Mongólia Interior

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Pastel chines original.jpg Pastel de flango, né?

Este altigo foi fablicado na China e pode queblar a qualquer momento. O autor plovavelmente luta Kung Fu e tem uma pastelalia. Não estlague este altigo, pois Jackie Chan está de olho.

Mongol warrior.jpg
Khan Khan Khan Khan!!! Este artigo é da Mongólia!!!

Ele mora em um Yurta, é pobre, vive no meio do nada, escreve com
alfabeto cirílico e nunca quer ser confundido com chineses!!!

Se você traiu Genghis Khan, CAIA FORA DAQUI!!!

Mongolia.jpg
●Mongólia Interior
●Deserto Quente Mongol Chinês
●Mongólia da China

Bandera-mongola.jpg MongoBras.jpg
Bandeira Brasão
Lema: In Khan We Trust
Hino: Khan, Khan, Khan, Khan, Khan...
Map Inner Mongolia.jpg
Capital Fazenda Ulan Bator
Maior cidade Desertikan
Língua Mongol e caipirês
Tipo de Governo Canato
Khan Coronel Totonho Khan
Heróis nacionais Genghis Mezenga Khan
Independência Jamais terá
Moeda Fardos de feno
Religião Genghiskhanismo
População 37 pessoas e 20 camelos
Área Um deserto muito grande (0% de água)
Analfabetismo 80%
PIB per Capita 300 fardos de feno USD/hab.
IDH 0.013
Fuso Horário A hora que Genghis Khan achar melhor
Clima Quente pra camelo
Site do Governo www.genghisfarm.org
Uma das fazendas da Mongólia Interior.

A Mongólia Interior é um território autônomo da China. Apesar de serem mongóis, os habitantes preferem continuar sendo parte da China, pois se saírem, vão à falência. Esta região representa cerca de 0,5% do PIB chinês e 13% do território chinês. A Mongólia Interior consegue ser mais desértica que a Mongólia.

A Mongólia Interior foi fundada no ano 1200 por Genghis Khan para ser um depósito de seus tesouros. Genghis Khan queria um lugar bem remoto para guardar suas coisas. Anos mais tarde, a Mongólia Interior conseguiu se tornar um país.

Todos os habitantes da Mongólia Interior são descendentes de Genghis Khan. Antes de se tornar parte da China, a Mongólia Interior era um pedaço não-utilizado na Mongólia. A Mongólia trocou a Mongólia Interior por um cavalo. Por isto, os habitantes da Mongólia Interior estão divididos entre a nacionalidade chinesa e a nacionalidade mongol.

História[editar]

No ano 1200, Genghis Khan bebeu demais e se perdeu da tropa. Ficou circulando um deserto quente por alguns minutos. Era descoberta então a Mongólia Interior. Surgiram depois os plantadores de bambu, assim o território se tornou um canteiro de obras. 4 barracas foram construídas. 800 anos se passaram, e a Mongólia Interior foi vendida à China pela quantia de 1 cavalo. Foi um péssimo negócio da China.

Economia[editar]

Fonte de renda dos mongóis interioranos.

Apesar de desértica, a Mongólia Interior é um país agrícola e pecuarista. Cerca de 70% da economia mongol-interiorana é representada pela agropecuária. As plantações de alfafa e a criação de camelo são as maiores atividades da Mongólia Interior. Os demais 30% são conseguidos através das pilhagens.

Os produtos de importação da Mongólia Interior são: água, batatas, cavalos e cimento fresco. Ninguém sabe o motivo da Mongólia Interior comprar cimento, já que os mongóis interioranos nunca usaram este produto, por morarem em casas feitas de couro de camelo. Acredita-se que o cimento seja usado para a construção de armas de destruição em massa corrida.

População[editar]

Grande rio da Mongólia Interior.

A etnia predominante na Mongólia Interior é a mongol, que representa cerca de 91%. Os demais 10% (ou seja, 8 pessoas) são chineses e o guarda de trânsito é turco.

Clima[editar]

Quente para camelo nenhum botar defeito.

Demografia[editar]

1 habitante para cada 3 camelos quadrados.

Pastelaria[editar]

Não há pastelarias na Mongólia Interior pois os mongóis não são pasteleiros como os chineses, apesar de a Mongólia ser da China. Há uma lenda que conta a história de um pasteleiro que chegou à região, mas ele foi morto e fatiado junto com os pastéis e ingredientes que haviam em sua mochila. Com todo o sangue, ele não conseguiu apresentar a iguaria a Gengis Khan, que continuou comendo batatas e carne de camelo até a morte.