Macaé

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Eneas.jpg
AVISO IMPORTANTE:

Politicagem aqui não, cazzo!

A Desciclopédia é um site de humor, portanto NINGUÉM aqui se importa com sua opinião panfletária sobre o Neoliberalismo, os Tucanos ou a Privatização. Seja engraçado e não apenas idiota.
Município de Macaé
"Macaé"
Brasão de Macaé
Bandeira de Macaé
Brasão Bandeira
Aniversário 29 de julho (Sempre tem show do roberto carlos nessa data)
Fundação 29 de julho de 1813
Gentílico Macaense
Lema Corrupção e petróleo
Prefeito(a) Bonecos de ventriloquo
PMDBasta!, no cargo até Indefinido
Primeira(o)-dama(o) Não disponível
Localização
Localização de Macaé
22° 22' 15" S 41° 47' 13" O
Estado de emergência e calamidade
Mesorregião Norte Fluminense
Microrregião Glícerio
Região metropolitana Rua direita
Municípios limítrofes Uma restinga, um canavial, uma serra e um monte de favelas
Distância até a capital 3hrs e 15m de buzu 1001 quilômetros
Características geográficas
Área Serra e mar, com favelas entre km²
População 20.568 + os outros 180.000hab de outros locais hab. est. 2006
Densidade D = m/v hab./km²
Altitude -2 (fato verdadeiro) metros
Clima Caótico c.v. e nois / A.D.A e a gente
Fuso horário UTC -3
Indicadores
IDH 0,790 (dados comprados pela prefeitura) PNUD/2000
PIB R$ 1.500.000.000 (um BILHÃO e meio de reais!) p/ano (fato verdadeiro) Dtafodase/2007
PIB per capita R$ (aroeira) 0.000.000.410,00 (Cavaleiros) 0.000.050.000,00 Datafodase/2007
60px-Bouncywikilogo.gif
Para os fanáticos religiosos entre nós que escolhem acreditar em mentiras, os supostos experts da Wikipédia têm um artigo sobre: Macaé.

Nota: o trecho seguinte está "compactado" de modo a despoluir visualmente o contexto da página toda.

Cquote1.png Em Macaé/ em Macaé/ as novinha mete o pé Cquote2.png
Funk sobre Macaé
Cquote1.png Subdesenvolvimento para todos Cquote2.png
Frase da prefeitura da cidade
Cquote1.png Alegria! Alegria! Alegria! hey! hey! hey!(batendo palmas) Cquote2.png
Louco simpatico sobre Macaé
Cquote1.png Você quiz dizer: Maconhé Cquote2.png
Google sobre Macaé
Cquote1.png CV é NOIS Cquote2.png
Muros pichados dando boa vindas aos visitantes em Macaé
Cquote1.png É uma cilada Bino! Cquote2.png
Pedro na sua chegada em Macaé
Cquote1.png Eu tenho medo! Cquote2.png
Regina Duarte sobre Macaé
Cquote1.png Vá pá puta que te pariu!!! Cquote2.png
Dercy Gonçalves quando chegou em Macaé
Cquote1.png Perdeu prey Cquote2.png
Pivete sobre Playboys andando a pé de madrugada no viaduto
Cquote1.png Em breve Coca-cola Cquote2.png
A Globalização chegando em Macaé
Cquote1.png Vamos construir metrô em Macaé Cquote2.png
Promessa de campanha para Prefeito
Cquote1.png Sinto muito, não faço milagres. Cquote2.png
Papa Chico Bento XVI sobre a violência em Macaé
Cquote1.png O próximo ônibus pro Rio só daqui a 4h Cquote2.png
vendedor no guichê da 1001 na sexta a tarde
Cquote1.png Isso Infelizmente Ecziste!!! Cquote2.png
Padre Quevedo

Macaé, não confunda com Muriaé ou Magé (aí também já seria tripudiar, sô!), é uma vila de pescadores que flutua em óleo. Os pescadores, no entanto, não pescam nada há anos, desde que a Petrobrás se instalou no local e começou a derramar óleo no mar. Com a Petrobrás vieram os engenheiros cheios da grana e, atrás deles, vieram as piranhas. Elas são, atualmente, o único peixe que pode ser comido a baixo preço na cidade, no mercadão que fica na Rua da Praia.


Tabela de conteúdo

História

Diz a lenda que, em 1800 e alguma coisa, um gentil cavalheiro psicopata doidão chamado Atum Coqueiro, que morava no vilarejo vizinho de Conceição de Macabu (e que ficou, por isso, conhecido como Fera de Macabu) resolveu numa tarde tediosa matar a família e ir ao cinema. Na volta, foi capturado pela polícia, que havia sido acionada pelos vizinhos. Ele foi condenado à forca. Só de sacanagem, em suas últimas palavras disse que a vizinha Macaé ficaria estagnada por 100 anos. Ao que parece, a execução deve ter sido feita na beira de um vale e a praga ecoou no mínimo 40 vezes.

Era considerada uma cidade tranquila onde os pássaros cantavam, as flores se abriam ao amanhecer e as ondas batiam na orla fazendo um som quase hipnotizante e relaxante. Mas tudo isso acabou quando o antigo prefeito e atual deputado federal Sílvio Lopes pagar a Rede Globo para fazer um Globo Repórter sobre a cidade com o tema "OLHA COMO NOSSA CIDADE É RICA E TEM EMPREGO DE SOBRA" que Macaé virou o que chamamos carinhosamente de holocausto.


Economia

Plataforma na produção de petróleo

Macaé é responsável por 80% do petróleo nacional. Mesmo com tal privilégio a cidade tem o preço por litro de gasolina mais caro do Estado do Rio de Janeiro. Tal fartura fez com que a Petrobrás se interessasse pela cidade e montasse várias bases no local, trazendo inúmeros engenheiros e técnicos de fora da cidade, já que não existe nenhum curso preparatório para a área de petróleo em Macaé.

Embora o petróleo seja o principal responsável pela economia da cidade, essa atividade é dominada por não-macaenses. De acordo com uma pesquisa feita pelo Instituto Datafodasse, os nativos sem especialização concentram-se no tráfico de drogas, assaltos de pivetes no centro da cidade, sequestro relâmpago, trote de celular, lavagem de dinheiro e associação com gringos foragidos da Interpol.

Outra grande fonte de renda dos cidadãos macaenses é a politicagem. Costumeiramente, o candidato a prefeito que prometer arranjar uma "boquinha" para o maior número de pessoas leva.


Comércio

Comércio local

Inexplicavelmente, o comércio macaense funciona de segunda à sexta das 10h às 17h e sábado das 10h às 13h, horários em que todas as pessoas normais estariam trabalhando. Existe uma galeria muito vistosa chamada Macaé Shopping que, contrariando a tradição comercial da cidade, funciona também das 11h às 18h.


Política

A política de Macaé era dividida em dois grandes grupos, os Mussi e os Lopes. Os Mussi se casaram com os Lopes e hoje dominam toda a cidade.Hoje em dia os Mussi brigaram com os Lopes e aí a coisa desandou.No período de eleições de 2008 para prefeito foram feitos ataques e funks com musiquinhas contra e a favor dos canditados, no final o mais rico carismático ganhou as eleições e continuará roubando administrando a cidade maravilhosamente.
Pirâmide e sarcófago

Essa cidade já foi visada por inumeros políticos do país, todos querendo uma fatia dos royalties do petróleo para a construção de casas em condomínios super luxuosos na Suíça ou obras faraônicas sem utilidade nenhuma, tais como as rodovias super faturadas, a Pirâmide da Família Real Lopes-Mussi e o sarcófago do faraó Silvio Lopes III.

Cultura

Macaé não tem cultura,espetáculos nem nada.Não tem Artistas, muito menos famosos.Os coitados artistas que tentam ganhar a vida em Macaé,acabam virando mendigos ou saem da cidade enquanto é tempo, pois nem o povo e nem a quadrilha administração da cidade procura ou se preocupa em trazer artistas ou promover encontros culturais na cidade. Um exemplo de mendigos artistas que não se deram bem na cidade pode ser visto no sinal da rua direita, onde malabares ganham a vida se apresentando e ganhando moedas para tomar cachaça sobreviver.

Vestuário

As roupas típicas da região incluem bermuda (sempre de marca - de surf na maioria das vezes, diga-se de passagem) e sandálias havaianas surrada. Esses trajes são usados na praia, no shopping, em coquetéis e casamentos. Estar em Macaé e não usar sandálias havaianas pode ser considerado uma grave ofensa aos nativos.

Quando a temperatura baixa para congelantes 20 graus celsius, os habitantes de Macaé se propõem a sair um pouco mais arrumados e vestem um casaco de moletom. A bermuda e as havaianas surradas NUNCA podem ser mudados.

Ultimamente em Macaé, surgiu uma nova forma de se vestir, na maioria das vezes sendo utilizada por favelados pessoas desfavorecidas economicamente. Estes novos trajes incluem um conjunto completo , camisa, SHORT, Boné e Tênis da nike ou adidas, e normalmente é usado por pessoas com falta de tecido adiposo, vulgarmente conhecida como pessoas esqueleticamentes magras.

Obs.: Insultar ou olhar de lado para estes individuos pode lhe trazer sérios problemas, desde fisicos quanto psicológicos ( ou é o que eles pensam que vai acontecer né ).

Alimentação

Apesar de terem uma dieta variada, os macaenses costumam beber uma substância conhecida como Moranguinho ou Moranguito - ninguém até hoje descobriu o nome exato. Não se sabe ao certo os ingredientes da bebida, que tem uma estranha coloração entre o vermelho e o rosa. Suspeita-se que seja composta por Ki-Suco de morango, água de radiador e farelo de asfalto.

O Moranguinho, ou Moranguito, é a bebida típica da região, consumida em todas as festas e reuniões sociais. Anteriormente era servido em garrafas marrons de vidro mas, graças à globalização da cidade, passou a ser vendido em garrafas pet de plástico, um exemplo da influência americana em Macaé.


Festas Típicas

Só em Macaé mesmo

Os macaenses se reúnem a cada seis meses para festas pagãs que envolvem beber altas doses de Moranguinho, ou Moranguito, com vodkas baratas (como a Natasha, vendida em garrafas de plástico), fumar um cigarro com cheiro de incenso conhecido como Gudang e, caso o ritual seja realizado na praia, substituir a havaiana por salto alto para uma movimentação mais fácil.

No inverno, ocorre a Exposição Agropecuária, onde é realizada uma volta as origens para que o contato com bois e cavalos não seja caído no esquecimento. A festa é animada com shows de uma banda Pop em fim de carreira, uma dupla sertaneja, uma banda de pagode ou axé e uma banda Gospel.

De 2 em 2 anos tem a festa dos Mussi-Lopes,em que comemoram mais uma conquista,movimentar a cidade depois das 16h com carreatas de puxa-sacos atras de churrasco de graça, o povo com bandeirinhas que recebe R$10,00 pra isso e rojões de 12 tiros.O bom é que a comida é toda de graça, o ruim é conseguir entrar na festa e ter que bater palmas pra eles também até quando eles peidam .

A chegada do verão é celebrada com o Fest Verão. A partir desta data os macaenses passam a se reunir diariamente na Praia dos Cavaleiros. A festa é animada com shows de uma banda Pop em fim de carreira, uma dupla sertaneja, uma banda de pagode ou axé e uma banda Gospel.

No Ano Novo, quando a meia noite se aproxima, todos os cidadãos macaenses sacam seus binóculos para poder assistir de uma posição privilegiada a queima dos fogos em Búzios, Cabo Frio e Rio das Ostras. Infelizmente a visão é atrapalhada por "rojões 12 tiros" que são lançados na Praia dos Cavaleiros. Nos dias logo antes e logo depois do revéillon, acontecem shows de uma banda Pop em fim de carreira, uma dupla sertaneja, uma banda de pagode ou axé e uma banda Gospel(e show de Elimar Santos).

Geografia

Entrada da favela bairro Aroeira

A cidade se localiza no norte da Região dos Lagos (ou na Baixada Litorânea, ou no sul do Norte Fluminense, ninguém sabe ao certo). De qualquer forma, ela fica no Estado do Rio de Janeiro em algum lugar entre Rio das Ostras e Campos dos Goytacazes. É conhecida como a "Cidade do Futuro", porque tudo que é implantado no local vai ser terminado algum dia, seguindo a mesma lógica do viado fiado só amanhã.

Existem quatro bairros bacanas na cidade: Cavaleiros, Glória, Imbetiba e Riviera. Os outros dezenove são favelas em maior ou menor grau, à exceção de alguns pontos da região central da cidade. Bem afastados da zona urbana estão condomínios fechados destinados aos engenheiros, nos quais os nativos normalmente só entram para fazer serviços de manutenção, limpeza ou saques.

Os atrativos de Macaé podem ser divididos em praia,serra e andar no calçadão.

Praias

Barra de Macaé: A praia do urubu

O litoral de Macaé é famoso por suas 7 praias: do Forte, Imbetiba, Campista, da Barra, dos Cavaleiros, do Pecado e Rio das Ostras. Existem mais, mas ninguém sabe onde ficam ou seus nomes.

  • Praia do Forte: Tem este nome por ser onde se situa um dos mais importantes pontos turísticos da cidade, o Forte Marechal Hermes e Renato. É habitada por piranhas e demais animais dispostos a "pescar" um soldado.
Pássaro na Praia de Imbetiba
  • Praia de Imbetiba: Era a praia da elite macaense, quando macaenses ainda ficavam ricos trabalhando (veja a seção Economia para maiores informações). Em dias quentes, os macaenses vão a essa praia pegar os peixes fritos pelo óleo vindo dos navios e rebocadores a serviço da Petrobrás.
Praia Campista
  • Praia Campista: Famosa por ser o local onde fica a sede da Petrobrás e também o local onde morreram mais cidadãos Campistas na história. É fato que os campistas são inimigos mortais dos macaenses devido à descendência dos índios aquidauânus. Atualmente está em extinção, porque todo empreendimento nela inaugurado consta como sendo "Praia dos Cavaleiros", vide as agências bancárias Bradesco, Itaú e Santander que se denominam "Ag. Cavaleiros". Acredita-se que isso se deve ao fato da griffe "Praia dos Cavaleiros" agregar mais valor... Mesmo quem mora na Praia Campista passa seu endereço como "Cavaleiros".
  • Praia da Barra: Praia onde se encontra uma coloração de àgua muito diferente do normal,dizem as crianças que é caldo de feijão.Frequentada por latas de refrigerante,sacolas plásticas,peixes na areia e cachorros se bronzeando,fezes sufistas,aves escuras que rondam a praia dia e noite e um senhor que passa o dia no meio dessas aves.Durante a noite acontece um fenômeno muito típico da regiao,objetos voadores traçam o céu num rastro de fogo e incriveis sons de "pá-pá-pá" sao ouvidos nesse momento.
  • Praia dos Cavaleiros: É a praia da galera. Local de concentração de macaenses em dias de sol durante as férias (já que, em períodos de trabalho normal, ninguém fica na cidade nos fins de semana). Seu tamanho aumenta a cada ano, pois vai açambarcando a Praia Campista (vide acima). Frequentada pelos suburbanos (favelados), pois quem mora nos Cavaleiros foge dela nos fins-de-semana.
  • Praia do Pecado: Como o nome já diz, é uma praia que estimula a devassidão. É conhecida por ser um território mais liberal que a Holanda, onde as drogas são liberadas, sexo é feito sem camisinha e são realizados casamentos homossexuais.
  • Rio das Ostras: A praia mais visitada da cidade por visitantes e turistas.

Serra

Pico do Peito do Pombo

A Região Serrana da cidade tem como único ponto de interesse o distrito do Sana, destacando o pico do peito do pombo, protegido por suas brumas constantes. É o refugio de gnomos, duendes e outros bichos grilos que vivem em estados alterados de consciência. Possui as mesmas características da Praia do Pecado, mas a água encontra-se em formato de rios e não de praia.

A habitação do Sana é normalmente barracas de camping que, é obvio, não possuem chuveiros, uma vez que os bichos grilos não são adeptos de hábitos de higiene e costumam fazer suas necessidades básicas na água cristaina das montanhas. Como, apesar de desejarem, não podem andar nus pela rua, os ciganos Sanenses usam cortinas e cangas como trajes no dia-a-dia. Se alimentam só de vegetais e fumam maconha praticam naturismo o dia todo.

Gírias

O povo macaense, por estar tão distante do que chamamos costumeiramente de civilização, acabou criando o seu próprio dialeto, no qual constam também algumas gírias:

  • "Fafau": Adjetivo de dois gêneros: coisa que não desperta interesse, desprovido de apelos, frustrante; o contrário de legal.
  • "É RÓDI, HEIM!!": Expressão que em português culto seria traduzido para algo como: "Perdoe-me senhor, mas isso que o senhor sugeriu é bem improvável de que eu vá fazer". Essa frase também é fácilmente encontrada no arraial vizinho de Conceição de Macabu
  • "ÔÔÔÔ CABRUNCO!!": Interjeição equivalente a algo como: "Nossa, que fato deveras surpreendente/chocante!"
  • "Pocar": Verbo fundamental na fala macaense, tem uma incrível diversidade de significados. Por exemplo, enquanto uma bola de aniversário no Rio de Janeiro "estoura" ou um pneu "fura", em Macaé ambos "pocam". Deu origem à expressão pocar na risada, que poderia ser traduzida como "cair na gargalhada".
  • "Cadim": Advérbio que tem origem no mineirês. A grande influência rural faz com que os macaenses digam essa palavra, ao quererem falar um pouquinho (ou um bocadinho).
  • Além disso, os macaenses aboliram o "L" nos encontros consonantais, tornando o dialeto local ainda mais peculiar: framengo, bicicreta, etc. Acredita-se que esse costume de extinguir o "L" veio junto com a migração oriunda de Campos dos Goytacazes.

População

A população de Macaé e basicamente formada por:

  • 10% Gringos
  • 60% Favelados
  • 30% Nordestinos
  • 10% Peão de rodeio plataforma
  • 80% Pessoas, como você, que vieram pra cidade ganhar dinheiro
  • 5% Guardas municipais

O que quase ninguém de fora da cidade sabe é que o povo macaense é uma praga que se reproduz e se espalha mais rapidamente do que as baratas no apartamento daquele filme da década de 90. Existem relatos de fontes confiáveis de avistamentos de macaenses em várias partes do mundo. Desde a Disney (de tanto macaense, já estamos quase conseguindo a anexação do território) até escolas europeias, passando pela serra gaúcha e outras regiões mais inóspitas do planeta. Se bem que como os avistamentos são feitos sempre por outros macaenses, as histórias são meio duvidosas. Corre um boato que a Nasa, quando pousou o primeiro foguete na Lua, encontrou um macaense dando uma de flanelhinha e dizendo que o pneu de trás do cabrunco tinha pocado na descida e que tinha que trocar antes de ir embora.

Com essa sanha migratória mais forte do que a de uma nuvem de gafanhotos, macaenses estão invadindo em massa territórios de outros povos e os anexando a cidade. Esses são alguns desses lugares (só alguns, já que a lista inteira ficaria muito longa):

  • Cidade de Niterói, maior concentração de macaenses por metro quadrado fora de Macaé.
  • Bairro de Botafogo, no Rio de Janeiro; estudos indicam a existência de prédios nos quais mais da metade dos moradores são macaenses.
  • Shoppings do Rio de Janeiro, onde os macaenses que se cansaram de passear nos pequenos shoppings da cidade vão gastar dinheiro.
  • Disney, destino de férias preferidos pelos macaenses que querem tirar onda de rico. E como todo macaense tem dentro de si um Caco Antibes querendo aparecer, tem macaense lá o ano todo.


Lugares históricos e pontos turísticos

Uma das Praias de Macaé
  • Farol velho: Ninguém nunca foi e nem sabe onde fica. Há uma lenda de uma pessoa que já foi pra lá, mas que nunca voltou.
  • Forte marechal Hermes e Renato: Pertence atualmente ao Exército brasileiro. O forte está localizado estrategicamente em volta do cemitério municipal e perto do puteiro centro de diversões noturno da Rua da Praia. O forte está equipado com equipamentos e armamentos de última tecnologia como fuzis Falcon 1916, canhões terra mar 1898 um caminhão Mercedes 68 e um Fusca 76.
  • Castelo monte Elísio: Um refúgio de freiras mercenárias e, em horas vagas, escola particular. O castelo é um prato cheio de lendas. Dizem que túneis secretos foram escavados por alunos matadores de aula ou padres tarados; um desses túneis tinha como destino final a Praia do Pecado.
  • Câmara Municipal: Prédio onde há mais de 100 anos ocorrem roubos, corrupções, e números de mágica.
  • Rua da praia: Diversão garantida a noite inteira.
  • Calçadão da rua direita: A melhor opção para destros e canhotos em compras no maior shopping a céu aberto do Brasil do Estado da cidade.
  • Ilha de Santana: Ninguém nunca foi, mas todos falam que é o lugar mais bonito da cidade. A ilha oficialmente pertence à Marinha, mas especula-se que o arquipélago faça parte da Dharma Corp. Por esse motivo, sua entrada sem autorização é expressamente proibida. Muitos acreditam que ela seja realmente a ilha de Lost.
  • Pedra dos Cavaleiros: Situada na praia de mesmo nome, é o melhor ponto de encontro para pescadores que se cansaram da vida.
  • Cratera da Orla: Localizada na frente do Clube Cidade do Sol, é o acontecimento mais esperado do ano na cidade, quando a prefeitura promove um tsunami para destruir barracos no bairo da Barra (que não é a da Tijuca) e principalmente abrir uma cratera na orla macaense. Milhares de macaenses nos fins de semana, como mães com seus filhos, curiosos e quem não tiver porra nenhuma para fazer, passa horas contemplando as ondas atingindo a rua.
Após 3 meses, a calçada é refeita com areia proveniente dos areais dos vereadores, que tem propriedades especiais para resistir contra as ondas do mar por aproximadamente 9 meses ou até o próximo tsunami, o que vier primeiro.


Diversão

Mais um dos hoteis de luxo para gringos em Macaé

O povo macaense se comporta de modo esquisito quanto à diversão. Quando de 11 aos 17 anos, frequentam a praia dos Cavaleiros, mas concentrados em apenas um quarteirão. Ali fica uma galeria que abriga a sorveteria/pastelaria Paradinha, o Mister Pizza e a CD World, que apesar de chamar assim, vende revistas, protetor solar, brinquedos, café, salgados, charutos, artigos de beleza mas obviamente não vende CDs.

O Cavaleiros, ou cavas (no dialeto macaense), é o máximo de diversão para o povo da cidade. À noite (ou ao longo de todo o dia durante as férias escolares), os carros ligam o som no volume máximo e playboys, putas patricinhas ficam dançando funk e você.Se no meio de toda essa diversão suuu-suup-suuper saud-dáááá-dááááá-v-vel bater uma larica fominha, vá até a Paradinha e peça um pastel (ou sorvete). Se você quiser encontrar os amiguinhos, vá até em frente ao Mister Pizza e junte-se à muvuca. Se você for uma pessoa de razoável bom-gosto que quer se divertir, não vá aos Cavaleiros.

Atualmente, num lugar super inusitado (e curioso), encontra-se o Fliperama. É do lado do Taberna da Praia, o bar mais idoso da orla, e pertíssimo do puteiro centro de diversão fora da Rua da Praia. O Fliperama é super divertido! Em meio a vários brinquedos e máquinas da década de 80, como as de carrinhos super repetitivos, maquininhas com jogos de luta, máquina da motinha, do tirinho, do soco, karaokê, e o novissímo Pump It Up.

Com o passar da idade, o povo macaense fica mais exigente. Assim, ele deixa para trás a Paradinha, o Mister Pizza e o CD World, atravessa a rua e vai para o restaurante Durval, que fica no quarteirão seguinte.

Atualmente a mais recente lavagem de dinheiro obra para o lazer do macaense é o Shopping Plaza, uma área de 0,0000000000010m² que possui várias lojas de merda conhecidas, como fast-foods, lojas de venda de trapos roupas, puteiro casa de games e etc. Com o novo shopping, o macaense gasta 1 hora de relógio para chegar ao shopping e leva 10 minutos para fazer uma visita minunciosa ao local.Devida a tamanha merda imensidão, o shopping se localiza num fim de mundo local estratégico da cidade, para que todos possam visitar o local.

Em ocasiões de extremo tédio e de profundo sentimento de revolução, quando realmente precisa de algo novo, o macaense vai ao boliche em Rio das Ostras ou a boates como a Platô, também em Rio das Ostras, ou a Privilège, em Búzios.

Composição local:

"O Jonk é jogador,
o Saulinho joga tambem, 
Roni rei das pedaladas, 
vem , vem novinha, vem,
vem , vem novinha, vem,
vem , vem novinha, vem."
Funk feito por compositor macaense.

Esportes

Além de arremesso de estrume, Macaé também se destaca no futebol. Macaé conta com um time de várzea que representa a cidade fazendo número no campeonato carioca e nas decadentes divisões do campeonato brasileiro. O Macaé Esporte Futebol Clube é muito conhecido pelas goleadas que sofre no Maracanã.

Como chegar?

Mapa de Macaé por geógrafo local

Se você, aventureiro destemido, encantou-se com os atrativos desta bucólica cidade, você é louco. Mas se você tiver que ir à cidade por algum outro motivo, aqui estão algumas formas de chegar:


  • De Ônibus: Saindo da rodoviária do Rio de Janeiro, você terá várias opções de empresas rodoviarias para Macaé: 1001, Viação 1001, Mil e Um, Auto Viação 1001, Milium, Expresso 1001, 1001 LTDA e Macaense (que foi comprada pela 1001). Macaé possui uma rodoviaria moderna e limpa, com ampla área para estacionamento com capacidade de 2 carros e com um shopping de produtos importados chineses e paraguaios. Para chegar em outros pontos da cidade basta se dirigir ao Terminal Central onde a cada 2 horas passará um ônibus com destino ao Terminal Parque de Tubos com conexão Terminal Lagomar. De lá pegue o ônibus para o Terminal Lagoa, depois Terminal Cehab e depois de 37 terminais você chegará ao seu destino.
  • De Carro: Pegar a BR-101 sentido nordeste. Se você sobreviver à BR-101, já no municipio de Macaé irá chegar ao trevo onde estará localizada a Pirâmide Real. Neste ponto vá pela direita, onde começará a Linha Verde (construída por um projetista de montanhas-russas, é a mais emocionante rodovia ondulada conhecida), assim chegando mais rápido na outra saída da cidade, cortando todas as favelas. Este itinerário será incorporado aos sacrifícios que os postulantes a um posto de Capitão do BOPE-RJ terão que se submeter, a fim de pegar uma vaguinha naquele dito incorruptível Batalhão.

Cquote1.png A gente pede pra sair! Cquote2.png
Recrutas do BOPE sobre Macaé

Consta que o super-herói Capitão Nascimento se mudou para o Rio porque procurava uma cidade mais tranquila para trabalhar.
  • De Paraquedas: Se você chegou do serviço,jantou tomou seu banho,deu boa noite pra sua familia,durmiu feliz na sua linda cidade e acordou com algum barunlho de tiro como despertador,não é pesadelo por causa da comida não,algum parente seu que "te ama" te amarrou de noite e te jogou de uma avião em Macaé.
  • De Carona: Se você for de carona, quem te der carona deve saber como chegar, mas tome cuidado: caronistas costumam ir parar no Sana! Porém, se a carona for de carro, pode se despreocupar: para o Sana, o mais popular meio de transporte é o Disco Voador.

Depoimentos:

Toylet

O que eu mais adoro em Macaé depois do aeroporto, a rodoviária. Eu adoro a rodoviária de Macaé porque é dali que parte o onibus que me leva embora desse cu do mundo para ficar bem longe desse inferno, mas a maravilhosa rodoviária de Macaé é bem a cara dessa cidade que é a mais suja e mal educada do mundo. A rodoviária de Macaé tem catarro no chão que fazem bem meia década que está la e os bancos lotados de mendigos e algumas putas tentando tomar a grana do pobres petroleiros que passam por ali. Ainda tem um corno na porta do banheiro de rodoviária mais imundo da face do planeta que tem a ousadia de cobrar pro pião entrar naquela imundicie com as paredes todas sujas de bosta e por vezes escrevem "CV - É nóis" com bosta nas paredes. Os banheiros não tem porta, não tem vaso, não tem lavatórios, não tem água (exceto a água misturada com mijo que corre pelo chão, entram no teu sapato e vai até o tornozelo) e também não tem vergonha na cara o fila da puta que tem coragem de pagar pra usar aquela porra. E de vez em quando ainda, você encontra um veado pagando um boquete em algum maconheiro la dentro.

Ver também

v d e h
RIO DE JANEIRO
RJ
RJ
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas