Marisol (novela)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Yoda.jpg Poucas imagens esse artigo tem. Novas imagens adicionar considerar você vai!!!
Este artigo poucas ou nenhuma imagem ilustrando-o possui. Padawan, que você é quase um Jedi mostre, e novas imagens a ele adicione. Que a força com você esteja!.
SBTTV.JPG Este artigo é coisa da ex-vice maior audiência do mundo! Seu programa é chato e ruim, dá menos audiência que o Vídeo Show e ri das piadas do Chaves. Se vandalizar, você será forçado a ver briga de pobre no Teste de DNA e no Casos de Família. Conheça outros plágios mal-disfarçados clicando aqui.

Cquote1.svg Mau. Cínico. Aproveitador. Cquote2.svg
Carlos Ben Te Vi, locutor do SBT, sobre o vilão Máurio.

Marisol foi uma telenovela brasileira remake de uma produção argentina de mesmo nome em 1996. Este remake foi ao ar em 2002, entre 9 de abril e 5 de novembro e exibida pela TV que tem torcida.

Enredo[editar]

Marisol é a mocinha simples e de bom caráter, sofredora e ingênua que se fode na vida (pobre só se fode nessa merda mesmo) sem perder a doçura nem a inocência. Ela vive com a mãe, Sofia Loren, em um cortiço igualzinho ao do Chaves e vende flores de papel higiênico nas ruas, que ela mesma faz, recolhendo o papel depois de se limpar com ele. Ela tem um trauma: aos 6 anos de idade sofreu um acidente enquanto carregava um espelho e o espelho quebrou e a deixou com uma grande cicatriz no rosto, do lado direito da cara. Como sempre foi pobretona, não pôde fazer a operação necessária para tirar a marca nem deixa que toquem em seus cabelos que ela deixa crescer para ocultar a cicatriz (mas ainda dá pra comer tranquilamente).

Marisol namora Mário, o grande vilão dessa bagaça. Ele é um cafajeste explorador de mulheres e sim, ele comeu a Marisol atrás do armário, e ainda por cima tira o pouco que Marisol consegue vendendo flores e rodando bolsinha, mostrando que o cara não vale o que larga no vaso mesmo. Mas a trouxa se conforma com a situação, pois acha que não poderia ter outro namorado por causa de sua cicatriz (que tonta). Mário tem uma cúmplice e amante, a pérfida Zulema, que também é cantora. Apesar de tudo isso, todos ignoram a verdadeira identidade de Marisol: ela é neta de um poderoso minerador, Dr. Augusto Lima do Vale do Rio Doce.

Na juventude, Sofia Lima do Vale do Rio Doce deu para um homem pobre, rejeitado por sua família por ser pobre, e fugiu com ele para poder dar em paz. Desse entra-e-sai de tchaca-tchaca na buchaca, Marisol nasceu e Sofia foi abandonada (a novela se passava inicialmente nos ânus 80, por isso a mãe solteira foi expulsa da casa). Agora, moribundando, ela sofre por nunca ter permitido a Marisol uma vida melhor. Sofia revela sua história à filha, mas ela não acredita. Sofia, então, entrega um anel (a joia, seu mente-suja!) a Marisol, mas quando vai revelar o nome de seu avô, morre. Esse anel é a chave (?) para a origem de Marisol.

Na mansão dos Lima do Vale do Rio Doce, o Dr. Augusto Liberato, arrependido, deseja reencontrar a filha Sofia. Lá, mora também Rodrigo, o jovem herdeiro e mocinho romântico e comedor da Marisol. Para desespero de seus pais, Rodrigo não quer cuidar dos negócios, preferindo gastar com vadias e whisky... não, mentirinha, Rodrigo na verdade sonha em ser um artista plástico. Um dia, por acaso, o rapaz conhece Marisol e acaba se apaixonando perdidamente (ai, que romântico...). Lá também vive Desamparo, outra grande vilã, arrogante até o tutano, que não mede esforços para conseguir o que quer e manter sua fortuna, mesmo que isso signifique separar Rodrigo de sua putinha.

E outros núcleos que ninguém lembra.

Elenco[editar]

  • Bárbara Paz - Marisol
  • Carlos Coisagrande - Rodrigo
  • Alexandre Frota - Máurio
  • Gabriela Alves - Tânia
  • Glauce Graieb - Desamparo
  • Míriam Lins - Sofia
  • Serafim González - Dr. Augusto

Trilha sonora[editar]

Lançaram um CD pela Abril Music na época com 14 faixas e Bárbara e Coisagrande estampando quase todo o encarte do disco (cafona...), além de Frota na capa, esperando Coisagrande se afastar para carcar Marisol.

  1. Eu Te Amo Você - Patrícia Coelho (tema de abertura)
  2. Solidão - Sandra de Sá
  3. Como uma Onda (Zen Surfismo) - Lulu Santos
  4. Como eu Quero - Kid Abelha
  5. Quando Gira o Mundo (Que No se Acabe el Mundo) - Fábio Jr.
  6. Quando o Amor Acontece - João Bosco
  7. Sob Medida - Tânia Alves
  8. Dom de Iludir - Maria Creuza
  9. Notícias (romantic radio version) - Marina Lima
  10. O Amor Não Sabe Esperar - Vódita
  11. I Don't Wanna See You Cry (Eu Não Quero Ver Você Triste) - Harold Caribbean
  12. Com Você Tudo Fica Melhor - Miúdo
  13. Do Tipo Que Arrasa - Da Melhor Qualidade
  14. Tema de Amor (instrumental) - João Carlos Martins

Abertura[editar]

Acho que eu não sei não
Eu não queria dizer
Tô perdendo a razão
Quando a gente se vê
Mas tudo é tão difícil
Que eu não vejo a hora disso terminar

E virar só uma canção na minha guitarra

Eu te amo você
Já não dá prá esconder essa paixão
Mas não quero te ver
Me roubando o prazer da solidão

Eu queria te ver
Sentindo esse lance
Tirando os pés do chão
Típico romance
Mas tudo é tão difícil
Que era mais fácil tentarmos esquecer
E virar mais uma ilusão nessa madrugada

Ânusriosidades[editar]

  • Criada especialmente para promover Bárbara Paz, Alexandre Frota (vencedores da 1ª Casa dos Artistas) e Patrícia Coelho;
  • Competia na audiência com O Clone, mas era difícil devido ao imenso sucesso desta, e também com sua sucessora. Era exibida às 20 horas;
  • A cicatriz de Bárbara Paz não era maquiagem para a Marisol, era real, a atriz cortou a cara de verdade quando ela tinha 17 anos, em 1991, durante um racha no interior de São Paulo;
  • Apesar de todos os esforços, foi um puta fracassão.