Marina de Oliveira

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Danese.jpg -Marina de Oliveira é gospel porque ser gospel tá na moda...-

...e já levou coice da Vanilda Bordieri no Twitter.

Cuidado: Ouvir suas músicas é um perigo para o teu cérebro.

Bandeira rj.jpg Coé, merhmão, eshte arhtchigo eh CARIOCA!

Não vandalize, senão a chapa vai ficarh quentche, cara. Agora deixa eu irh na praia pegarh um bronze nesse sol de 50 graush, comendo unsh bishcoitosh.

Tem que ter muito Photoshop e maquiagem pra não parecer ter uns 60 anos já!

Cquote1.png Você quis dizer: A filha da peste Cquote2.png
Google sobre Marina de Oliveira
Cquote1.png Experimente também: A Madonna gospel Cquote2.png
Sugestão do Google para Marina de Oliveira

Marina de Oliveira é uma cantora carioca de música gospel do gênero pop, fazendo uma mistureba de estilos e achando que também pode ser publicitária e dona da gravadora dos pais (a MK Publicitá), além de ter cantado num grupinho chamado Voices que só tua tia crentelha deve lembrar que existe - e com nojinho, já que aquelas músicas "agitadas demais" dão agonia em qualquer senhorinha crentelha.

História[editar]

Em 1986 ela começou a achar que cantava, e assim, sendo uma filhinha de papai, conseguiu financiamento pra lançar seu primeiro disco, "Imenso Amor", onde ela botou um vozeirão daqueles e copiando umas cantoras crentes dos EUA tipo Amy Grant e Sandi Patty (essa última não tem absolutamente nada a ver com essa). A música de maior sucesso dela desse disco foi a música "Faça um Teste", que incentivava as meninas a fazerem o tão temido teste lá que todo homem corre na hora...

Daí pra frente ela conseguiu transformar uma empresa de publicidade de quinta que ela tinha com uma amiga chamada Kathia Kozlowski (que não tem parentesco nenhum - ou não - com aquela apresentadora gostosa) na maior gravadora de crente por anos (a MK Music), apresentou um programinha chato chamado Conexão Gospel (onde passavam uns clipes bem bostas que ela fazia pros artistas de lá), além de sucessos dela seguidos de clipes cinematográficos ao estilo Os Mutantes - Caminhos do Coração, como o de Coração Adorador ou o de Jesus Volta Logo, que mais parecem filmes bem mal feitos de perseguições que a Igreja Católica fazia contra os "protestantes" - aquela turminha que só fazia protesto na frente das igrejas dizendo "padre pode casar também" ou "bota uma cueca debaixo dessa batina, ninguém quer ver essa rolinha mole não!"

O último disco dela, "Na Extremidade", de 2010, que com certeza você não ouviu, ganhou o Grammy Latino, o que deixou umas bibas lokas como André Valadão, bem invocadinhos, no que a Marina pediu pra eles pararem com o veneno porque senão Inri Cristo castiga!

Desde 2012 ela parou de cantar, pra alegria de todos nós, apesar de continuar os negócios da sua mamuska Yvelhice de Oliveira. Cruz credo!

Vídeo[editar]

Por esse vídeo você já vê que deixar sua filha virar cantora e organizar os próprios videoclipes pode causar uma vergonha alheia daquelas!

Ver também[editar]