Marcelino Ramos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Gauchodanc.jpg Mas bah, tchê!

Este artigo buenaço e tri-legal é do mais puro humor gaudério dos pampas, vivente, então veste tua bombacha, recolhe teu pelego no galpão e toma um mate amargo com a gente, macanudo!

Chima.jpg
Marcelino Ramos e suas chiquérrimas estações de trem sem saneamento básico e eletricidade.

Marcelino Ramos é uma cidade que fica no Rio Grande do Sul e tem importância mais reduzida que seu território. Segundo a constituição do Rio Grande do Sul, Pi é igual a 3,14 e mais alguns setecentos números.

Um dos bares que a cidade diz ter, mesmo a maioria sabendo que no máximo sai uma barraquinha de limonada.

Cquote1.png Eu não tô entendendo... Cquote2.png
Você sobre a constituição sem-sentido

Sim, aposto que é pela constituição. Enfim, aquela merda só presta para jogar na cabeça daquele nerd que sempre responde as perguntas antes de qualquer um. Marcelino Ramos é uma cidade que possivelmente você não conheça e que pode ser obra da sua mente. Você só sabe que ela existe por causa das fotos que tem ao lado que são falsas.

História[editar]

A história veio quando os colonizadores alemães chegaram na região e quiseram implementar a linguiça e a bebida no estado. Por lá em 1900 e alguma coisa... Então, começaram a construir uma ferrovia, que iria fazer o transporte ser revolucionário, tão revolucionário que achavam que seria usado por 3000 anos até ser trocado por carros voadores. A verdade é que os 3000 anos só prestaram para 3 anos... A cidade de Marcelino Ramos seria a capital do turismo e a cidade que visaria ser a que mais ganharia com a ferrovia, como ela não funcionava mais, começaram a reclamar para o estado que não fez porra nenhuma para reverter a situação, também: todos estão pouco se fudendo para Marcelino Ramos.

Atualmente[editar]

A cidade está em profunda crise grande novidade assim como todos os outros municípios minúsculos do Rio Grande do Sul descobriu sozinho? que se emanciparam a pelo menos uns 20 anos atrás.

Enfim, a cidade tenta combater esse mau vendendo seus trens e usando o ferro para transformar em munição para a polícia que está se preparando para a chegada do Lobisomem e do Slenderman, animais que vivem nas redondezas e que atacam as criancinhas da vila, impedindo que a cidade siga com uma população jovem.

Economia[editar]

Minúscula, tão pequena quanto pau de japonês, a cidade tenta sobreviver vendendo coisas para o Paraguai. Além disso, tentam o turismo, se auto-intitulando a capital do alto Uruguai, país novo ainda não oficializado que seria um dos estados dos Estados Unidos do Sul. Veio a calhar uma oferenda de 15 mil para a cidade que teria que colocar um cartaz onde o prefeito estaria dançando pelado e que a tarja seria a logomarca da empresa: tudo não se passava de uma pegadinha, e a cidade de Marcelino Ramos acabou sendo conhecida como a cidade mais burra do sul do Brasil.