Mosteiro e Sítio do Escorial

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Inquisicaoespanhola.jpg

¿¿¿Porque no te callas???
No robe los picassos de Mosteiro e Sítio do Escorial o la Santissíma Inquisición lo mandará para el colo del capeta!!!

Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


O Mosteiro e Sítio do Escorial (do espanhol: El escorial. Traduzindo para o português: A escória) é um complexo gigante que inclui igrejas, salas de cinema, shopping, restaurantes, moradias, supermercado, biblioteca, um mosteiro e um sítio localizado perto de Madri. Esse complexo foi criado para servir de lixão de Madri, onde se jogava todo o lixo e escória da cidade. Até aí você deve se perguntar "Mas como um lixão se tornou um complexo gigante cheio de coisas?"

História[editar]

O que antes era isso...

Isso aconteceu quando o rei espanhol decidiu visitar o lixão e sentiu pena de ver a população de um vilarejo próximo pegando coisas nas pilhas de lixo para vender no mercado negro afro-descendente. Como ele no momento tinha uma doença que afetava o cérebro que o fazia ter pensamentos malucos, a realeza teve a brilhante ideia de fazer um mega-complexo moderno com vários shoppings, salas de cinema, restaurantes, e outras coisas do tipo.

Quando o rei pensava num nome legal para dar ao novo complexo, ele estava sem criatividade e com o raciocínio afetado pela doença. Então, ele pensou no nome Mosteiro e Sítio do Escorial, mesmo que o negócio não tenha quase nada a ver com um mosteiro ou um sítio. Mas o nome é esse, foi decidido e ninguém pode reclamar. Uma vez Hugo Chavez reclamou desse nome, mas o rei mandou ele calar a boca.

...virou isso.

Os engenheiros responsáveis pela obra também não eram criativos, e não tinham ideia de como fariam o negócio. Um deles conseguiu uma planta de um edifício grande e o copiou, fazendo o Escorial. Mas a planta era de um templo judeu, e os engenheiros não repararam nisso. No final, o que era para ser um complexo com várias coisasm virou um templo judeu, totalmente diferente do planejado. Como as obras deram muito trabalho, os pedreiros estavam cansados e resoveram nõ consertar a cagada, deixando o negócio uma porcaria.

O que tem nele[editar]

Biblioteca[editar]

A biblioteca do Escorial abriga milhares de livros que ninguém lê, e só serve para ocupar espaço dentro do complexo. De tantos livros, os biblioteconomistas não quiseram perder seu tempo contando quantos livros o local tem.

Museu[editar]

O museu guarda vestígios do que era o local antes da construção do mesmo. Portanto, nele só tem lixo, como garrafas plásticas, metal enferrujado, sucatas, material orgânico, entre outras coisas.

Jardim[editar]

O jardim mais parece uma floresta tropical impenetrável. Ninguém pode usufruir desse jardim, porque quem entra nele nunca mais retorna para contar a história.

Cemitério[editar]

Sim, aqui tem até cemitério. Nas covas estão vários ricaços que desperdiçaram seu dinheiro para pagar um túmulo aqui.