Marrocos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa


●Árabes Marreco
●Republic islamic of Barroco
●República Islâmica do Barroso

Bandeira de Marrocos.png Fake Coat of arms of Morocco.jpg
Bandeira Brasão
Lema: Casablanca nos fez famosos!
Hino: Sutras Árabes
Morocco land.gif
Capital Rabbit (Coelho)
Maior Cidade Ilhas Caralhas
Língua Espanhol misturado com árabe em um alfabeto egípcio
Tipo de Governo Harém
Sheik Mohammed VI
Heróis Nacionais O marroquino que matou 1000 espanhóis, Jade e Dona Jura
Independência Unificação dos exilados islâmicos do Iraque no século X
Moeda Peças de Cobre
Religião 50% Islamismo 50% convertidos ao Catolicismo
População 15.000.000 de islâmicos potenciais terroristas que odeiam Madrid e 15.000.000 de pessoas que não sabem o que fazer da vida
Área Final do Deserto do Saara (8% de água)
Analfabetismo 80%
PIB per Capita 1.000 USD/hab.
IDH 0.4
Fuso Horário -3
Clima Desértico Fingindo ser espanhol
Site do Governo Sonho marroquino de governo
Cquote1.png Socorram-me subi no ônibus em marrocos Cquote2.png
Reversal Marroquina sobre Marrocos

Cquote1.png A nós você pertence Cquote2.png
Marrocos sobre Gibraltar
Cquote1.png A nós você pertence Cquote2.png
Marrocos sobre Saara Ocidental
Cquote1.png À Europa você pertence Cquote2.png
Festival Eurovisão da Canção de 1980 sobre Marrocos


Marrocos é o único país do mundo que não é da OTAN e é aliado dos Estados Unidos. O Marrocos não faz parte da União Africana, e embora seus habitantes neguem, todos eles odeiam a África e sonham com o dia em que serão considerados um país europeu.

Tabela de conteúdo

[editar] História

[editar] Fenícios

Como todo o norte da África, Marrocos já foi um território da Fenícia, a primeira confederação pirata da história. Abriram lá o primeiro safári da história, onde os visitantes poderiam observar na natureza os famosos chacais, lagartos, camelos e besouros, alem dos próprios nativos.

[editar] Império Cartaginês

Com a chegada do Império Cartaginês no século VI a.C., Marrocos foi transformada numa estância turística, uma colônia de férias com a intenção de imitar as praias do sul da Espanha, porém os romanos não gostaram dessa afronta e destruíram Cartago, deixando Marrocos abandonado novamente em sua história.

[editar] Civilização neopúnica

Após a queda de Cartago, os neopúnicos (como eram conhecidos o Povo da Areia pelos europeus na época) assumiram o controle de Marrocos. Atualmente, após genocídio que Anakin Skywalker promoveu num acampamento neopúnico, esta civilização berbere migrou para o sul e se tornou os atuais mauritanos.

[editar] Romanos

No século I, foi a vez do Império Romano dominar Marrocos. O que os romanos queriam ali ainda é um mistério, mas ficaram marcados por terem sido os responsáveis pela construção dos primeiros banheiros da história do Marrocos.

[editar] Vândalos

Evidências da civilização vândala.

Depois que uma crise econômica desencadeada pelas políticas paternalistas do senador romano Gaius Ioseius Sarneyus, o Império Romano entrou em falência, e vendeu no século V Marrocos para os vândalos pelo preço de vandalizar 100 artigos na Wikipédia. Os vândalos criaram em Marrocos o primeiro servidor do que viria a ser a Inciclopedia.

[editar] Bizantinos

No século VI, como não havia ninguém em Marrocos, o Império Bizantino ocupa aquele território, mas aparentemente não fizeram porra nenhuma depois disso.

[editar] Invasão árabe

Com a invenção do islamismo, a partir do século VIII todos os árabes agora tinham coisas divertidas para fazer, como fazer jihad, se explodiram, cortarem gargantas com suas cimitarras e cobrirem suas mulheres com burcas. Com a tomada árabe em Marrocos, agora que as mulheres marroquinas estavam completamente cobertas por panos, mas por outro lado o turismo entrou em declínio pois não haviam mais mulheres de biquínis nas praias. Por isso Marrocos decidiu invadir a Espanha para acabar com a concorrência que Ibiza criava com o turismo.

[editar] Almorávidas

Marrocos, durante a Dinastia Espanhola de Zp Al-Andalusí.

Durante a dinastia dos Almorávidas, que surge a partir do ano de 1059, Marrocos, em união com a Tunísia, se tornou um pesadelo para a Espanha, produzindo investidas ridículas época ou outra. No seu auge, por volta do século XII, o Marrocos tinha conquistado toda a Península Ibérica, credenciando o Marrocos como única nação africana a ter conquistado e levado a melhor sobre algum país europeu.

O sultão Yusuf ben Tasufin havia tirado a carta de conquistar a África em sua totalidade e mais um território a sua escolha. Escolheu a Espanha e começou a massacrar os impérios motumbos do oeste africano, subjugando todos.

[editar] Almóadas

Em 1147 o visionário, profeta e cozinheiro de esfirras profissional Ibn Tumart, após ensinamento de Al-Ghazali, decidiu fundar uma nova dinastia cujos dogmas seriam exatamente os mesmos dos almorávidas, a diferença é que os almóadas seriam governados por ele. Como o povo marroquino estava entediado, deu apoio a Ibn Tumart, afinal os espanhóis não estavam dando dificuldade nenhuma de domínio.

[editar] Cruzadas

A época áurea de Marrocos durou pouco, e o país foi a última vítima da Quarta Cruzada que de acordo com os espanhóis, mandaram os infiéis arderem no Inferno.

A região, por ser o local com o maior número de odaliscas públicas por metro quadrado do mundo (entretenimento para os marinheiros) foi alvo das Cruzadas (não confunda com "odaliscas particulares", coisa que os Estados Unidos e Arábia Saudita são superiores).

Desde então o Marrocos amargou derrota atrás de derrota até se tocar de sua inferioridade e ficar quieto em seu canto.

[editar] Merínidas

Uma típica casa marroquina e seu belo quintal.

Com o declínio marroquino, assumiu o poder os merínidas, uma dinastia de berberes, aqueles nômades do deserto que tem poderes de controlar a mente de escorpiões gigantes. Nada fizeram além de assumir sua mediocridade e de vez em quando salvar alguém no Saara

[editar] Wattássidas

Marrocos começou a perder território, já não tinha mais Gibraltar, Ceuta e Melilla perdidos para a Espanha após estes terem ganho a Eurocopa. Assumiu a dinastia dos wattássidas que se refugiou nos desertos para procurar a lâmpada mágica do Aladdinm a maneira mais plausível que os marroquinos encontraram de poderem derrotar a Espanha novamente.

[editar] Domínio europeu

No século XV aí fudeu tudo de vez para o Marrocos. Até Portugal e seu incompetente exército tinha territórios em Marrocos. Depois veio a França, em seguida o Reino Unido e depois até os Estyados Unidos, e Marrocos foi transformado numa autêntica Casa da Mãe Joana.

[editar] Independência

Pressões populares conseguem a independência de Marrocos em 1956. Todavia Ceuta e Melilla continuam sob domínio espanhol que tem medo que os marroquinos repitam a palhaçada de invadi-los através dessas cidades.

[editar] Saara Ocidental busca independência

Favela em Marrocos.

Marrocos sempre está atrás de recordes medíocres, (já que recordes entre países africanos não é vantagem para ninguém). Marrocos dividiu seu território em dois, um mais decente e se achando país europeu ao norte e um outro território ao sul, o Saara Ocidental, talvez o território mais esquecido do mundo empatado com o Polo Norte. O Marrocos então é único país da África que possui uma colônia ao invés de ser colonizado (esse argumento estapafúrdio não engana ninguém).

No Saara Ocidental constantemente surgem guerrilhas separatistas, a ONU finge que se preocupa, mas basta uns 5 soldados marroquinos invadirem o Sara Ocidental, roubarem as 7 vacas que lá existem, e as rebeliões são assim reprimidas.

[editar] Fatos recentes

Atualmente, o Marrocos continua querendo Ceuta e Melilla enquanto o governo espanhol nem faz questão daqueles dois enclaves medíocres e os mantêm só para sacanear os marroquinos mesmo. Considerados os principais pontos de imigração ilegal da África para a Europa

O governo anuncia em 2009 a instauração dos primeiros ônibus marroquinos, o que causa temor na população pois eles usam tecnologia iraquiana, daí surge a frase "Socorram-me subi no ônibus em marrocos".

[editar] Geografia

Dividido entre deserto e mar, Marrocos se encontra na foz do Deserto do Saara.

Apesar do povo ser muito marrentinho e se achando os europeus ou árabes, desprezando a África, o Marrocos na realidade é um país que é uma grande poça de terra, com alguns islâmicos procurando petróleo até hoje, muita sujeira, é um território esquecido pelos homens.

[editar] Subdivisões


[editar] Economia

Todo o progresso econômico de Marrocos.

Atualmente, Marrocos se destaca como um grande balneário (areia é o que não falta). Destaca-se a grande quantidade de cirurgias de mudanças de sexo e ultimamente na gravação da novela O Clone. Dizem que após a novela o Dr. Albieri se mudou pra lá onde tem um caso com duas mulheres de burca.

Tem como atividade econômica a exportação de mulheres e tráfico de areia sagrada do Saara.

Flag Map Marrocos.png Marrocos
HistóriaPolíticaSubdivisões
GeografiaEconomia
CulturaTurismo
Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas