Manaus

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Manaó
"Paris do Meio do Mato"
Bandeira de Manaus.png
Bandeira
Aniversário 24 de outubro
Fundação 24 de outubro de 1669
Gentílico manauara
Lema Bate forte o tambor, eu quero é o Tic-Tic-Tic-Ta
Prefeito(a) Não disponível
Localização
Localização de Manaó
Estado link={{{3}}} Amazonas
Mesorregião Centro do Meio do Nada
Microrregião Manaus e Palafitas Adjacentes
Municípios limítrofes Presidente Figueiredo, Careiro, Iranduba, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Novo Airão
Distância até a capital 3 490 Km de canoa quilômetros
Características geográficas
Área Não disponível
População 2057711 hab. 2015
Idioma Tupi-guarani
Densidade hab./km²
Altitude metros
Clima clima fodido
Fuso horário UTC +1,5
Indicadores
IDH
PIB R$
PIB per capita R$

Cquote1.png Morar em Manaus causa câncer de Pele! Cquote2.png
Ministério da Saúde adverte
Cquote1.png Aqui tem japoneses morenos! Ahhhrrr! Cquote2.png
Gringo sobre Manaus
Cquote1.png Porra! ôh cidade infernal Cquote2.png
Lulu Santos sobre Manaus
Cquote1.png Taí essa terra que a gente sabe mostrar... Cquote2.png
Música do Amazonsat
Cquote1.png É aqui que eu fico rico, maninho! Cquote2.png
Paraense sobre Manaus
Cquote1.png Porra! Que Calor Cquote2.png
Tuaregues sobre Manaus
Cquote1.png Caraaaallhmba! como isso pode ser uma cidade? Cquote2.png
Malu Mader sobre Manaus
Cquote1.png Puta que pariu! Calor filha da puta! Cquote2.png
Hermes & Renato sobre Manaus
Cquote1.png Oooohh paai... Onde fui pararr! Cquote2.png
Nordestino saindo da seca pro inferno de Manaus
Cquote1.png É turista! Cquote2.png
Qualquer um sobre mulheres bonitas em Manaus, que não são de Manaus
Cquote1.png Nosso melhor governador é paraense... Cquote2.png
Manauaras se orgulhando do Governador Eduardo Braga, paraense
Cquote1.png Tá em Manaus? Abraça o Capeta! Cquote2.png
Padre Quevedo sobre Manaus
Cquote1.png Ficamos em dúvida entre duas cidades do norte para a copa de 2014, mas a Coca-Cola e Sony, patrocinadoras oficiais da copa e com isenção fiscal em Manaus, pediram para ser e nós vamos para Manaus Cquote2.png
Joseff Blatter da Fifa anunciando a cidade-sede na Amazônia

Manaus é maior e única cidade da Amazônia, sendo portanto a única opção de capital desta. Para tentar sentir-se uma cidade grande, inventa uma suposta rivalidade contra Belém, cidade paraense que mesmo sendo totalmente precária ainda consegue ser melhor que Manaus em todos aspectos.

É interesante que atualmente, ONGs e instituições diversas apregoam a chamada defesa da Amazônia. Quem mais se preocupa neste caso, são os que não moram ali. Os nativos locais, (barraqueiros e defensores incondicionais) estão "cagando e andando" para as questões ambientais. Os igarapés que cortam a cidade são verdadeiras latrinas. Questões ambientais para os barraqueiros é somente não derrubar árvores. Nada mais.

História

Também conhecida como a Manaós, Manaus foi fundada em 1000 a.C. por dois alienígenas vindos de uma galáxia ainda não identificada. Esses alienígenas se transfiguraram em dois bois com o pseudônimo de Garantido(a) e Caprichoso (Preguiçoso).Os bois logo se tornaram soberanos, conquistando a lealdade dos indígenas. Após a colonização portuguesa, os bois foram capturados e exportados para a metrópole Portugal, onde se tornariam o banquete da Família Real. Apesar do brusco fim do Império Bovino, seu legado cultural não foi esquecido pelos nativos, sendo que a crença nos bois se tornou a religião oficial no estado do Amazonas, onde todo habitante deve visitar Parintins (o templo da Religião Bovina) pelo menos uma vez na vida, principalmente no período das festividades.

Quando os portugueses chegaram à cidade trouxeram um documento de expropriação fundiária, assinado por Deus, desapropriando o diabo de sua então morada. Muito a contragosto, nosso amigo capeta resolveu deixar pra trás sua terra, em direção ao Acre, mas jurando castigar a todos os que ali permaneceriam. Nessa época Manaus fora invadida, a mando de Sauron, por Orcs, que logo foram apelidados de paraenses. Mas o então Pajé (Presidente), em parceria com Portugal, enviou tropas do exército formadas, em sua maioria, por índios. A 6° Divisão dessas tropas, coordenadas por Gandalf, foi a que mais se destacou nessa batalha, finalizando a Batalha pela Terra Média. Apesar da intensa povoação por povos estrangeiros, Manaus não sofreu uma grande miscigenação. Índios tiveram filhos com Orcs (que não foram exterminados), emos saterê tiveram filhos com índios, caboclos tiveram filhos com caboclos, crentes tiveram filhos com crentes...

Filólogos e paleontólogos defendem que pelo fato de num passado muito remoto, entre os períodos carbonífero e cabralino, da cidade chamar-se de "Lugar da Barra", pois o os portugueses que ali chegaram achavam uma merda e uma barra estarem no meio de lugar nenhum (o sertão da Amazônia) e sem mulher nenhuma pra aliviar... que barra né? Então lá pelo período da grande tiração de leite do pau (Ciclo da Borracha), como um grande número de nordestinos que eram enganados pra virem se fuder nos seringais (vide um livro de um portuga que também se fudeu por lá: A Selva, de Ferreira de Castro), essas pessoas eram recebidas com a frase: "Mais anais!", isto é, um novo contingente de pessoas que iriam tomar no cu, ou como o Collor prefere: "eram introduzidos de forma voluptuosa em seus aconchegos". O nome da cidade, então, ficou como Manaós, a corruptela de mais anais, que com a reforma ortográfica ficou como a atual Manaus.

Nos últimos trinta e sete anos, a democracia militar do Brasil reorganizou a Zona Franca de Manaus para levantar a economia da cidade que não conseguiu se levantar depois da Bellepoque, motivo de orgulho dos manauaras e indiferença dos outros estados, principalmente de São Paulo, que vive travando uma briga perdida com a cidade sitiada. Aliás, até nas ofensas os manauaras são parecidos com os paulistanos. Enquanto para o paulistano os cariocas são folgados, para ps amazoneses os paraenses são ladrões (principalmente de emprego, já que os amazonenses têm fama de preguiçosos, não gostam de estudar e a palavra trabalho para eles soam pior do que câncer).

Por causa da zona franca, Manaus sofreu forte migração de nordestinos, por lá denominados genericamente como "paraíbas", e paraenses desempregados (que sempre conseguem se empregar em Manaus), que hoje formam a maior parte da população local, junto com os sulistas atraídos por grandes salários e as famosas índias engolidoras-de-linguiças. Sem falar nos "senhores feudais", vulgo, "empresários amazonenses" que dominam tudo e colocam barreiras intransponíveis ao empresário de outros estados brasileiros que tentam se instalar ali para abrir uma empresa.

Estádio do Ninho do Pássaro, emprestado para Manaus.

A cidade voltou aos holofotes mundiais quando foi escolhida uma das cidades-sede da Copa do Mundo de Futebol de 2014 no Brasil. Na oportunidade, o então presidente da FIFA Joseph Blatter anunciou: "Ficamos em 'dúvida' entre duas cidades na Amazônia, como duas das patrocinadoras oficiais da Copa -Coca-Cola e Sony - querem Manaus, então vamos pra lá." Assim foi anunciada a escolha de Manaus, como cidade-sede na Amazônia. Coca-Cola e Sony, prepararam uma festa de 700 mil reais no dia que iriam divulgar as cidades sedes, "sem saber" que Manaus ganharia a copa. Comemoraram também pelos incentivos fiscais e outros bônus que receberam do Governo. Manaus emprestou da China e apresentou o projeto do seu estádio (conhecido como Ninho do Pássaro) à Fifa. Uma verdadeira ilusão de óptica. O Governo do Amazonas agora arca com as despesas milionárias mensais do estádio, já que nenhuma empresa privada se interessou em investir em um "Elefante branco", ou melhor, numa "Anaconda branca".

Geografia

Uélcome tcho Manaus, Biem venido yo Manaus, Benvindo â Manaus.

(As inúmeras comparaçoes com a vila Konoha, não são mera coincidência.)

Manaus se situa no centro da Amazônia, da qual os brasileiros só ouvem falar que está no Brasil e que merece ter sua floresta preservada, coisa que não acontece. Enquanto para os brasileiros em geral Manaus é só uma cidade conhecida qualquer, para os gringos ele é intensamente cobiçada.

Não muito distante das Cataratas do Fim do Mundo, após as quais está a legendária terra do Acre, embora seja a metrópole brasileira mais próxima do primeiro mundo (lembra que o primeiro-mundo está ao norte?). Fica a meio caminho entre Belém, terra onde teria nascido Jesuis, e Rio Branco, no lendário estado do Acre. Suas coordenadas geográficas são desconhecidas. Nem os meios mais modernos de cartografia conseguem desvendar a posição exata da cidade, uma vez que a mesma fora totalmente construída em cima de palafitas móveis que se deslocam conforme a cheia do rio.

É limitada ao sul pelo Rio negro & Solimões, famosa dupla caipira vinda do sul da Bahia, tendo sido expulsos por Toninho Malvadeza em 1948, após uma insurreição pelo poder na cidade de Feira de Santana. Atualmente Rio Negro & Solimões continuam limitando, ao sul, a grande tribo indígena de Manaus.

Ao norte é limitada por uma região de selva dominada por vários índios canibais e, principalmente, por índias engolidoras-de-linguiça, assim denominadas por adorarem esta iguaria.

Ao leste, a região fronteiriça é, mais uma vez, selva! Porém, na região leste predominam quartéis do Exército, Marinha e Aeronáutica, assim como várias repartições públicas. Muitas vezes, as Organizações Militares, para se custear, se transformam, durante à noite, em Casas de Massagem Amazônica, que nada mais é do que uma putaria generalizada e clandestina.

A oeste, a tribo é limitada pela grande região dos ventos acreanos, que é uma grande porção de selva com características topográficas que resultam em ventos fortes e quentes vindos do Acre, fazendo com que a temperatura mais baixa já registrada em Manaus tenha sido 666ºC, no topo do prédio (feito de madeira) mais alto da tribo. Muitas vezes, em decorrência dos fortes ventos, a região de Manaus recebe, inexplicavelmente, uma enxurrada de bolivianos vindos do Acre e até mesmo da Bolívia, um sub-estado acreano não reconhecido pela comunidade internacional.

Seus vizinhos mais ilustres são os paraenses (que são cerca de 80% da população, o que explica o índice de roubo desenvolvimento nessa cidade tão pacata).

Clima

Manaus em dias amenos do verão.

Manaus, por estar localizada próximo ao Círculo Polar Antártico, apresenta duas estações indistintas: Inverno e Inferno. O inverno ocorre de setembro a fevereiro, caracterizando-se pela elevada ocorrência de chuvas e tsunamis aéreas, constantes tornados e pela completa inundação da cidade, motivo pelo qual a capital amazonense é conhecido como "Atlântida, a cidade temporariamente perdida". Até hoje não acharam Manaus.

Na estação do inferno (ou verão, para os otimistas), que vai de fevereiro a setembro, caracteriza-se por um calor ridiculamente absurdo, sendo que o recorde foi a 34/13/1998, quando os termômetros registraram 999ºC. Nem o diabo põe os pés na cidade, com o medo de queimá-los.

Economia

O comércio manaura tem uma forma diferente do resto do país. Nas lojas da cidade, a figura principal não são os clientes, e sim os vendedores, que não estão nem um pouco interessados em gastar seu precioso tempo oferecendo-lhe os produtos da loja, ou as melhores formas de pagamento.

Portão de Entrada das drogas na Amazônia

Além do Industrial Park (adoram um nome estrangeiro), a cidade é conhecida como "Portão de entrada das drogas na Amazônia" ou simplesmente, "A rota do tráfico". As drogas passam pela capital amazonense e de lá são distribuídas por todos os cantos. De acordo com a Infraero, perdendo apenas para o Rio de Janeiro, Manaus lidera o ranking de exportação.

Com a construção da ponte de Tacoma que ligará o nada a lugar nenhum Manaus ao resto do mundo, a cidade planeja liderar o tráfico na América do Sul. A plantação ocupa 90% do território, entretanto, mantem parceria com a Colômbia, principal fornecedora das famosas ervas, "petecas" e etc. Agora sabemos por que rola tanto dinheiro nesta única cidade e capital do estado do Amazonas!

Manaus também é conhecida por ter um custo de vida tão quanto Sampa. O desavisado visitante ao tentar fazer um lanche em uma barraquinha ou comprar um souvenir para os amigos e parentes depara-se com preços acima de 100 a 200 dólares. Alguns manauaras comerciantes acreditam que o dinheiro circula somente entre gringos da Zona Franca e paraenses sovinas recém-empregados na cidade.

Todo manauara adora a palavra "Shopping Center". Um espaço com 5 lojas e 1 lanchonete ou a partir de 50 m² é considerado Shopping Center. Segue abaixo a lista dos principais shoppings da cidade:

Amazonas Shopping num dia de intenso movimento
  • Amazonas Shopping Center: Apesar da concorrência com o Manauara, continua sendo Considerado pelo povo ribeirinho. Alcunha: Emolândia. Já não é mais o único shopping que é realmente um SHOPPING de Manaus. Ambiente familiar, lotado 24h por emos, devido a falta do que fazer. Tendo apenas uma ressalva: O tamanho da feiura das pessoas que ali frequentam pode causar danos irreversíveis aos seus olhos. A estimativa de pessoas feias é de 50 pessoas por mm². Não o visite aos domingos, pois é o que faz mais que a metade da população da cidade em um lugar menor que o Vaticano. Outra atividade frequente no Amazonas Shopping são os diversos confrontos entre classe W, X, Y e Z (em sua maioria, Orcs Mestiços do Orkut), que recentemente, com a Inclusão Digital e o aparecimento de Lan Houses nos arredores onde eles moram (Compensa e/ou São Jorge), aprenderam a se xingar pelo 'Orcute' e marcam (geralmente na quarta-feira) de brigar (ainda que o brigar deles sejam usar abadá de qualquer festinha e sair correndo dos seguranças do lugar). A outra atividade também praticada é a briga entre outros pobres² que se dizem metaleiros e outros pobres que usam gel fator 4 no cabelo pra se mostrarem como 'emos'. A verdade é, nunca houve briga alguma nesse shopping, a única coisa que aconteceu foram seguranças e polícia militar expulsá-los por ficar gritando em frente das lojas e praça de alimentação.
  • Millennium Shopping Center: Esse é um "Medio" Shopping Center pra classe A do centro-sul do Brasil que mora na cidade. O único onde você pode se sentar em um banco, sem correr risco de contrair alguma doença que alguma outra pessoa tenha deixado por lá. Os frequentadores dos outros shoppings nem sonham em adentrar neste recinto, isso porquê os grandes empresários de Manaus - que na verdade são do sul e sudeste do Brasil - tem poder sobre o local, logo, qualquer confusão gerada nele, seria prontamente resolvida na base de tiros de fuzil e metralhadoras ultrasônicas dos seguranças do mesmo. Outra coisa que faz os pobres se distanciarem deles, é o fato da maioria dos que entram nesse lugar, estarem portando notebooks (ainda que dos mais baratos encontrados na Ramsons e dividido em 666.666 vezes pra pagar) simplesmente pra ficar acessando a internet de graça pela praça de alimentação, e como já se sabe, qualquer pobre vendo tudo aquilo e percebendo que ele só acessa a internet da 'lan ráuse do lado de casa', ficaria intimidado em tentar caminhar ali sem sentir remorso e raiva de ser pobre.
  • Manauara Shopping Center: O segundo e Verdadeiro Shopping Center da capital amazonense, porém, uma tentativa falha de criar um local temático e selecionado para pessoas selecionadas, o fato da cidade ter a extensão territorial de dois campos de futebol impossibilita qualquer elitização de algum lugar, e com o Manauara não é diferente. O shopping foi entregue com inúmeros problemas. Já pegou fogo, banheiros interditados antes de construirem, ainda está cheio de poeira, paredes rachadas, banheiros que te sugam até terem certeza que você não tem família sobrevivendo e decoração de extremo very good bom gosto. O tipo padrão de frequentadores desse local até então são aqueles que querem ser da elite, frequentando um local onde 'teoricamente' só frequenta a elite, e as lojas são para a elite, ainda que várias lojas de lá tenham vindo do centro da cidade (considerado pela 'elite' um local totalmente repugnante).
Puro loosho no Merdauara Shopping Center
  • San Joseph Shopping Center: "Zé" para os íntimos, criado em 1891, desde lá está indo a falência. Com 2 mil m² de ABL, o grande diferencial deste shopping é que não importa a situação em que estejam, ele não deixa de funcionar. Com 100 ou 3 lojas, ele nunca vai falir (não se sabe porquê, visto que a média de frequência do mesmo é de 2 pessoas por dia).
  • Manaus Plaza Shopping Center: Ex-Tvlandia Mall. Era uma emissora? Não, era na realidade um camelódromo aglomerado de lojas pequenas e feias no estilo minimalista que vendem tudo no crediário para os pobretões de plantão que adoram aparecer andando com uma sacola, seja ela do DB, de lojinha de roupa que ninguém conhece e até mesmo sex shop. É famoso por ter corredores e escadas rolantes claustrofóbicos capazes de porem em pânico e causar ataques cardiácos em seus frequentadores mais velhos. Ah! E tinha um cinema lá em cima. Até que fim, em 2009 reformaram e expandriam, mas o nível de pessoas continua os mesmos.
  • Studio 5 Festival Mall Shopping Center: Possui restaurantes disfarçados de lojas para atender os funcionários do Distrito Industrial. No Studio 5 a refeição custa em média 30 reais. Seus frequentadores são os pobres dos arredores (vulgo classe mais baixa do que baixa) que adoram um bom ar-condicionado com cheiro de mofo e que se vestem com roupas extremamente feias de tecido sintético e possuem cabelos oleosos (Clara de ovo). É aonde fica o Cinemark, que tem ficado com um cheiro de sovaco insuportável ultimamente...
  • Cecomiz Shopping Center: Quem nunca passou por ele e perguntou se aquilo era um circo. Imagine um lugar onde é berço de todos os produtos que não foram vendidos nos demais lugares, por falta de qualidade. Lá é o único lugar onde você compra produtos de baixa qualidade por preços altos, isso é um prato cheio para os donos de lojas que querem ganhar dinheiro em cima de produtos avariados. O grande diferencial desse shopping é a praça de alimentação que conta com música ao vivo dos artistas mais antigos de Manaus que cantam a mesma música da ex-banda carrapicho que cantava "Bate forte o tambor, eu quero é o Tic-Tic-tic-ta", que a mais de 20 anos nunca se quer conseguiram uma aparição no Canal Livre pra mostrar seu trabalho. Alguns afirmam que o shopping começou depois que a Suframa abandonou alguns containers naquela área e alguns comerciantes à beira da falência se apropiaram do local.
  • Remulo's Shopping Center: Com o slogan "Todo mundo sabe onde fica (pergunte ao seu pai...)", é o principal destino turístico da cidade. Conhecido como point do picolezeiros e estivadores da Feira da Panair, cobra R$ 5,00 para entrar. Cerva em latinha por um preço justo (R$ 2,50), mesas de sinuca (cuidado onde você for enfiar o taco...), e putas peladas passando - na maioria com o perfil "cavala", "loira do pentelho preto", "pats da zona leste" e etc. Na pior das hipóteses você vai pagar no máximo R$ 25,00 por uma foda, mais o quarto R$ 12,00. Sem contar os shows ensandecidos no palco e a sala VIP, onde você pode se esbaldar com alguma puta durante duas (e não mais do que duas) músicas. Perfeito pra ganhar um boquete pelo preço de uma latinha... É claro que estamos falando de Manaus, logo, não espere encontrar mulheres bonitas, mas muito safadas, verdadeiras "Profissionais do Sequício, R$ 5 pra fazer caridade". Leve sua camisa extra para não ficar cheirando a putaria e aproveite! Pena que esse "shopping do prazer" está perdendo clientes com a crescente ofertas de "fodas for free" disponíveis nas casas de forró espalhadas pela cidade.

Política

O Governo local faz sua propaganda diária dizendo que está protegendo a Amazônia e o Amazonas parece ser um dos que têm a sua floresta mais preservada. Mas algumas indústrias locais são um bom exemplo da degradação ambiental, pois lançam milhares de litros de poluentes nos rios e igarapés locais.

Em um bairro construído sobre um antigo aterro sanitário de resíduos do famoso Distrito Industrial de Manaus, (Novo Israel) há casos de deformação genética e índices alarmantes de câncer. Os humildes moradores locais furam poços artesianos para ter água e, esta está altamente contaminada com metais pesados. O prefeito não se preocupa com isso, porque ele não mora próximo.

População

Demograficamente, os manauaras são divididos entre:

  • Orcs - A etnia predominante em Manaus, como em quase todas vilas do Amazonas. Desde a sangrenta batalha entre Sauron e os Índios (encorajados por Portugal), alguns Orcs tornaram-se prisioneiros de guerra e, devido a cultura Orc de viver em péssimas condições, viram na escravidão o ambiente perfeito para procriar com Negros, Brancos, Índios entre outras etnias.
  • Orcs Ortodoxos - Os ortodoxos, não se misturaram com outras etnias, e até hoje mantém certas tradições e costumes orcs.
  • Orcs Mestiços - São os orcs liberais, esses faziam de tudo, faziam sexo até com tijolo. Dessa libertinagem, surgiram os Orcs Mestiços, que hoje em dia, é uma misturada doida. Os orcs mestiços geralmente tem habilidade para trabalhos informais, e ganham em média meio salário mínimo, geralmente compram celulares pré-pagos parcelados em 64x para tirarem fotos, e ouvir

em músicas (Forró, Pagode, Emocore) no ônibus lotado (isso é o máximo para eles), a atual geração de Orcs Mestiços adotaram o estilo que vêm na novela das 7.

  • Evangélicos Radicais - Normalmente se trata da população pobre da cidade que moram nas favelas, em casas/barracos com terreno maior do que uma casa de classe media alta de São Paulo. Eles acreditam que um dia vão ter uma vida melhor, acreditam que televisão é coisa do capeta, que rouba sua alma, assim como qualquer outro aparelho que consuma energia.
  • Outras Etnias - Paulistas, gaúchos, e outros imigrantes que vivem atualmente em Manaus, formam três classes: Militares, Trabalhadores do Distrito Industrial, ou Empresários. Os trabalhadores e Militares são facilmente vistos pelas festas pagando todas para as periguetes de plantão, que adoram sugar o doce dinheirinho deles, e no fim pedem carona para seu habitat.

Transportes

Manaus e seus Complexos viários

Com grande popularidade e ampla discussão o transito de Manaus é único no mundo. Ele se caracteriza pela ausência de padrões. Assim como num gás, as partículas estão livres para se mover ao longo do volume, as vias de Manaus seguem a mesma maneira.

Manaus é uma caótica metrópole sem qualquer organização de tráfego, os motoristas manauaras acreditarem que as linhas pontilhadas nas ruas são uma brincadeira de ligue os pontos, e ninguém anda em suas respectivas faixas. Não há evidência de que algum manauara alguma vez tenha utilizado o pisca-alerta para sinalizar que vai dobrar. Como a transição da canoa para o bicho com quatro rodas ainda não se deu direito, todo carro de Manaus é anfíbio. Por isso, às vezes a população baré esquece que está em terra firme e ficam singrando de uma faixa de trânsito para outra... As leis náuticas são as que valem para o trânsito de veículos terrestres em Manaus.

Os caminhos que existem para se cruzar a cidade não são ruas e sim trilhas de rally. É muito comum a característica trepidação ao se locomover por Manaus. Buracos, valas, obras inacabadas, asfalto mal pavimentado. Quem aprecia esportes radicais gostará certamente de dirigir em Manaus.

Ultrapassar em Manaus, só pela direita! Os motoristas acreditam estar na pré-escola e costumam sempre andar sobre as linhas pontilhadas, o que lhes dão o nome de Motoristas Pac-Man. Além disso, é comum utilizarem a mão inglesa. Isso se deve a forte colonização inglesa na região. Todos deveriam ter brevê de voo e não licença de motoristas pois usam as faixas como guia igual piloto de avião.

Nem pense em dar sinal de luz que eles não entendem de jeito nenhum e ainda dão cotoco pela janela. Uma coisa é certa: Todos adoram uma buzina. Carro em Manaus pode andar sem bateria mas jamais sem buzina. Tem gente que mesmo sendo o primeiro no sinal, buzina para ele mesmo quando a luz verde acende. Outra característica é o fato de ficarem vagando entre as faixas de trânsito ao menor sinal de obstáculo na frente. É claro que jamais dão sinal e quando muito ligam o foda-se (também chamado pisca-pisca) e giram o volante. Muito útil por lá é o pisca-alerta que funciona sempre que o carro está em movimento para dizer que vai seguir em frente.

As calçadas são oficialmente estacionamento e as ruas passarelas, os semáforos são decorativos, e os guardas são como espantalhos apenas com caráter psicológico.

O transporte coletivo merece destaque. Os ônibus recebem números ao invés de nomes das linhas. Os destinos são impossíveis de determinar. Os terminais são números e os pontos de ônibus tem como único objetivo abrigo da chuva tropical. A maior parte dos ônibus têm ar-condicionado, não possuindo janelas, e quando estão lotados fica aquele cheiro...e aquele calor... Existem também os ônibus circulares, que são um conceito novo de ônibus boomerang. Eles giram, giram, giram e voltam no mesmo lugar. A última novidade no trânsito são os ônibus expressos. São os que mais demoram a passar, e quando passam, estão tão lotados que nem param, daí o nome Expresso. São os únicos capazes de abrigar um bairro todo dentro, em horário reduzido. Em horários de pico, podem levar a Zona Leste inteira!

Vale ressaltar sobre os retornos e paradas de ônibus. Eles são estrategicamente posicionados no mesmo ponto da rua, um de cada lado, de tal forma que quando um carro está parado, tentando fazer um retorno, existe um ônibus na outra faixa "parado na parada".

Também vale lembrar das ruas da cidade com muitos buracos, quando não, ondulações principalmente do lado direito das ruas aonde passam diversos ônibus, e sempre com a inteligência do governo em tapar os buracos com cimento.

O voo mais comum em Manaus é o Manaus-Fortaleza. Se você não gostar dos manauaras, não vá a Fortaleza durante as férias, pois lá você os encontrará aos montes. Ou se quiser conhecer e não quer pagar hum milhão e duzentos mil de passagem para as terras indígenas, vá para Fortaleza mesmo que é mais barato, e lá, conhecerá toda a população daqui, com direito a farofa e frango e um super X-caboquinho.

Segurança

Como qualquer capital brasileira, Manaus não é diferente e pode ser considerada algo como caótica em termos de segurança pública. Os bandidos andam soltos e 100% da população já teve ou a moto ou o celular roubados.

O que chama a atenção em Manaus foi a tentativa do governo federal brasileiro em copiar os gulags russos ao enviar lá para o meio do nada (Manaus) os condenados mais execráveis e repudiáveis do Brasil, a Globo até lançou um reality show em 2016 chamado Supermax para descrever a rotina num desses gulags manauaras. Este sistema de presídios ficou nacionalmente conhecida na virada do ano de 2016 para 2017 num dos maiores motins da história do país.

Comunicações

Os cidadãos manauaras orgulham-se de ser a única metrópole no meio da Amazônia, resultando no maior esgoto a céu aberto do mundo e maior concentração de casas palafitas da história da humanidade.

O Manauara ávido por informação real e o coitado do turista ou quem vai á trabalho para esta peculiar localidade tem acesso aos principais meios de comunicação escrita amplamente comercializados nos semáforos da cidade (banca de jornal deve ter 1 ou 2 na cidade toda). Neles você pode adquirir seu exemplar fresquinho do Diário do Amazonas ou do A Crítica porém nada é mais divertido do que O Maskate (Por favor não me perguntem de onde veio esse nome porque ninguém tem a mínima ideia). O Maskate é o jornal da galera, leitura fácil, inútil e divertida, com tiragem elevada nas zonas portuárias, de comércio central, escadarias de escolas públicas (os adolescentes onanistas amam a coluna "A Musa do Maskate", mesmo se ela for a irmã ou prima de algum deles), estacionamentos ilegais, paradas de ônibus, guichês de jogo do bicho, barraquinha de Tacacá e zonas do meretrício também.

Cultura

Os moradores de Manaus acreditam que árvores são coisas desnecessárias. Por isso, se você for caminhar em Manaus, leve consigo uma capa de chuva, chapéu e passe um protetor solar fator 60!³. A capa de chuva não lhe ajudará caso comece a chover. Se isso ocorrer, providencie logo um bote salva-vidas.

Gastronomia

Manaus é internacionalmente conhecido por sua variedade de peixes. Os destaques são:

  • Tucunaré: Especial pra caldeirada.
  • Pacu: Esse dá em abundância.
  • Pacu Toba: Ou Pacu Cu
  • Curimatã: A popular curica para os íntimos, assado, queima até as beiradas.
  • Cubiu: Literalmente, é pra morder a fronha.
  • Hipoglós: Essa é a mais famosa comida manauara, também chamada de Pa Assado!
  • Cupuaçu: É o capim de Manaus. Bebe-se muito o sucuzinho desta planta.


Todas as comidas da região provocam grandes diarreias. É daí que se diz que o povo de Manaus é "hospitaleiro", pois vive no hospital afetado pela comida. A comida estragada de Manaus também é altamente inflamável, por isso sempre que algum edifício pega fogo na cidade, sempre é algum restaurante.

Idioma

Os manauenses adoram falar mal do sotaque dos outros, mas isso acontece por que eles não tem sotaque próprio, e com isso, ocorre o fenômeno chamado "cario-arigó-bahianês", que é a mistura (MUITO mal feita) do sotaque carioca (mas, com "s" de cearense) e do sotaque baiano, falado de forma nasalizada. Como se não pudesse ficar pior, o sotaque copiado ainda é transmutado de um jeito quase inteligível e então saem as pérolas amazonenses como "seu pomba-lesa" e a necessidade de por a letra "a" na frente de verbos, como: "vamos alevantar essa mesa", "ele vai avoar", entre outros.

Ainda não foi dito, historicamente, se essa necessidade de imitação é simples ciúmes mesmo, se eles gostam de pagar-pau dos outros estados ou falta de imaginação e originalidade, mas nós esperamos que um dia isso seja arrumado.

Esportes

O dominó com xingamento é o esporte símbolo de Manaus. Mas como toda cidade brasileira, também tem seus times de futebol. Manaus tem tradição no futebol, só que feito na grama falsa para ralar o joelho dos indivíduos, os times preferidos dos manauaras são: Flamengo, Vasco, Corinthians, Grêmio. Os times locais, são times de bairro, não disputam nem o Campeonato Amazonense, porque não deve existir. Motivo de extinção da Copa Norte, pois só times paraenses jogavam.

Lazer

Além do belo Teatro Amazonas, das 10.666 praças e 15.769 igrejas e dos "vários" shoppings "xiques" dá cidade de Manaus, existem 4 principais opções de lazer:

  • Parque dos Bilhares - É o parque (o único) recém inaugurado da cidade. Seu movimento em dia de semana é composto basicamente por: Skatistas que ficam lá se mostrando; Playboyzinhos de escolas ricas e que ficam perto da denominação; Logistas que trabalham no shopping da cidade, onde saem da sua monotonia das lojas e saem para pegar um vento misturado com o fedor horrível do igarapé perto do parque; Orcs mestiços e emos têm encontro marcado por lá. Já que são antissociais e blasé não gostam de ninguém perto, quando estão tirando fotos "super-cool" para colocar no Istragan; E mendigos e policias estão por lá também, dormindo, claro. Em fins de semana o movimento é composto literalmente por farofeiros, que gostam de ver chafariz e aqueles cantores sem graça que sempre se apresentam por lá cantando tic-tic-ta. Também existe uma biblioteca onde não pode ler porque ninguém sabe onde fica, Quadra de Esportes para aqueles que não possuem pelo menos um pátio na casa e um café (na maioria das vezes frequentada por Orcs Mestiços).
  • Zoológico Cigs - O local mais frequentado por gente que não tem o que fazer. Levam seus filhos, se descuidam e sempre são mordidos por alguma fera da selva. Algumas pessoas visitam por causa de nunca ter visto animais diferentes (abadazeiros são bem comuns) e se maravilham ao encontrar a anta, a cotia, a capivara, a cobra (as mulheres dão gritos de loucura), sem falar nos recrutas do exército que se dão uma pose de machão.
  • Parque do Mindu - Localizado perto do Bairro Parque das Laranjeiras (mais um parque/praça. Ironicamente não existe nenhuma laranjeira) com suas ruas com enormes crateras confundindo=se com a Lua. No parque é difícil você achar uma alma vivente em um dia de semana, em fins de semanas ele é aberto para fazer trilhas por dentro da mata, onde a única coisa de interessante que você encontra é: mato, macaco, grilo, mais mato, árvores, troncos cheio de leite (ui). Sem falar dos mosquitos da dengue e da malaria, altamente venenosos e com o triplo do tamanho normal.
  • Reserva Adolphe Duque - A reserva é localizada no bairro Cidade de Deus (existe apenas duas no mundo todo, Rio de Janeiro e Manaus).

Logo na entrada da reserva você encontra vários paus, a maioria das pessoas, admiradas com o tamanho, ficam tocando e fazendo carinho no pau e até batem fotos. Logo depois disso tem uma grande cobertura para comer e se divertir, onde a "zelite" come o mais famoso x-caboquinho, existe também um lado muito fedorento coberto por rãs e sapos. Não tente comprar sorvete, caso contrário, você pode contrair Doença de Chagas. A dinâmica do parque é a mesma do Parque do Mindu! Com exceção das trilhas que são enormes e você é acompanho por uma criança de 12 anos e que se "perde" no caminho.

Turismo

Manaus é visitada apenas por turistas excêntricos que dizem querer conhecer as árvores da Amazônia. Os cidadãos que lá moram acham isso muito peculiar, mas ficam calados e não julgam esses pobres seres que desejam ir, por conta própria, para o meio da selva serem assolados por um calor miserável e devorados vivos por mosquitos transmissores das mais diversas doenças tropicais.

No perímetro urbano, a única opção disponível é o famoso Teatro Amazonas, o único cartão postal da cidade, construído na época áurea do Tiramento do leite do pau (até hoje as manauaras tiram leite do pau, mas isso não é mais moda no resto do mundo), quando era chique ter prostitutas francesas de estimação, o Teatro Amazonas foi idealizado pelos barões da borracha cansados de ter que ir a Belém para desfrutar de um bom bordel. Sua construção foi concluída já no final do ciclo da borracha. Nele foi apresentado a famosa ópera italiana de Giacomo Playccini, La Garganta Profunda e a famosa tragicomédia de Shakespeare, Chupa-Chupa Quero Mais.

Mesmo sendo o principal e único cartão postal, o Teatro Amazonas é o único teatro que existe em todo o Amazonas, e foi visitado por menos de -1% da população amazonense, que acham que aquele prédio bonito só serve somente "pá enfeitá".