Mosteiro de San Millán de Suso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Inquisicaoespanhola.jpg

¿¿¿Porque no te callas???
No robe los picassos de Mosteiro de San Millán de Suso o la Santissíma Inquisición lo mandará para el colo del capeta!!!

O Mosteiro de San Millán de Suso (suso significa descer pra baixo em espanhol) é um monastério que junto com o Mosteiro de San Millán de Yuso, é um patrimônio mundial. Ele fica em cima de uma montanha, enquanto Yuso fica em baixo.

História[editar]

O mosteiro feito para servir de cova. Bastava um buraco para enterrar o morto, mas fizeram uma casa para ele.

Ele foi construído quando um pobre mendigo santo adorado pelas pessoas locais morreu de Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose. Os fiéis dele ficaram muito tristes com a notíciae decidiram fazer um túmulo para colocar seu cadáver apodrecido.

Então, os habitantes da região carregaram o cadáver do morto até o alto domorro mais alto do estado e construíram uma casa apenas para abrigar o corpo do falecido. As pessoas tiveram muito trabalho para fazer uma obra em cima de um monte, mas com muito esforço elas conseguiram construir a tal cova gigante.

Na época, surgiu uma moda de religiosos morarem em locais isolados da civilização, distante do resto do mundo. Na região, a moda chegou e alguns homens pensaram em morar num local distante das cidades, que nem faziam nos outros estados. Com preguiça de construírem um monastério para eles, os monges foram até a cova do santo falecido e se estabeleceram por lá, criando o Monastério de Suso.

A vida por lá foi normal para os monges, que não faziam nada e observavam a vida sexual das borboletas do jardim. Com o tempo, o mosteiro foi envelhecendo e ficando em ruínas. Por isso, os monges se mudaram para o mosteiro de Yuso, abaixo do morro. Com a mudança dos monges e dos restos mortais do santo, Suso ficou abandonado por centenas de anos, e assim foi virando quase uma ruína, mas algo salvou o monastério do abandono total.

A UNESCO estava com vontade de tombar algo como patrimônio mundial. Na falta de outras ruínas, essa agência transformou Suso em patrimônio, atraindo muitos turistas interessados em velharias.

Hoje, o Mosteiro de Suso é propriedade do governo e habitado por fantasmas, sendo que de vez em quando aparece algum turista curioso por lá, mas raramente aparecem humanos na região em torno dele. Para ter acesso a Suso, é preciso autorização dos fantasmas e do governo.

Veja o Artigo Principal[editar]