Martin Heidegger

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pensador trabalhando.jpg Martin Heidegger é um filósofo
Portanto também é um deficiente mental...

Este é mais um desocupado que não tinha porra nenhuma pra fazer além de contemplar a empolgante vida sexual dos caramujos-de-jardim. Se você é uma pessoa provida de um pouco de sanidade mental, vá procurar algo melhor para ler, como uma bula de remédio!

Cquote1.png Só sei que nada sei... Agora me deixa em paz! Cquote2.png
Martin Heidegger recordando o sentido original grego, quando questionado pela sua ligação com o Terceiro Reich

Cquote1.png Aqui se estuda o "Ser do Ente" Cquote2.png
Professor de Filosofia Heideggeriana
Cquote1.png Não sei nada desse ser aí Cquote2.png
Piadista filósofo sobre Heidegger

Cquote1.png Obrigado por ver meu trabalho! Cquote2.png
Friedrich Nietzsche sobre o fato de que ninguém iria ler até que ele foi interpretado por Heidegger
Cquote1.png O que está sendo? É de ser e de estar? A melhor coisa é deitar na cama de Ester? Cquote2.png
Banda espanhola sobreo seu livros; Ser e Tempo
Cquote1.png O ser do ente é uma questão minha e do SUS Cquote2.png
Heidegger em conferência intitulada "Ser e SUS"
Cquote1.png Ontologia... fazer hermenêutica da facticidade Cquote2.png
Heidegger fazendo propostas indecentes para Hannah Arendt

Martin Heidegger
Heidegger.jpg
Heidegger e seu bigodinho nazista
Nome Martin Heidegger
Origem Acre Meßkirch
Sexo link={{{3}}} Masculino
Companheiros Bertrand Russell, Wittgenstein, Adorno e Michel Foucault
Obras Ser e Tempo
Influências Jean-Paul Sartre

Martin Heidegger (1889 - 1976), é uma famosa cerveja nazista da Alemanha. No entanto, o filósofo e não a cerveja; em seus momentos de sobriedade, o Heidegger trabalhou como professor e filósofo, inventou teorias contraditórias, como o Ser e Tempo e do seu inimigo mortal, o momento. Ele pegou a política como uma forma de não trabalhar e beber cerveja cada vez que poderia, ao final do dia, não muito tempo atrás, um filósofo. Heidegger inventou uma maneira de controlar seus impulsos humanos, matando com veneno de rato. Já trabalhou para estabelecer suas teorias para a comunidade filosóficas, entretanto, sua grande definição de cerveja como um ser humano não tenha sido aceita ainda.

A filosofia de Heidegger é de caráter nitidamente fascista. O incrível é que os estúpidos da filosofia são tão alienados que muitos nem percebem que o cara era nazi. Idolatrado, entre outras coisas, por escrever livros que ninguém entende, mas importantes para os alienados subjetivistas/relativistas. Também satisfez o desejo secreto dos "fiz-filosofia-por-ter-menos-caditado/vaga" ao bancar o médico, tratando do Ser-do-ente. É também muito lembrado por usar seu conceito de "coisidade da coisa", sem nem ao menos estar bêbado. Por ser a maior besta filosófica que já existiu, é o preferido dos "Pretensos Literatos" e dos "Tocadores de Viola", já que dá vazão a todos os delírios destes retardados mentais.

Biografia autorizada pelo Reich[editar]

Logo da sua cerveja preferida

Obcecado em ser uma criança que solta bolhas de sabão e da proporção do gás ideal na cerveja, escreveu vários manuais sobre a fermentação da cerveja, tornando-se erroneamente considerada como um filósofo para alguns alcoólatras no momento. Hoje ela ainda está associado a essa filosofia que nos encoraja a "pensar verde", embora haja evidências de que o slogan foi criado por ele. Na verdade, há indícios de que a sua cor favorita era branco e não verde. Algumas pessoas responderam que naquela época era considerado que a cor branca era sua preferida, mas é agora, então realmente a sua ex-cor favorita era a sua segunda cor preferida, parece que era verde, embora existam aqueles que dizem que preferia o azul.

Começou a testar com tambores e cereais em 1915 em um porão na Universidade de Freiburg, atribuído pelo reitor para a sua tese de cerveja (em parte porque se tornou muito pesado, em parte porque ele tinha amigos influentes.)

Após 13 anos de trabalho árduo, finalmente, em 1928 ele lançou seu Aria, o popular lager da maior parte do dia. Ficou bêbado no meio da Europa e tinha muito a ver com a Segunda Guerra Mundial (que, como todos sabem, foi devido a um mal-entendido sobre uma ressaca de manhã depois de uma longa noite de festa entre políticos de diferentes países).

Em vista do grande sucesso do seu Aria, Heidegger continuou a experimentar com ingredientes inovadores e em 1940 foi colocado à venda a Auschwitz, um brinde a cerveja, mas fez bastante sucesso, não atingiu o nível de vendas do Aria. Como todas as um grande negócio, Heidegger se recusou a admitir o seu erro e insistiu em completar a sua gama de cervejas com o Untermensch Stout, depois plagiador mais tarde Sir Arthur Guinness iria se inspirar para criar sua própria cerveja. Para completar seu sonho só faltou uma cerveja branca, mas tente como ele pode não conseguir mais do que diferentes cervejas de cor não, a forma de consumidores por ser visto como rehashes da Aria, o único que chegou a vender muito bem, não se sabe se para o sabor (que alguns deixam muito a desejar) ou mais pela grande campanha publicitária iniciada no final dos anos 20 por seu amigo de Hitler era um grande amante de cerveja e, especialmente, o Aria. Muito tempo depois do fim da Segunda Guerra Mundial, Heidegger pretende estabelecer as bases do pensamento do ser, pela sua cervejaria em Munique, foi fechado pelo comunismo, e tornou-se uma fábrica de caixas, o que não é montado todo (isso foi feito em Moscovo .) Algo tinha de viver, e se o governo lhe pagava para pensar, como boas-vindas como o dinheiro .

Clássico jogo de "Ponha a roupa em Heidegger"

Ser e Tempo[editar]

Em uma dessas viagens repetidas de um açougueiro de Oscar Mayer, Heidegger viu que muitas das coisas que ele achava que talvez pudesse realizars não foram realizados. Além disso, Oscar Mayer foi um alimentado com um ano de idade através de um tubo inserido pelo alimento e para o qual ele também foi o seu desperdício fisiológico, que era um pouco estranho, porque para fazer o tubo de sonda utilizada no feijão normal. Martin Heidegger chamou uma salsicha alemã clássica, que foi preparado mediante o preenchimento da pele de carneiro com vísceras de animais diferentes (vacas, porcos, cães, gatos, ratos e ovelhas). Enquanto preparava esta velha salsicha, coçando a axila e espirrou em cima da mesa. Heidegger viu esta cena, com ódio e percebeu que a fase da vida é algo que todos nós tínhamos de vir: era inevitável que não estando mais na posição de idade na época, porque o tempo de ser modificada. Portanto, o "ser-no-mundo" ou o Dasein de Heidegger diz, é claro que em algum momento na vida, você precisirá modificar o tempo para você se tornar um velho nojento, e se isso falhar, modifique o momento para retornar ao velho nojento. Um dos exemplos da modificação do Ser e Tempo está bem documentado-se a ser extraordinário que mudou o tempo para se tornar um velho sujo, para testar o modelo de Heidegger.

O Dasein[editar]

Martin Heidegger comeu a salsicha e, sem pensar que iria pegar algum tipo de estranho tuberculose, cólera ou defecar seu intestino, literalmente consumidos e caminhou até sua casa, ponderando as razões para o Ser e Tempo é reunir em idade muito avançada. Então ele pensou que talvez o decrépito serão fornecidas quando a almejada senilidade e sabedoria. Verificou-se que o fato de naquela época era a velhice que fazia o ser como tal citado, estavam em um abismo terrível de decrepitude. Na verdade, tudo que toca ou cheira velhos ficam mais velhos, esse "ser-aí" ou Dasein, define a salsicha gordurosa da reunião de Heidegger, que a mordida foi encontrada onde a carne estava podre (mas era uma salsicha alemã, comia-se assim mesmo). Heidegger filosoficamente e cientificamente demonstrando que ficou velho e decrépito, e as salsichas alemãs de bom gosto, mesmo se elaes são podres. É uma grande conquista para determinar que "estar lá" no lixo, na sujeira, nada de horrível, dor, sensação de peso, diarréia induzida pela cólera... poderia determinar o futuro da humanidade, ligando todos os pontos essenciais de vida .


Funk do Ser e Tempo[editar]

SEINSFRAGE DOS ALEMÃO (Por Mc Aristocrata / Mc São João-MG)
Dedicado a Edmund Husserl


Vamos abrir o Ser e Tempo/ com muita atenção
É só uma obra,/ mas tem 30 preleção
Vamos começar/ com a mundanidade
Horizonte hermenêutico /da facticidade
Não podemos esquecer/ do fundamental 
A pergunta é pelo Ser /e o ente paga pau...pau...pau ...pau
(Verstehen , Verstehen)
Vamos começar/ pela compreensão, 
Horizonte hermenêutico /da interpretação
O ser de cada ente /já tem sua intenção
Aparece de repente/ a sua tradição 
Só que todo ente/ é na totalidade 
Prévia condição /de possiblidade
(Olha o Dasein, olha o Dasein)
O homem não tem essência, 
ele é puro poder-ser/
é ação de transcendência 
Não é nada, pode crer!
Só é ele próprio 
na hora de morrer...rer ..rer..rer..
(UHHH SER PARA A MORTE, UHH SER PARA A MORTE..SEGURA A ANGÚSTIA!!! UHHH SER PARA A MORTE, UHH SER PARA A MORTE!!! )


O Lógos já tá no grau,
Expressa a interpretação 
Na cotidianidade,
na sedimentação!
Mande um salve para geral
Galera impessoal!!!
(Sorge ...Sorge...)
O cuidado tem o sentido
na temporalidade:
um mesmo movimento 
da tríplice unidade
o porvir e o ter sido
junto da atualidade 
(AI AI AI OLHA O DILTHEY AI AI OLHA O DILTHEY.....HERMENÊUTICAAAA)
Vamos fechar o Ser e Tempo com consideração
É difícil de entender e tá escrito em alemão
Para você que não gostou
Pensa queisso é bobagem
Espera até ver
O pensamento pós viragem!!!
(Dichtung ....Dichtung)