Marechal Hermes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Bandeira rj.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.

Joao Maozinha - RJ.jpg Esty artygo é dy pobry!

Esty artygo é sobry koyzas dy póbry, peçowas póbrys y o dono
taméyn dévy dy sê un pobretãwn do karáy!

Marechal Hermes, bairro da cidade do Rio de Janeiro composto de estudantes aboiolados das Escolas ali localizadas e desocupados que costumam encher o bairro formando filas quilométricas para comprar uma pseudo batata frita engordurada. Aliás, a batata frita é a atração turistica do bairro. Outro fato é que Marechal Hermes, que faz fronteiras com outros bairros de pobre assim como ele (Bento Ribeiro, Honório Gurgel, Rocha Miranda, Vila Valqueire, Deodoro e Guadalupe) é que possui uma grande concentração de mendigos. O bairro tem um mal cheiro desgraçado devido ao valão que passa pela linha férrea.


Atrações[editar]

O bairro também é conhecido como Lapa do subúrbio pois nas noites costuma ter uma grande concentração de pobres que compram lanches e comem na pracinha e de bebados que bebem até cair. Os frequentadores já estão acostumados com os assaltos frequentes e com as bocas de fumo.


Curiosidade[editar]

Marechal Hermes é o bairro preferido das Novelas de tv. Quando a personagem da novela é miserável e passa fome, a emissora faz suas filmagens no bairro para parecer mais com a realidade.


Transporte do Bairro[editar]

Existe uma estação de trem fedorentíssima porque em baixo dela existe um rio que é carinhosamente chamado pelos moradores do bairo de valão. Há boatos de que existem as linhas 669, 908, 650, 638 e 378 mas que ninguém nunca vê.

Lendas[editar]

Reza a lenda que existem duas linhas de ônibus adicionais em Marechal, mas que ninguém nunca as viu e muito menos encontraram o ponto final. São elas: 265 e 277. É como se fosse um ônibus fantasma, à relatos de pessoas que dizem ter visto, que são todos quebrados e pichados. Essas pessoas são as mesmas que juram ter visto naves espaciais.