Maurício

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
●Libera Geral Maurícia
●Mauritius Asteroid
●República da Liberdade Sexual de Maurícia

Gay Flag.png Brasao de Mauricio.png
Bandeira Brasão
Lema: EXsTrellinhINA dXo ÍNdiXco
Hino: Macho Macho Men!!!
ASTEROIDM.jpg
Capital Port Louis
Maior cidade Alexandre Frota
Língua Miguxês
Tipo de Governo República Emo Miguxa
Bofe-Mor Alexandre Frota
Heróis Nacionais Maurícia de Nassau
Independência Separação da Holanda em 1124
Moeda Pirocas de Plástico
Religião Liberdade Sexual
População 2x24x69
Área Um cocô no meio do oceano (40% de água)
Analfabetismo 20%
PIB per Capita 3.050 USD/hab.
IDH 0.24
Fuso Horário
2 machos
Clima de boiolice
Site do Governo Maurícia


Maurícia esposa do Maurício é uma ilha que se situa na órbita da Terra. Muitos acreditam ser uma ilha próxima a costa da África, porém cientistas renomados afirmaram que o que vemos no Oceano Índico se trata apenas de uma ilusão de ótica causada pelo Erro 404.

História[editar]

A ilha em seu primórdio era uma terra sagrada para quem vivia em Madagáscar e Austrália. Os aborigenes da região viajavam até o local para cultuar o Deus-Bode-da-Barriga-Inchada.

Quando a Europa resolveu se aventurar nos mares amaldiçoado da região, que o diga Luís Vaz de Camões, primeiro a descobrir essa terra por volta de 1530, este porém não teve ideia do que fazer naquele lugar e se retirou.

Apenas em 1638 que os holandeses resolveram utilizar a ilha para algo. Maurício de Nassau foi designado para licitar o local. Como Maurício era narcicista, ele batizou a ilha com seu próprio nome e passou a reinar no local.

A característica marcante de Maurício evidentemente era suas tendências explícitas homossexuais e seus planos para ilha foram torna-la um local livre para práticas que já eram típicas holandesas, mas muito mal vista pelos países vizinhos como Bélgica e principalmente Alemanha.

Para desafogar toda aquela torrente de legalidade absoluta na Holanda resolveu deportar todos os homossexuais da região para a Ilha Maurício.

Depois de algum tempo, a ilha naturalmente começou a ser chamada de Maurícia em alusão a troca de sexo que Maurício de Nassau fez.

Durante as longas viagens de marinheiros da Europa às Índias. Ao cruzar o Cabo da Morte Certa (curva da África do Sul), os marinheiros vinham de uma parada a 6 meses atrás nos haréns de Marrocos e acabavam de encarar um mar terrivelmente mortal com lulas gigantes e dragões, muitos não resistiam ceder ao bissexualismo quando estacionavam em Maurícia, abastecendo a economia local.

Atualmente com o fim dessas aventuras de navegação, Maurícia se mantêm como refúgio mundial gay.

Subdivisões[editar]


Cultura[editar]

Imperador da ilha e seus minions.

Foi nesta ilha que foram criados os personagens da Turma da Mônica, de notada inspiração demoníaca, por um (a) habitante de nome jamais divulgado. Originalmente, as crianças protagonizavam aventuras repletas de orgia, zoofilia, necrofilia, pedofilia e outras ias doentias que os amantes de sacanagem adoram. No entanto, como os próprios cidadãos mauricences acharam as historinhas de um extremos mau-gosto, resolveram banir seu autor para uma outra colônia gay bem distante dali: a cidade de Campinas, no Estado de São Paulo.

No local, o (a) habitante, para não morrer de fome (já que preferia ser comido em vez de comer), vendeu a um jovem escritor os direitos de publicar histórias com os personagens que inventara em troca de um pão com mortadela. A história tornou-se um grande sucesso, como todos sabemos, e projetou o jovem escritor, que adotou o pseudônimo de Mauricio de Sousa para dar sorte, para a fama intergaláctica.

Sobre o(a) habitante misterioso (a), diz-se que ele se transformou num mendigo louco e insano depois de ver a oportunidade que perdera de publicar suas histórias e suicidou-se afogando-se em mágoas. O caso saiu no Notícias Populares de 1966.

Flag-map Maurício.png Maurício
HistóriaPolíticaSubdivisõesGeografia
EconomiaCulturaTurismo
Leaotarado.jpg
África
v d e h

Países: África do Sul | Angola | Argélia | Benim | Botswana | Burkina Faso | Burundi | Cabo Verde | Camarões | Chade | Comores | Congo | Costa do Marfim | Djibouti | Egito | Eritreia | Eswatini | Etiópia | Gabão | Gâmbia | Gana | Guiné | Guiné-Bissau | Guiné Equatorial | Lesoto | Libéria | Líbia | Madagascar | Malawi | Mali | Marrocos | Maurício | Mauritânia | Moçambique | Namíbia | Níger | Nigéria | Quênia | República Centro-Africana | República Democrática do Congo | Ruanda | São Tomé e Príncipe | Senegal | Serra Leoa | Seychelles | Somália | Sudão | Sudão do Sul | Tanzânia | Togo | Tunísia | Uganda | Zâmbia | Zimbabwe

Territórios: Canárias | Ceuta | Galmudug | Mayotte | Melilla | Reunião | Saara Ocidental | Santa Helena, Ascensão e Tristão da Cunha | Somalilândia

Bandeira da CPLP
Conjunto dos Patetas de Língua Presa (CPLP)
v d e h

Países membros: Angola | Brasil | Cabo Verde | Dadrá e Nagar-Aveli | Damão e Diu | Goa | Guiné-Bissau | Guiné Equatorial | Macau | Maurício | Moçambique | Portugal | São Tomé e Príncipe | Timor-Leste

Intrometidos: Andorra | Croácia | Filipinas | Galiza | Indonésia | Malaca | Marrocos | Romênia | Ucrânia | Venezuela