Marxismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Hammer and sickle.png
Este artigo foi aprovado pelo Conselho de Proteção à Moral da Família Soviética como sendo livre de conteúdo subversivo.
Crazyhorse.gif
Este artigo é papo de doido!

Ele pode falar sobre alguma coisa doida, alguém doido, ou foi escrito por um doido. Se você mora num hospício, onde tudo que se tem pra comer é gelatina, é recomendável não ler o artigo. Mas se você é como os nerds da uiquipédia, sem nenhuma gota de doideira, fique à vontade!

Kidiaba.gif
Cquote1.pngVocê quis dizer: MachismoCquote2.png
Google sobre Marxismo

Cquote1.png Na União Soviética, quem marcha contra a marcha é VOCÊ !!. Cquote2.png
Reversal Russa sobre Marxismo
Cquote1.png hiii haaa haaa heeee Cquote2.png
Sílvio Santos sobre as idéias de marx.
Cquote1.png Vamos dividir nosso capital meninas,hui. Cquote2.png
Karl Marx fazendo planos socialistas.

Tabela de conteúdo

[editar] O que é

O Marxismo é uma teoria Marxista criada pelo comunista Karl Marx com o auxílio de seu primo humorista Groucho Marx. A idéia surgiu enquanto os dois faziam uma meia e quando chegou a vez do Karl enrrabar contestar Groucho, este que gostava de brincadeiras, saiu correndo, sendo que Karl foi atrás gritando: agora é minha vez, agora é minha vez! Foi daí que surgiu a idéia de Marx para o mais-valia: mais valia não ter deixado.

Ao sentir o poder da penetração do Marxismo, Karl Marx exclamou todo alegre: o que é isso companheiro, meu amigo de fé, meu camaradinha!!! Foi nesse contexto que Marx perdeu a virgindade fé e passou a odiar Deus, pois Groucho o abandonou e nunca mais deu notícias, nem mandou uma carta. Movido pela inspiração daquele breve, porém sincero momento, Marx começou a escrever o Manifesto Comunista, mas faltou-lhe ânimo, pois sua mulher lhe enchia demais o saco. Foi então que Marx conheceu Friederich Engels, sendo que desde o princípio houve uma forte veadagem ligação entre os dois. Tomado por um novo fanchão companheiro de luta, Marx passou a defender o proletariado contra os burgueses. A grande máxima do Marxismo-comunismo é: proletários de todo o mundo, uní-vos!

Marchando para a revolução na esperança da união do proletariado fazendo um trenzinho e encaixando os vagões movimento revolucionário com expansão revolucionista para conter a revolução da burguesia, os proletários seguiram tomando no rabo marchando rumo à revolução cultural revolucionista.

[editar] Religião

A alegria dum jovem depois de desvendar os mistérios do devir histórico lendo o livro Fundamentos do Marxismo-Leninismo de Otto Kuusinen

O Marxismo foi a religião oficial da URSS e ainda tem muitos seguidores chamados comunistas. É uma religião politeista que seus principais deuses são Karl Marx, Kim Jong il e Stalin e seus messias são Che quer vara Che Guevara, Fidel Castor Fidel Castro e Lenin. O livro sagrado do marxismo é "O Capital". Os principais inimigos ou demônios do marxismo são Revista Veja, Mikhail Gorbachev, outras religiões, você, o capitalismo, comerciantes, Estados Unidos, Max Weber, sua mãe e etc. No Brasil, temos os petralhas, versão tupiniquim da religião, tendo muitos deuses locais como: Zé Dirceu, Lula e Dilma Rousseff, novos membros da ordem dos Cavaleiros do Brasil e claro, uma gorda propina os sagrados mensalões e mensalinhos são os mais populares e cultuados pela maioria dos punheteiroscumpanheiros.

Acredita-se que esta religião faça parte do lado mais obscuro do Eixo Cartesiano do Mal, tenha pactos secretos com os Reptilianos, greys e é claro, com o capeta.

[editar] No meio acadêmico

Marxismo é como se designa no meio acadêmico a Arte da Marcha. A base de todo o Marxismo é o corpo teórico seminal e musculoso e extremamente excitante da Teoria Marxista, desenvolvida teoricamente por Tutancamon e praticada ao máximo por Charlie Chaplin, Zé Colméia, Catatau, Tom e Jerry, e Ronald Golias, levada a sério até mesmo por gente muuuuito inteligente, como o Excelentíssimo Sr. Mário Tá na Covas, presidente da RDC (República dos Cachaceiros) e o Phd brasileiro em ociologia, Fernando Henrique Cardoso de Mello, ex líder da supracitada república, e a já também citada; brasileira-intelectuala-professora-doutora-pesquisadora-bolsista-do-CNPQ,-da-USP; Marilena Oiapoque de Souza Chauí.

[editar] Características Gerais

Karl Marx, o deus principal do marxismo

Criado pelos italiotas provindos da Pérsia, esta técnica consiste em saber aliar a mente com o corpo através do uso da erva sagrada Cannabis Sativa, na luta contra a mais-valia e o modo de produção capitalista. O mundo capitalista vive em pânico desde que foi criado o marxismo. Países se revolucionaram quando as pessoas começaram a marchar. Na verdade, o marxismo é mais uma manifestação maluca do comunista-anticapitalista. Os estadounidenses (é assim que se chama alguém dos Estados Unidos, e não americano) são os maiores aliados na Marcha contra a Marcha, além de se rebelarem também contra qualquer ato que os ameace (ainda bem que não descobriram que soltei um pum na semana passada). Marxismo tem varias variaveis, como por exemplo, pode ser também o nome de um movimento feminino de liberação que muito tem crescido atualmente, ou a seita que acredita no Santa Klaus Marx.

Pra dizer a verdade o Marxismo só é entendido por pessoas com um nível mental acima do normal. Maconha não adianta, tem que cheirar cocaína para entendê-lo.

Os princípios morais que regem esta religião concistem simplesmente: - Faça, fale e pense como eu digo, caso contrário receberá um "prêmio"

[editar] Saiu na Imprensa:

[editar] Apartamento de Marxistas é prova de que Marxismo Não Funciona

Rio de Janeiro, RJ - O apartamento imundo e desorganizado que é compartilhado por 3 membros de um núcleo marxista é uma evidência do porque a utopia econômico-social descrita nos textos de Karl Marx jamais funcionará.

"A história da sociedade é a história inexorável da luta de classes", disse Kiko, estudante de 23 anos, com os pés apoiados sobre a mesinha do café cheia de contas vencidas, tigelas sujas de comida e panfletos socialistas manchados de bebida. "O cenário está pronto para a luta final entre a burguesia e o proletariado, a verdadeira classe produtiva. Nós estamos bem conscientes disso."

Antes de se mudarem para dividir o mesmo apartamento no início de 2001, os companheiros Kiko, João e Marcos se sentaram no barzinho Arco-Íris da Lapa e debateram sobre como seria um sistema igualitário para a convivência harmoniosa no apartamento. Cada um teria tarefas, as quais teriam de ser executadas num determinado dia da semana. Um quadro de avisos na cozinha foi o lugar escolhido para colocar os anúncios e contabilizar o uso de bens comuns como o papel higiênico e a pasta de dente.

"Nós estamos criando um mundo melhor," disse João, colocando seu cigarro no cinzeiro que havia 6 dias não era esvaziado. "Foi como se tivéssemos desmantelando o aparato do sistema bem aqui na nossa casa."

Apesar do otimismo dos companheiros, seu sistema começou a falhar logo depois de começar. Para acertar as disputas, os companheiros faziam reuniões semanais: o Comitê dos Três.

"Eu disse que achei que era uma conversa mole porque eu aqui sou o único que cozinha aqui e ainda tenho os pratos para lavar também", disse Marcos, sem perceber o quanto o apartamento deles confirma a impraticabilidade do socialismo científico definido no Das Kapital. "Então decidimos que se eu cozinhar, alguém vai ter que lavar os pratos. E nós íamos nos revezar na limpeza do banheiro, mas o companheiro Kiko deixou de fazer a sua parte, então falamos para ele levar o lixo para fora. Mas ele agora tem aula na Terça de noite então ele mudou para passar o esfregão na cozinha."

Depois de semanas de reclamação de que ele era o único que sabia limpar decentemente, João começou a deixar de se esforçar, repetindo os problemas de produção experimentados na União Soviética e outros países da Cortina de Ferro.

Numa reunião do Comitê dos Três em sete de outubro, mais tarefas e um sistema de ponto foram acrescentados. Dois meses depois, no entanto, o quadro de tarefas já havia sido esquecido e a lista de compras estava quilométrica.

Os companheiros tentaram implementar um sistema de compartilhamento de comida, com resultados similarmente precários. O sonho da distribuição igualitária dos bens rapidamente deu lugar para a má alocação, o ato de esconder comida e os furtos entre os companheiros.

"Eu comprei Amendocrem nas primeiras quatro vezes e essa comida orgânica é cara pra ***," disse Kiko. "Aí então eu tenho escondido um pouco na minha gaveta de cuecas. Se o companheiro Marcos quiser um sanduíche, ele que vá na padaria e compre para ele."

Um outro experimento fracassado envolveu a maconha comprada coletivamente. Bate-bocas constantes surgiam sobre qual companheiro fumava mais do que a parte que lhe cabia, e os companheiros começaram a esconder os cigarros que eles compravam individualmente - especialmente de noite quando a escassez era mais frequente.

Essa situação é familiar para Fábio Arbequis, autor de "Das Kapengal: Uma História do Marxismo de Universitários".

"Quando os companheiros começam a fazer corpo mole, a economia do apartamento sofre," diz Arbequis. "Mas em uma sociedade onde existe uma ampla gama de gente capacitada, alguém vai reclamar de ter que carregar os outros nas costas e todo mundo fica revoltado como o companheiro Kiko."

De acordo com Arbequis, a falta de produtividade do grupo se reflete na vida inteira deles, com os companheiros encorajando-se uns aos outros a matarem aulas ou o trabalho para ficarem o dia inteiro no sofá fumando maconha e falando de política.

"Um espírito de competição de mercado livre numa casa resultaria em melhor renda e notas mais altas," disse Arbequis. "Então, em vez dos companheiros serem detestados e ficarem isolados do mundo como os países comunistas normalmente são, eles poderiam manter uma diplomacia efetiva com o dono do apartamento, com seus pais e com o chefe do companheiro Kiko que está pensando em demití-lo."

A falta de fundos e a escassez resultante não apenas gera descontentamento como também a corrupção. O coletivismo não funciona também porque nem todos fazem sua parte. João escondeu seu contra-cheque dos seus companheiros de modo que ele não teve que contribuir com o aluguel do apartamento, essencialmente se recusando a participar da taxação voluntária forçada que é a base do socialismo. Ainda pior, Marcos, que é encarregado de juntar o dinheiro e pagar as contas, embolsou 30% num roubo que ele disse que era para "pagar a conta do gás" mas foi gasto em bebida naquele mesmo dia.

"Como é da natureza humana, o poder tende a corromper até os homens mais nobres," disse Arbequis. "Quanto maior o poder que o coletivo tem sobre a vida dos indivíduos, como no caso desses três companheiros dividindo um apartamento, mais incentivo para ser inescrupuloso tem aquele que é encarregado da distribuição. Em breve esses marxistas vão perceber que o controle que o coletivo tem sobre eles é muito maior do que eles gostariam que fosse."


Ferramentas pessoais
Ver e modificar namespaces

Variantes
Visualizações
Ações
Navegação
Colaboração
Votações
(F)Utilidades
Novidades
Redes sociais
Correlatos
Ferramentas
Outras línguas