****** MARKETING VIRAL ******

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

****** MARKETING VIRAL ****** }


Bamboocha? O que é isso?

Marketing viral, como o próprio nome diz, é uma propaganda infectada, que passa de uma pessoa para outra, ou seja, é contagiosa. Marketing viral não é um spam, mas em certos casos chega a ser mais insuportável do que qualquer spam, exceto o spam da Samara, a menina que ficou presa no arame farpado e o fazendeiro riu dela, cuja mensagem eu repassei para todo mundo, não por medo, mas por precaução. Mas o que você, usuário de drogas da Desciclopédia, precisa saber é que a página Sequestro de perfis de Orkut é uma página bem legal, bem escrita, bem feita entre outros bens, e o autor desta página é um verdadeiro gênio e se você ler até o fim, certamente recomendará para outros idiotas usuários.

Não, o marketing viral não é uma mensagem subliminar que controla sua mente, embora alguns casos coloquem este tipo de publicidade em lugares bem escondidos, como em programas de grande audiência, filmes, artigos descíclopes, entre outros. A Rede Globo de Dominação Mental é especialista no marketing viral. Quantas vezes sua mãe falou com alguma outra velha louca senhora de classe sobre algum personagem de alguma novela global?

Primórdios[editar]

Polishop e seu marketing viral

A propaganda viral teve seu provável início em Roma, na pizzaria do Vespasiano. O negócio estava indo de mal a pior, quase falindo, quando Vespasiano teve uma grande ideia - resolveu criar um campeonato de arremesso de pizzas vespasianas. O prêmio aos vencedores eram alguns quilos de pizzas (vespasianas, claro). O campeonato foi realmente um sucesso e a pizzaria do Vespasiano se tornou um grande sucesso, sem precisar gastar muito. Depois disto, Vespasiano seria condecorado como imperador de Roma.

Ao longo do tempo, muitas propagandas virais foram criadas. O físico Galileu Galilei, disposto a criar um grande setor turístico na cidade de Pisa, construiu uma torre torta, para promover o turismo na cidadezinha. Hoje a cidade é uma das mais visitadas do mundo, graças a esta ideia.

Evolução[editar]

Propaganda BOA, mas cerveja nem tanto

Com a invenção de meios de comunicação, como o rádio, a televisão, a internet e as revistas, o marketing viral se tornou algo muito comum. Constantemente vemos propagandas furadas, tentando ser criativas, mas sem sucesso devido ao produto não agradar muito.

Muitas propagandas inovadoras são responsáveis pelo notório sucesso do alguns produtos. Quem teria a ideia de fazer suco de mandioca tóxico para a promoção de um produto? Juicer Philips Walita fez isto e agora se tornou o maior sucesso em piadas de internet.

Quando uma propaganda consegue se tornar popular usando esta técnica, o produto normalmente acompanha este sucesso, ou não. Um caso reverso aconteceu com um refrigerante cujo nome não pode ser dito, em respeito à lei. A propaganda deste refrigerante, que mostra um mascote em forma de garrafa verde e viva, muito chato, que quer ser seu amiguinho, fez grande sucesso na televisão. Apesar deste sucesso, as crianças ficavam com medo desta garrafa verde e viva e não tomavam o guaraná Dol citado, cujo nome não pode ser citado.

Criação[editar]

Para criar uma propaganda que se torne popular entre as pessoas, é necessário ser bem diferente. As empresas precisam abusar do ridículo para tornar o produto um sucesso de vendas. Garrafas verdes e vivas não devem ser usadas.

Elementos inéditos podem fazer a propaganda virar um estouro. Se o elemento for bem aceito, será um estouro de sucesso, caso contrário, um estouro da conta bancária.

Exemplos[editar]

Quer pagar quanto?
  • Nova Schin e Experimenta! - Uma propaganda muito chata, mas que fez muitas pessoas experimentarem a Nova Schin, graças à epidemia criada. Mas como o sabor da cerveja não acompanhou o sucesso da propaganda, a cerveja voltou a ser o que era.
  • Casas Bahia e Quer Pagar Quanto? - Mais spam do que marketing, esta propaganda rendeu grande promoção para a cadeia de lojas. Depois as pessoas perceberam que as Casas Bahia era apenas propaganda e deixaram de comprar. Resultado: O chato das Casas Bahia foi demitido por um tempo.
  • Fanta e Bamboocha! - Uma tentativa da Fanta em criar algo popular. Usaram uma palavra em um idioma havaiano maori inventado, mas não fez sucesso pois ninguém achou esta palavra engraçada.

Ver também[editar]

v d e h
Tipos de vírus