Mandarim (Marvel Comics)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Madruga1.jpg Pastel de flango, né?

Este altigo foi fablicado na China e pode queblar a qualquer momento. O autor plovavelmente luta Kung Fu e tem uma pastelalia. Não estlague este altigo, pois Jackie Chan está de olho.

Capamav-arc mandarin stand.png
O mandarim em seu traje Comunista tradicionalmente chinês

Mandarim (Marvel Comics) é um vilão do Homem de Ferro. O mandarim era um filho de criação chinesa mas que era filho de uma nobre inglesa. Ou seja, a nobre veio para a China e teve que vender o corpo para poder voltar ao seu país. Ela teve um filho chinês que não conseguiu explicar para o pai, Ela então encomendou para o último que deu para ela que era um vendedor de charutos. O Mandarim nunca se contentou com isso e jurou vingança à Inglaterra. O lugar onde a maioria de seus ataques ocorre.

História[editar]

Mandarim e seus bonecos de argila que quebram ao bater no homem de ferro.

Como já foi dito, a mãe dele era inglesa. Ela tinha ido para a China forçada, seu pai queria que a acompanhasse lá mas eis que ela acaba saindo do hotel e se perdendo em Xangai. Foi o bastante para perder o caminho e ficar lá. Apesar de tudo, o pai só foi notar que ela sumiu quando ela tinha voltado para casa com um Alien na barriga.

O nobre começou a murmurar: "Fuck Fuck Fuck Fuck Fuck Fuck Fuck Fuck " pois é muito difícil identificar um chinês, sem querer ser Racista. Bem, ela falava que todos os seus "clientes" usavam camisinhas e ela checava mas não sabia como ocorreu.

Talvez tenha sido aquela do "produto chinês. Aquele com qualidade e autensidade duvidosos", vai que uma das camisinhas veio furada.

Como o avô do mandarim tinha seus contatos ele fez uma grande vista grossa para as fábricas de camisinha da China que tiveram sua história repercutida por todo o território chinês, perdendo a sua confiança da clientela. Todas as fábricas mandaram uma carta com um pedido de desculpas pela camisinha estar furada.

Quando a nobre inglesa mandou o mandarim de volta para a China, sua certidão de nascimento foi essa carta com os seguintes dizeres:

Cquote1.png Toma que esse filho é seu Cquote2.png
Nobre inglesa, para as fábricas chinesas de camisinha

Já não começou bem a história.

Infância[editar]

O mandarim é criado por um bondoso inventor, ele trabalhava em uma das fábricas e foi o único voluntário que iria adotá-lo. Afinal os outros já tinham filhos, este chinês tinha impotência sexual e dizia que ele era mais esperto por causa disso. Ele inventava novos tipos de charuto que poderiam ser produzidos em massa algum dia.

Ele criou o mandarim de seu jeito. Acontece que até mesmo o senhor tinha uma mágoa com o mundo, afinal uns turistas bêbados ingleses desafiaram ele a fumar mais de 8000 cigarros de uma vez só, o efeito foi tão broxante e ruim que ele ficou com uma impotência sexual eterna, ele desenvolveu um ódio dos ingleses e nunca mais fumou por nojo.

Por isso fabricou charutos que curavam essa impotência. O mandarim foi tomar a sua missão, ele se sentiu inspirado pela causa de seu pai e então foi atrás de ideias, foi aí que, no quintal, ele achou um disco voador caído, pôs um pedaço no charuto e isso curou a impotência sexual do mandarim (?)

Seja como for, ele deu para seu pai esse negócio. Foi assim que eles ficaram ricos: vendendo charutos.

Vilânia[editar]

Ele virou vilão após, no leito de morte de seu pai, ele ter contado a ele a verdade. Ficando "Pê" da vida, ele resolve fazer um charuto gigante para acertar Londres. Mas o Homem de ferro pára ele. É assim que começa as desventuras do Mandarim e do homem de ferro. Seu maior inimigo. Bem o mandarim não descansará até foder Londres. Vendo que estava pensando pequeno ele decide voltar lá naquele arbusto com o disco voador e pegar aquela tecnologia.

E, não pensando pequeno, conseguiu fazer bonecos de argila com aquela tecnologia, agora eles eram soldados eternos (Ou quase) que poderiam matar o homem de ferro com... Argila? Tá agora soou BEM ridículo. O mandarim continua ainda inteiro, com a fábrica de charutos, os bonecos de barro e... só.

Ver também[editar]