Machismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de Machistas)
Ir para: navegação, pesquisa
Google sendo machista.
Fuck the poor.jpg Este artigo é coisa de conservador!

Ele odeia minorias, acredita em marxismo cultural e é contra a maconha mesmo fumando charuto. O autor deve ser um cidadão de bem, pró-vida e defensor da moral e dos bons costumes.

Ajude a melhorar este artigo em defesa da família tradicional.

Va-a-merda-porra-(Luiz-Carlos-Alborghetti).gif Este artigo pretende ser ofensivo!
Se não se sentiu ofendido, edite-o até se ofender.
E se você se sentiu ofendido, VÁ A MERDA, PORRA!!!


Fatos.png
O Deslistas tem uma lista sobre
Formas de machismo
Típico machista que editou este artigo carregando as malas da mulher.

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Titanic? Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Machismo
Cquote1.png Você quis dizer: Qualquer homem hétero, violento, tarado, alcoólatra, imaturo...? Cquote2.png
Google sobre Machismo
Cquote1.png Experimente também: Qualquer homem Cquote2.png
Sugestão do Google para Machismo
Cquote1.png A-DO-RO! Cquote2.png
Clodovil sobre machismo.
Cquote1.png Um grupo originado do patriarcado. Cquote2.png
Capitão Óbvio sobre machismo.
Cquote1.png Nenhuma mulher vai bater em mim. Cquote2.png
Junior Kyle sobre machismo.
Cquote1.png Ai! Cquote2.png
Junior Kyle sobre citação acima.
Cquote1.png Lugar de mulher é no fogão e depois no tanque esfriando a barriga. Cquote2.png
Machista sendo machista.
Cquote1.png Deite que vou lhe usar. Cquote2.png
Coronel Jesuíno sobre machismo.
Cquote1.png Um grupo que por anos oprimiu as mulheres e que continua sendo contra a nossa promoção. Cquote2.png
Feminista qualquer sobre machismo.
Cquote1.png Direitos iguais é o [email protected]! Mulheres e crianças primeiro! Cquote2.png
A mesma feminista diante de um desastre.

O machismo é o resultado da constatação natural de que homens são superiores às mulheres. No Brasil, por exemplo, os homens são cerca de 15 cm maiores que as mulheres, enquanto no Japão, a superioridade cai para 2. A superioridade da mulher existe apenas com o uso de sapatos salto alto.

História[editar]

Verdade seja dita...

Desde o início dos tempos, o machismo se faz presente na humanidade: no tempo das cavernas, quando existiam preguiças gigantes, rinocerontes maiores que elefantes, javalis carnívoros e tua mãe pulando corda, estabeleceu-se um pequeno sistema de convivência em grupo: aos homens, dotados de maiores músculos e capacidade de ficar em silêncio, fora incumbida a missão de caçar uma daquelas feras citadas, quando não tinha um suculento e otário mamute por perto, e de defender o território, enquanto as mulheres, dotadas de visão periférica, sexto sentido e seus ultra-super-poderes demoníacos de comunicação não-verbal e de fazer várias coisas ao mesmo tempo, ficaram responsáveis por cuidar dos bebês, interpretar seus gemidos e de administrar a caverna enquanto batiam um papo. É óbvio que esse sistema oprimia as mulheres, afinal, ficar em cavernas escuras cheias de cocô de morcego, animais selvagens se escondendo do Slender Man e estupradores, além de ter que aguentar seus pequenos diabretes cagados cheios de ranho que não fazem porra nenhuma além de chorar e cagar é muito mais chato eque morrer enfrentando feras gigantes.

O tempo passou, as sociedades evoluíram e alguns povos abandonaram essa cultura machista, graças à domesticação de animais, à escrita e ao feijão mágico, que não era feijão comum de feijoada. Isso foi de vital importância para a civilização do ser humano, entretanto, ia de encontro à necessidade feminina de implicar com as coisas, pois agora as mulheres estavam livres para exercer outras atividades além de fofocar e cuidar de bebês, sem nenhum motivo para reclamar de suas vidas miseráveis. Dentre essas atividades destacam-se:

  • Carregar pedras - Principalmente nos dedos e no pescoço.
  • Domar cavalos - O exercício de domar cavalos foi tão bem executado pelas mulheres que raramente um homem fazia esse serviço...
  • Arar a terra - ...ao contrário deste, que necessitava certa força física.
  • Pintar potes - Ao contrário do que se pode imaginar, elas não pintaram pornô gay.
  • Tecelagem - Um dos povos menos machistas da antiguidade foi referência em tecidos: os fenícios.

Todavia, o substituto perfeito foi logo encontrado: a punheta. Muitos homens preferiam se divertir sozinhos ou com com pessoas do mesmo sexo e o papel da mulher em tal sociedade era para fins secundários, ou seja, a reprodução. Tal desvalorização deixou as mulheres revoltadas, de forma planejada, é claro, mas elas não podiam sair às ruas para protestar, pois naquela época não existia sutiã para ser queimado, então elas conversaram com suas vizinhas, criando uma rede de comunicação, e numa bela noite, quando todos os homens estavam dormindo, elas abriram as portas da cidade e deixaram que outros povos atacassem. E os poucos homens que sobreviveram passaram a dar mais valor as mulheres, mães e irmãs dos outros.

Mulher sendo oprimida na Idade Média

Ao longo das idades Média, Moderna e Idade Contemporânea, o machismo aumentava e diminuía de acordo com a pressão que as forças ocultas que forçaram Jânio Quadros a renunciar exerciam sobre a mão invisível do livre mercado. Uma constante ξ de implicância feminina afetava essa pressão, pois a busca implacável por fortes emoções é o catalisador para encher o saco dos homens com denúncias de machismo impregnado na sociedade. Alguns episódios machistas dessas épocas incluem:

  • As cruzadas: as mulheres continuavam em seus castelos vomitados fazendo novenas e enviando missionários betas para de cristianizar o mundo, enquanto os varonis alfas por quem babavam loucamente para lubrificar a boca para o boquete beijo partiram para Jerusalém e tentar a sorte contra os pedófilos hospitalares do deserto, que empalavam e esfaqueavam seus adversários da Europa e suas armaduras, pesadas como a tua mãe.
  • As grandes navegações: a demanda de ouro e açúcar, interrompida pelos asiáticos que mataram aquela galerinha moura de cima, exigiu que os homens atravessassem os sete mares, o que era extremamente opressivo para as mulheres, que acompanhavam seus machos apenas para dar para ferozes indígenas, que as comiam, tanto no sentido gastronômico, quanto no sexual da palavra.

Nos tempos atuais, apenas o recrutamento militar obrigatório é realmente opressor, impedindo mulheres de formarem os exércitos estatais, para que pudessem ficar em casa lendo A Princesa de Clèves, ou trabalhando normalmente, carregando pedras, erguendo edifícios, lutando com feras, atravessando desertos, mares e florestas e sacrificando seu corpo esquizofrenicamente gordo, recebendo em troca machos preguiçosos falando grosso em casa, furando toalhas de mesa com pontas de cigarro e largando um par de meias no meio da sala.

Abaixo segue um trecho da história do machismo escrita pelo filósofo, mestre, astrólogo, matemático, professor, velho, gagá e brocha Olavo de Carvalho, como é possível notar pela linguagem exaustiva e entusiasta da própria rola:

Cquote1.png As mulheres sempre foram exploradas pelos homens. Se há uma verdade que ninguém põe em dúvida, é essa. Dos solenes auditórios de Oxford ao programa do Faustão, do Collège de France à Banda de Ipanema, o mundo reafirma essa certeza, talvez a mais inquestionável que já passou pelo cérebro humano, se é que realmente passou por lá e não saiu direto dos úteros para as teses acadêmicas.
Olavo de Carvalho, como foi dito antes, sobre o machismo ao longo da história.


O machista[editar]

Como o machista se enxerga.

O machista é aquele não gosta que a mulher faça o que ele faz. Existem várias formas de alguém ser machista e várias técnicas profissionais:

Atitudes:

  • Falar que não gosta de rosa.
  • Cuspir no chão e não limpar.
  • Não deixe mulher jogar futebol.

Frases:

Cquote1.png Mulher não joga bola. Cquote2.png

Cquote1.png Mulher só serve pra cozinhar. Cquote2.png

Cquote1.png Mulher só serve pra assistir novela. Cquote2.png


Partido Machista Brasileiro[editar]

Futuro membro do movimento machista, começando com as infláveis.

Depois da morte trágica do presidente Jece Valadão, que teve câncer de próstata por se recusar a receber o toque, o partido ainda não conseguiu eleger um membro a altura de Jece, que era praticamente um Nelson Ned neste quesito.

Sub-divisões do partido existem em diversas localidades do Brasil como, por exemplo, o Movimento Machista Mineiro que conta com milhares de membros formais que durante o dia são médicos, advogados, engenheiros, mas que durante a noite ficam fazendo ponto na Avenida Afonso Pena, no centro de Belo Horizonte. Isto é resultado da farsa que é a "Tradicional Família Mineira" e de sua filosofia digna dos Católicos de Interjeição.

O Movimento Machista Mineiro possui o seguinte estatuto:

  1. O homem tem sempre razão absoluta.
  2. Em caso de dúvida, consultar o artigo 1.

O machismo também vem sendo motivo de discussões escolares e por meio disso, crianças de hoje estão mudando por completo o modo de pensar e de agir com as mulheres... de fato, com as suas colegas de classe.

Então vamos a partir de hoje mostrar para todas as crianças e adultos que a mulher tem um grande valor a sociedade em que vivemos! Afinal, o que seria da cozinha sem a mulher?

Curiosidades[editar]

  • 70% das mulheres do Titanic foram salvas graças ao machismo.
  • O machismo não é contra a promoção das mulheres, na verdade eles são até a favor da presença de mulheres na faculdade, pois sem elas só haveriam homens por lá e isso seria bem pior.

Ver também[editar]

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Machismo no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg