Martins Soares

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Só um campo de aeroporto sendo construído, ou uma hidrelétrica... Ou qualquer merda dessas.

Martins Soares é uma cidade de BR e cheia de caipiras, cheia de caipiras até a borda, em Minas Gerais. A cidade acabou sendo vítima de uma conspiração, por ter um fã clube de Thereza Collor o presidente Fernando Collor, muito vingativo, construiu uma rodovia que passava reto do município afetando toda a sua economia e a transformando em uma cidade falida, o que já era antes da rodovia.

História[editar]

Uma cidade que antes era só mato, então chegou um grupo de mendigos e começou a montar uma Favela por lá, antes aquela parte era só um pontinho na divisa com o Espírito Santo mas depois virou um distrito de Manhumirim, que passou a mandar todos os mendigos de sua cidade para lá, apesar de que Manhurim sequer tem 30 mil habitantes.

Os mendigos então escolheram um rei que oficialmente era um "líder de um grupo de moradores" ou de "comunidade". Ele então quis fazer coisas de rei: um castelo, escravos, cavalos. Aí tiraram o rei do trono e pediram a emancipação para escolherem um prefeito. Como o juiz não queria abrir as pernas para o "trem" que era Martins Soares eles usaram uma arma secreta.

Nos outros municípios tinham dito que daria certo qualquer coisa se oferecessem um boquete ao juiz, e foi assim mesmo. Eles se emanciparam e hoje a cidade é uma favela com uma rodovia que passa reto por ela, nem entra na cidade.

A cidade se nomeia Martins Soares, pois era um nome que aconselharam para eles, mesmo eles não fazendo a mínima ideia de quem tenha sido Martins Soares.

Cidade[editar]

Uma cidade com uma BR que passa reto, é uma cidade tão famosa quanto Palmeira, e olha que essa cidade saiu aleatória. Para geógrafos do Brasil, a cidade é um aeroporto que estava para ser construido mas abandonaram a construção dele no meio do projeto, restando só uma pista que virou a BR posteriormente.

Aí temos a questão do mato que rodeia a cidade e a conspiração que irritou Fernando Collor, que apesar de não ter Thereza Collor como primeira dama, já comia ela antes mesmo de seu irmão se casar com ela. Enfim, só mesmo com um Boquete e um juiz para poder emancipar uma cidade dessas, e um abaixo assinado com MUITAS assinaturas falsas.

Atualmente a cidade está com tantos caipiras que nem deve ter chegado internet lá, a deduzir pelas pessoas que ficam de cara emburrada em frente as varandas da casa, mostrando a hospitalidade e a animação do Martinense.

Por fim, a cidade foi outra esquecida pelo governo estadual mineiro. Outra coisa foi que a cidade deve ser uma linha e não um território.

Ver também[editar]