Monumentos Históricos da Antiga Kyoto

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa

Sculpture samurai.jpg

Made in Japan
Este é um artigo com tecnologia do sol nascente né.
E é um Salaryman.

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Os Monumentos históricos da Antiga Kyoto são um conjunto de velharias que a UNESCO decidiu tombar antes que elas tombassem naturalmente, no sentido mais literal. Apesar do nome, os monumentos estão espalhados em Kyoto e também em Uji e Otsu.

O que são esses trecos[editar]

O pessoal de Kyoto sempre gostou de construir templos, castelos e outras papagaiadas em sua cidade, sem nem deixar espaço para as casas das pessoas às vezes. E nos tempos em que Kyoto era a capital do país, aí todos os políticos também vieram para Kyoto e cada um fazia questão de deixar sua pequena obra faraônica, para ganhar votos do povão mostrar o seu amor por Kyoto e pelo Japão também. No total são 42 monumentos tombados, sendo todos templos budistas, xintoístas e castelos, porque antigamente a tecnologia japonesa se resumia a poucas coisas diferentes.

Alguns Exemplos Dessas Velharias[editar]

Kamo Jinja[editar]

O arquiteto.

Kamo Jinja na verdade são dois templos construídos um em cima do outro para abrigar o espírito do Deus Fuinha, uma antiga divindade de Kyoto, cultuada pelos ancestrais dos otakus. Kamigamo e Shimogamo Jinja até hoje recebem vários festivais ao ano, em sua maioria eventos ligados à cultura local e que acabam sendo invadidos por otakus.

Kinkaku-ji[editar]

O único templo 100% papelão dourado do mundo.

O Kinkaku-ji, ou templo do papelão dourado, foi construído sob as ordens de Yoshimitsu no Período Edo para ser a estrutura mais chamativa de todo o Japão, e provavelmente conseguiu. Para enfeitar o lugar, Yoshimitsu mandou colocar um rebanho de veados no jardim e ainda pintou todas as paredes de amarelo, em sua maioria feitas de papelão mesmo.

Ginkaku-ji[editar]

O plágio.

O Ginkaku-ji, ou templo do papelão prateado, surgiu como uma tentativa de se plagiar descaradamente o Kinkaku-ji. Os adversários políticos de Yoshimitsu também queriam se gabar de alguma coisa para as eleições seguintes e por isso fizeram um templo budista nos mesmos estilos, só mudando a cor das paredes de papelão para não ficar tão descarado.

Nijo-jo[editar]

Conhecido também como Mijo-no-Miojo.

O castelo de Nijo, também conhecido como Nijo-jo, foi erguido para ser a residência do ditador shogun Tokugawa, que desejava um castelo cheio de frufrus só para ele, algo para rivalizar com quaisquer estruturas da cidade em termos de emperiquitação. Por ser tão enfeitado e alegre, o castelo também tinha o apelido de Jojô.

Tenryuu-ji[editar]

Tenryuu-ji, eita palácio mais glamuroso cheio de purpurina.

O Tenryuu-ji foi originalmente construído para ser o palácio do Imperador Saga, onde ele passava os dias invocando dragões negros em rituais malignos e dando sua risada diabólica quando dava na telha. Posteriormente foi convertido em um santuário templo budista dedicado aos dragões do céu.