Montividiu

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Montividiu, por favor! Não confundir com a bela Montevidéu do Uruguai, esse de Goiás é uma pequena cidade que não vale nada e deve ter sua existência ignorada.

História[editar]

Montevidiu.

Tudo começou em 1837 durante a época do povoamento de Goiás, quando Dom Pedro II teve a brilhante ideia de afastar os mendigos, infelizes e feios de forma voluntária para o interior do país muito longe da capital, na forma de incentivos de distribuição de terras grátis e falsas promessas de terras férteis e ricas minas de ouro. Grande parte desse povo que caiu no conto do vigário do governo acabaram ali em Montividiu sem condições de comprar a passagem de volta para o Nordeste.

Durante décadas, famílias inteiras de nordestinos e baianos montados num mesmo jegue chegavam em Montevidiu, até hoje ninguém sabe porquê, mas em 1987 já era município.

Atualmente é mais uma cidade pobre do interior de Goiás.

Economia[editar]

Montividiu segue a fórmula lançada pela Divisão Internacional do Trabalho que diz:

Cidade do interior de Goiás + terras = Soja

Confeccionistas querem implantar uma fábrica de meias de tamanho grande, um mercado promissor, pois em Montividiu tem bastante sapatões. O tipo de comércio que dá mais lucro em Montividiu é o segmento de confeitarias porque em cada esquina, em cada praça, em cada bar se vê muitos pudins de pinga, uma iguaria da cidade. Quem quiser ficar rico em Montividiu é só abrir uma fábrica de churrasquinhos, o custo é zero porque a cidade está tomada por cachorros. Se lá na Tailândia eles comem carne de cachorro, porque não podemos comer também? Lembrando também que Montividiu exporta alguns pistoleiros para o resto do estado para resolver problemas agrários pacificamente a base do 3-oitão.

A cada 100 metros há uma igreja evangélica, tornando a economia local muito próspera aos pastores é claro.

Montividiu também tem vários comércios fundo de quintal e pitdogs, que um morador qualquer se acha empresário qualificado para ter sucesso na vida e ser mais rico que o Roberto Justus. Pena que isso nunca acontece e o comércio fecha em pouco mais de 2 semanas, ou o Pitdog vende lanche com cocô de rato ou barata de tempero.

A principal fonte de renda da cidade mesmo é o Posto do Milhão, onde os (milhares) de caminhoneiros fazem uma rapidinha para seguir viagem (98% da população são caminhoneiros), 1% são ex-caminhoneiros, e 1% serão futuros caminhoneiros, estes que levam ouro para o rei em Minas Gerais ou transportam mercadorias como artesanato da região.

A cidade conta também com desenvolvido tráfico de drogas, prostituição, bares, e uma pizzaria na Praça dos Dinossauros.

Uma atividade que vem crescendo muito rápido é a coleta de latinha pela cidade, haja visto a expansão significativa de pé-inchado na cidade. A economia de Montividiu é conhecida no país todo, contribuindo com a deflação, pois Montividiu pode ser considerada a capital nacional do calote.

Lazer[editar]

A Praça dos Dinossauros é uma homenagem ao maior calango do mundo que foi descoberto em Montevidiu que foi capturado, empalhado e exibido na praça.
  • Ir fazer nada na Praça dos Dinossauros.
  • Ir beber cachaça na Praça dos Dinossauros.
  • Ir contar fofoca na Praça dos Dinossauros.
  • Ir ver os insetos voarem ao redor das lâmpadas da Praça dos Dinossauros.
  • Limpar a bunda com papel higiênico.
  • Ir comer em Pitdog lanches gordurosos e com barata de tempero.
  • Ficar sentado na frente da farmácia cuidando da vida dos outros.
  • Ficar sentado na porta de casa cuidando da vida dos outros.
  • Não fazer nada ao mesmo tempo que está cuidando da vida dos outros.
  • Sentar nas calçadas de bares, beber e cuidar da vida dos outros.
  • Sentar em cadeiras na grama da praça e falar da vida dos outros (só pra não ficar monótono).
  • Ir na Cachoeira de Montividiu (apesar que ninguém vai lá).
  • Ir no Lago de Montividiu (apesar que ninguém vai lá também).
  • Puxar saco do prefeito que troca de mulher que nem troca de carro.
  • Ir numa festa que oferece chopp para ver os "pinguços" e depois falar mal deles.
  • Ir ver briga de porretes na curva da cracolândia.
  • Assistir as manobras radicais de motoqueiros que não sabem de nada e ainda levam tombos.
  • Ir na feira aos domingos comprar DVD pirata (4 por 10,00) e escutar forró de mau gosto.
  • Ir tomar banho no Rio Montividiu, mais precisamente no poço das putas.
  • comer galinhada na época das eleições, às custas dos candidatos (com o dinheiro do povo, é claro).
  • Ir para a cidade vizinha de Rio Verde em ônibus lotado para fazer compras, as vezes, mais caro do que em Montividiu.
  • Ficar na praça da Igreja Matriz, sentado no encosto do banco e a botina suja de bosta de cachorro e terra emporcalhando o assento.

Curiosidades[editar]

  • 99% dos leitores desse artigo moram em Montevidiu.
  • 99% dos leitores desse artigo, detestam Montevidiu.
  • 99% das pessoas que moram em Montividiu, falam mal da cidade, mas não contribuem para sua mudança, e continuam cuidando da vida dos outros.
  • 98% do povo local escrevem "Montevidil" ao invés de Montividiu.
  • O 1% dos leitores desse artigo tem que vir aqui toda hora corrigir o nome "Montevidil" para "Montividiu".