Métodos contraceptivos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Std2.png

     171,69% das camisinhas já vêm furadas de fábrica.
       Não confie seu piu-piu num celofane chinês.
       O Papa avisa: apenas a punheta previne DST.

O conceito de métodos contraceptivos; em purrtugãies de Portugal: controlo de natalidade; em inglês: birth control; em francês contrôle naissance; ou ainda contracepção, é o regime de uma ou mais ações, dispositivos, mecanismos, organismos, sentimentalismos, argumentos ou medicamentos de modo a prevenir, reduzir, diminuir a propensão de uma mulher se tornar grávida, prenha, buchuda ou dar à luz, a bunda ou a xoxota. Estas ações, também conhecidas como métodos anticoncepcionais, são fundamentais hoje em dia para o planejamento do lar.

Controvérsias[editar]

O controle de natalidade é um assunto politicamente, economicamente, seriamente e eticamente controverso em muitas culturas, nações e religiões, e embora seja menos controverso que o aborto especificamente, ainda enfrenta a oposição de muitas pessoas. Existem vários graus de oposição, incluindo aqueles que são contra todas as formas de controle de nascimento que não usam a abstinência sexual; aqueles que são contra todas as formas de controle de nascimento que eles consideram "não-naturais", enquanto permitem o controle de natalidade natural; aqueles que apóiam a maioria das formas de controle de natalidade que previnem a fertilização, mas são contrários a qualquer método de controle de natalidade que previna que um embrião fertilizado se fixe no útero e inicie a gravidez, e aqueles que estão pouco se fodendo, muito se fodendo ou se fodendo so um pouco. Aqueles que não estão se fodendo são indiferentes por que não precisam se preocupar com isso, embora alguns desses que não se fodem nunca gastem bastante tempo enchendo o saco de quem está se fodendo e pretende usar camisinha.

Isso é que é prevenção!!!

Contracepção, superpopulação, superprodução, subnutrição e superhomem[editar]

A contracepção é defendida por alguns grupos como modo de controle do aquecimento mundial, superpopulação, superprodução, subnutrição, superhomem. A população humana já se aproxima das sete bilhões novecentos e oitenta seis milhoes setecentos e trinta quatro mil quatrocentos e sessenta pessoas e por conseguinte estes grupos acreditam que há a necessidade de planejamento do lar para controlar a explosão demográfica, desta forma diminuindo a devastação e esgotamento dos recursos naturais do meio ambiente. Mais habitantes no mundo causariam níveis mais elevados de emissão de gases anais, que alterariam a composição da atmosfera, desta forma aumentando o aquecimento global.

Um destes grupos afirma que é muito mais fácil, rápido e barato distribuir preservativos, camisinha ou mesmo sacolas de hipermercado para as pessoas do que tentar controlar a emissão de CO2 através das estratégias atuais, cujo custo é muito mais elevado.[1]

Contracepção e aborto[editar]

Geralmente acredita-se que a concepção se diferencia do tira filho por interromper a gravidez antes do início da vida. Entretanto, não há um consenso sobre qual seria esse momento, o que leva a um completo debate étilico, já que a concepção, em certos momentos, pode ser definida como aborto. A origem deste debate é o fato de diferentes grupos utilizarem seus próprios argumentos para definir o momento em que a vida se inicia:

  • Fodeção - é o momento em que o Pinto e a buceta se unem, completando a carga genética necessária ao desenvolvimento do bucho;
  • Nidação - é o momento em que o neném se fixa aàprecheca (parede da buceta) e é o momento geralmente tomado como referência em Medicina para distinguir o limite entre concepção e aborto;
  • Duas semanas - é o momento do início da formação do sistema nervoso, radical mané (CARALIO MANé UM NINJA) sendo utilizado como referência ao início da vida por uma analogia oposta à definição de morte, que seria a perda intransponível do funcionamento do cérebro;
  • Seis semanas - é o movimento em que surgem as primeiras células do sistema sangüíneo, que definiriam na Bíblia o início da vida (Levítico 17:11 "Porque a vida da carne está no sangue"). O trecho acima foi escrito por um crente fanático.

A discórdia e a morosidade entre estes grupos faz com que medicamentos que são considerados pelos governos dos países como conceptivos (como os contraceptivos de emergência, a "pílula do dia seguinte") sejam considerados por uma parcela da população como medicamentos esportivos.

Em um levantamento[2] realizado pelo governo federal do Brasil, no qual foram ouvidas 2,1 mil pessoas em 131 municípios de 25 estados de todas as regiões do país, 91% dos entrevistados consideraram positivo oferecer métodos anticoncepcionais nas unidades do Sistema Único de Saúde (SUS). Apenas 3% dos entrevistados acharam isso negativo. 1% acharam legal, 12% acharam maneiro, 38% acharam 2 reais, 51% que esse artigo ficou uma bosta, 43% ainda não acharam.

Modos de séquiço[editar]

  • Sexo oral: sexo em que a mulher ou o homem ou ambos chupam as partes íntimas dos mesmos, pode ser dividido entre agressivo, medio agressivo e pirocoptero
  • Sexo anal: é o séquiço em que o homem coloca o 8::::::::::::D no * da mulher, que posteriormente fica O, em alguns casos se é possível colocar uma cabeça (de cima) no local posterior (favor procurar no Pornotube e colocar o link aqui).
  • Masturbação: muito usado pelos jovens de mãos peludas e espinhas no rosto, logo não é necessario explicar;
  • Zoofilia: a zoofilia é mais comum do que se costuma pensar. Você pode tê-la praticado inclusive sem saber. Veja alguns dos exemplos mais comuns:
  • Quando o caipira tem relações com uma cabra, uma vaca, uma égua, uma leitoa ou uma galinha é zoofilia.
  • Quando alguém come a vaca da tua irmã, é zoofilia.
  • Quando alguém vira um furry.
  • Quando alguém come a mula da Carla Perez, é zoofilia.
  • Quando você faz sexo com sua mulher, ela pratica zoofilia ao ter relações sexuais com um animal chifrudo.
  • Nerds maníacos tarados pelo pinguim do Linux...

Ao contrário da crença popular, fazer sexo com o próprio clone não é nem masturbação nem incesto, é zoofilia, pois qualquer um que tenha que recorrer a isso é considerado um animal. Viajar no tempo e fazer sexo consigo mesmo numa versão futura ou passada não é zoofilia, já que os dois animais seriam da mesma espécie.

Métodos[editar]

  • Camisinha: mais conhecida como camisa de pinto, é colocada no pau. Hmm coloca no pau e dá uma chupadinha. Hmm chupa que é de uva, QUE DELÍCIA CARA!!!
  • Pílula do dia seguinte: é uma pílula mágica que faz a mulher sangrar, e o sangue mata o bebê.
  • Refrigerante sabor cola: após a relação sexual, jogar na perseguida da mulher, além de de proporcionar uma refrescante sensação, dá um novo sabor á precheca.
  • Sacola de hipermercado: muito popular entre feirantes, é usada como camisinha. Você enrola o pau na sacola e prende com um elástico. Durante a relação, é necessario extremo cuidado, pois se o elastico quebrar, fodeu. E além de a dor sentida, a sacola pode sair, assim perdendo o efeito contraceptivo. Aconselha-se o uso dé óleo vegetal ou de oliva para evitar raspões e machucões.
  • Enfervecente Enus: durante a relação, deposita-se uma pastilha enfervecente na perseguida, proporciona alívio de gastrite e má digestão, uma sensação refrescante de alívio, sabor frutas cítricas.
  • Balas de menta com refrigerante sabor cola: é necessario extremo cuidado, deve-se usar com cautela, pois pode provocar perfuração do útero se usado em demasia. Mas quando usado adequadamente, proporciona imenso prazer, uma incrível fonte de refrigerante cola.
  • Filofilia: sexo feito com tufos de pêlos.
  • Botanofilia: sexo realizado com vegetais, mais comum entre mulheres.

Referências[editar]

Para mais informações, favor visitar esse site.

Ligações externas[editar]

  1. abdC Brasil (7 de maio de 2007). [www.playboie.com ONG propõe "masturbação" contra o aquecimento]. tErra notícias. Página visitada em 20 de maio de 2007.
  2. Governo Brasileiro (29 de abril de 2007). [www.pudim.com da Saúde do Governo Brasileiro (Levantamento)]. Internet. Página visitada em 1900 e não sei quando.