Matrimelee

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg Matrimelee é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Kyo queima a rosca de alguém.


Matrimônio do Lee
Matrimelee cover.png

Capa desse hentai

Informações
Desenvolvedor Nose Factory
Publicador Atlus
Ano 2003
Gênero Plágio de jogos de luta
Plataformas Console que ninguém teve
Avaliação 2/10
Idade para jogar Livre

Cquote1.png Você quis dizer: Casamento com barraco Cquote2.png
Google sobre Matrimelee
Cquote1.png Tem certeza que isso não foi feito no Mugen? Cquote2.png
Qualquer jogador sobre Matrimelee
Cquote1.png Sapatona, sinto de longe o cheiro do couro. Cquote2.png
Nazaré Tedesco sobre Hikaru Jomon
Cquote1.png Apelona desgraçada!! Cquote2.png
Você sobre Princesa Sissy
Cquote1.png Que horror, é criança casando, é pancadaria no casamento, é furry, aonde esse mundo vai parar?? Cquote2.png
Christina Rocha sobre Matrimelee
Cquote1.png Melhor que o seu programa, que é só baixaria. Cquote2.png
Princesa Sissy respondendo o comentário acima
Cquote1.png BAIXARIA É VOCÊ!!! Cquote2.png
Christina Rocha sobre o comentário acima, enquanto quebra o cenário do programa enraivecida e se joga no chão

Matrimelee foi o jogo que ressuscitou a série Power Instinct depois de muitos anos na geladeira. Tentou pegar carona nos jogos de luta do começo dos anos 2000, e surpreendentemente conseguiu, apesar dos jogos seguintes terem sido um fiasco como sempre.

Jogabilidade e gráficos[editar]

Todo o sistema de Groove on Fight, assim como os personagens dele, foram jogados no lixo (NÃÃÃÃÃOOO, tragam a Solis peituda de volta!!!), então o jogo voltou a ser o um-contra-um. O sistema de Matrimelee é basicamente uma mistura das regras de King of Fighters (mas só com um lutador de cada lado em vez de times) e de Rage of the Dragons (de onde vieram até alguns "convidados"), com especiais de até três níveis e muita apelação. Tanto os personagens como os cenários parecem algum projeto preguiçoso de Mugen, e as músicas idem.

A única coisa de Groove on Fight que foi reaproveitada é que o personagem Olof usa os mesmos golpes do Bristol Weller. E só.

Enredo[editar]

Era uma vez um reino sem nome onde o rei queria garantir que a família real continuasse existindo. Como sua filha mais nova continuava solteira aos 12 anos (nesse reino as mulheres já se casam aos 10, por mais absurdo que isso seja) e seu filho mais velho era feio demais, a solução foi anunciar um torneio onde o vencedor poderia casar com um deles.

Sim, dessa vez o torneio não é organizado pelo clã Goketsuji. Apesar disso, praticamente todos os participantes são dessa família, tirando três delinquentes juvenis estudantes e o guarda-costas da princesa, vai entender...

Personagens antigos[editar]

  • Tane Goketsuji: é a véia dos jogos anteriores, que mudou de nome pra "Tane" sem motivo nenhum. Enfim, depois de ter perdido a liderança do clã Goketsuji, desencanou disso e resolveu que já tava na hora de se casar, então entrou no torneio pra casar com o príncipe. Fora a mudança de nome, continua a mesma coisa
  • Ume Goketsuji: a outra véia dos jogos anteriores, também mudou de nome pra "Ume", também sem motivo. Ficou revoltada quando soube que a irmã ia tentar se casar com um príncipe e entrou no torneio só pra roubar o príncipe dela. Também continua a mesma coisa
  • Reiji Oyama: não mudou nada, continua sendo um imitão do Ryu que só entrou no torneio porque gosta de sair na porrada.
  • Keith Wayne: agora parece um mecânico sujo (provavelmente teve que começar a trabalhar pra pagar as contas). Entrou no torneio pra tentar casar com a princesa, sem saber que ela só tem 12 anos.
  • Anny Hamilton: também mudou de nome pra "Anny" e agora se veste com um capuz escroto e uma roupa de puta (quer dizer, ainda mais puta que antes). Quando soube que o Keith ia entrar num torneio pra casar com uma princesa, ficou puta (essa palavra combina com ela, né?) e entrou no torneio pra encher ele de porrada.
  • Saizo Hattori: não usa mais o capacete (mas ainda usa máscara). Entrou no torneio pra... bom, a verdade é que nem ele sabe. É, pois é.
  • White Buffalo: continua a mesma coisa de antes. Entrou no torneio pra casar com a princesa, achando que a camareira dela é a princesa (já que a camareira é maior de idade).
  • Chinnen: mais um que mudou de nome sem explicação. Entrou no torneio pra casar com a princesa... mas peraí, ele não é um monge?? Monge pode casar??
  • Clara Hananokoji: a única que mudou de nome onde o nome novo faz mais sentido que o antigo (quer dizer, tirando o fato dela ser uma japonesa chamada Clara). Ela entrou no torneio pra se casar com o príncipe (mal sabe ela que o príncipe é mais feio que bater na mãe por causa de mistura...).
  • Kanji Kokuin: depois de ser rejeitado pela Oume (ops, quer dizer, agora é Ume), o véio decidiu entrar no torneio pra se casar com a princesa. Agora ele não é mais bombado, só quando beija os oponentes (eca!).
  • Poochy: a versão adulta e Furry do Kinta dos jogos anteriores ganhou vida própria e entrou no torneio pra casar com a princesa. É, simples assim.

Personagens novos[editar]

  • Buntaro Kuno: é um delinquente repetente com um topete copiado do Kuwabara do Yu Yu Hakusho. Entrou no torneio pra encontrar o Reiji, seu ídolo (aham, tá, significa).
  • Shintaro Kuno: outro delinquente e irmão mais novo do Buntaro; entrou no torneio pra descobrir se é mais forte que o irmão (spoiler: não é).
  • Hikaru Jomon: estuda na mesma escola que os irmãos Kuno e parece ser mais um delinquente juvenil, mas na verdade é UMA delinquente juvenil. Sim, é uma garota que se veste de homem e entrou no torneio pra mostrar a força (inexistente) da sua família.
  • Olof Linderoth: é o guarda-costas da princesa Sissy (ver abaixo), e entrou no torneio porque ela mandou, dizendo que queria ver se ele é realmente forte (na verdade é porque é com ele que ela quer casar, sem saber que ele é gay).
  • Princesa Sissy: a chefona do jogo. Seguindo a tradição dos jogos de Power Instinct, é uma apelona desgraçada, ainda mais apelona que todos os chefões anteriores, invocando monstros de uma caixa e jogando feitiços nos jogadores.
  • Jimmy, Lynn, Elias e Mr. Jones: convidados especiais de Rage of the Dragons. História e mais informações: ninguém se importa.

Shin Goketsuji Ichizoku: Bonno Kaiho[editar]

Seguindo o exemplo das empresas coleguinhas mercenárias Capcom e SNK, é claro que a Atlus não ia deixar de relançar o jogo pra faturar mais grana dos jogadores otários. E assim, Matrimelee virou Shin Gōketsuji Ichizoku: Bonnō Kaihō (WTF esse nome???).

O jogo é praticamente igual ao Matrimelee, com a diferença que tiraram o povo do Rage of the Dragons e colocaram de volta o pirralho Kinta Kokuin (que ainda paga bundinha, mas pelo menos agora não paga mais pintinho) e o travesti anabolizado Angela Belti (pra trazer mais testosterona pro elenco). Além disso, a princesa Sissy virou jogável e o posto de chefão foi dado pra um lutador de MMA chamado Bobby Strong, contratado pelo pai da Sissy pra descer porrada na família Goketsuji no novo torneio. E... é basicamente isso.

v d e h
Power Instinct logo.png