Mato Grosso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Mato Grosso não tem toda a soja do mundo, mas a soja está em todo Mato Grosso?
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Mato Grosso do Sul existe, mas Mato Grosso do Norte não?
Mato Grosso
Bandeira de Mato Grosso
Bandeira de Mato Grosso
Brasão de Mato Grosso
Brasão de Mato Grosso
Localização
Localização de Mato Grosso
Região Centro-Oeste
Capital Cuiabá
Cidade mais importante Apiacás, pois é a cidade que gera o chifre no mapa do estado.
Estados limítrofes Pará, Rondônia, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Inferno e Goiás
Características geográficas
População 27.535.479 cabeças de gado e 948 hab. '
Densidade d = \frac{ m }{ v }
Clima Tchá, quente de más!
Indicadores
Analfabetismo 102,7% 24/01/2016
Mortalidade infantil 211,5% 24/01/2016
Expectativa de vida 5 anos em 5 24/01/2016
IDH Não se sabe ainda medir a qualidade de vida de cabeças de gado e da soja. 24/01/2016
PIB R$ R$ 615.132 mil 24/01/2016
2% do nacional
PIB per capita R$ o 7º maior do Brasil (pelo menos alguma coisa neste estado tem que prestar) 24/01/2016
Outros
Gentílico matogrossense, sojicultor ou peão


Cquote1.png Você quis dizer: Desmato Grosso? Cquote2.png
Google sobre Mato Grosso
Cquote1.png Experimente também: Pantanal, Cerrado e Floresta Amazônica Cquote2.png
Sugestão do Google para Mato Grosso
Cquote1.png O que vem de baixo não me atinge! Cquote2.png
Mato Grosso sobre Mato Grosso do Sul
Cquote1.png Ainda bem que eu me separei desse inferno! Cquote2.png
Mato Grosso do Sul sobre Mato Grosso
Cquote1.png Terra dos caipiras, sô! Cquote2.png
São Paulo sobre Mato Grosso
Cquote1.png Uai, é? Ô! Eu pensei que só os mineirin eram caipiras, sô! Cquote2.png
Mineiro sobre declaração acima
Cquote1.png Pelo menos aqui não tem tanta bicha e parada gay! Cquote2.png
Mato Grosso sobre São Paulo
Cquote1.png Não contavam com minha astúcia! Cquote2.png
Chapolin Colorado sobre sua coragem de sempre visitar o Mato Grosso
Cquote1.png Lá em Pato Branco, tinha uma mulher que veio do Mato Grosso, daí! Cquote2.png
Bozena sobre Mato Grosso
Cquote1.png Eita lasquera, que bagulho! Cquote2.png
Você ao avistar uma mato-grossense da gema
Cquote1.png Nosso maior inimigo! Cquote2.png
Greenpeace sobre Mato Grosso
Cquote1.png Vô queimá tudo! Cquote2.png
Fazendeiro sobre Floresta Amazônica
Cquote1.png Adoro O Mato GROSSO! Cquote2.png
Ney Matogrosso sobre Mato Grosso
Cquote1.png That's HOT! Cquote2.png
Paris Hilton sobre Mato Grosso
Cquote1.png Eu já fui pro Mato Grosso. Campo Grande é ótima! Cquote2.png
Sulista sobre Cuiabá
Cquote1.png Eu já fui no Mato Groffo du Ful! Cquote2.png
Lula sobre Mato Grosso
Cquote1.png Móóóóóóóóóóóóóóóóó. Cquote2.png
Boi sobre Mato Grosso
Cquote1.png O estábulo do Brasil, lá só tem vaca Cquote2.png
Paulista sobre Mato Grosso
Cquote1.png Sou mais incendiário que você! Cquote2.png
fazendeiros de Mato Grosso, para Nero
Cquote1.png Sério que o governador de vocês tem nome de caldo de galinha? Cquote2.png
Você para um mato-grossense
Cquote1.png Vocês vem do Mato Grosso do Sul ou do Mato Grosso do Norte Cquote2.png
Paulista bancando o esperto sobre geografia
Cquote1.png Puta que pariu! Querem nos dividir de novo! Cquote2.png
Mato-grossense revoltado sobre possível criação do estado do Araguaia e Mato Grosso do Norte
Cquote1.png Claro! Nosso sonho é nos separar desse inferno, assim como fez o Mato Grosso do Sul! Cquote2.png
População do Araguaia sobre Mato Grosso
Cquote1.png Pois fiquem vocês sabendo que o Mato Grosso não precisa dessa região pobretona que é a do Araguaia! Cquote2.png
Cuiabá, Rondonópolis e Tangará da Serra sobre nova divisão do Mato Grosso
Cquote1.png É bem Mato Grosso! Cquote2.png
TV Centro América sobre Mato Grosso
Cquote1.png Eu sou mato-grossense, eu sou sem igual! Cquote2.png
TV Cidade Verde, com inveja da TV Centro América, sobre Mato Grosso

Mato Grosso é uma grande fazenda brasileira, de propriedade de uma família de nome de uma famosa empresa de caldos de galinha, localizada a noroeste da região Centro-Oeste. Destaca-se pela sua vasta criação de caipiras, capiais e afins, destinados ao corte (de facão), trabalhos braçais ou como uma segunda casa de gaúchos.

Ao contrário da crença popular, o estado não é um lugar onde só se vê mato, índios, cobras e onças-pintadas, pelo contrário, atualmente toda a riqueza natural do estado já foi destruída, desmatada, pilhada e queimada. O território estadual está ocupado por gaúchos, alienígenas e vastas plantações de soja e pastos para bois. Como seus fazendeiros e governantes continuam desmatando todas as florestas do estado para criar gado e plantar soja, o estado passou a se denominar Desmato Grosso.

História[editar]

A história de Mato Grosso começa no Século XVII, quando bandeirantes resolve adentrar o território espanhol em busca de terras exóticas e só encontram índios canibais. Em 1748 é então criado pela colônia portuguesa a capitania de Mato Grosso, com o intuito de manter a defesa da fronteira portuguesa, mas como não existiam ali nem espanhóis e nem portugueses, o local ficou abandonado mesmo e colonizado só na teoria mesmo. Em 1752, Juma Marruá, bisneta de Dercy Gonçalves, cria a primeira capital de Mato Grosso, a cidade de Vila Bela da Santíssima Trindade, mas a mesma foi invadida anos mais tarde por Renato Aragão e dizimada e assim, tiveram de transferir a capital às pressas para Cuiabá, o que resultou na capital mais mal planejada dentre todas capitais dos estados brasileiros.

Em 1889, o Brasil se transformou numa república e pela primeira vez na história fazendeiros foram enviados para popular Mato Grosso. Era para ser isolado mesmo, para não chamar atenção dos índios que ainda eram maioria por lá, então a província passou a ser denominada de "estado".

Bem vindo ao Estado de Mato Grosso!

Em 1977, o então presidente da República, Ernesto Geisel, estava tendo um caso com a Nazaré Tedesco. Conta a história que ao fazerem sexo em cima de um mapa oficial, a Nazaré tentou matar o presidente a tesouradas, mas o plano não deu certo e a única coisa que ela conseguiu foi picotar todo o mapa do Centro-Oeste. Como Ernesto Geisel não poderia se justificar de modo a causar um enorme escândalo nacional, inventou que cortou o mapa porque decidiu reorganizar os estados, e assim dividiu Mato Grosso, criando o Mato Grosso do Sul. O então governador, preocupado com a preguiça dos cuiabanos e com o atraso de desenvolvimento do estado, decidiu convocar gaúchos falidos e caloteiros para povoarem o estado em troca de enormes fazendas.

A partir da década de 1970, uma forte massa de ar frio chegou no norte de Mato Grosso e se instalou na região. Gaúchos, catarinenses e paranaenses e demais foragidos da polícia, criaram um túnel com ligação direta entre o Sul do país e o norte de Mato Grosso. Trouxeram consigo todos os seus costumes, ideologias xenofóbicas, crenças, chimarrão, vestuário ridículo e tudo o que é praticamento no Rio Grande do Sul, inclusive a certeza de que são muito melhores que os outros habitantes do Brasil e do próprio Mato Grosso. Mato Grosso que antes só tinha meia-dúzia de caipiras, a partir de então, com a chegada dos escravos baianos, nada mais se tornou do que um complemento do Sul do Brasil. O povoamento e processo de formação histórica desta região se deu de maneira muito mais gay diferente em relação às outras regiões do estado. A cultura desta região é tão grande que não cabe num artigo. Ela é difundida através dos CTGs (Centro de Tradições Gays Gaúchas) existentes em cada cidade mato-grossense que se caracteriza pela difusão do consumo de chopp, churrasco, chimarrão e... e... e... e mais chopp, churrasco e chimarrão, mesmo sob o calor infernal de Mato Grosso. Estes CTGs obtiveram tanto sucesso que passaram a ser chamados de Ministério da Cultura e passaram a ser lideranças políticas locais que estudam criar o Estado do Rio Grande do Sul do Norte, desmembrando a região e dividindo o estado novamente, mas também existem aqueles que defendem apenas que a região deve passar a adotar o Clima do Sul, não havendo a necessidade de uma re-divisão do estado.

Geografia[editar]

Mato Grosso ocupa uma área de 906.806 km² dentro do Brasil, localiza-se a oeste do Meridiano de Greenwich e a sul da Linha do Equador. Seu fuso-horário está 4 horas atrasado em relação a hora mundial GMT, peculiarmente sendo cortado ao meio pela linha do fuso-horário, o que deixa tudo bem bagunçado lá dentro, especialmente nas época de horário de verão. Não satisfeito em ser um estado atrasado em tudo em relação ao Sul e Sudeste, Mato Grosso também é uma hora atrasado em relação ao Horário de Brasília.

No Brasil, o estado faz parte da região Centro-Oeste fazendo divisa com os estados de Mato Grosso do Sul, Goiás, Pará, Amazonas, Rondônia e Tocantins. Também faz fronteiras com outros países: Santa Cruz, Myanmar, México, Vila do Chaves, Rede Globo, SBT e Televisa.

O relevo mato-grossense não é de grande relevância por ser extremamente plano e, portanto não deve ser relevado, não passando de um cenário maravilhoso, repleto de cobras e jacarés figurantes pelas ruas e indiozinhos peladões nas praças de alimentação dos centros comerciais.

Paisagem típica de Mato Grosso.

Aproximadamente 98% da superfície estadual é coberta por plantação de soja.

Esta vegetação é de extrema importância na alimentação bovina. Mas há também a classe das sojaopsidas tomando conta do pouco que ainda resta de floresta nativa. Mas isso é o de menos, afinal precisamos alimentar os porcos da china com a nossa soja. A Amazônia Matogrossense, com uma riqueza enorme e uma biodiversidade das maiores do planeta, é só um empecilho.

Além disso, existem imensas reservas naturais, localizadas principalmente em Cuiabá, Várzea Grande e Alto Coité, onde pode-se ver a verdadeira riqueza natural do estado: os garimpos, uma bela e vasta região onde tudo foi preservado e cada centímetro da areia e cascalho remanescentes são preservados para as futuras gerações. Existem porém algumas áreas sem recuperação ambiental encravadas nestes refúgios, onde pode se encontrar a famigerada mangueira (Guajuviræs superdotaticus,) planta que produz um fruto intragável chamando “manga”, e também o pequizeiro (Piquinus fedorentissimus) que exala uma catinga insuportável, muito utilizada como arma química.

Clima[editar]

Mato Grosso em um dia frio.

O clima desse Estado brasileiro se assemelha muito ao clima do inferno, com a diferença de que no inferno faz um pouco de frio conforme Dante Alighieri relatou no nono círculo.

O inverno mato-grossense se caracteriza por amenas temperaturas, em torno de 52°C à noite e na sombra. Diz a lenda que o nome "inferno" deriva de uma visita do capeta ao "inverno" cuiabano.

O estado de Mato Grosso possui as quatro estações do ano bem definidas:

  • Verão - Época de temperaturas agradáveis, com temperaturas que oscilam entre 30ºC a 50ºC Chove em alguns dias.
  • Verão Mais - Época em que há uma estiagem de chuvas. As temperaturas começam a subir e os termômetros registram entre 50ºC a 70ºC. O clima se assemelha muito ao do Inferno, mas ainda não é o Inferno.
  • Inferno - Dias de temperaturas amenas, com médias de 40ºC. Os dias começam com os termômetros registrando 39,9ºC e pode chegar aos 80ºC.
  • Primavera Árabe - É a estação mais calorosa depois do Inferno. Os mato-grossenses começam a se estressar com tanto calor e costumam protestar pelados nas ruas, reivindicando temperaturas menores. Nos dias desta estação, beiram os 75ºC.

Economia[editar]

Uma fazenda moderna do estado.

A economia de Mato Grosso é muito diversificada. No setor primário produz-se boi, vaca, pacu, peixe, galinha, carne de Juma Marruá, soja, mato.

Na Indústria destaca-se a produção de de cocaína e maconha, com matéria-prima da Bolívia e também produz-se terra industrializada.

No setor de serviços, destacam-se os centros de prostituição, camelôs, venda de armas ilegais, CDs piratas, carros contrabandeados e produtos da Rua 25 de março revendidos ali. Um dos principais mercados do Brasil se origina no estado de Mato Grosso, que é o RPG (Roly Player-game), famoso por ser praticado por pessoas inteligentes.

Mato Grosso é talvez o estado brasileiro mais dependente do Brasil, importando produtos e utensílios de todos outros estados brasileiros. Abaixo os rincipais produtos importados de cada estado brasileiro:

  • Acre: acreanos em busca de Internet e Coca-cola barata.
  • Alagoas: alagoadores alargadores.
  • Amapá: casos raros como este não são registrados pelo governo de Mato Grosso.
  • Amazonas: produtos produzidos na Zona Franca de Manaus, índios e chuva.
  • Bahia: preguiça e Axé.
  • Ceará: sotaque de cearense.
  • Distrito Federal: materiais didáticos para os políticos mato-grossenses aprenderam a desviar verbas e impostos.
  • Goiás: música sertaneja.
  • Espírito Santo: casos raros como este não são registrados pelo governo do estado.
  • Maranhão: lençóis maranhenses (os motéis adoram usar esses lençóis, os tecidos são de boa qualidade)
  • Mato Grosso do Sul: Nada. Aliás, até que exporta, mas os fiscais são burros e confundem o MS com MT, e então fica registrado como se o Mato Grosso tivesse comprado produtos de cidades do próprio estado.
  • Minas Gerais: pão de queijo e suas variadas receitas.
  • Pará: Açaí e músicas da Banda Calypso.
  • Paraná: carros roubados, droga, produtos comprados no Paraguai e plantadores de soja.
  • Paraíba: casos raros como este não são registrados pelo governo de Mato Grosso.
  • Pernambuco: pernambucanos, oxente!
  • Piauí: a existência deste estado ainda não foi reconhecida pela SEFAZ-MT.
  • Rio de Janeiro: surfistas que estudam a ideia de praticar o esporte em rios.
  • Rio Grande do Norte: Natal, digo, Feliz Natal
  • Rio Grande do Sul: chimarrão, erva-mate, gays e gaúchos natos. (mas gay e gaúcho não é redundante?)
  • Rondônia: enfermos.
  • Roraima: casos raros como este, não são registrados pelo governo de Mato Grosso.
  • São Paulo: para aliviar o trânsito da capital paulista, este estado está exportando pessoas para o Mato Grosso, numa tentativa de reduzir seus problemas e quem sabe povoar um pouco esta gleba.
  • Santa Catarina: mulheres gostosas.
  • Sergipe: Gipe Cheroqui
  • Tocantins: Nada. A única relação do MT com TO é o Rio Araguaia.
  • Fontes: DESSEFAZ, Desreceita Federal;

Política[editar]

Para manter a posição de estado brasileiro e não ser nacionalizado pela Bolívia e seus traficantes, o estado de Mato Grosso precisa ser obrigatoriamente corrupto, ilegal e fodido na área política. O que significa portanto toda e qualquer displicência com a infra-estrutura de estradas, saneamento básico, sempre dando a desculpa de que essas coisas não melhoram em prol da preservação da natureza, quando o mesmo não é dito quando fazendeiros aleatórios abrem clareiras aleatórias no meio da mata e colocam lá seus bois.

População[editar]

Crescimento populacional no Mato Grosso
Ano Cabeças de gado
1872 160.417
1890 292.827
1900 3.118.025
1920 4.246.612
1940 5.432.265
1950 6.522.044
Ano Cabeças de gado
1960 7.889.539
1970 10.597.090
1980 13.138.691
1991 16.020.581
2000 19.504.353
2005 22.504.353
População ouriçada em dia de eleições.

Estado de 3.000.000 de habitantes onde predominam os caipiras, bois e dragões. Os bois são os mais numerosos, mas os caipiras são a população dominante, enquanto os dragões são avistados perambulando apenas pela noite de Cuiabá e maiores cidades, nas festas tradicionais de Lambadão.

A população de Mato Grosso é de 27.535.479 habitantes, segundo o censo demográfico bovino de 2006, com dados recentemente coletados pelo IBGE (Instituto Bovino de Geografia e Estatística). Em população bovina, Mato Grosso é o estado mais populoso do Brasil e concentra 91,47% da população bovina brasileira. Do total da população bovina do estado em 2005, 11.217.166 habitantes são vacas e 11.287.187 habitantes são bois ou touros.

Mato Grosso tem uma população humana estimada em 3 milhões de habitantes, segundo IBGE de 2010, com uma densidade demográfica de 0,0006 hab/km². Pelas características encontradas no estado o predomínio é de fazendeiros, gaúchos, índios e ciganos.

Municípios[editar]

Típico fim de tarde nas cidades do interior de Mato Grosso.

Transportes[editar]

Rodovia com as melhores condições de tráfego em Mato Grosso.

Mato Grosso é também apelidada como Purgatório de Caminhoneiros, pois detém as piores estradas do país, sejam federais ou estaduais. Os maiores empresários do estado são donos de oficinas mecânicas que ganham muito dinheiro vendendo pneus novos, consertando automóveis e reparando todos os danos causados por trafegar nas estradas fodidas de Mato Grosso. O governo estadual diz que, por sua vez, prefere manter o estado do jeito que está, porque não deseja desmatar mais mata nativa para criar estradas boas e espaçosas quando podem criar ali grandes pastos.

Cultura[editar]

A cultura de Mato Grosso é a cultura do "caipira radicalizado". Gostam de sentar na camionete numa tarde de lua e escutar sertaneja, enquanto contam os gados no pasto.

Na porção oeste do estado (Cáceres), quem toma o ritmo são os Chamamés pantaneiros e as músicas bolivo-paraguaias. Nessa região as pessoas geralmente passam o dia tomando uma espécie de bebida conhecida por eles de tereré, que é uma mistura de capim (o que tem bastante por lá) com água. Dizem que essa bebida faz bem, afinal, os bois também comem a mesma coisa e são os responsáveis pelo desenvolvimento da economia das cidades.

As regiões Sudoeste e Noroeste são influenciadas por Tangará da Serra, que não decidiu ainda se segue as tendências gauchescas lideradas por Sinop, ou a cultura cuiabana, recheada de rasqueado e lambadão.

Nas cidades sulistas lotadas no norte e no centro do estado, tudo ocorre como no Rio Grande do Sul, principalmente na hora do almoço, onde tudo cheira a churrasco e rosca queimada. Mesmo no calor infernal os habitantes dessas áreas insistem em tomar chimarrão por mais que essa bebida fosse feita para aquecer em tempos frios. Como todo bom sulista, os habitantes das cidades do nortão são bairristas e se sentem superiores ao resto do estado em tudo, pois as cidades da região estão entre as mais desenvolvidas. Assim como no Sul do Brasil, nesta região mato-grossense encontram-se diferentes dialetos e idiomas, tais como: alemão, inglês, polonês, italiano, japonês, gauchês e curitibanês.

Na região leste, uma verdadeira fazenda goiana dentro de Mato Grosso, a população é caipira e totalmente influenciada pelos modismos sertanejos de Goiás e até se atrevem a dizer serem os inventores da culinária do pequi, já tão consagrada em Goiânia muito antes de Mato Grosso ser descoberto. À beira do Rio Araguaia, cantam, pescam, contam causos e tomam banho de chuva ouvindo Vanessa da Mata.

Na região sul, prevalece o sentimento liberal de Rondonópolis, caracterizado pela música gaúcha, corrida dos gays pelados e sexo a céu aberto.

Nas cidades de Mato Grosso, existem livrarias espalhadas por todos os cantos.

O Governo Estadual do Mato Grosso, anunciou no início de 2011 a criação do COB (Comitê Olímpico Buscapé). Depois das Olimpíadas e Olimpíadas de Inverno, nada mais justo do que haver a Olimpíada Buscapé. Uma vez que aqueles roceiros todos sujos de verme que fura até os dentes, e que fica enchendo os corno de cachaça no único buteco da cidade que é deixado para as moscas, só querem saber de mascar mato e cuspir no chão, o Governo Ney Mato Grossense em parceria com a FUNAI, criaram a tal Olimpíadas. Na qual são disputadas as seguintes categorias: 1.Corrida de biga com cavalo vesgo; 2.Empalamento de índio doidão e peladão; 3.Cem metros rasos com os corno mamado de pinga feita na cozinha; 4.Espancamento de mulher e abuso das filhas. Até o momento, foi apenas isso que conseguimos extrair do COB.

Culinária[editar]

A população local consome o prato refinadíssimo de carne de jacaré ao molho barbecue com pequi que é sua fruta mais conhecida e saborosa, mas só eles e os goianos gostam por que o troço fede e ainda é cheio de espinhos. O nome deste prato leva o nome de Gororoba Mato-grossense. Dentre os pratos, destacam-se a Buchada de Onça Pintada, Leite com Folha de Árvore da Amazônia e Arroz com Pequi ao Molho Parmesão.

v d e h
NEY MATO GROSSO DO NORTE
Bandeira de Mato Grosso.png