Mecha

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
FuturamaBender.gif 01000100 01010000 — · · · — — ·

Este artigo contém altas doses de tecnologia. Isso quer dizer que robôs estão te vigiando para pegar suas informações e dominar o mundo com iPods do mal que derretem cérebros e tocam Michel Teló.

Nenhum nerd foi ferido na criação deste artigo.

Chip.JPG
Robô medroso.jpeg Este artigo é sobre uma MÁQUINA!

Ela sabe brincar, pular, cantar, destruir, esmagar e no futuro vai escravizar a humanidade e dominar o mundo, então cuide muito bem dela e não vandalize este artigo!

Frank2.gif
O mais clássico dos mechas. Go, go Power Rangers!

Cquote1.png Você quis dizer: Punhado de cabelo Cquote2.png
Google sobre Mecha
Cquote1.png Bip Bip. Cquote2.png
Personagemde mecha conversando.
Cquote1.png Venha Megazord! Cquote2.png
Personagem Mecha sendo invocado.
Cquote1.png Hi, Mr. Andersen. Cquote2.png
Outro personagem Mecha mostrando mais educação que muita gente.

Mecha derivado do latim inglês mechanic é o nome dado àqueles personagens de sabe-se lá qual dos inúmeros métodos de alienação em grande escala, como filmes ou mangás, que são robôs gigantes e de forma geral antropomórficos, ou ao menos tentam ser.

Definindo[editar]

Personagens humanos de um mecha.

Um mecha é todo aquele robozão que aparece nas mais insólitas aventuras que a mente humana foi capaz de presenciar, mechas por vezes são a única coisa que salva suas respectivas histórias, pois robôs gigantes sempre rendem ótios bonequinhos para as crianças e lucro para as empresas de brinquedos, isso sem falar que sempre haverão tiozões fãs disso que verão nas máquinas tudo o que eles adorariam fazer em seus carros e não podem por não ter dinheiro já que a ex-mulher abocanha boa parte de seu salário com a maldita pensão.

Mecha, estilo, é justamente a série na qual os personagens mecânicos tem destaque, aquelas sem história alguma nas quais apenas sobrevivem e tem fãs pois ficam pondo diversos robôs para lutar, sendo que para o público masculino mais excitante que dois carros superdesenvolvidos só mesmo luta feminina na lama, garotas se engalfinhando num ambiente insólito.
Cavalo de Troia, o primeiro exemplo de mecha.

Mecha, o início[editar]

A primeira história em que há participação de Mechas na história é na épica e extremamente antiga história da Ilíada, entoada pelo Homero, o maior dos poetas gregos, isso obviamente se o ser tiver existido, na queda de Ílion, ou Troia para os noobs, os gregos, por influência de Ulisses abrem mão de uma tática semiguerrilheira, que provavelmente o heleno aprendera quando teve contato com as FARC, de armar uma emboscada usando um grande cavalo de madeira com engrenagens e recheado de guerreiros sarados e sedentos por sangue.

Eles presentearam os troianos com isso e os tontos puseram o bicho para dentro dos muros da cidade, muros que por 10 longos anos de guerra garantiram a sobrevivência deles. Com o cavalo lá dentro, à noite, os gregos aproveitando a ressaca troiana que festejara a guerra vencida promoveram uma chacina escrita nos anais da história, mataram homens, mulheres, crianças, velhos até animais de estimação, o viadinho do Aquiles também morreu na brincadeira, mas nada que pusesse água no chope, ou melhor, vinho grego.

Um mecha nipônico.

O cavalo foi o primeiro exemplo de tecnolgia gigantesca usada para fins bélicos da história da ficção, sendo o precursor dos mechas que hoje contam com canhões de plasma e dispositivos antigravitacionais, WTF? uma vez eles tendo massa não pode-se anular a atração, mas os criadores não estão ligando para princípios físicos e sim para vender a maior quantidade possível de DVD's.

O gênero nas manifestações artísticas[editar]

Vários contos apresentam personagens mecha, sendo todos eles o foco da história, visto que essas histórias dificilmente tem uma história, sendo mais um emaranhado de situações, para parecer complexo, que só servem para chamar o robô para ele partir para o fight.

Mecha no cinema[editar]

Transformer, o mecha atual, vide a engenharia empregada.

Os filmes desse estilo sempre apresentam similaridades, há um adolescente nerd metido no meio de robôs grotescos que ele de alguma forma controla, soma-se isso uma mulher gostosa, muito boa, por sinal. Enredo é opcional, isto é, o filme pode ou não ter uma tentativa de história, obviamente que tudo o que ocorrer seja apenas para dar um pretexto para os robôs entrarem em ação e fazer a alegria dos nerds gordos fãs disso.

Filmes mecha, fazem sucesso graças às maravilhas da computação gráfica, agora com efeitos mais realistas existem até alguns idiotas que acreditam na veracidade dos fatos apresentados nos filmes, daí elaboram teorias de que o governo ianque tem um grupo de robôs de elite capazes de arrasar dimensões.
Nem os mecha escapam a maldição cosplayer.

Mecha no anime[editar]

O gênero mecha fez muito sucesso no Japão, com títulos muito variados de mangás e animes, nenhum que valha a pena ser conferido, a história desses animes sempre gira em torno das máquinas, que voam, soltam raios por todos os lados e acima de tudo enfrentam monstros gigantes repletos de tentáculos entre outras bizarrices tipicamente nipônicas.

O enredo desses animes é similar ao dos filmes, mostrando a falta de originalidade dos mesmo, há o nerd vidrado em eletrônica, a garota gostosa, no caso uma bishojo, daquelas que estrelam os hentais de segunda categoria que você baixa na internet e nos quais desperdiça variados fluidos corporais.

Mecha no tokusatsu[editar]

Até o viadinho do Tom Cruise estrelou um mecha.

Tokusatus de uma forma geral usam e abusam de personagens mecha, sejam eles na forma de robôs gigantes invocando utilizando uma infindável sorte de instrumentos, flautas, espadas vibradores tamanho família, entre outras parafernalhas nenhum pouco normais, o grande clássico do tokusatsu, é a série Power Rangers onde tem o megazord, apenas com esse mero exemplo já dá para imaginar o nível da coisa.

No tokusatsu é comum robôs lutando, mechas, mas esses de uma forma geral são os mais mal-feitos de todos, sendo mais parecidos com bonecos de massinha do que com máquinas metálicas com altíssimo poder bélico, é tudo culpa do baixo orçamento dos estúdios japoneses que preferem guardar o dinheiro para torrar comprando mangás e DVD's das séries concorrentes.

Um meio humano, meio-mecha.

Mecha na literatura[editar]

Alguns livros futuristas, de autores que ficam viajando na maionese, apresentam personagens mecha, eles acham que podem alavancar vendas de suas porcarias, acreditam que um robô na capa resolve os problemas do enredo mal feito e das personagens sem um pingo de verossimilhança, robôs hoje em dia até chega ser clichê.

Um mecha que os japoneses andam vendendo hoje em dia.

Sagas espaciais na literatura de uma forma geral fazem sucesso, e sempre há robôs, tudo para encher balão nesse tipo de coisa, sem nenhuma utilidade, só existem para interagir e deixar o livro mais grosso e dar a aparência de que há uma história, robôs sempre são coadjuvantes quando se trata de literatura.

Mecha nos videogames[editar]

Diversos jogos põe você no controle de um robô gigante com uma metralhadora com mais balas que a do Rambo, isso para compensar a sua falta de mira e ter de gastar trocentas balas para matar um noob qualquer e aleatório que aparece no jogo, se for online, se não for online se o monstro morreu para você merece ser chamado de noob.

Jogos assim fazem sucesso desde a era do atari, com joguinhos que rodavam no seu grandioso Game Boy, e não estou falando sequer do color. O enredo dos jogos mecha é bem simples, para que até alguém com seu QI entenda, você tem um robô e deve matar o que estiver pela frente, de monstros e outros mechas até pessoas e gatinhos.

Principais séries Mechas[editar]

Quem disse que mulheres não podem pilotar Mechas sem exibir sensualidade?

Vídeos[editar]


Ver também[editar]