Marinha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Sengoku the buddha.jpg Este artigo é da Marinha!

Não vandalize, senão o Bom Crioulo vai lhe traçar!

Clique aqui para saber de outros bravos marinheiros que só se fodem!

Mantenha distância... ALLAHU AKBAR!!!!

Esta página contém elementos bélicos, químicos, atômicos ou bombásticos,
podendo causar um grande estrago no computador (e na mente) do leitor.
Exploding-head.gif
Típico navio de guerra brasileiro
Marinha do Brasil e seus arrojados navios de guerra em uma missão da Otan.
Acabou o preconceito.

A Marinha é a parte das forças armadas que abrange as armas navais, ou seja, do mar. Para os países que não tem litoral, as forças aquáticas são conhecidas como Lagoinha, por atuarem nos lagos em vez de no mar. Os veículos envolvidos na Marinha são os navios, submarinos, jet-skis de guerra, lanchas de guerra, barco a remo com fuzis, canoas armadas, botes-bombas, aviões ({{verdade}}, pode acreditar) e, dependendo da Marinha, até canoa, é só dar uma conferida na Marinha do Brasil da região da Amazônia pra notar. Se você quiser ingressar na Marinha (Cquote1.png que loucura, como você é burro! Cquote2.png) terá que ser aprovado antes pela apresentação às Forças Armadas ou, se não quiser virar faxineiro de convés e "marujo de brinquedo", passe num concurso.

História[editar]

As engenhocas que os nossos antepassados fizeram pra descobrir o mar

Nossos antepassados das cavernas nem sabiam que poderiam usar o mar pra navegar. Antigamente o mar dava medo aos homens das cavernas, eles achavam que tinha muita criatura marinha, e não estavam errados; nem precisamos ir longe pra dar razão aos homens antigos, basta ir à Mongaguá e ficar com trauma do mar.

Só depois de muito tempo é que os antigos começaram a enfrentar seus medos e usar o mar, primeiro pra mijar, depois pra pescar (porque naquela época, sem bebida alcoólica e mulher bonita, pescar era a solução pra depressão). Aí então finalmente começaram a navegar pra descobrir se a Terra era mesmo plana (ainda tem gente que acha isso!), e finalmente começaram a criar barquinhos pra se atacarem, uns aos outros, só pela diversão. E assim a Marinha teve início. O resto da história da Marinha, veja no artigo apontado abaixo.

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: História da Marinha

Organização[editar]

A Marinha, assim como as demais forças armadas, também possui sua organização interna e externa (os caciques e os índios, ou melhor dizendo, os oficiais e os limpadores de privada entupida de merda), suas regras e deveres, o hino e outras coisas. Além disto, a Marinha tem seu próprio estilo para treinar as unidades, que é jogando o marujo na água pra lutar contra enguias, ou dando um esfregão pra lutar contra o chão sujo inimigo.

Hierarquia[editar]

A hierarquia da Marinha possui as mesmas divisões do Exército e da Força Aérea, mudando apenas a patente, mas como todos usam a cor branca, fica difícil reconhecer cada um, apenas os soldados, das gravatinhas e chapéuzinho estranho, os capitães, com quepes brancos, e os almirantes, com os mesmos quepes brancos, porém mais velhos, trêmulos e caducos.

Patentes da Marinha[editar]

Popeye, por sua culpa centenas de milhares de garotos potencialmente produtivos para a sociedade entraram para a Marinha

Na marinha, além da patente que se usa pra fazer cocô e das que os estrangeiros cobram para construir qualquer cacareco, existem outras:

  • Marinheiro: É comparável ao soldado do Exército, ou seja, o zé-ninguém. A patente mais baixa da Marinha, que em épocas de guerra não pode usar barco, afinal, governo nenhum gastaria dinheiro com o marinheiro. O marinheiro precisa nadar até o navio inimigo e normalmente é comido por algum tubarão. Pode ser chamado também de marujo ou grumete. O marinheiro de primeira viagem é aquele que na primeira vez que anda de barco fica enjoado e vomita.
  • Cabo: O cabo é o marinheiro melhorado, mas ainda sim um ninguém perante aos demais. Ele já pode usar uma canoa para atacar o inimigo. Recebe este nome por servir como suporte dos quepes dos almirantes. O marinheiro só se torna um cabo de respeito depois de anos segurando o cabo da vassoura limpando o convés.
  • Sargento: O chefe dos marinheiros. Acha que é importante, mas no fundo é mais um ninguém na Marinha, mas ao menos um ninguém que não limpa bosta, nem varre ou descasca batata. Ele pode usar um barco a vela para atacar os inimigos, mas normalmente o sargento prefere mandar os soldados fazer estes serviços. A maioria deles é almirante rebaixado e só com a patente de casa.
  • Sub-oficiais: O chefe dos sargentos e por sua vez o chefe dos marinheiros. Esses sim são os "caras". Acumularam o máximo de conhecimento naval como fazer lindos nozinhos, falar que não se fazem mais marujos como antigamente, falar do tempo que pegavam várias vagabas nos portos a fora, vangloriarem-se de já terem feito de tudo na Marinha como nadar com golfinhos, namorar sereias e casar com baleias, entre outras conversas de quem já deu o que tinha que dar. Há a outra vertente, que são os sub-oficiais que entram por concurso público, e não sabem nem carregar um fuzil ou fazer um nó corretamente, mas acham que são grandes bostas.
  • Tenente: O meio-termo da Marinha. O tenente pode ser um guarda-marinha (ou seja, um ninguém melhorado) ou alguém importante na Marinha. A primeira opção é a mais encontrada, sendo a segunda raramente encontrada.
  • Capitão: O quase-almirante. Estão classificados em vários modelos: Capitão-de-Mar-e-Guerra, Capitão-de-Fragata, Capitão-de-Corveta, Capitão-tenente, Capitão-de-Canoa, Capitão-de-Jangada, Capitão-de-Barquinho-de-Papel, e Capitão-de-Bosta-N'água. Como na Marinha não existe majores ou coronéis, o capitão se torna alguém importante, ao contrário do Exército e Força Aérea, onde ele é apenas mais um. Ainda não é um almirante, mas já é alguma coisa.
  • Almirante: A classe mais alta da Marinha. O almirante manda em todos. Somente quando a pessoa chega aos 69 anos consegue ser almirante, por isto os almirantes nos filmes são sempre caquéticos e com a dentadura meio mole, por isso a fala meio arrastada.

Regras[editar]

Quem perde no truco de sábado a noite no clube dos oficiais, tem de levar o café da manhã para a tripulação dos submarinos

As regras da Marinha são mais rígidas que as do Exército, mas praticamente são aplicadas apenas ao mar. Fuzileiros navais seguem as mesmas regras do exército, já o treinamento dos marinheiros é árduo e molhado, pra no fim do curso ser desonrado pelos demais soldados das Forças Armadas, com aquelas piadinhas que marujo é um macho embaixo de outro macho, só porque no navio-escola só tem homem, e é preciso descarregar a vontade sexual de alguma forma, mesmo que seja num buraco do sexo masculino.

Uma regra bem importante da Marinha é Cquote1.png O que acontece num quarto de um navio cheio de homens e nenhuma mulher, fica no quarto de um navio cheio de homens e nenhuma mulher Cquote2.png. No entanto essa é uma regra empírica da Marinha, e não está num mandamento. O marinheiro aprende com a experiência e a falta de mulher no ambiente. Assim, as principais regras da Marinha seguem abaixo.

Principais regras para marinheiros[editar]

  • O marinheiro nunca deve sempre usar colete salva-vidas, isso é para quem não é da Marinha.
  • O marinheiro deve carregar consigo uma bússola, uma vara de pesca e minhocas.
  • O marinheiro deve nadar três horas seguidas por dia.
  • O marinheiro deve gostar de peixes e frutos-do-mar (Afinal, é somente isto que ele comerá durante anos, além de batatas).
  • O marinheiro deve saber descascar batata sem desperdiçar.
  • O marinheiro deve saber nadar (Isto é um pouco óbvio), porém nem todos conseguem isso...
  • O marinheiro deve nadar seis horas seguidas por dia (não eram três?).
  • O marinheiro deve assistir Bob Esponja e Popeye sempre que possível.
  • O marinheiro deve saber dezesseis tipos diferentes de nós (jamais descobriram o porquê disto).
  • O marinheiro deve torcer para clubes de futebol ligados ao oceano como Clube Náutico Capibaribe, para o Clube de Regatas Vasco da Gama ou para o Corinthians, se ele for brasileiro é claro. Marinheiros portugueses são em sua maioria adeptos (torcedores) do Futebol Clube do Porto.
  • O marinheiro deve saber tocar corneta.
  • O marinheiro deve nadar doze horas seguidas por dia (oxe, mas não eram seis?).
  • O marinheiro deve ser fã do Aquaman e do Namor.
  • O marinheiro deve se vestir de branco em desfiles militares entediantes.
  • O marinheiro deve saber pescar.
  • O marinheiro deve nadar vinte e quatro horas seguidas por dia (eu já nem falo mais nada).

Treinamento[editar]

Mesmo passado cinco séculos depois de Fernão de Magalhães, este é o terror secreto de todo marinheiro

O treinamento da Marinha consiste em horas de natação, treinamento com varas de pescar, aulas de apito, mais natação, aprendizado de nós, mais natação, treinamento de saltos, mergulhos e polo aquático, mais aprendizado de nós, mais natação, aulas de biologia marinha, aprendizado de formas de natação (cachorrinho, borboleta, boi e arraia), treinamento de apneia, mais natação, mais aprendizado de nós, e culinária de frutos-do-mar. Depois de todo o treinamento, o marinheiro pode finalmente descansar, na água, claro, nadando (e fazendo nós embaixo da água).

Intervenção asseada[editar]

Um dos primeiros treinos que um marinheiro sofre. Ele aprende a adentrar recintos perigosamente sujos, munido de esfregão, realizando um drill no ambiente, até que tudo esteja limpo. Normalmente esse treino é feito em equipes, com cada guerreiro cobrindo um ambiente específico, e ao fim da limpeza tática, grita-se "LIMPO!" para os outros combatentes saberem que está tudo OK.

Limpeza tática[editar]

Outro treino indispensável ao bom marinheiro que quer seguir na carreira em alto-mar. Este é um treino mais difícil, e exige muita destreza e cuidado do marinheiro (às vezes até do cabo que é colocado pra essa missão). Armado com desentupidor e balde de guerra, o marinheiro faz o treino de investida contra aparelhos sanitários, inimigos ferozes da higiene. Quando todo o alvo, em forma de fezes humana, é aniquilado, pode-se dizer que o treinamento diário foi um sucesso.

Treinamento de nós[editar]

Mais um motivo pra entrar pra Marinha

Na Marinha, grande parte do treinamento dos marinheiros é feito em cima de nós (nós de marinheiro, sem trocadilho ou duplo-sentido, por favor). O marinheiro treina durante horas os vários nós, para no futuro trabalhar como amarrador de sapatos. Alguns nós importantes, como os nós cegos, os nós de cabeleireiro, os nós de laçar boi, os nós moscadas e o nós de cola são os mais treinados pelo marinheiros. O brevê de "nozeiro de elite" é um dos mais disputados entre os marinheiros.

Descascamento de batata e outros treinamentos batatísticos[editar]

Não pense que o marinheiro nasce sabendo estas artes tão poderosas; é preciso muito treino pra conquistar um brevê de "descascador tático" e a medalha de "Fritas Honrosas". É, possivelmente, o curso interno mais cansativo. Muitas horas, muitos dias a fio treinando essa arte de guerrilha com faca, fazendo das cascas do tubérculo o alvo. A gastronomia com batata é um curso extensivo aos que já possuem o treino sênior do descascamento batatístico.

Natação e mergulho[editar]

Navio da Marinha fazendo treinamento. Se olharem bem a foto, conseguirão achar o navio

O marinheiro fica nadando durante várias horas por dia, que até a glande fica enrugada de tanta absorção de água pelo corpo.

Cquote1.png E o que este marinheiro faz aqui, senhor Almirante? Cquote2.png
Capitão perguntando para almirante sobre o marinheiro Zé
Cquote1.png Ele? Nada! Cquote2.png
Almirante respondendo a pergunta do capitão, com um certo trocadilho

A vida de marinheiro raso é molhada. Além das várias horas de natação, o marinheiro ainda precisa aprender algumas formas diferentes de natação, aprender a dar mergulhos, treinar a apneia (prender a respiração embaixo da água para quando der enchente poder aguentar mais alguns minutos antes de morrer), fazer bolhinhas debaixo da água e fazer nós, logicamente debaixo da água. Além disso, o marinheiro precisa ver alguns filmes de ação marítima, como Titanic e Pescando Confusão. É tanta água que o marinheiro chega a vomitar quando bebe este líquido, de tão enjoado que fica.

A primeira coisa que o marinheiro aprende é ter nojo de água. Não tanto por ser a água da piscina suja, mas pelo fato de que a água suja da piscina atrai piranhas podres do mais baixo calão que induzem pestes na água suja mal tratada. Realmente vale o nojo e a prevenção à saúde física e mental. No mar é mais fácil, desde que não esteja poluído pela podridão do esgoto e que o marujo esteja amarrado por uma corda. Nos mares do Brasil, por exemplo, não são raros os casos de doenças bacterianas ou virulentas conquistadas com muito suor nas águas poluídas de nosso litoral.

Unidades[editar]

Lá vão os norte-coreanos atacar os inimigos

Estas são as principais unidades da Marinha, as mais conhecidas, as mais úteis ou as mais inúteis, além dos equipamentos utilizados frequentemente pelos marinheiros de plantão e jogadores de War, descritas abaixo.

Veículos aéreos[editar]

Basicamente helicópteros de aeroclube, porque os marujos têm necessidades especiais de âncoras, e no helicóptero dá pra carregar algo parecido, mas nos aviões não. Estes terminam virando sucata, quase sempre, pois ninguém na marinha sabe o que são, o que fazer com eles e portanto, o máximo que sabem fazer é ficar olhando. Os caças da marinha se assemelham às aeronaves da esquadrilha Mutley, com montes de porcarias absurdas e inúteis, que fazem com que as aeronaves fiquem ancoradas no chão ou no pior dos casos sirvam como kamikazes; nem pra caçar pombo-correio servem. Além disso, o preparo em piscinas podres adoece os futuros (?) marujos, que além de não conseguirem um segundo emprego pra se sustentar (praticamente judeus), ainda têm que viver de esmolas do primeiro emprego (?) naval (pirataria de CDs, DVDs, butim aos parentes, picaretagens várias, etc.) Dica: Piratear os softwares simuladores da Microsoft (alguns com outros nomes mas quase sempre tratam-se da mesma porcaria); o original continua não valendo nada exceto que tem um numero serial pra incomodar; o melhorzinho é o do aeroclube, custa um pouquinho mais, mas é de boa qualidade.

Um outro veículo aéreo bastante usado na marinha são os balões de festa de aniversário, nas cores azuis e brancas, pra comemorar algum fim de curso. O Padre Adelir de Carli, apesar dos balões e do naufrágio, não fazia parte da marinha, foi só uma feliz coincidência.

Veículos marinhos[editar]

Os veículos da Marinha, encontrados na batalha naval, são os navios, barcos e submarinos. Aviões e helicópteros fazem parte dos veículos aéreos que só estão na Marinha para preencher um buraco ou outro, já descritos na seção superior. Estes aqui são o investimento da Marinha, e normalmente ficam dezenas de anos parados, e seu uso mais bélico são as voltas de um lado para o outro só pra mostrar ao inimigo. Abaixo estão os veículos marinhos mais importantes.

Porta-aviões[editar]

Porta aviões brasileiro

O maior veículo naval, inventado por um piloto de caça que queria entrar na Marinha da Força Aérea Brasileira, mas não tinha as qualidades (aí já é contigo) necessárias para isto (ele não sabia nadar nem fazer nós). Assim, ele inventou uma plataforma móvel para guardar seu aviãozinho e levá-lo até o local da guerra.

Esta é a unidade com mais espaço no jogo de batalha naval, e é difícil errar um bicho desses. O porta-aviões pode ser uma unidade poderosa se estiver guardando vários aviões. Alguns porta-aviões podem suportar até 42 aviões, praticamente um aeroporto-hangar móvel. Para unidades suicidas, como terroristas e kamikazes, o porta-aviões é bastante útil.

Se o porta-aviões não estiver com nenhum avião em sua superfície, ele é praticamente inútil em uma guerra, sendo alvo fácil de canoas, caiaques e mergulhadores-bomba, além de catraias, e nazistas de Santa Catarina metidos a oficiais submarinistas, além de mineirinhos bichas que usam uma asa rejeitada (cortada de um lado só) e que acham que estão abafando com aquela porcaria amaldiçoada encontrada por ele em algum lixão ou algo assim.

Cruzador[editar]

O verdadeiro cruzador dos mares

Um dos maiores navios da Marinha, também conhecidos como Os Seguranças da Marinha. Os cruzadores são robustos e poderosos, mas com ataques lentos, servindo apenas para proteger o porta-aviões dos ataques dos mergulhadores assassinos. Depois dos encouraçados, os cruzadores são os maiores navios de guerra, portanto, os segundo mais lentos da frota. Deverá ser substituído por navios pequenos, rápidos e mais poderosos.

Fragata[editar]

Um navio que pode ter vários tamanhos, muito usado pela Marinha do Brasil. Serve para proteger os cruzadores (que por sua vez, servem para proteger os porta-aviões) do ataque dos mergulhadores terroristas). A fragata é um navio especialista em destruir aviões inimigos e lançar torpedos nos navios inimigos.

Corveta[editar]

O porta-aviões tem outros usos além do bélico

Um navio de pequeno tamanho, especialista em destruir os submarinos. Serve para fazer a segurança da fragata, que faz a segurança do cruzador, que faz a segurança do porta-aviões, que atira aviõezinhos nos postos inimigos.

Torpedeiro[editar]

Um navio pequeno, especial para atirar torpedos nos inimigos, rápidos, ótimo para destruir porta-aviões e cruzadores. É altamente frágil e presa fácil para os aviões inimigos. Há um tipo de navio, o destróier, que além de lançar torpedos, também atiram nos aviões inimigos, assim fica um pouco mais difícil de ser destruído, que basicamente, é um torpedeiro com umas arminhas a mais.

Destróier[editar]

Um navio pequeno e rápido, que nada mais é do que um torpedeiro menos fraco. O destróier serve para fazer a segurança da coverta, que faz a segurança da fragata, que faz a segurança do cruzador, que faz a segurança do porta-aviões, que atira aviõzinhos nos postos inimigos.

Encouraçado[editar]

O futuro dos navios de guerra, já vêm com piroca acoplada

Era o navio mais poderoso das Marinhas do mundo e também era o navio mais frágil, depois do porta-aviões, obviamente. Comparável a uma grande base marinha com centenas de alvos desenhados no casco, o encouraçado era um navio colossal, super-poderoso, capaz de destruir qualquer coisa pela frente, mas alvo fácil de mergulhadores assassinos e terroristas tarados que atacavam por trás. Por ser um alvo fácil, o encouraçado foi logo substituído pelo cruzador, que tem as mesmas características do encouraçado (forte, lento, fácil de ser abatido e caro), que deverá ser substituído por outro navio lento e frágil no futuro, e assim por diante pra manter a tradição de reciclagem.

Barco a vela[editar]

É um barco a vela (dã). Só serve para os sargentos terem um veículo para comandar.

Canoa[editar]

O veículo mais fraco de todos, comandado pelos cabos (ou seja, os zé-ninguém chefes dos zé-ninguém marinheiros).

Submarino[editar]

Um submarino, perto de ser destruído por uma corveta inimiga

Uma espécie de pepino metálico, armado com lança-torpedos. Um veículo chato de ser combatido, pois fica atacando debaixo d'água. Porém, apesar da dificuldade em ser localizado, um único tiro pode fazer um submarino voar pelos ares.

Atualmente já existem radares especiais para a localização de submarinos, que se assemelha com um jogo de campo minado. Acoplado às corvetas, o capitão vai chutando as coordenadas, até acertar o infeliz. A cada 1000 tiros, o capitão da corveta acerta um submarino inimigo, dois submarinos aliados, dezessete tubarões, seis surfistas, três mergulhadores inimigos, dezessete mergulhadores aliados, 69 mergulhadores da própria tropa e quatro sereias. Também é uma conhecida loja entre os marinheiros, que vende todo o tipo de suvenir da Marinha, como iPods e TVs de plasma, mas foi comprovado que mais da metade dos brasileiros também usam o submarino, em seu novíssimo site.

Unidades humanas[editar]

São as unidades popularmente conhecidas como "bucha de canhão" numa guerra moderna, afinal, são os que vão pra guerra entre países morrer pelo país ao primeiro tiro de canhão ou míssil que atinge o barco, e serem enterrados num cemitério com outros milhares de heróis de guerra, dificultando a visita dos parentes, com aquelas cruzes tudo igual, parecendo o Master of Puppets. As unidades humanas mais importantes são as abaixo:

Fuzileiros navais[editar]

Um dos fuzileiros americanos que ajudaram a tomar o Iraque

A principal unidade humana da Marinha é também a menor unidade da Marinha. Os fuzileiros navais, também chamados apenas de fuzileiros, são soldados comuns, com um treinamento duro, que conhecem o poder da luta corpo-a-corpo, que se utilizam de rifles, facas especiais e buquê de rosas explosivas, mas que possuem um medo desgraçado de água.

Combatem em terra, mas andam de barco, inclusive na rua, avenidas, etc... Esta unidade é tão terrestre que nos Estados Unidos da América, apesar do nome, eles não fazem parte da Marinha, mas também não fazem parte do Exército. Os fuzileiros navais estadunidenses são integrantes de uma força própria. No Brasil, os fuzileiros navais fazem o trabalho dos soldados em locais alagados, como o rio Tietê, além de resgatar gatos em árvores simplesmente para ter o prazer de matá-los pessoalmente. Foi útil em 2010 contra os alemães e seu morro no Rio.

Mergulhadores[editar]

Fazem a mesma coisa que os submarinos, ou seja, atacam covardemente um navio por baixo. Eles se aproveitam da nobreza dos navios, e atiram nos tanques dos navios pequenos, que fazem a proteção dos navios grandes, que fazem a proteção dos porta-aviões. Os mergulhadores atacam em grupo e normalmente são difíceis de ser localizados quando estão sob a água, mas podem ser comidos por tubarões. Estes caras foram importantes pois foram os responsáveis pela morte do Osama bin Laden, porém, como eles chegaram à base do Osama mergulhando no deserto de areia é um bom assunto pra uma tese iluminista.

Marinheiros[editar]

Estes tem a missão de nadar até o barco inimigo e depois morrer, além das missões já citadas anteriormente, como limpeza, descascamento de batata e produção em massa de nós. Os marinheiros são a unidade mais conhecida da Marinha, os fazem-tudo desta força. Também fornecem apoio tático escrevendo memorandos.

Pilotos[editar]

Apenas pilotos comuns de caças que trabalham para a Marinha. Em guerra, eles ficam esperando nos porta-aviões até a hora de serem atingidos por mísseis antiaéreos das fragatas. Como este não é o artigo da Aeronáutica, nenhuma informação aqui sobre pilotos e aviões será válida para seus trabalhos escolares.

Homens-torpedos[editar]

A unidade dos homens-torpedos conta com homens preparados para se matarem em caso de guerra. Eles entram na água com a cueca cheia de bombas e se explodem perto de um navio. Em 99% dos casos, eles erram o alvo, mas aquele 1% é vagabundo, safado, e os inimigos gostam.

Equipamentos e armas[editar]

As minas navais, comumente vistas no Pica-Pau e no Super Mario

Sendo uma força armada, é óbvio que a Marinha tem que ter seus apetrechos bélicos. Eis alguns dos mais importantes artefatos usados pela Marinha.

Torpedo[editar]

Conhecido também como SMS (Submarine Strike), o torpedo é um míssil usado para explodir os navios. Um simples torpedo pode fazer um porta-aviões virar fumaça em poucos segundos. Teria sido um torpedo o causador do acidente do navio Titanic, que deveria ter alcançado um outro alvo, mas acabou acertando o navio comercial ao invés do navio de guerra. O governo americano, para camuflar o erro matemático, colocou a culpa em um iceberg e tudo ficou bem, afinal icebergs não podem pagar advogados bons.

Mina naval[editar]

Mina naval é aquela bola espinhenta que pode ser vista em desenhos animados ou em jogos do Super Mario ou Mega Man (tipo a fase do Bubble Man). Tal mina naval é uma grande bolota explosiva, que possui a mesma função da mina terrestre - ficar parada esperando algum navio atingir. É a maior causa de acidentes com navios pescadores. Pode ser confundida com um ouriço-do-mar obeso ou mesmo um baiacu com gigantismo, por isto é muito perigosa, principalmente para os japoneses que gostam de comer ovas de ouriço-do-mar e acham que encontraram uma mina de ova, quando na verdade é uma mina diferente.

Arpão[editar]

Usado pelos fuzileiros navais para acertar os mergulhadores. Bastante útil na pesca de mergulhadores inimigos.

Bússola[editar]

Aparelho usado pelos capitães e almirantes para não se perderem e errar o percurso. Falha em 100% dos casos, porque o prático não sabe usar. Foi substituída pelo radar.

Radar[editar]

Nada escapa do radar

Aparelho usado pelos capitães e almirantes para não se perderem e para a localização dos veículos inimigos. Costuma falhar em 120% dos casos e deverá ser substituído pela bússola em breve.

Armas aéreas[editar]

Aviões, helicópteros e torpedos voadores, mas este não é o artigo da Força Aérea.

Laço[editar]

Afinal, achavam que fazer nó era só pra bonito? Também se faz muito nó pra criar laços, na tentativa de laçar o marinheiro inimigo quando o confronto é muito próximo. Inicialmente pensava-se em fazer um rodeio e laçar peixes-boi, mas depois de vários anos sem um peixinho-boizinho sequer cair no laço, percebeu-se que o mar não tava pra peixe-boi.

Missões[editar]

Missão de resgate

A Marinha de todos os países, além de batalhar e proteger o país, também possui algumas outras tarefas, afinal, nem só de guerra vive um país, com exceção aos Estados Unidos da América e à Coreia do Norte.

Missões de combate[editar]

A tarefa usual da Marinha. Enquanto não está em combate, a Marinha faz a guarda marítima dos países, ou a guarda lagoítima, se for o caso. Em uma guerra, conflito, batalha ou qualquer outra coisa, que na prática é a mesma coisa, mas que na teoria é diferente (ou seria o contrário?), a Marinha é acionada para fazer a ronda marítima. Se o país inimigo fizer fronteira e não possuir um litoral, então a Marinha não tem lá muita utilidade. Exemplo: Se o Paraguai atacar o Brasil, a Marinha, nesse caso, ficará boiando, a não ser os fuzileiros navais.

Se o país inimigo não fizer fronteira, mas estiver em outro continente, a Marinha é acionada para ser encaminhada ao continente onde o país inimigo se localiza. O porta-aviões vai carregando os aviõzinhos e o resto dos navios faz a escolta. Exemplo: Se a Rússia declarar guerra ao Brasil, em primeiro lugar os brasileiros estariam ferrados, depois a Marinha do Brasil seria acionada para a missão suicida de atacar os milhares de navios russos. Mas também poderia ser acionada para fazer a proteção e esperar a frota russa com seus milhares de navios atacar nosso litoral. Mas isto é só uma suposição e nós não seremos atacados, ainda.

A marinha iraquiana fazendo o policiamente das águas, no período Hussein

Caso o país inimigo faça fronteira e tenha um litoral, a Marinha pode ser acionada para fazer a proteção do litoral enquanto o Exército, a Força Aérea e os fuzileiros navais fazem o ataque, matando e depois se matando é claro. Exemplo: Se o Uruguai resolver, por algum motivo misterioso (provavelmente futebolístico, afinal, o Uruguai não tem mais nada que sirva como motivo de guerra), resolver atacar o Brasil, a Marinha é acionada para fazer a proteção do litoral-sul enquanto o Exército, a Força Aérea (vão atravessar a fronteira a pé ou de avião) e os fuzileiros navais (que vão desembarcar no litoral do Uruguai) atacam o Uruguai.

Missões de policiamento[editar]

A tarefa básica da Marinha, quando o país não está perto de uma guerra. A Marinha faz a ronda pelo litoral, pelo alto-mar e nas proximidades das fronteiras marinhas com algum outro país. A Marinha fica rodando pra lá e pra cá, esperando alguém atacar. Uma missão entediante esta.

Em países que não possuem uma guarda costeira, como o Brasil, a Marinha faz o serviço de policiamento dos pescadores, barcos e navios cargueiros, iates do governo, barcos e navios de transporte, sereias perdidas, surfistas chapados, baleias encalhadas e outras coisas marinhas. Também faz o serviço da polícia marítima, prendendo traficantes de pérolas, jet-ski-boys que ultrapassam o sinal vermelho, motoristas de lancha embriagados e outros infratores, afinal as lanchas são como carros e as motos como os jet-skis.

Missões de resgate e salvamento[editar]

Digamos que a marinha boliviana teve de aprender a se adaptar...

Quando alguém se perde próximo ao litoral, a Marinha é acionada para tentar localizar a pessoa. Em acidentes com aviões que acontecem próximo ao litoral, a Marinha faz a patrulha no Oceano, para tentar localizar as vítimas. Padres que se arriscam a voar com bexigas, por exemplo, são pessoas que podem se perder também, e quando isto acontece, a Marinha faz as buscas pelo indivíduo maluco, normalmente estraçalhadas, com uma perninha numa praia, um bracinho num mar, uma cabecinha próximo a um castelo de areia, etc.

Em acidentes com navios e barcos, a Marinha é acionada para fazer o resgate e salvamento das vítimas. Em acidentes com lanchas em alto-mar, a Marinha é acionada para resgatar as vítimas (fazendo o serviço do Corpo de Bombeiros Navais) e multar os culpados (fazendo o serviço da Polícia Marítima). Em acidentes com baleias, a Marinha é acionada para fazer o resgate das baleias acidentadas e multar a baleia que andou bebendo demais. Baleias encalhadas também são um caso para a Marinha.

Marinha pelo mundo[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Marinha pelo mundo

Ver também[editar]