Marco Aurélio Antonino Augusto

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Romanopre.jpg
ROMANI ITE DOMVM!!!


HÆC ARTICVLVS ROMANVM EST. LATIM LOQVÆBITVR. NON INTERLEGIT? HVMORIS PRIVATVS NON EST. MVITISSIMVS ENGRAÇATVS!!! SED ROLA MEAM VADE MAMARE! VADE FŒDERE CVM PORRIBVS NOSTRVM.

Spqrpre.jpg
Cquote1.png Na União Soviética, quem filosofa sobre Marco Aurélio é VOCÊ Cquote2.png
Reversal Russa sobre Marco Aurélio
Marco Aurélio entre os grandes nomes da filosofia
Marco Aurelio Antonino Augusto ou simplesmente Marco Aurelio foi o imperador filósofo de Roma. Sentado em seu trono, na grande sala do trono do palácio, cercado por centenas de milhares de escravos capazes de trocar centenas de milhares de rolos de papel higiênico a um acenar de sua mão, Marco Aurélio contemplava a grandeza do Império Romano e a vaidade das paixões humanas. E ainda mantinha os bárbaros longe.

Tabela de conteúdo

[editar] Início de carreira

Marco Aurélio enfrentando as feras do Coliseu
Cquote1.png Sim, sim, sou um filósofo. Animo festas infantis e bacanais por apenas 100 denários a noite. Sim, faço por 50 também animação de velórios Cquote2.png
Marco Aurélio no início de carreira

Marco Aurélio começou sua carreira como filósofo stand-up andando por Roma em busca de uns trocados fazendo shows filosóficos e comédias de improviso nas bacanais dos senadores ricaços. Seu escritório artístico ficava no terceiro degrau do templo da Concórdia, especialmente porque batia sombra a tarde e ele podia dar uma cochilada antes do show da noite.

Nem vem me perguntar porque eu nem li!
Sua vida começou a mudar quando na casa do Senador L.A.R. Appius conheceu o imperador Adriano. Adriano estava inconsolável porque seu amante, Antino, havia morrido com uma hemorragia anal incurável, e o imperador se culpava por ser sempre um sujeito tão grosso com ele. Marco Aurélio consolou Adriano, demonstrando filosoficamente que um homem não tem culpa pelo próprio calibre, e era responsabilidade de Antino se ao servir a César ele não dava o melhor de si totalmente relaxado. Que todos os homens deveria dar tudo de si a serviço de Roma e de seu imperador, e que nada, nem nenhuma dobrinha sequer deveria ser poupada a serviço da glória do Império Romano e da maior satisfação de César. E que tinha certeza que Antino tinha subido ao Monte Olimpo, vivendo entre os deuses e colocando seu botão o melhor de si a serviço de Júpiter e dos imortais.

Adriano ficou consoladíssimo e viu grande potencial em Marco Aurélio, nomeando seu secretário pessoal. Neste momento, a estrela de Aurélio começou a valer e ele galgou oos difíceis degraus da arte de puxar o saco de César.

[editar] Filosofia

As legiões na época de Marco Aurélio. O exército romano resolvia tudo, exceto os problemas de perspectiva
Marco Aurélio não é um expoente filosófico romano como Sêneca, mas dá para o gasto. Representa em certo sentido um avanço profundamente estético vanguardista que vai além do simples Sócrates é mortal comum dos pensadores gregos, mas simultaneamente unido à praticidade do pensamento romano.

I. Sócrates é homem

II. Todos os homens são mortais

III. Há quem coma Sócrates

IV. Mas há quem coma a mulher do Sócrates

V. Logo, quem é comido sempre é mortal

VI. Eu também como

VII. O Imperador pode comer a todos, aliás

VIII. Gosto de comer salada

Pode-se dizer que a filosofia de Marco Aurélio chegou onde nunca antes nenhum outro pensador havia chegado
IX. Se Sócrates e a mulher de Sócrates são comidos

X. Sabendo que os gêneros não se unem senão nas espécies, propter ergo, Sócrates e a mulher de Sócrates por serem comidos são salada

XI. Sendo salada, mas de gênero diferente, in consequentiam, o aparente paradoxo epistemiológico só pode ser resolvido acertando os coligigmas cognitivos do gênero

XII. Logo, Sócrates é legume

XIII. Logo, a mulher de Sócrates é verdura

XIV. Se Sócrates às vezes come a mulher de Sócrates junto a ou necessariamente depois de outras pessoas

XV. Conclui-se que legumes comem verduras, o que perfeitamente plausível do ponto de vista que restos de verduras adubam hortas de legumes

XVI. O que demonstra a primeira observação que Sócrates, por ser adubo, é mortal

Logica praefecta magnificentissima, Ave

[editar] A Ascensão ao trono

Morreu Adriano de uma estranha doença venérea, após ter nomeado Antonino Pio como sucessor. Marco Aurélio já filosoficamente muito mais maduro, foi nomeado prefeito chefe do Coliseu. Aurélio podia cuidar da programação cultural do Anfiteatro para os jovens romanos.


Entertenimento infantil na Roma Antiga
C O L I S E U :

(ANFITEATRUM FLAVIUM PRODUÇÕES ARTÍSTICAS S.A.)

AGORA COM SENSACIONAL MATINÊ PARA CRIANÇAS

orgulhosamente apresenta sua programação cultural


CRISTÃOS AOS LEÕES

O show que já pôs fogo em Roma!

Seu filho não vai querer perder nenhum segundo

As feras estão famintas e cheias de garra(s)

Venha abocanhar agora seu ingresso!!!!

Não vai sobrar nada depois


M. AVRELIVS, filósofo, curador e promoter

E o prato a atração de hoje no Anfiteatro é cristão ao molho (leo)pardo
Marco Aurélio ficou rapidamente um homem muito popular em Roma com a política de Filosofiae et Circenes. Foi eleito por três anos seguidos o homem mais elegante de Roma, como aquele que melhor dobrava as pregas da toga, foi eleito dois anos seguidos o melhor (e único) filósofo romano desde Sêneca e condecorado como a mais bela barba do lado esquerdo do Capitólio. Também recapeou e duplicou toda a Via Aurélia ainda com o slogan: E a Via Aurélia? Foi Marco Aurélio que fez!!! e também seu jingle político muito útil nas eleições Marco Aurélio filosofa mas faz!

Tão popular assim, Antonio Pio, um imperador muito calado, que não dava nem um pio, nomeou Aurélio como seu sucessor. Quando morreu César, chegou finalmente a hora do filósofo colocar sua teoria em prática. E pela primeira vez deste A República de Platão um filósofo iria governar algo. Diga-se de passagem, Marco Aurélio foi o último bom imperador, depois deve veio apenas crise e decadência. Roma aguentou os cartagineses, os macedônicos e os gauleses, mas nunca se recuperou da filosofia em doses cavalares de Aurélio.

[editar] Perseguição na época de Marco Aurélio

Cquote1.png Como diria Platão em sua Metafísica... Cquote2.png
um professor de filosofia ensinando errado na hora errada

Cquote1.png Eu não ouvi isso!!!! Como você ousa confundir Aristóteles com Platão?! Este homem é uma ameça para a paz no Império. Pros leões!!! Cquote2.png
Marco Aurélio com algo que realmente o deixava puto

E as legiões romanas subjulgam mais um inimigo do Império...
Roma viveu uma época de tranquilidade de prosperidade sob Marco Aurélio. Exceto nas escolas de filosofia, onde Aurélio exercia toda a sua tirania que evitava extravasar no Senado ou no Fórum Romano.

Marco Aurélio também não gostava de cristãos, e os usava cotidianamente para manter os leões do Coliseu devidamente alimentados. Isso causava muita irritação entre os cristãos. São Justino, um cristão esclarecido e estudado da época, escreve uma longa carta para Marco Aurélio defendendo os cristão de todas as acusações e dando uma bronca no imperador por sua injustiça. Mas como era um bom cristão e não podia mentir, teve de escrever seu endereço no remetente da carta, o que tornou muito fácil para a Guarda Pretoriana o encontrar e dar um fim nele, por isso ele é conhecido hoje em dia como São Justino Mártir. Muitos dizem que na verdade Aurélio nem o mandou matar porque era cristão, mas porque na juventude Justino tinha dito que o platonismo nem era tão bom assim.

[editar] As Guerras

Os prisioneiros argentinos depois da invasão romana de Buenos Aires
Marco Aurélio enfrentou diversas guerras na Germânia, como então se chamava a Alemanha da época. A primeira guerra turística aconteceu contra os alemães que insistiam em visitar Roma no verão e tentavam usar bilhetes de entrada no Forum Romano que já venceram a mais de três dias (se há uma lei que vale em Roma, é que a entrada do Coliseu só vale para entrar no Fórum até em três dias). Marco Aurélio levou suas legiões até Munique e colocou fogo no aeroporto, destruindo uma importante rota migratória de germanos até Roma e marcando a ascensão de Frankfurt como o grande hub de conexão da Lufthansa.

A segunda guerra turística foi contra a Gália, contra a insurreição dos habitantes de Lutetia Parisiorum que insistiam em dizer que um dia sua cidade ainda receberia mais turistas japoneses que Roma, e que teriam um Arco do Triunfo mais novo e mais bonito que os já detonados de Roma. Aurélio levou suas legiões as margens do Sena e destruiu umas cabanas francesas, reforçando que a capital da Gália era Lugdunum e que quem não gostasse fosse reclamar com os francos, que eram os bárbaros mais sinceros que existem.

Marco Aurélio na invasão da Gália
Marco Aurélio também começou a guerra portenho-latina que os livros de história infelizmente registram muito pouco ou quase nada. Cansado da arrogância da Argentina em querer se dizer fora da América Latina e portanto negando as origens romanas, o imperador levou suas legiões até Buenos Aires e arrasou o bairro de La Boca. Trouxe diversos espólios de guerra, como a bituca de cigarro de Carlos Gardel e a clavícula de Evita Perón que instalou no topo do templo de Marte Milongueiro, infelizmente destruído pelos visigodos.

A sua última guerra foi uma campanha contra os Quados novamente na Germânia. Ao contrário dos outros bárbaros turistas, os quados queriam ir para Roma apenas para saquear, não burlar entradas de museus. A guerra foi dura, especialmente porque lutavam na perigosa Floresta Negra e todos sabiam que Aurélio detestava bolo de chocolate.

[editar] A morte

Cquote1.png Soldado, venha aqui. Você concorda que as espécies se diferenciam pelos entes mas se unem nos gêneros pelas essências? Cquote2.png
Marco Aurélio passando as legiões em revista

Cquote1.png Claro que sim, ó grande César!!! Apenas um bárbaro ou um visigodo não saberia estas coisas! Cquote2.png
Legionário concordando, o que sempre era a melhor política

Cquote1.png Parabéns! Você tem muito potencial. Vou te promover a centurião! Cquote2.png
Marco Aurélio, um homem que sabe recompensar o talento

Quase ninguém sabe, mas além de filósofo e imperador, Marco Aurélio também era um excelente adestrador de animais. Vemos aqui ele ensinando seu cavalo a levantar a patinha
Durante a campanha contra os quados, Aurélio teve um mal estar súbito, porém filosoficamente negou-se a procurar um médico, afirmando que deveria estoicamente suportar tudo e que epistemiologica e semióticamente aquilo não passava de um imperativo categórico ilusório, e que contestava os paradigmas da realidade que exigiam que aquilo fosse considerado dor.

Aurélio foi piorando, piorando, piorando. Ainda assim ele dizia que era tudo psicológico e cismava de acompanhar as legiões. Finalmente, o imperador começou a resmungar que os elefantes rosas dançarinos cartagineses não conseguiam entender a diferença do ente e da essência. Os centuriões recomendaram que César fosse descansar no acampamento que eles cuidariam os bárbaros, mas Aurélio não quis, alegando que ele devia estar vigilante já que os paradigmas semióticos poderiam emboscar o exército romano a qualquer momento num grande paradoxo epistemiológico, e que toda disfunção cognitiva advinda desse sofisma poderia ameaçar a estrutura metafísica do Império. Os soldados concordaram porque aprenderam que concordar sempre é a melhor política com o imperador.

Roma estava a uma batalha de vencer os quados quando Aurélio caiu do cavalo para nunca mais se levantar. O exército romano, obviamente, continuou lutando contra os bárbaros e há quem disesse até hoje que lutou melhor sem Marco Aurélio resmungando sobre a vaidade da glória mundana na orelha dos legionários.

[editar] A sucessão

Sempre quis saber o quê os imperadores romanos escondem debaixo dessa sainha ai...
Com a morte de Marco Aurélio, seu sucessor foi seu filho folgado, Cômodo. Enquanto o pai estava no campo de batalha, Cômodo ficava no acampamento balançando na rede, bem acomodado.

Marco Aurélio foi o último grande imperador romano da época clássica, a despeito de sua mania de filosofia. Depois de sua morte, Cômodo foi uma tragédia e o Império passou por cem anos de guerra civil. Como legado, não terminou de matar todos os cristãos de Roma, ai veio Constantino e Teodósio Magno - deu no que deu, os cristãos saíram da toca e Roma tornou-se uma cidade muito católica e devota, com o Vaticano, a Capela Sistina do Michelângelo e aquelas fontes maravilhosas do Bernini.

Marco Aurélio tabém não conseguiu terminar toda sua teoria unificatória filosófica, que uniria de uma vez por todas as escolas de Aristóteles, Platão, Zenon e Epicuro, e há quem diga que imepdiria para sempre os trabalhos de Schopenhauer, ???Nietzxch???, Hegel e Kierkegaard, ironicamente todos filósofos alemães contra os quais Aurélio lutou a vida inteira pela segurança do Império, provando que SIM, o imperador estava certo nas suas campanhas na Germânia.


Precedido por
Antonino Pio
Mininero.jpg
Imperador Romano

198 - 204
Sucedido por
Cômodo

Romanpre1000.jpg
Imperadores Romanos

Júlio-Claudianos
Otávio AugustoTibérioCalígulaCláudioNero

Guerra Civil e Flávios
GalbaÓtonVitélioVespasianoTitoDomiciano

Antoninos
NervaTrajanoAdrianoAntonino PioMarco AurélioCômodo

Severos
PertinaxDídio JulianoSétimo SeveroCaracalaMacrinoHeliogábaloAlexandre Severo

Zorra Total ou Quem der mais leva
Maximino TrácioGordianos (I, II e III)Filipe ÁrabeDécioTreboniano GaloValerianoGalienoCláudio II GóticoAurelianoProboCaroCarino

Tetrarquia e Constaninianos ou Agora somos cristãos, Amém!
DioclecianoConstantino MagnoConstantino IIConstanteMagnêncioConstâncio IIJuliano ApóstataJoviano

Valentinianos e Teodosianos ou Corra que os bárbaros vêm ai
Valentiniano IValenteValentiniano IITeodósio MagnoHonórioConstantino IIIValentiniano IIIPetrônio MáximoÁvitoMajorianoLíbio SeveroAntêmioOlíbrioGlicérioJúlio NeposRômulo Augustulo

150px-Nietzcheasayoungwoman.jpg
Filósofos, autistas e outros maconheiros pensadores
v d e h

Adam Smith | Albert Camus | Anaxágoras | Aristóteles | Arquimedes | Arthur Schopenhauer | Ayn Rand | Blaise Pascal | Confúcio | Demócrito | Descartes | Diógenes | Émile Durkheim | Empédocles | Engels | Epicuro | Francis Bacon | Nietzsche | Giordano Bruno | Gordo Nerd | Galeno | Goethe | Hegel | Heráclito | Horácio | John Locke | Jürgen Habermas | Kant | Karl Jaspers | Karl Popper | Lao Zi | Leonardo Boff | Louis Althusser | Ludwig Feuerbach | Maquiavel | Marco Aurélio | Marilena Chauí | Martin Heidegger | Marx | Michel Foucault | Montesquieu | Olavo de Carvalho | Pitágoras | Platão | Roger Bacon | Rosseau | Santo Agostinho | Sartre | São Tomás de Aquino | Sêneca | Seu Madruga | Sócrates | Sólon | Søren Kierkegaard | Sun Tzu | Tales de Mileto | Thomas Hobbes | Voltaire | Walter Benjamin | Wilhelm Dilthey | Zenão de Eleia | Anthony Giddens



NENHUM ANIMAL FOI FERIDO FAZENDO ESTE ARTIGO

Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas