Mimi Tachikawa

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Loirastupidaaaa.jpg Hello, Honey! Este artigo é fashion!!

Este artigo é algo que eu e minhas amigas pink adoramos! Se você for nerd ou pobre, tipo, é melhor passar longe daqui, e se vier aqui pra arranjar confusão, nós vamos chamar a galerinha popular para humilhar você!

Mimi é uma gata!

Cquote1.png Mimimimimimimimimimi! Cquote2.png
Fudêncio sobre Mimi
Cquote1.png Mimi? Esse é o nome do meu gato, hihihi! Cquote2.png
Guria retardada sobre Mimi
Cquote1.png Princesa! Cquote2.png
Gekomon sobre Mimi
Cquote1.png Você quis dizer: Mariah Carey Cquote2.png
Google sobre Mimi Tachikawa

Mimigif.gif

Mimi Tachikawa é a digiescolhida feminina da primeira temporada de Digimon (a Sora não pode ser considerada feminina, pois é mais macho que os garotos, e a Kari é apenas uma pirralha nessa temporada).

Aparência[editar]

Com ela, a concorrência não tem vez.

Mimi nasceu em Barretos e adora frequentar rodeios de lá, por isso ela se veste igual a uma cowgirl (a fêmea do cowboy), com um um vestido vermelho que já saiu de moda desde 1900 e guaraná com rolha que ela herdou da avó e usa porque seus pais, Chitãozinho e Xororó, são muito mesquinhos e não suportam a ideia de gastar dinheiro em roupas para a filha. Como Mimi é pelo menos 30 quilos mais magra que a avó, a menina precisa usar um cinto (que é horroroso) para que o vestido não fique ridiculamente largo demais em seu corpo. Para complementar a breguice, ela ainda usa um enorme chapéu rosa, umas botinas que ela roubou do Chico Bento (por que você acha que ele vive descalço?) e umas luvas marrons com o dobro do tamanho de suas mãos, que possivelmente são de boxe em tamanho infantil, utilizadas para Mimi se defender dos pedófilos que ficam perseguindo-na. Aliás, a pobre garota é constantemente ameaçada de estupro, por ser uma guria retardada de grande beleza.

Origem[editar]

Mimi e sua Togemon em versão bonsai.

Apesar de ser morena, Mimi sempre foi inacreditavelmente burra, fato que levou sua família a desconfiar que ela sofria de síndrome de down, levando-a em todo tipo de médico. Ao perceberem que mesmo os portadores da doença eram mais espertos e inteligentes que Mimi, os médicos diagnosticaram que ela era só idiota mesmo, resultado da negligência de seus pais que sempre estiveram ocupados em turnês divulgando sua horrível música sertaneja por aí e, nos raros momentos em que paravam em casa, só queriam saber de seus filhos mais velhos Sandy e Junior. Este fato fez com que Mimi afundasse nas drogas, começando pela maconha até ir parar no LSD, e seu vício ficou tão grande que a garota jurava que era transportada para outro mundo, onde existiam diversos seres lisérgicos nas mais diversas cores e formatos que falavam com ela e eventualmente tentavam fazer sexo.

Participação[editar]

Ela chorou muito quando soube da existência desse artigo...

Talvez por ironia, já que Mimi é uma patricinha extremamente preocupada com as aparências, ela passa o anime inteiro atraindo digimons feiosos, como é o caso de sua Palmon, uma mistura bizarra de flor e dinossauro, que consegue ficar pior ainda quando digivolve para Togemon, o cactus usuário de asteroides anabolizantes. Ela também atrai os sapos cabeçudos Gekomons, sendo estes os responsáveis por torná-la uma princesa, deixando-a mais convencida ainda e fazendo com que ela descobrisse seu lado cantora, que ao contrário dos pais fazia mais a linha pop. Foi aí que Mimi se tocou que era adotada: seus verdadeiros pais eram Zezé Di Camargo e Luciano, e seu verdadeiro nome era Wanessa Camargo! Sabendo disso, Mimi foi para uma clínica de reabilitação, onde largou as drogas e parou de ver os digimons, exceto Palmon. Seu objetivo agora era ser uma estrela da música e ter muitos fãs! Conseguiu por um curto período, mas só até Palmon digivolver para Lillymon e chamar muito mais atenção que ela. Foi o fim de sua carreira musical (ainda bem).

Mimi sempre teve o corpo bem desenvolvido para sua idade.

Para se recompor do stress causado pelo choque da nova digivolução de sua digimon, Mimi se mudou para os EUA, onde ficou por cerca de 4 anos e acabou conhecendo MariMoon em uma de suas muitas visitas à Disney, então a brega VJ disse que ela devia pintar o cabelo com papel crepom para voltar a ser amada e respeitada por todas, e Mimi escolheu a cor rosa para relembrar o chapéu que usava quando criança. Como estava muito mais gostosa agora, a garota voltou toda confiante para o Japão, e foi chamada para estrelar uma penca de hentais não só ao lado dos digiecolhidos, como também das digiescolhidas e até alguns digimons. No entanto, todos sabem que Mimi é heterossexual, apesar de dar para qualquer espécie sem preconceito. Seus grandes amores são Joe e Izzy, um mais nerd que o outro, que se revezam para comê-la namorá-la.

Digimons[editar]

Yuramon, que digivolve para Tanemon, que digivolve para Palmon, que digivolve para Togemon, que superdigivolve para Lillymon, que megadigivolve para Rosemon.