Mel

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Aranha feliz1.jpg Este artigo é relacionado à biologia.

Lembre-se que a uracila não faz parte do DNA.

Um sabonete de mel. Este dá água na boca

Mel é uma substância viscosa, amarela, com um aspecto melequento e uma cor bonita, com sabor doce. O que pouca gente sabe é que o mel nada mais é do que o vômito das abelhas. É verdade, quando as abelhas comem flores e se acham gordas demais, vão ao banheiro vomitar e sai isso que é chamado de mel.

O mel[editar]

Agora que você já sabe que o mel é o vômito das abelhas, saiba como ele é produzido. As abelhas vomitam naqueles furos, também conhecidos como favos, ou apenas banheirão das abelhas. O mel tem esse nome porque este é o barulho que a abelha faz quando vomita: MEEEEEELLLLL!!!!! Ele é feito basicamente de restos de flores e polens, por isto é docinho. Mas o mais certo era o mel ter o gosto das flores e do pólen, ou seja, gosto de pó de pedra com isopor. É realmente assustador o mel ter gosto doce, apesar da causa, motivo, razão e circunstância de como foi feito.

Usos do mel[editar]

Culinária[editar]

Com o mel, podemos fazer uma gama de coisas, desde doces de mel, até balas de mel, lua de mel, suco de mel, chocolate com mel, leite com mel, pão de mel, melagrião, hidromel, cerveja de mel e até remédio de mel. Tudo que leva mel tem gosto de mel. O sabor do mel é perceptível de longe. Uma gota de mel em um lago com 10 quilômetros pode modificar totalmente o gosto da água. Apesar disto, o mel pode dar enjoos se for comido em grandes quantidades. Soube-se de uma mulher que teve enjoos ao comer 30 quilos de mel no café-da-manhã.

Linguística[editar]

Paulistas mais exacerbados gostam de usar bastante mel em uma conversação, por exemplo:

  • "Me vê dois pastel e um caldo de cana, mel".
  • "Pô, mel. Não estou entendeindo".


Na linguística figurativa[editar]

De modo errôneo, o mel também é usado em sentido figurado para representar cangebrina ou qualquer intoxicante alcoólico potável (ou não). Diz-se que alguém está cheio de mel quando se quer dizer que esse alguém está cheio da cana. Ninguém sabe ao certo como mel e cana se confundiram para o surgimento dessa expressão, mas provavelmente esse engano semântico se deve a algum indivíduo do passado que estava cheio da canade mel.


Sexologia[editar]

O mel é amplamente utilizado em práticas sexuais em diversas culturas, inclusive sua mãe já usou, servindo como um elemento erótico afrodisíaco, um algo mais numa relação íntima.


Nesse âmbito, o mel é usado de várias maneiras, mas geralmente esses usos envolvem besuntar o corpo ou partes específicas com o mesmo e depois lamber. É interessante do ponto de vista acadêmico, mas faz muita sujeira ma cama (convém revestir tudo com plástico antes de empregar o mel). Também é usado como lubrificante íntimo por ser um antiabrasivo eficiente e ter sabor e odor agradáveis (em contrapartida aos locais onde geralmente é utilizado com este fim).


Na tortura[editar]

O mel é utilizado para muitas coisas, entre elas, torturar pessoas. A tortura com mel consiste em despir uma pessoa, amarrá-la a uma árvore, besuntar seu corpo com mel e deixá-la lá por tempo indeterminado, a espera de abelhas, formigas, ursos ou mesmo maníacos sexuais.


Alcoologia[editar]

O mel é muito estudado como elemento embriagante, usado largamente no preparo de drinks doces e altamente chapantes. Alguns exemplos são:

Ver também[editar]