Mazda MX-5

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Conhecido como a resposta para todas as perguntas já feitas na história da humanidade em certos guetos das Internets, o Mazda MX-5 ou Eunos Roadster ou Miata (dependendo do lugar em que você more) é o veículo produzido pela Mazda desde 1900 e guaraná com rolha e o preferido por posers que acham que seu carro serve pra alguma coisa a não ser parecer que faz aquilo que não faz, ou seja, parecer um carro de corrida quando na verdade não passa de uma das maiores farsas da história da humanidade.

Motor[editar]

O Mazda MX-5 tem um motor 2.0 litros em sua versão 2014- e este é um melhoramento menos pior que suas edições anteriores que possuíam por vezes motores 1.8 litros e até 1.6 litros. Por ser um carro de tração traseira que perde potência devido ao eixo cardã, a Mazda esqueceu disso e deixou a motorização relativamente sem torque, mas com corte de giro razoável em 7.000 rpm. Este carro é para ser dirigido para quem tem paciência e quer que seu carro de corrida seja muito lento nas arrancadas. Nem mesmo os outros Mazda com motor 1.3 litros (Renesis 13B) como o Mazda RX-7 e o RX8 são tãão lerdos pra sair do ponto inicial. O Mazda MX5 é tão lerdo mas tão lerdo pra arrancar que até um Kia Picanto, com peso menor é capaz de acompanhá-lo nos primeiros metros de largada, o que deveria ser levado em conta pra um veículo que é estúpidamente mais caro que o outro pequeno Hot-Wheels da Kia, que em tradução literal significa "Killed in Action", ou morto em ação quando tentava subir uma lomba com mais de 11° de inclinação (o Kia, não o Mazda, que faz o mesmo até 5° de inclinação, por isso o seu nome, enquanto seus irmãos RX fazem em lombas de 7 e 8 graus respectivamente).

Tunning[editar]

O Mazda MX5 presta pra uma coisa, e uma coisa somente: Parecer bonito e colocar sonzeira nos porta-malas. Como o carro não tem potência, pelo menos pra ouvir música no talo ele presta, por isso não é incomum de ver Mazdas "shitbox" edition com caixas de som que valem mais que o carro. Um exemplo é aqueles utilizados para competição de boombox, popular na década de 90 e 2000- até hoje se faz isto em algumas regiões, fora o Acre. O Mazda MX5 também pode receber calotas muito bonitinhas mas relativamente inúteis se contar que o carro ainda continua uma tartaruga com caganeira ao arrancar. Outras inutilidades incluem neon, insulfilm (que é ilegal), e modificações de párachoques (bodykits) que rebaixam o carro e fazem as bolas dele arrastarem no chão. Opa, eu me esqueci que o MX5 hoje é considerado um carro para garotas, e sua época de glória já foi há muitos anos atrás. Se você ver um macho dirigindo um Mazda hoje pode ter certeza que se trata de um viado ou um fan-boy desnaturado, principalmente em relação aos modelos mais novos, pois ninguém que lê a Desciclopédia voltaria a comprar um carro que vem de fábrica com um sorriso gay pior que o dos Peugeot e ainda por cima não anda merda nenhuma.