M1 Abrams

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
McdonaldsAmerica.jpg
EUA Falencia.jpg

"United $tate$ of McDonald'$"

Este artigo é gringo! Ele só usa eletrônicos da Apple, tem um Chrysler poluidor, não joga futebol e acha que é privilegiado. Não tente usar armas químicas de destruição em massa ou jogar aviões contra ele, a não ser que queira ir morar com o Bin Laden...

George Bush agradece! Alguém quer um Big Mac com Coca Cola?

60px-Bouncywikilogo.gif
Para aqueles sem senso de humor, os espertalhões da Wikipédia têm um artigo (pouco confiável) sobre: M1 Abrams.

Cquote1.png Sempre vejo ele passar perto da minha casa Cquote2.png
Iraquiano sobre M1 Abrams
Cquote1.png Deveria estar à venda aqui no Brasil, aqui sua blindagem seria ótima para o dia-a-dia. Mas eu não teria dinheiro para comprá-lo Cquote2.png
Brasileiro sobre M1 Abrams
Cquote1.png Ele poderia ser vendido aqui na África. Pena que eu não teria dinheiro para comprá-lo Cquote2.png
Africano sobre M1 Abrams
Cquote1.png Adorei meus novos brinquedos Cquote2.png
George W. Bush sobre M1 Abrams

O M1 Abrams depois de uma missão não muito bem sucedida.

O M1 Abrams (sem tradução para o português, não adianta usar o Google Tradutor) é o tanque principal do Exército dos Estados Unidos da América, utilizado nas inúmeras invasões feitas pelos norte-americanos em outros países em busca do petróleo para levar a democracia aos povos oprimidos. Foi fabricado para a futura guerra de carrinhos, uma nova modalidade de batalha que estreará na Terceira Guerra Mundial.

Tabela de conteúdo

[editar] História

[editar] Projeto

M1 Abrams passeando por uma favela no Rio de Janeiro. Essa é a nova maneira de andar com segurança(ou não)por lá.

Durante a Guerra Fria, os norte americanos usavam tanques M60. Porém eles eram da época da Segunda Guerra Mundial, portanto eram obsoletos. Além disso, os soviéticos já produziam sucatas do mesmo nível do M60. Havia a necessidade de trocas os M60 por um veículo melhor, dando início ao projeto para desenvolver o M1 Abrams.

Inicialmente, como os projetistas estavam com uma falta de criatividade crônica, eles roubaram um projeto de um tanque alemão desenvolvido pelos projetistas de Hitler, o MBT-70. Quando o exército construiu o tanque e percebeu que o resultado era uma merda inventada num momento em que Hitler estava cheirando gatinhos, tiveram que recomeçar o projeto, se é que ele havia sido começado anteriormente.

[editar] Desenvolvimento

No projeto, a montadora de tanques contratada para desenvolver o novo modelo copiou outros projetos de tanques alemães, dessa vez bem-sucedidos, e instalou nele um sistema de proteção contra armas explosivas, nucleares, biológicas e radioativas, usando latinhas de cerveja e chapas de ósmio, um metal que ninguém nunca ouviu falar. Também instalaram armas novas, criando a primeira versão do M1 Abrams, o M1A1.

Cquote1.png O meu carro, não, seu imbecil! Cquote2.png
Você

Depois, fizeram outro projeto, para aperfeiçoar o M1A1. Assim surgiu o M1A2, que vem com rádio, televisão, frigobar, cadeiras confortáveis para a tripulação, GPS, entre outros detalhes insignificantes que servem apenas para o conforto dos tripulantes e para deixar o veículo mais caro, limitando o acesso do tanque aos exércitos mais pobres. Há quem diga que esses detalhes foram acrescentados para deixar realmente o tanque mais caro, e impedir que países miseráveis possam usá-lo, somente os EUA.

[editar] Equipamentos

[editar] Armadura

A armadura do M1 Abrams é composta por inúmeros materiais, como alumínio reciclado, plástico, cerâmica, entre outros materiais baratos e com qualidade duvidosa. O que explica a alta resistência do M1 Abrams é uma mistura de adamantium com urânio presente na blindagem. Só isso basta para proteger o veículo, mas os projetistas insistiram em colocar vários materiais inúteis para encarecer o tanque e ganhar mais dinheiro com as vendas dos exemplares.

[editar] Armamento

Pequenos acidentes que podem ocorrer com o M1 Abrams.

O Abrams possui várias armas, a grande maioria delas secundárias que nunca são usadas no combate. Os principais são:

  • Canhão 105mm: É um dos melhores armamentos, mas nunca é usado, já que o 120mm é bem melhor. Ele é usado apenas quando a munição do canhão 120mm acaba, e não tem armamento melhor para ser usado.
  • Canhão 120mm: Esse é o melhor de todos. Por ter um calibre mais grosso, é preferido pelos gays que confundem a arma com outra coisa, além de ser mais melhor do que os outros armamentos. Os tripulantes do M1 Abrams preferem esse canhão, e sempre o usam. Normalmente eles desperdiçam sua munição com alvos fracos, até que a munição acaba, e quando precisam destruir um alvo mais difícil os soldados se ferram.
  • Metralhadoras: Quando a munição do 120mm é desperdiçada, o tanque usa o canhão 105mm. E quando a munição de ambos acaba? Nesse caso os tripulantes utilizam as metralhadoras. Esses são os armamentos mais toscos, pois só podem matar os carinhas, coisa que os soldados já fazem. Como não podem de jeito nenhum destruir um tanque, no momento em que aparece um tanque inimigo, a melhor coisa a se fazer é rezar bastante para não ser morto.

[editar] Motor

Para mover um negócio de 60 toneladas de metal, o M1 Abrams conta com o motor do Bugatti Veyron, que tem 1001 cavalos. Só que como o tanque é extremamente pesado, o desempenho da máquina é afetado, e por isso o M1 alcança apenas 15 Km/h. Qualquer velharia comprada em um ferro-velho consegue ser mais rápido do que isso, com a diferença de que o Abrams não quebra no meio do caminho de forma inusitada. Ou não. Novas pesquisas sugerem o uso de um motor ultra-secreto e altamente potente produzido no Brasil, o motor do Chevette 80.0 biturbo total flex extremamente silencioso. outra hipótese vem do extremo oriente, um novo motor produzido na china, o qual já equipa alguns carros importados para o brasil, foi apontado como a solução, porém ainda não se sabe como será possível instalar 8 motores neste tanque, já que o referido motor mal toca essas fubecas que vieram pra cá, as quais pesam menos de 1 tonelada, a equipe que irá modernizá-lo está aberta a sugestões.

[editar] Guerras em que ele participou

[editar] Guerra do Golfo

M1 Abrams invadindo o Acre. Repare que não existe absolutamente nada ao redor.

O primeiro combate do M1 Abrams foi na Guerra do Golfo. Os norte americanos enviaram milhares de tanques para brincar de war com Saddam, velho amigo de Bush pai e de seu filho. Como os tanques iraquianos eram todos modelos obsoletos doados pela União Soviética, que os deu para os iraquianos porque ela não queria um monte de sucata poluindo seu território, a vitória foi extremamente fácil, pois os veículos do Iraque quebraram antes da batalha.

Apesar da vitória fácil, os Abrams tiveram inúmeros problemas durante a operação. O calor infernal no Iraque, somado ao uso de produtos da Coca-Cola e do McDonalds por parte dos militares americanos fez com que eles brigassem entre si. Por causa dessa partida de Counter-Strike na vida real, quase todos os tanques enviados para o Oriente Médio foram destruídos antes de voltarem para casa.

[editar] De novo no Iraque

O M1 Abrams voltou à ação quando os Estados Unidos precisavam roubar petróleo levar a democracia ao Iraque. Dessa vez, os tanques levaram uma surra. Os rebeldes, usando armas decentes como RPG[1], derrotaram facilmente os tanques. O papel principal do M1 Abrams durante a guerra foi ser destruído. Abaixo, uma sequência de fatos idiotas interessantes que aconteceram com o veículo na guerra:

Não é recomendado sentar em cima do M1 Abrams como esse idiota homem está fazendo.

[editar] Curiosidades

  • O M1 Abrams é um dos meios mais seguros de passear pelo Iraque.
  • De cada 10 veículos em solo iraquiano, 2 são M1 Abrams, e 3 são sucatas que sobraram de um M1 Abrams.
  • 3 em cada 10 pessoas que já ouviram falar no M1 Abrams são gordos que jogam Battlefield e tem fungo no suvaco.

[editar] Ver também

[editar] Notas

  1. Não estamos falando da seita satânica
Nuclear-explosion.jpg

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas