Mosteiro de Poblet

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Inquisicaoespanhola.jpg

¿¿¿Porque no te callas???
No robe los picassos de Mosteiro de Poblet o la Santissíma Inquisición lo mandará para el colo del capeta!!!

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


O Mosteiro de Poblet (ou Real Monastério de Santa Maria da Virginidade de blábláblá de Poblet) é um mosteiro espanhol. Lá moram um grupo de monges que fica coçando o saco o dia inteiro, e nas horas vagas fazem orações para Jesus. Em um certo período, ele pertenceu à família real, mas nada de diferente aconteceu no monastério. Devido à doaçoes por parte dos otários fiéis da Igreja Universal, o local ficou muito bom.

Você está vendo um negócio no meio do mato? É o mosteiro.

Mas logo depois ele foi abandonado, virou uma ruína a alcançou o título de patrimônio mundial, e todo mundo viveu feliz para sempre (ou não). Pobret Poblet surgiu durante a Idade Média, numa época em que a Igreja Universal dominava a Espanha com o apoio da Inquisição Espanhola. Era obrigatório o pagamento dos impostos, porque senão quem não pagasse ia para a cadeia.

História[editar]

Um nobre local deixou de pagar os impostos, e assim foi acusado de sonegação. Para fugir da cadeia (as cadeias eram tão ruins que os presos eram mortos ou estuprados), o nobre prometeu que financiaria a construção de um monastério na área mais cara da região. Ele conseguiu escapar da prisão, mas para isso teve que construir um mosteiro. Depois de alguns anos, a obra ficou pronta. Então, vários monges se estabeleceram em Poblet, onde faziam porra nenhuma, apenas vendo o dia passar.

Quando veio a público o escândalo de que os impostos pagos pelos cidadãos espanhóis pagavam impostos para que meia dúzia de pessoas vivesse sem trabalhar, o governo teve que confiscar o monastério e expulsar os monges. Sobre o governo dos políticos, o monastério virou secretamente um local de festas e de reuniões para organizar esquemas de corrupção. Pegando emprestado o dinheiro do governo, o monsteiro foi reformado para agradar os políticos.

Como a grana que eles tinham era quase ilimitada, o mosteiro ganhou muitas coisas, em especial uns detalhes insignificantes que não fazem nada além de encarecer o prédio. Quando aconteceu uma guerra civil na Espanha, os ocupantes do monastério se cagaram de medo e fugiram do país. O mosteiro ficou abandonado por muito tempo, virando quase uma ruína. No fim da guerra, ele foi reformado para ficar a mesma coisa de antes, mas ninguém voltou a ocupá-lo. Sendo quase uma ruína, esse fator influenciou a decisão da UNESCO de torná-lo um patrimônio.