação na água que alterou o rato geneticamente fazendo-o ficar gigantesco e não só isso, ele também deixou de ser um rato para virar algo completamente novo: Um homem vestido de rato!!!

Depois disso, Lester se vingou do Imperador romano roendo todas as roupas dele. Sim: O Rato Roeu a Roupa do Rei de Roma!

Lester através da história[editar]

Depois de suas aventuras no Império Romano, Lester passou os anos seguintes com um emprego completamente novo e lucrativo: roedor oficial de roupas reais. Ele caminhava de reino em reino, seja onde fosse, roendo a roupa de qualquer rei que encontrasse, o que lhe gerou muito lucro na época: as roupas o alimentavam, os restos delas ele vendia para lojas de retalhos, e ele também tirava fotos dos reis nus para vendê-las em sites de putaria na internet.

Com a chegada da Idade Média e a criação dos feudos, Lester expandiu seus negócios para qualquer tipo de nobre que houvesse, o que causou uma crise de nudez coletiva por toda a Europa. Dizem que a terrível Peste Negra que assolou este continente foi causada por Lester, que tinha o triste hábito de urinar nos corpos nus de suas vítimas. Assim, Lester ganhou muito dinheiro e teria ficado rico se não gastasse tudo com seu vício em gatinhos.

Quando começaram as Grandes Navegações, Lester decidiu pegar carona num desses navios que rumavam para o Novo Mundo (América, seu imbecil). Escondido no convés, nosso querido rato passou a viagem toda comendo todas as frutas que haviam no barco, dando origem assim ao escorbuto.

Quando chegou nos EUA, ele ficou amigo dos índios, que achavam que ele fosse algum tipo de deus, e assim o rato aproveitou para ficar com todas as virgens da aldeia, que abandonou quando engravidaram (foi daí que surgiram os primeiros mutantes).

Quando os EUA finalmente conseguiram independência, e a revolução industrial seguia a torto e a direito, Lester ficou sabendo da construção de um laboratório secreto, onde procuravam alguém suficientemente burro e resistente para testar gases tóxicos e radioativos em troca de um gordo salário (um cubinho de queijo e um pacote de salgadinhos por dia). Lester procurou o responsável pelo laboratório e encontrou-o: um jovem cientista chamado Beak, muito conhecido por todos como um sujeito bastante ajuizado e responsável.

Durante o primeiro experimento de seu laboratório, o jovem queria testar um composto químico excepcionalmente volátil e pediu a Lester que não deixasse ninguém puxar uma certa alavanca vermelha ou o resultado seria terrível. Lester perguntou "Que alavanca? Essa aqui?" e puxou uma alavanca vermelha a sua frente para ver se era aquela.

O resultado foi que o composto (mais tarde descobriram se tratar da urina de um certo alguém) explodiu em gazilhôes de pedacinhos e Beak que estava segurando o composto foi atingido. Desde então o cientista (que ficou com o cabelo gigante colorido e passou a usar uma peruca de cabelo arrepiado para esconder) passou a ser conhecido como Beakman, o enlouquecido e psicótico cientista louco, que também desenvolveu múltiplas personalidades, cada uma idêntica à uma figura histórica. Os dois desde então viraram grandes amigos e nos séculos que se seguiram passaram a tocar o laboratório numa base secreta escondida em lugar nenhum ao lado sempre de uma assistente que é trocada anualmente. Eles também aproveitaram o laboratório durante os anos noventa para ganhar uma graninha extra num programa infantil onde ensinavam as crianças a construírem bombas caseiras dentre outras atividades construtivas.

Suposta morte[editar]

Cquote1.png Cuidado! A ratoeira! Cquote2.png
Beakman

Recentemente foi espalhada uma notícia um tanto estranha sobre uma suposta morte do rato Lester. No entanto, sabemos que ela é mentira pois Lester é um homem vestido de rato, e todos nós sabemos que homens vestidos de rato são imortais, não é mesmo?


Na verdade quem morreu foi Mark Ritts, um velho amigo de Lester, que também era sósia do mesmo. Descanse em paz, Mark. Isso aqui é a Desciclopédia, eu sei, mas não é fácil perder um dos ídolos de nossas infâncias.