Marcos Pasquim

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira do Estado de São Paulo.svg.jpg Salve, truta! Este artigo é paulista: não gosta de gaúcho nem de carioca e se acha um puta trabalhador, né, meu! E não tá completo, pois o vacilão foi tomar um chôps e dois pastel, meu!
Marcos Fábio Prudente
Kubanacann.jpg
Marcos Pasquim com seu penteado gay
Nascimento 14 de junho de 1969
Bandeira do Brasil Brasil - São Paulo
Ocupação ator

Marcos Pasquim é um premiado ator brasileiro, famoso por quase sempre interpretar galãs descamisados nas telenovelas da Rede Globo e arrancar suspiros da mulherada de todas as idades. Apesar de já estar meio coroa atualmente, continua bem gostosão, e ainda é capaz de molhar calcinhas, mas porque suas fãs também já estão velhas e agora sofrem de incontinência urinária.

Carreira[editar]

Início[editar]

Pouca gente sabe, mas seu primeiro contato com a vida artística não ocorreu na atuação, e sim na música. Na década de 80, foi integrante da boy band brasileira Explosão, uma tentativa muito da frustrada de fazer uma versão nacional do Menudo. Se você fizer uma busca pelo YouTube, encontrará as vergonhosas apresentações do grupo em programas de sucesso na época, como o Clube da Criança.

Rede Gobo[editar]

Com o término do seu grupo musical fracassado, Pasquim começou a atuar em peças de teatro. Seu talento nos palcos chamou atenção da Globo, e a emissora carioca prontamente tratou de chamá-lo para ser figurante das suas novelas ruins. Seu primeiro papel, que nem nome tinha, foi um assaltante que apareceu em um único capítulo de A Viagem. Como ele caiu nas graças do público feminino e deu boa audiência, foi logo contratado para fazer papéis um pouco menos piores.

Seu personagem de maior destaque até hoje foi o protagonista da novela Kubanacan, em que fez par romântico com a peituda Danielle Winits. Na verdade, ele interpretou quatro papéis simultaneamente na trama, o que era apenas uma desculpa arrumada pela produção para gravar mais cenas dele sem camisa, já que Winits não podia mostrar os peitos por ser uma novela das sete. Assim, como não podiam contar com a audiência dos telespectadores punheteiros, apelaram para as telespectadoras siririqueiras.

Outras emissoras[editar]

Embora seja mais conhecido pela carreira global, Pasquim já deu umas escapadelas para trabalhar em outras emissoras. Em 1998, fez participações especiais em Brida e Chiquititas, novelas exibidas respectivamente pela Manchete e pelo SBT. Depois, retornou à Globo, onde permanece até hoje, atualmente enchendo linguiça em Malhação. Que decadência! {{#logotipo:http://images.uncyc.org/pt/e/e1/Desciclo_e_voc%C3%AA_%28menor%29_copy.png}}