MotoGP 14

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para: navegação, pesquisa
Virtualgame.jpg MotoGP 14 é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Bomberman está explodindo algumas cidades.


MotoGP 14
MotoGP 14.jpg

Capa do jogo que tenta impressionar

Informações
Desenvolvedor Milestone
Publicador Milestone
Ano 2014 (dã)
Gênero corridinha de motoca
Plataformas PolyStation 3; Cubo 360°; PC da Xuxa
Avaliação 10%
Idade para jogar +18 (habilitação A)

MotoGP 14 é um bizarro jogo de simulação de quedas de motocicleta, inovador pelo aspecto de trazer motos de corrida profissionais para que o jogador sinta-se pelo menos alguma coisa enquanto caia de moto a cada curva. Foi um sucesso de crítica por render boas risadas àqueles que assistem o amiguinho não conseguir completar 1 volta sequer num circuito de tanta raiva que fica por cair da moto sem parar.

Jogabilidade[editar]

Rotina do jogo.

Após o miserável sucesso de MotoGP 13 que é praticamente injogável, a produtora Milestone assimilou bem as críticas recebidas e em 2014 lançou a continuação, o MotoGP 14, com novos gráficos e nova engine de jogo trazendo todos motociclistas da temporada 2014 da Moto GP com habilidades circenses de fazer acrobacias em motos.

No jogo todos os pilotos são imortais e as motos indestrutíveis, portanto é possível colidir a 300 km/h num muro e simplesmente voltar para a corrida vivo e com a moto sem nenhum arranhão ou avaria. Este fato também nos trás uma habilidade incomum não conhecida de todos pilotos da Moto GP, que é a habilidade fantástica de teletransporte, que é acionada a cada batida ou derrapada. Como trata-se de um jogo de simulação, essa habilidade de teletransporte é fielmente copiada do mundo real, onde o piloto após derrapar, desaparece e reaparece instantaneamente na pista em cima de sua moto inteira e nova em folha.

Outra habilidade incomum de todos pilotos da Moto GP que é apresentada no jogo, é a habilidade copiada descarada dos jogos de corrida da Codemaster de prince of Persia de voltar no tempo (o rewind) onde após fazer uma cagada, o jogador pode voltar no tempo e tentar refazer mais corretamente determinada curva (a qual irá errar, pois nesse jogo cair em curvas é praticamente obrigatório).

A grande novidade foi a física apresentada pelo jogo, que remete qualquer jogador a parecer um iniciante que precisa andar de bicicleta com rodinhas. Como a porcaria do game não se decide entre arcade ou simulador, o resultado é um controle completamente esdrúxulo que sempre o fará cair da moto nas curvas, não importa o que faça, obrigando qualquer pessoa normal a ter que ligar todos auxílios imagináveis de freios e controles de tração para que não seja humilhado com tantas quedas, e se dedique então a corridas sem graça ao estilo mais arcade.

Há também o modo online, que é sempre vazio e desértico, afinal, as poucas pessoas que compraram este jogo se arrependeram amargamente e nunca mais tocaram nele na vida.

Novidades[editar]

O jogo em relação a versão anterior trouxe novos gráficos, agora com uma melhor relação entre luz e sombra. O que é grandes merdas.

O som do jogo também foi totalmente reformulado, na produção do game foram instalados microfones no cano de descarga de várias Yamaha YBR, o que torna o som dos motores das motos praticamente impossível de ser escutado por ouvidos saudáveis. O jogo também vem totalmente em paulistanês português-BR para agradar os analfabetos em inglês.

Agora há ainda todos os pilotos e pistas, embora na criação de personagem só haja 6 caras feias para ser você.

Recepção[editar]

O jogo obviamente foi um fracasso de crítica, pois ninguém que foi testá-lo conseguiu dar uma volta sequer sem cair da moto. Como os avaliadores jamais admitiriam serem tão ruins, todos sites especializados deram nota 7/10 para ficar na média.

As vendas foram decepcionantes, sendo este aquele tipo de jogo que fica encalhado nas prateleiras das lojas, que você volta na loja depois de uns meses e jogo ainda está lá naquele mesmo cantinho, sem nunca ter sido comprado.

v d e h
MotoGP logo.png