Marta Vieira da Silva

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Lesbian logo.png Este artigo pode levar-te para o Lado Azul da Força!

Este artigo contém fatos sobre sapatas e dirige caminhão sem camisa.

Tatu 7.jpg
Descitacoeslogo2.png
O Descitações possui citações de/sobre Marta (futebolista).

Cquote1.png Você quis dizer: Marta Sapatão Cquote2.png
Google sobre Marta Vieira da Silva
Cquote1.png Você quis dizer: Marta Suplicy! Cquote2.png
Google sobre Marta Vieira da Silva
Cquote1.png Você quis dizer: Pelé! Cquote2.png
Google sobre Marta Vieira da Silva

Marta da Silva
Jogadora-marta-futebol-the-history-channel.jpg
Marta em foto de perfil no Facebook (imagine como deve ser a do RG)
Apelidos Pelé de saias
Neymar Marta
Nascimento 1 de Janeiro de 1976
Sobral, Bandeira do Brasil Brasil
Nacionalidade É do Bandeira do Brasil Brasil!Bandeira da Suécia Suécia
Altura 1,48
Peso 42 kg
Posição Todos*
* = No futebol feminino não existe posição, com exceção a do goleiro.
Ambidestra
Clubes Bandeira do Brasil.jpg (1999)

Bandeira do Brasil.jpg Vasco da Gama (2000–2002)
Bandeira do Brasil.jpg Santa Cruz (2002–2004)
Bandeira da Suecia.png Umeå IK (2004–2008)
Bandeira dos EUA.png Los Angeles Sol (2009)
Bandeira do Brasil.jpg Santos (2009–2010)
Bandeira dos EUA.png FC Copper Pride (2010)
Bandeira do Brasil.jpg Santos (2011)
Bandeira dos EUA.png Western NY Flash (2011)
Bandeira da Suecia.png Tyresö FF (2012–2014)
Bandeira da Suecia.png FC Rosengård (2014–2017)

Bandeira dos EUA.png Orlando Pride (2017, e contando...)
Estilo de Jogo Ei! Toca pra mim que eu resolvo!
Gols 1979 (contando os feitos no aniversário do Viadão)
Prêmios Bolas de Ouro
Melhor Jogadora da Liga Sueca por vezes
Melhor Jogadora da liga americana vezes
Melhor Jogadora do Brasil vezes
Melhor Jogadora da América Latina vezes
Influências Na verdade, foi ela quem influenciou o Pelé
Vícios Marcar contra o time feminino de Guaratuba e congêneres


Marta Vieira da Silva, também conhecida por Pelé de Saia ou simplesmente Marta, é uma esportista, triatleta e futebolista brasileira. Apesar de estar em atividade desde 1986, Marta só passou a ser conhecida depois que começou a ganhar coisas como Bolas de Ouro e medalhas de ouro no Futebol Pan-Pan-americano e Olímpico, este último com mais valor que as demais premiações, em razão da seleção masculina sempre perder para gatos africanos, pelo menos até os jogos de 2016.

Pai de Jhessxyely Valentina e de Enzo Gabhryehl, Marta atualmente mora em um dos contêineres do CT do Malmö FF com sua esposa Cristiane. Atualmente joga no Orlando Pride, um pequeno clube social fundado pela comunidade gay da Flórida.

Biografia[editar]

Marta durante seu casamento Cquote1.png Olha a mão boba na tua cara! Cquote2.png

Nasceu nos cafundós de Judas (também conhecidos como Alagoas) bem depois que o mesmo perdeu o seu All Star, Marta queria vencer na vida, e veio pra São Paulo, e insatisfeita com as poucas oportunidades que a vida lhe oferecia, resolveu casar com seu primeiro grande amor, Eduardo, e a partir daí e iniciar sua carreira e também na elite paulistana entrando na família Matarazzo.

Depois de estrelar o manhã Mulher em 1900 e avião movido a manivela na Rede Globo, entra na vida pública e se cansa de perder para Alckimin, Serra e Maluf, Marta resolve entrar de sola no futebol feminino e de cara já leva cartão vermelho, por ter sido um lance de jogo temerário, segundo a FIFA.

Carreira esportiva[editar]

Marta inicia sua carreira já aos 35 anos, pelo CSA de Alagoas, onde jogava com Torneirinha e Jacozinho, atuando como meia-atacante até os anos 90, quando a FIFA passou a proibir que homens e quase homens jogassem juntos numa mesma equipe. Com isso, foi obrigada a se transferir para o futebol das suecas, onde passou a jogar ao lado de loiraças suadas com sérias tendências ao lesbianismo até voltar ao Brasil no início do século, a convite de um dirigente brasileiro.

Vasco da Gama (2000)[editar]

Durante o embrolho para a realização da Copa Matuzalém, Marta foi convidada por Eurico Miranda para um contrato de três anos com o clube carioca. Em sua apresentação que contou com 200 pessoas, sendo delas 190 da Torcida Jovem vascaína, os presentes fizeram mosaico em homenagem a atleta. No clube, Marta atuou com nomes consagrados do futebol Brasileiro, como o zagueiro Odvan e outros menos renomados, como Mauro Galvão, Juninho Paulista e Romário.

No único ano que atuou pelo clube carioca, Marta marcou 17 gols, alguns importantes como o marcado na semifinal do Campeonato Carioca contra o Bangu no momento em que o time perdia de 1x0 (o placar terminou 3x1 para o Vasco), outra contra o Once Caldas nas preliminares da Summer Cup daquele ano e uma contra o Flamengo na Copa Sarcófago daquele ano.

Ao final da temporada, antes da final contra o Flamengo na final do carioca de 2000, ela foi barrada para a entrada do Pedrinho, o que gerou muita insatisfação por parte da atleta. Com o título ficando na gávea, ela viu que o time era bom, mas ela cansou de ser só vice e saiu do time.

Santa Cruz (2002–2004)[editar]

Até entrar no time, só jogava pelada no campinho do sítio. Depois assinou um contrato de um ano, renovado por mais um ano com o time pernambucano.

No clube, ela ganhou três vices do pernambucano consecutivamente.

No meio da temporada, antes do início dos jogos de Atenas, a FIFA fez uma vistoria surpresa nos clubes brasileiros. Para evitar punição por doping (Marta tinha maior concentração de testosterona que o permitido), o Santa foi obrigado a reincidir o contrato com a jogadora faltando três meses para o fim. Já a jogadora, teve de se exilar em times que ninguém dava a mínima para continuar fazendo a segunda coisa que mais gostava (depois daquilo) que era jogar futebol. Como no país não existiam times de futebol feminino, ela teve de viajar para a Escandinávia para jogar num clube qualquer do país.

Uma e meia IK (2004–2008)[editar]

Por conta de seu desempenho naquela temporada, Marta foi eleita como a melhor jogadora do mundo.

O primeiro clube de futebol feminino da atleta. Nele, Marta deitou e rolou, foi o Messi de saias do time, cagando gols até não aguentar mais. Na equipe, o menor placar já registrado foi um 5x2 (para o time da Marta, é claro), sendo que na partida em questão, todos os gols marcados pelo time vencedor foram dela.

Sem adversárias a altura, Marta foi declarada a Caster Semenya do futebol feminino, ganhando duas Copas européias pelo time, sem maiores dificuldades. Ambos os placares da final foram bastantes modestos, sendo 32x5 contra o time da Associação das Donas de Casas da Europa e 42x8 contra o time formado pelas esposas de jogadores da quarta divisão do Futebol Inglês.

Los Angeles Sol (2009)[editar]

Marta ao ganhar seu seu quadrilionésimo milésimo septuagésimo sexto prêmio de melhor jogadora do mundo.

No início do ano, a atleta decidiu que era tempo de tomar novos ares (os ares europeus já estavam poluídos demais) e jogar num novo pais, aprender uma nova cultura e uma nova (velha) língua, o inglês. Foi quando então decidiu assinar por um ano com o clube da Tia Solange, situado em Los Angeles. Apesar do curtíssimo tempo por lá, conseguiu ser artilheira da Liga Americana, mesmo com seu time tendo ficado em vice.

Não aguentou o poluidíssimo ar de Los Angeles e a criminalidade de Compton e resolveu pedir a CEO do clube, a Tia Sol, dois anos de férias daquele local. Então a Sol a emprestou ao Santos na condição que a devolvesse da forma como ela foi entregue.

Santos (2009–2010)[editar]

Ao jogar no Santos, pela primeira vez ela jogou em uma filial feminina de um Clube do Brasil.

Como por estas bandas as meninas jogam na pseudo-tática "vão todas em cima de uma bola", ela não teve muitas dificuldades, pelo contrário, deitou e rolou de fazer gols em goleiras que não sabiam sequer acertar o lado do chute ou que tinham medo da bola.

Por aqui Marta ganhou uma Libertadores e uma Copa do Brasil, ambas como goleadora, melhor atacante, melhor jogadora, melhor zagueira, melhor meio de campo, troféu fair play, troféu Osmar Santos, troféu da Placar, troféu Friedenreich, troféu troféu Mário Lago, troféu Imprensa e marcando uma média de 6 gols por partida e marcando gols inclusive na final de ambos os títulos.

Com o fim do empréstimo, voltou para a Baía de Guantánamo e de lá seguiu até Los Angeles.

FC Copper Pride (2010)[editar]

No ano seguinte, Marta foi selecionada para atuar no Futebol Clube Orgulho de Latão, onde fez 327 gols em 12 partidas. No mesmo ano, foi campeã da Velcro's Premier League, terminando a competição como uma das artilheiras e como MVP do torneio, a frente de LeBron James.

Western New York Flash (2011)[editar]

Um time de tiro ao alvo do velho oeste. Nele ganhou outro Velcro's Championship, o terceiro da carreira.

Tyresö FF (2012–2014)[editar]

Quando a temporada da Premier League Feminina americana foi cancelada, Marta foi correndo assinar com um timeco da suécia a fim de garantir seu ganha pão e sustento do dia-a-dia. Ficou dois anos por lá e ganhou o campeonato no primeiro ano. Nos demais, percebeu que não ganharia nada se empenhar para conquistar o medíocre Campeonato das Suecas. Na temporada seguinte escolheu que queria ganhar a Lesbos' UEFA Champions League. Ao ganhar o título, resolveu que era a hora de virar a casaca e ir para o time adversário.

FC Rosenberg (2014–2017)[editar]

Ao chegar no time de Rosenberg para encher a sala de troféus daquele clube que até então estava vazia. Só teve fôlego nos dois primeiros anos, depois se cansou e não ganhou mais nada.

Orlando Pride (2017–até agora)[editar]

Atualmente está de férias no Orlando Pride, provavelmente seu último clube antes de pendurar o absorvente e se aposentar.

Seleção[editar]

No futebol, Marta conhece sua companheira Christiane. As duas descobrem o juntas verdadeiro amor futebol feminino do Brasil e formam o casal a maior dupla de ataque da seleção.

Quando os técnicos da seleção feminina vão listar as jogadoras que querem convocar, só tem 22 espaços para colocar os nomes. O da Marta já vem impresso na folha, pois ela tem vaga garantida na seleção pelo resto da vida.

Faz ("faz" porque ela sempre mantém a forma e não se aposenta) muitos gols pela seleção brasileira, mais que Pelé, Neymar ossos de vidro e Ronaldinho juntos. Em todos os campeonatos da seleção em que ela participa, o Brasil consegue ser campeão (exceto quando eliminado pelos EUA).

O moleque fez uma homenagem a jogadora. Ele só não imaginava que uma semana depois a seleção Feminina perderia a Olimpíada enquanto o Neymar ainda marcaria no ouro olímpico do Brasil.

Do Pan do Rio até as piadas de Olim do Janeiro, foi a atleta mais lembrada pelos brasileiros nos fracassos dos marmanjos, ainda que arquibancadas dos estádios estivessem sempre vazias em jogo de Seleção Feminina (com exceção das finais, claro). O declínio dela começou quando, jogando em casa, a Seleção Feminina não conseguiu sequer o Bronze, enquanto que os meninos da Seleção Oficial conseguiram o primeiro ouro olímpico. Com a derrota, os brasileiros caíram na real com relação ao futebol feminino, passando a zoar a atleta com memes, ainda mais depois da belíssima homenagem feita a ela por um .

de virar chacota em casa, a atleta decidiu que era hora de planejar sua aposentadoria, não pelo falido INSS e sim pelo Försäkringskassan. Para isso, Marta decidiu assinar com outro time escandinavo e se mudar de vez para a Suécia para providenciar sua cidadania Sueca, sendo assim a primeira sueca não albina e também uma das poucas a portar uma broxante fisionomia.

Prêmios[editar]

  • Melhor Trabalho Escolar da Turma 4B (1985)
  • Melhor âncora das TVs Abertas esquecidas (1995)

Clubes[editar]

Futebol Masculino[editar]

CSA[editar]
Vasco da Gama[editar]
Santa Cruz[editar]

Futebol Feminino[editar]

Umeå IK[editar]
  • Campeonato Sueca: 2005, 2006, 2007, 2008
Los Angeles Sol (2009)[editar]
  • Velcro's Premier League: 2009
Santos (2009–2010)[editar]
FC Copper Pride (2010)[editar]
  • Campeonato Americano...: 2010
Western New York Flash (2011)[editar]
  • Campeonato Americano...: 2011
Tyresö FF (2012–2014)[editar]
  • Campeonata Sueca: 2012, 2013 e 2014
FC Rosenberg (2014–2017)[editar]
  • Campeonata Sueca: 2015, 2016, 2017
Parada do Orgulho Gay de Orlando[editar]
  • ...: Nada até agora...

Seleção Brasileira[editar]

Individuais[editar]

  • Melhor Jogador do Alagoano: 1987, 1988, 1990, 1991, 1993, 1994
  • Melhor Jogador do Campeonato Carioca: 2000
  • Bola de Ouro da Revista Placar: 2000, 2009
  • MVP do Velcro's Championship: 2009, 2010, 2011
  • Artilharia do Campeonato Sueco: sempre
  • Maior Artilheira da História da Seleção Brasileira: 1227 gols