Mineral

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Testosterona.png Este artigo é relacionado à química.

Após terminar de ler, lave os olhos com água corrente em abundância por 15 minutos.

Cratera1.jpg Este artigo é da mãe Terra!

Isso significa que ele é fraco a água e imune a electricidade (à não ser que você seja o protagonista). Se vandalizar, gigantes te mandaram pro Submundo.

Cquote1.svg Água mineral, água mineral... Cquote2.svg
Timbalada sobre mineral.
Cquote1.svg Nossa, que bosta! Cquote2.svg
Qualquer um sobre citação acima.

Mineral é um monte de sal velho pra cacete que passou por torturas desumanas e condições motumbísticas de temperatura e pressão para possuir uma estrutura que pudesse agradar portadores de transtorno obsessivo-compulsivo.

Como assim, num intendi[editar]

Um mineral é formado na alma superfície da Terra ou em seu interior bonito, com condições de pressão e temperatura que fariam um ser humano ordinário ser esmagado, triturado, derretido e transformado em embutido. O principal detalhe dos minerais é a estrutura altamente organizada e simétrica que possuem, deixando gurias retardadas babando. Há uma série de definições e classificações dentro do estudo dos minerais (qual estudo não tem?), levando ferro em seu toba conta tais propriedades, condições, inutilidades e caralho a quatro.

Termos importantes[editar]

Um cristal.
  • Minério - Um minério está para um mineral da mesma forma que "quantia" está para "quantidade": é uma palavra mais curta que preguiçosos consideram sinônimos apenas para escreverem menos, e assim como quantia está em função da quantidade, pois é quantidade de bufunfa, minério também é, mas em função do tempo do mineral. Descartando toda essa encheção de linguiça, minério é uma rocha que abriga um mineral ou um trambolho qualquer que seja matéria-prima de minerais potencialmente caros e/ou lucrativos. Homem Primata, ó nóis ai.
  • Mineraloide - É um troço que deveria ter sido transformado em mineral quando teve a chance, mas deu uma merda e o produto ficou com algumas partes deformadas, ou seja, com imperfeições na organização da estrutura. Um exemplo clássico é o vidro, que por ser desse jeito, se quebra facilmente e em pedaços de tamanhos duferentes, geralmente menores que seu pinto e que entram nos pés das pessoas.
  • Mineral metamicto - É um mineral que vira mineraloide com o passar do tempo devido à presença de metais radioativos. Peraí, o quê? RADIOATIVOS?! Sim! Alguns minerais se formam com elementos que causam câncer, mas neste caso, quem fica com câncer é o mineral.
  • Impureza - É um elemento que não deveria estar no mineral. Ninguém se importa como ele foi aparecer lá, só se sabe que ele está e as vezes dá pra saber que é o enxerido pela aparência do mineral. Dependendo do valor social agregado ao elemento penetra, o mineral pode ser mais merda que Action 52, mais precioso que o Anel de Sauron e/ou mais valioso que uma nota de 1 real.
  • Cristal - É uma marca de cerveja feminista devido a presença de lacre, mas isso não tem nada a ver com este artigo, entretanto, também é o nome dado a qualquer mineral que seja... um mineral. Sendo mais compreensivo, um cristal é um mineral sem muitos defeitos, ao contrário dos mineraloides.
  • Gema - É um cristal caro, lindo e cheiroso, capaz de aguentar por muito tempo todos os males da humanidade e os radicais livres. Contém 49% das proteínas do ovo, além de todas as gorduras e o colesterol. Não, pera...
  • Rocha - É um caracol com nervos de aço usado pelos pioneiros para viajar por longas distâncias. Diferentemente de uma pedra ou de areia de praia, a rocha contém minerais essenciais para o desenvolvimento do organismo, mas como eles estão num bacanal bem gostoso, é difícil de se obter algum uso culinário, restando apenas retirar os minérios para o desenvolvimento de cristais, gemas e relíquias outros materiais.

Formação dos minerais[editar]

Como o cristal é o mineral ideal (e ao contrário dos gases, também é real), "mineral" será substituído por "cristal" o máximo possível neste artigo. Um cristal é formado quando uma substância SALINA qualquer se deposita num pedaço de asno e fica por lá, lendo revistinhas do Ursinho Bilu. Esse processo é chamado de nucleação, com o núcleo sendo a substância, evidentemente.

Com o tempo, vários outros pedacinhos de sal vão se juntando ao núcleo, seguindo a doutrina do mesmo, fazendo o cristal aumentar o tamanho de sua benga. Com o sal doutrinado pelo núcleo para se organizar de um jeito qualquer, só falta ao cristal se identificar como um, queimar um sutiã e bradar às margens do posto Rio Ipiranga:

Cquote1.svg EU NÃO SOU UM VIDRO!! SOU UM SÓLIDO E ALTAMENTE ORDENADO CRISTAL!! Cquote2.svg

Classificação de minerais e rochas[editar]

Sedimentos coloridos formando rochas. Na verdade é tinta, mas a ideia é essa.

Os minerais podem ser poli ou isomorfos. Polimorfismo é o nome registrado no cartório da característica dos minerais de mudar de posição caso a atual esteja muito desconfortável. Um exemplo clichê pra caralho é o do grafite, cujo arranjo abelhístico muda para um monte de tetraedros quando a pressão e a temperatura aumentam pra cacete, o que resulta no diamante. Isomorfismo é o nome dado aos minerais que possuem a mesma ordenação, independente de cor, peso, crença religiosa, presença de rugas ou constituição elementar meu caro Watson.

Já as rochas se dividem em: ígneas (ou magmáticas pra quem não manja das putarias), sedimentares ou metamórficas, e é aí que as coisas ficam interessantes.

  • Rochas ígneas - São rochas formadas por magma gripado resfriado. Forma-se no interior da Terra, pois é lá onde fica o magma (duuuh), é dependente da quantidade de silicatos para ser mais ou menos mole e forma outras rochas quando sobe até a superfície para relaxar.
  • Rochas sedimentares - Ao subir, a rocha sofre mudanças causadas por ventos, chuva, raios, bomba atômica, bailes funk e outras armas de destruição das massas em massa. As rochas começam a descer novamente, mas não muito, e a pressão cria rochas novas.
  • Rochas ígneas - São rochas formadas por magma gripado resfriado. Forma-se no interior da Terra, pois é lá onde fica o magma (duuuh), é dependente da quantidade de silicatos para ser mais ou menos mole e forma outras rochas quando sobe até a superfície para relaxar.
  • Rochas metafórficas - A descida da rocha sedimentar pode ser o suficiente para ela chegar chegando perto do magma sem se derreter apaixonadamente. Com a temperatura e a pressão maiores, a rocha decide dar um ultimato contra si mesma e inicia uma faxina em sua ordenação. Isso aumenta a densidade e a beleza do mineral.

Cristalização[editar]

Um pouco de sal em solução ou fudido fundido se aloja num lugar bem maroto. Lá, ele esfria o suficiente para ficar sólido. Com o tempo, mais sal vai agregando ao redor do núcleo, seguindo uma ordem muito importante, dependendo da rapidez com a qual o mineral se forma. Quanto maior ela for, mais o mineral está cagando e andando para ser um cristal de verdade e provavelmente ele será um mero mineraloide.